Dupla é detida suspeita de usar documentos falsos com dados de pessoas mortas para sacar o PIS/Pasep, em Goiás

Sem Comentários

06/11/2019

Dois homens foram detidos na sexta-feira (1º) suspeitos de usarem documentos falsos para sacar o PIS/PASEP no nome de outras pessoas, em Mineiros, no sudoeste de Goiás. Segundo a polícia, eles compravam os documentos pela internet. Um deles disse que alguns dos dados podiam ser de pessoas que já morreram. Os suspeitos estavam em um carro na BR-364, quando foram abordados pelo Comando de Operações de Divisa (COD). Com eles foram encontrados R$ 2,6 mil. “Ao serem questionados sobre a origem do dinheiro, eles não souberam explicar, disseram apenas que tinham sacado os direitos trabalhistas em uma agência bancária. Fomos ao local e vimos que um dos suspeitos tinha sacado o benefício no nome de outra pessoa, que mora em Minas Gerais, e ficou constatado o golpe”, disse o tenente da Polícia Militar. A câmara de segurança do banco registrou quando um dos suspeitos foi à agência e sacou o dinheiro. O policial disse que, em conversa informal, um deles disse que alguns dos dados seriam de pessoas que já morreram. “Eles nos relataram que esses documentos, senhas e informações dos beneficiários eram obtidos com hackers que repassavam as informações pela internet e que os documentos eram entregues pelos Correios”, completou o tenente. Os dois, que são de Brasília e foram a Mineiros apenas para aplicar o golpe, foram levados para a delegacia da cidade. Um deles foi autuado em flagrante e levado para o presídio da cidade. O outro suspeito foi liberado por falta de prova do envolvimento dele no golpe.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Três homens são presos após golpe quase dar prejuízo de R$ 18 mil em banco

Sem Comentários

01/08/2019

Nesta quarta-feira (31), a Polícia Civil em Augustinópolis (TO) prendeu três pessoas suspeitas de aplicar um gole em uma agência bancária. Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP), o golpe estava dando um prejuízo de de quase R$ 18 mil. A Polícia Civil informou que os suspeitos tinham contratado um cartão de crédito com valor aproximado de R$ 18 mil e logo depois retiraram todo o saldo. Eles foram presos momento que tentavam sair do banco. Os suspeitos foram presos em flagrante pela Polícia Civil, com auxílio da Polícia Militar e vão responder por estelionato, uso de documentos falsos e associação criminosa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Suspeitos de estelionato e receptação de carros roubados são presos pela PRF na PB

Sem Comentários

16/07/2019

Nesta terça-feira (16), dois homens de 45 e 59 anos de idade foram presos pela Polícia Rodoviária (PRF)  na BR-230, em Pocinhos (PB). No carro em que eles estavam haviam drogas, cheques furtados e notas promissórias com dados falsos, além de documentos falsos. Contra um deles havia um mandado de prisão expedido.

Segundo a PRF, os dois homens estavam em um veículo com placas de Fortaleza (CE). Após uma revista preliminar, foi encontrado com cada um deles uma pequena quantidade de substância semelhante a maconha, que eles alegaram ser para uso pessoal. Na abordagem, o homem de 59 anos, que estava como passageiro, apresentou identidade com nome e demais dados falsos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Estelionatária é presa ao tentar aplicar golpe repetido na mesma empresa

Sem Comentários

23/04/2019

Uma mulher, de 31 anos, adquiria mercadorias para venda consignada — o fornecedor disponibiliza o produto ao interessado para a comercialização, sem pagamento prévio, e o acerto é realizado em data acordada — e, no dia de realizar o pagamento aos empresários, sumia. Investigada desde 18 de abril, ela foi detida por agentes da 23ª Delegacia de Polícia (Setor P Sul) nesta segunda-feira (22). A acusada usava uma identidade falsa para pegar as mercadorias nas lojas que trabalham com consignação. “É um tipo de venda a qual não se tem muito critério, o resto é todo do fornecedor. Qualquer pessoa que procure este tipo de estabelecimento com o interesse em vender, pode conseguir o produto, como foi este caso. Só que a mulher não usava os próprios dados, para que não fosse encontrada pelas vítimas”, comentou o delegado responsável. O acordo feito entre a suspeita e a gerente era que, em abril, ela pagaria o valor referente às vendas das semi-joias. Contudo, no dia determinado, a mulher sumiu e bloqueou a vítima no aplicativo de conversas online WhatsApp. “A entrega das mercadorias foi feito na casa dela, só que a criminosa tinha um plano minucioso. Logo após adquirir o produto, mudou-se de residência. Como os dados dela eram falsos, não havia rastro de onde ela poderia estar”, explicou o delegado.

Sem conseguir resolver a situação, a empresária procurou a 23ªDP, onde registrou o boletim de ocorrência contra a moradora de Ceilândia. Os agentes da unidade iniciaram as investigações e, com a ajuda da própria golpista, conseguiram solucionar o crime. Na tarde de segunda-feira (22), ela fez contato com uma loja que vende lingerie. A gerente do estabelecimento é a mesma, mas o nome do empreendimento é outro. Portanto, a acusada não suspeitou de que tentava aplicar o mesmo golpe no mesmo local. “A golpista disse que queria fazer a venda e marcou com a gerente para que os produtos fossem entregues na casa dela, pela tarde. A gerente marcou o encontro e pegou todas as informações. Logo depois de falar com a suspeita, encontrou em contato conosco”, contou o delegado. Os agentes foram até a casa da mulher, no Setor Habitacional Sol Nascente. Ela acabou presa pelo crime de estelionato consumado e tentado — o primeiro da loja de semi-joias e, o segunda, pelo estabelecimento de lingerie. Os dois crimes preveem penas de até oito anos. A suspeita também responde por uso de documento falso e, por este delito, pode pegar até sei anos de prisão.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Correio Braziliense

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Casal é condenado por usar documentos falsos para obter visto americano

Sem Comentários

28/03/2019

A 1ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), por unanimidade, negou provimento ao recurso de dois réus (um homem e uma mulher) e manteve a sentença proferida em 1ª instância que os condenou pela prática dos crimes de falsificação e uso de documentos falsos, no intuito de obter visto americano. Segundo a denúncia oferecida pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), o casal foi preso em flagrante após ter apresentado extratos bancários de um banco, bem como declaração de imposto de renda do ano de 2015 falsos aos oficiais de imigração na Embaixada dos Estados Unidos. Presos em flagrante, os réus foram submetidos a audiência de custódia e libertados mediante o pagamento de fiança, respondendo ao processo em liberdade.

O juiz substituto da 2ª Vara Criminal de Brasília condenou os réus com incursos nas penas previstas nos artigos 304 (uso de documento falso), 298 (falsificação documento particular) e 297 (falsificação de documento público), todos do Código Penal, e fixou a pena de dois anos e quatro meses de reclusão, em regime inicial aberto, para ambos os réus. Por estarem presentes os requisitos legais, o magistrado substituiu a pena privativa de liberdade por duas penas restritivas de direitos para cada um. Os réus apresentaram recurso sustentando a necessidade de sua absolvição, diante da ausência de provas. Porém, os desembargadores entenderam que a sentença deveria ser mantida em sua integralidade, pois, além da confissão espontânea dos réus, constam no processo provas suficientes de que os acusados cometeram os crimes.

Dupla é presa ao tentar vender carro de locadora com documento falso

Sem Comentários

18/03/2019

Dois homens foram presos por tentativa de estelionato ao tentar vender um Renault Duster de propriedade de uma locadora de carros, usando documentos falsos. Eles também responderão por associação criminosa. A vítima que compraria o veículo suspeitou da ação ao ver que o preço oferecido era abaixo do valor de mercado e acionou a 11ª Delegacia de Polícia (Núcleo Bandeirante). Agentes policiais compareceram ao local da negociação, nas proximidades de um cartório na Avenida Central, na sexta-feira (15). Os autores, que não souberam dar explicações sobre a origem do carro, foram conduzidos até a Coordenação de Repressão aos Crimes contra o Consumidor, a Propriedade Imaterial e a Fraudes (Corf). A equipe policial encontrou um Jeep Compass no hotel onde os indivíduos estavam hospedados, que provavelmente seria usado para a prática de estelionato. Os dois veículos e os documentos falsos utilizados foram apreendidos.

Presa dupla que falsificava documentos e aplicava golpes em bancos

Sem Comentários

30/01/2019

Dois homens suspeitos de aplicar golpes em bancos e no comércio foram presos em flagrante por agentes da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic). Com eles, os policiais apreenderam 11 carteiras de habilitação falsificadas, cartões bancários, além de um computador, e uma impressora que eram usados para as falsificações. Procurado pela Justiça de Goianira, onde tinha contra si dois mandados de prisão já expedidos, R.L.R., de 37 anos, era o líder do esquema. Ele foi preso junto com E.Y.F.S.C., de 27 anos, no Setor Planalto, no momento em que se preparava para aplicar mais um golpe. “O R. já é um velho conhecido da polícia e tem passagens por estelionato em Santa Catarina, no Distrito Federal, e em Goiás. Era ele mesmo quem falsificava, em sua casa, carteiras de habilitação e comprovantes de rendimento e endereço, depois abria contas em bancos, e estourava os limites dos cheques e cartões. De tempos em tempos ele contratava algumas pessoas para ajuda-lo nos golpes, e o E.Y. foi um deles, que veio de Brasília só para isso”, relatou o delegado adjunto da Deic. Somente em uma instituição bancária, segundo o delegado, o homem deu um prejuízo superior a R$ 10 mil. As investigações, que começaram em junho do ano passado, mostram que recentemente ele também tentou dar o golpe em uma concessionária de veículos, mas desistiu quando os funcionários desconfiaram dos documentos apresentados. A polícia trabalha agora no sentido de identificar novas vítimas e outras pessoas que também estariam atuando junto com a dupla. Os homens foram autuados em flagrante por estelionato, uso de documentos falsos, e associação criminosa.

Anterior