PF cumpre mandados em operação que investiga falsificação de diplomas, venda de armas e drogas no AP

Sem Comentários

30/07/2019

Nesta terça-feira (30), dois mandados de prisão temporária e dois mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos pela Polícia Federal (PF) em Macapá (AP). As ações fazem parte de uma operação que investiga uma quadrilha especializada em falsificação e venda de diplomas de graduação. De acordo com a PF, o grupo ainda praticava outros crimes como falsificação de diversos tipos de documentos, comercializava armas e munições, além de traficar drogas.

A denúncia partiu do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Amapá (CREA/AP), que identificou uma pessoa tentando fazer o registro no Conselho apresentando um diploma falso de arquitetura. Os investigados responderão pelos crimes de associação criminosa, falsificação documental, receptação qualificada, comercio ilegal de armas e munições e tráfico de drogas. Se condenados, poderão cumprir pena de até 40 anos de reclusão.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Presos irmãos suspeitos de venderem carros com documentos falsos em Jataí

Sem Comentários

19/07/2019

Nesta quinta-feira (18), foram presas três pessoas, em Jataí (GO), suspeitas de venda de veículos de origem ilícita. O grupo, de acordo com a Polícia Civil (PC), realizou a venda de dezenas de veículos a preço de mercado, mas com documentos falsificados devido à origem irregular. Os irmãos e uma mulher foram presos em flagrante, acusados de associação criminosa e receptação qualificada.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Portal Mais Goiás

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Suspeito de golpe é preso por alugar carro em GO e tentar vender no ES, diz polícia

Sem Comentários

11/07/2017

Na noite desta segunda-feira (10), um homem, de 50 anos, foi preso após ser flagrado pela Polícia Civil, no Espírito Santo, vendendo carros alugados em Goiás, com documentos falsos. De acordo com a polícia, ele transferia o veículo para um ‘laranja’ em outro estado para cometer a fraude sem ser descoberto. No Espírito Santo, há dois registros de veículos com o nome do suspeito. O homem tentou vender em uma Duster 2017 alugada com documento falso no nome de outra pessoa, no mês de junho, em Goiás. A empresa tinha um sistema particular para verificação de veículos, descobriu a fraude e entrou em contato com a polícia. O sujeito chegou a anunciar a venda da Duster em um site de compras e vendas de produtos por R$58 mil. Policiais da Delegacia de Defraudações (Defa) se passaram por compradores, marcaram um encontro com o suspeito, em um shopping de Vitória, e deram voz de prisão. Ele foi indiciado pelos crimes de receptação qualificada e associação criminosa, devido à ajuda que recebeu de um amigo e da esposa para realizar a fraude na locadora. Ele ainda vai ser indiciado pelos crimes de uso de documentos falsos, falsificação de documento público, falsidade ideológica, inserção de dados falsos no sistema e estelionato.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

No AM, suspeitos de furtar e falsificar documentos do Detran são presos

Sem Comentários

13/07/2016

Em Manaus, quatro pessoas suspeitas de estelionato, falsificação e receptação foram presas durante uma operação da Polícia Civil. A documentação furtada por eles do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) – centenas de cédulas de documentos de veículos em branco – foi apreendida na capital e municípios do interior. Três despachantes de veículos, de 38, 30, e 63 anos, foram presos suspeitos de falsificar documentos do Detran-AM. O quarto suspeito, um ex-estagiário do Detran, de 21 anos, foi preso com documentos em branco. As fraudes foram descobertas durante a operação “Cédula Branca”, deflagrada pela Polícia Civil, na manhã desta quarta-feira (13). Segundo o delegado da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (DERFV), a operação foi deflagrada por volta das 6h em cumprimento a três mandados de prisão preventiva e três de busca e apreensão. As investigações apontam que cada documento era vendido por até R$ 500. Uma parte deles seria usada para registro falso de carros roubados. Os suspeitos não comentaram sobre os crimes. Os três despachantes foram indiciados por estelionato, falsificação de documento público e associação criminosa. O quarto suspeito foi autuado em flagrante por receptação qualificada.

Polícia Civil indicia 16 pessoas investigadas na operação Mercatore

Sem Comentários

29/12/2015

A Delegacia Especializada de Roubos e Furtos, da Polícia Judiciária Civil, indiciou dezesseis membros da organização criminosa investigada na operação “Mercatore”,  deflagrada no dia 18 de dezembro para desarticulação da quadrilha que  fomentava uma série de crimes em Cuiabá. O inquérito foi encaminhado a Vara do Crime Organizado da Capital. Todos irão responder por crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro, receptação qualificada, falsificação de documento particular, falsidade ideológica, uso de documento falso, estelionato, corrupção ativa e passiva. Na operação,  nove de onze mandados de prisão preventiva foram cumpridos, além de 12 conduções coercitivas para interrogatório e 34 buscas e apreensão. As investigações da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), iniciadas há 1 ano, apontam que no topo da hierarquia da organização criminosa está um dos gerentes, que administram sete bancas, sendo cinco em Cuiabá, no Shopping Popular, na região do Porto, na  Capital e outras duas em Várzea Grande. Os dois suspeitos e outros sete membros, incluindo um policial civil, continuam presos e responderão pelos crimes, assim como um advogado e uma bancária que auxiliavam a quadrilha – ambos conduzidos coercitivamente para interrogatórios -. Também foram indiciados a filha do chefe da quadrilha, a nora, e o sócio da empresa fraudulenta usada na lavagem de dinheiro. A organização criminosa é acusada de movimentar R$ 1,7 milhão, proveniente da lavagem de dinheiro e comercialização de produtos roubados como cargas de eletroeletrônicos, acessórios e equipamentos de informática. O grupo é investigado em lavagem de dinheiro advindo de práticas criminosas, especialmente, roubos e furtos, receptação qualificada de cargas de eletroeletrônicos, estelionato, corrupção de agentes públicos e associação criminosa. As investigações da Polícia Civil apontam que o esquema era mantido por meio de empresas de “fachadas”, para capitanear recursos junto às instituições bancárias e assim, financiar os roubos, furtos e a receptação de cargas de eletroeletrônicos. Foram identificadas nove empresas constituídas pelo grupo para lavagem de dinheiro.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: CenárioMT

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Quadrilha é presa suspeita de roubar e adulterar motocicletas em Manaus

Sem Comentários

13/11/2015

Cinco pessoas foram presas em flagrante pela Polícia Civil suspeitas de integrar uma quadrilha de roubo e adulteração de motocicletas em Manaus. Mais duas pessoas também foram presas. Os integrantes da quadrilha são P.S.S.P., 19, J.P.A., 23, F.A.S., 22, sua namorada K.F.A., 19, e N.S.B., 23. O quinteto foi apresentado nesta manhã na sede da Delegacia Geral, no Dom Pedro, Zona Centro-Oeste. As prisões ocorreram na tarde da quinta-feira (12), em uma quitinete, que era usada para adulterar os veículos. Eles foram presos por policiais da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (Derfv) no momento em que adulteravam três motos. Uma denúncia anônima ajudou a Polícia. Foram apreendidas cinco motocicletas e um kit de adulteração. As informações foram repassadas pelo titular da Derfv. Segundo ele, a partir da denúncia, a equipe da especializada montou um esquema para investigar a quadrilha. “Levamos uma semana para investigar”, destacou. Outras duas pessoas também foram presas, D.S., 33, e H.A.P.S., 26, suspeitos de comprarem as motos adulteradas. Segundo o delegado, H.A.P.S. comprava as motos adulteradas da quadrilha e vendia pelo OLX. D.S. foi preso também ao comprar moto da organização criminosa. K.F.A. era a mulher que atraia as vítimas. Ela pedia carona e os comparsas davam o bote. O bando irá responder pelos crimes de adulteração de sinal identificador de veículo automotor, uso de documento falso, associação criminosa e receptação qualificada.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: A Crítica

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Operação prende acusados de fraudes contra seguradoras de veículos

Sem Comentários

07/10/2015

Os ministérios públicos do Rio de Janeiro e de Santa Catarina fizeram nesta quarta-feira (07) uma operação para cumprir 150 mandados de prisão e 110 de busca e apreensão contra acusados de fraudes a seguradoras de veículos. Os mandados estão sendo cumpridos nos dois estados e no Paraná. Apenas no Rio de Janeiro, foram expedidos 72 mandados, sendo três contra policiais militares. Segundo o Ministério Público do Rio, aliciadores faziam contato com proprietários de veículos segurados, compravam esses carros e os transportavam até Santa Catarina, onde eram repassados a estabelecimentos comerciais e desmontados para a venda das peças. A organização fazia então falsas comunicações de roubo em Santa Catarina e dava entrada na seguradora, para receber indevidamente o valor do seguro. Entre os crimes cometidos pelos acusados estão a integração de organização criminosa, falsa comunicação de crime, o furto, roubo, estelionato, a receptação qualificada e adulteração de sinal identificador de veículo automotor.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: EBC Agência Brasil

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior