Suspeitos de estelionato são presos ao tentar comprar carro com documento falso

Sem Comentários

29/01/2020

Duas pessoas foram presas em flagrante, nessa terça-feira (28), suspeitas de estelionato, quando tentavam comprar um veículo em uma loja em Maceió, utilizando documentos falsos. Segundo a polícia, a dupla já havia comprado outros três veículos no mesmo local. De acordo com o delegado, os suspeitos usavam o mesmo modus operandi na aplicação do golpe. Conforme a polícia, um deles conseguia um suposto comprador, que participava efetivamente do crime e falsificava documentos em nome de outra pessoa. Até o momento, apenas um veículo foi recuperado. Esse suspeito, de posse dos documentos falsos, conseguia financiar qualquer veículo na loja. O suposto cliente conseguia o veículo e revendia para outra pessoa a baixo custo, sem formalização da transferência na documentação. 

 

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Gazeta Web

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Bandidos usam telefone 0800 falso para aplicar golpes em clientes de caixas eletrônicos

Sem Comentários

03/12/2019

Criminosos têm criado números de telefone falsos, com o prefixo 0800, para se passar por funcionários de bancos e conseguir senhas de cartões para aplicar golpes, de acordo com a Polícia Civil. Segundo a corporação, no Recife, uma das vítimas, um idoso, chegou a ter R$ 7,5 mil roubados da conta, depois que teve o cartão preso por um caixa 24 horas e passou dados pessoais por meio de uma suposta central de atendimento. A vítima informou, em depoimento, que foi orientada por um dos criminosos a ligar para um número 0800 para tirar o cartão da máquina. O telefone, no entanto, era da quadrilha e um bandido foi quem atendeu. Eles conseguiram sacar R$ 1,5 mil e fazer duas transferências de R$ 3 mil cada, totalizando R$ 7,5 mil. Uma foto feita em Salvador, na Bahia, onde o mesmo golpe foi registrado, mostra um adesivo colocado ao lado do teclado do caixa eletrônico. O material mostra um número 0800, supostamente usado para suporte pela empresa dos caixas. O adesivo é vermelho e se parece muito com os que se vê nos caixas eletrônicos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

PF prende dois por uso de documento falso

Sem Comentários

06/11/2019

A Polícia Federal prendeu em flagrante, no domingo (3/11), dois homens, de 31 e 44 anos que tinha contra si um mandado de prisão preventiva. A polícia descobriu que eles estariam em uma feira em Caruaru/PE, acompanhado de outro envolvido. De posse dessas informações, uma equipe de policiais federais se dirigiu até o local indicado, com o fim de identificar e realizar a prisão, caso houvesse a confirmação de alguma ilicitude. A ação teve seu desfecho quando os policiais, ao procederem a abordagem de três suspeitos, dois deles se identificaram com documentos falsos (RG e CNH), razão pela qual foram presos em flagrante e levados até a Delegacia da Polícia Federal em Caruaru. O terceiro foi ouvido em inquérito policial e liberado em virtude de não ter sido comprovada sua participação ou envolvimento em crimes. Foram apreendidos cerca de R$ 270 mil, U$ 120 dólares, 11 celulares, um tablet, R$ 16.500 e uma máquina fotográfica. Eles responderão pelo crime de uso de documento falso e, caso sejam condenados, poderão pegar penas que variam de 2 a 6 anos de reclusão, além de multa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Polícia Federal

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Banco terá que restituir à correntista valores sacados por fraudadores

Sem Comentários

02/10/2019

O juiz de direito substituto da 5ª Vara da Fazenda Pública do DF determinou que um banco declare nulo contrato de empréstimo realizado por fraudadores em nome de cliente cujo cartão teria ficado preso em terminal de autoatendimento. A instituição bancária terá ainda de restituir à correntista valores sacados indevidamente de sua conta corrente e de seu cartão de crédito.Narra a autora que no dia 7/12/18, por volta das 20h, dirigiu-se a um dos caixas eletrônicos da agência bancária. No momento em que tentava sacar dinheiro, seu cartão magnético teria ficado travado na máquina. Foi quando uma mulher teria lhe oferecido ajuda e fornecido um número 0800 como se fosse do autoatendimento do banco. A pessoa que atendeu a chamada, por sua vez, teria solicitado dados pessoais e informado que retornasse àquela agência no dia útil seguinte para fazer a retirada do cartão que ficara preso. Três dias após o ocorrido, a autora tomou conhecimento de que terceiros teriam realizado diversas movimentações financeiras em sua conta, no valor total aproximado de R$ 14.298,56. A correntista afirma que o banco réu não teria tomado precauções para evitar o golpe. Conta, também, que registrou Boletim de Ocorrência e que a 3ª Delegacia de Polícia do DF realizou a prisão em flagrante de estelionatários que portavam notas fiscais de celulares em seu nome. Dessa forma, o julgador determinou que o banco deverá anular o contrato de empréstimo firmado em nome da autora e restituir os valores eventualmente por ela pagos para quitação do referido empréstimo. Além disso, deverá devolver os R$ 350 sacados indevidamente, assim como os demais saques fraudulentos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Jornal Jurid

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

PCDF deflagra Operação Alicantina e prende sete Estelionatários

Sem Comentários

25/09/2019

A Polícia Civil do DF, deflagrou, na manhã dessa terça-feira (24), a Operação Alicantina. A ação teve o objetivo de desmantelar uma organização criminosa especializada em praticar crimes de invasão de dispositivo informático, falsidade ideológica, falsificação de documentos, uso de documento falso, receptação e estelionato. Sete pessoas foram presas em cumprimento a mandados de prisões temporárias. Os alvos principais do grupo são servidores públicos que não têm restrições no CPF e recebem um bom salário. Foram cerca de 50 vítimas que trabalham em vários órgãos. “O bando fabricava documentos em nomes das vítimas (RG, contraqueches, comprovantes de residência), obtinha CNHs materialmente verdadeiras, mas com conteúdo falso (fotografia do fraudador) e com os papéis adulterados”, explica o coordenador. O grupo invadia contas de e-mail e de outros sistemas informáticos, celebrava contrato de locação de imóvel, contratava planos de telefonia móvel, abria conta corrente em bancos e solicitava cartões de crédito, contraía empréstimos pessoais, além de realizar outras transações financeiras. As investigações sobre a atuação do bando foram iniciadas em janeiro de 2019. O prejuízo estimado ultrapassa R$ 1 milhão.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: PCDF

O BrSafe é a ferramenta ideal para evitar esse tipo de fraude. Clique e conheça:

Mulher detida em operação da PF contra fraudes no INSS na Bahia já tinha sido presa 4 vezes em 2018

Sem Comentários

20/09/2019

Uma mulher que está entre os presos na Operação Lama Preta, deflagrada nesta quinta-feira (19), na Bahia, contra fraudes no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), já tinha sido detida outras quatro vezes em 2018, segundo informações divulgadas pela Polícia Federal (PF). O grupo era investigado há 3 anos e a suspeita é de que mais de 100 benefícios tenham sido falsificados. O prejuízo aos cofres públicos passam dos R$ 4 milhões. “Conseguimos desbaratar esse grupo criminoso, que é formado em sua maioria por estelionatários com amplas passagens policiais”, disse o delegado da PF. Segundo a PF, idosos e deficientes eram usados como “dublês” pelo grupo. Eles usavam nomes, fotos e documentos falsos e se apresentavam nas agências do INSS para obter benefícios da instituição. Pela participação no esquema, eles levavam uma parte do dinheiro. A suspeita foi surpreendida pelos policiais, no início da manhã juntamente com o marido, na cidade de Camaçari. Além do casal, segundo a PF, outras sete pessoas foram detidas nesta quinta. Entre eles um empresário de Vilas do Atlântico, área de classe média alta em Lauro de Freitas, região metropolitana de Salvador. De acordo com a PF, ele era responsável pela falsificação e produção dos documentos usados na fraude. Idosos e deficientes físicos que colocavam o esquema em prática também foram detidos. Outros três suspeitos seguem foragidos. Todos estão com mandados de prisão preventiva. Além da fraude em benefícios, conforme a PF, os envolvidos também usavam os documentos falsos para fraudar compras em lojas e financiamento de carros. Durante a operação, que também cumpriu 11 mandados de busca e apreensão, a Polícia Federal apreendeu fotos 3×4, cartões de crédito e documentos falsos usados pelo grupo. A corporação destacou que não foram identificadas participações de funcionários do INSS no esquema.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia prende grupo que aplicou golpe em 55 mil brasileiros usando criptomoedas

Sem Comentários

18/09/2019

A Polícia Federal e a Receita Federal desmantelaram nesta semana um suposto golpe praticado por uma empresa sediada em Novo Hamburgo (RS), que prometia lucros de 15% no mercado de criptomoedas e captava dinheiro dos interessados sem autorização. De acordo com as autoridades, 55 mil brasileiros teriam investido no negócio, com um valor acumulado de, pelo menos, R$ 850 milhões obtidos até fevereiro, um montante que já pode ser maior que R$ 1 bilhão, segundo as autoridades. A ideia era apetitosa. De acordo com a PF, cujas investigações começaram em janeiro, a promessa era que os lucros viriam já no primeiro mês de investimento, com resultados muito mais altos até mesmo que os obtidos no mercado de criptomoedas. Entretanto, não foi encontrado nenhum indício de que moedas virtuais efetivamente tenham sido adquiridas; em vez disso, os cinco sócios da empresa, sendo dois casais e um quinto homem, sacavam o dinheiro ou o redirecionavam a aplicações de renda fixa, com rentabilidade muito menor que a prometida aos clientes. A prática teria sido iniciada em fevereiro de 2018, com 80% dos investidores fraudados depositando quantias de até R$ 20 mil. O dinheiro foi repassado a partir de agências bancárias em 823 cidades brasileiras para três contas em nome da empresa, de onde, na sequência, eram direcionados para as aplicações sob controle dos sócios ou, então, para as despesas pessoais deles.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: CANALTECH

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior