Três tentativas de golpe a pacientes de hospital no ES são registradas em dois meses

Sem Comentários

06/08/2018

Em São Mateus, Norte do Espírito Santo, três tentativas de golpe foram registradas nos meses de junho e julho, no hospital Roberto Silvares. Na terceira, que aconteceu na última semana, um homem se passou por médico do hospital e ligou para o setor da farmácia do hospital, para tentar obter informações de pacientes. Um farmacêutico percebeu que havia algo errado. “Ele relatou que estava na UTI e perguntou se o sistema que a gente utiliza no hospital estava funcionando na farmácia, e estava. Ele disse que na UTI não estava funcionando e que precisaria de informações de pacientes para começar a trabalhar. Eu perguntei qual UTI ele estava e ele só disse que estava na UTI. Portanto, ele não sabia quantas UTIs havia e em qual ele estava”, contou. O criminoso também tentou informações de pacientes com uma psicóloga do hospital, mas não conseguiu. A direção acredita que essas informações seriam utilizadas para extorquir parentes de pessoas internadas na unidade. Nas primeiras tentativas, os golpistas ligaram direto para os familiares de pessoas internadas. Elas, então, procuraram o hospital e alegaram que estavam sendo cobradas por exames e transferências dos pacientes.

“Isso jamais pode ocorrer, porque nós temos um parque tecnológico interno de exames complementares para o paciente e todas as necessidades de exame que não temos na instituição nós temos contratos com empresas para realizar. Para a situação de remoção, nós temos uma frota própria de veículos, equipe própria e também uma frota complementar de um serviço terceirizado. Qualquer tipo de cobrança, de abordagem financeira ao paciente e familiar não pode existir, porque é um hospital 100% público”, falou o diretor-geral da unidade. Ele disse ainda que o hospital registrou o caso na polícia e tomou várias medidas para alertar pacientes e familiares.

“Nada é cobrado do paciente ou familiar. É de responsabilidade do estado prover toda a assistência, desde a internação, atendimento de urgência e emergência, exames, materiais, medicamentos, insumos em geral. Nada é solicitado ao paciente”, finalizou.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Comentários

*