Golpe do FGTS volta a circular no WhatsApp

Sem Comentários

11/01/2018

Voltou a chamar atenção nessa semana um golpe que começou a circular em outubro do ano passado pelo WhatsApp. Trata-se do chamado Golpe do FGTS, no qual uma mensagem enviada pelo banco informa que quem trabalhou entre 1998 e 2016 tem R$ 1.760 para sacar. A instituição financeira esclarece que não envia mensagens sobre saques de benefícios sociais e que toda a comunicação mobile realizada a partir dela acontece somente por SMS e sempre com autorização prévia do cliente. Lembre-se também que o banco não envia SMS com links e mensagens contendo temas como alertas sobre compras e outras movimentações financeiras. Caso você receba algum contato via mensagem de texto de alguém se passando pela instituição, pode fazer uma denúncia no site smspirata.com.br. É sempre importante lembrar que clicar em links desconhecidos enviados por WhatsApp ou SMS pode causar alguns transtornos. Para se ter uma ideia do alcance desse tipo de ação, na semana passada, o Golpe do FGTS já havia sido clicado mais de 600 mil vezes, então, fique atento.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: TecMundo

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Notícias relacionadas:

Cuidado: fraude do FGTS ronda WhatsApp e já tem mais de 600 mil cliques

Cuidado: fraude do FGTS ronda WhatsApp e já tem mais de 600 mil cliques

Sem Comentários

04/01/2018

Há alguns meses, quando o governo liberou o saque do FGTS, muitos cibercriminosos surfaram nessa onda para roubar cidadãos. Agora, tentando pegar alguns usuários do WhatsApp mais incautos, uma nova campanha oferece ajuda para quem ainda busca realizar o saque do FGTS — contudo, tudo não passa de um golpe para armazenar informações pessoais de usuários do aplicativo. Segundo uma empresa de segurança, “o golpe começa através de uma mensagem que informa que ‘quem trabalhou entre 1998 a 2016 com carteira assinada pode receber na caixa 2 salários mínimos’. A mensagem contém um link onde supostamente é possível verificar a lista completa de beneficiados. Ao clicar no link, ao invés de obter ou acessar uma lista de beneficiados, a vítima é redirecionada para uma página onde deve preencher seus dados como nome, data de nascimento, estado e selecionar outras duas opções”. “Esses dados são enviados ao servidor da campanha maliciosa (através do método POST) e, ainda que não haja nenhuma verificação de consistência de dados, podem acabar sendo armazenados para futuros golpes. A vítima é então redirecionada para uma página onde supostamente poderá fazer o download da lista”, explica a empresa. Ao clicar no botão de download, ao invés de obter a lista, a vítima é instruída a compartilhar a mensagem com cinco amigos no WhatsApp. Além disso, podemos observar o uso de Engenharia Social também utilizada em outras campanhas deste tipo: falsos comentários de supostos usuários do Facebook, gerando uma aparência ainda mais legítima para a fraude”. Essa campanha já teve mais de 600 mil cliques, o que explica porque os criminosos continuam usando o WhatsApp para propagar campanhas maliciosas. Por isso, é importante que você não clique em mensagens com URLs encurtadas e fique atento ao domínio exibido. Além disso, cheque em páginas oficiais a veracidade de campanhas de cupons, promoções e quaisquer “ajudas” que exijam seus dados.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: TNH 1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Novo golpe no WhatsApp alcança 1,5 milhão de acessos

Sem Comentários

01/01/2018

Um novo golpe que circula no WhatsApp usa o nome de uma multinacional para enganar usuários do mensageiro. Apresentada como uma suposta promoção que promete R$ 40 mil em prêmios, a ameaça se espalhou no app de mensagens por meio de três links maliciosos. As informações são de uma análise feita por um analista de segurança. Segundo o estudo, um dos endereços na internet (domínios, no termo técnico) criados para a campanha contava com um link encurtado que teve 739 mil acessos em menos de 24 horas. Outro endereço chegava a 835 mil registros em 30 horas – totalizando mais de 1,5 milhão.

Isca

O mecanismo utilizado pelos criminosos é o mesmo já visto em outros ataques ao longo do ano. Ao clicar no link recebido em uma conversa, o usuário é levado a um site que pede o compartilhamento da mensagem com dez amigos do mensageiro para supostamente ganhar R$ 40 mil em prêmios. Em seguida, a pessoa é redirecionada para a instalação de aplicativos – suspeitos ou legítimos. No primeiro caso, era comum que programa trouxesse propagandas, e no segundo, a intenção era gerar tráfego e conseguir mais instalações em apps pagos. Outra possibilidade era o redirecionamento para páginas que ofereciam serviços pagos de telefonia celular. O WhatsApp é o mensageiro mais popular do Brasil desde 2015, e atualmente é usado por mais de 80% das famílias no país. Em 2017, ele conquistou o título de app mais baixado da Google Play Store.

Como se Proteger?

As dicas para não cair em golpes no aplicativo são simples. É preciso cautela ao receber qualquer link por ele, seja em uma conversa com um desconhecido ou mesmo em mensagens de familiares. Caso tenha dúvida sobre a veracidade de uma promoção, verifique o site oficial da marca ou suas redes sociais, que geralmente são verificadas. Além disso, é recomendado ter um antivírus instalado no celular e nunca fornecer senhas e dados pessoais em sites com domínios desconhecidos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Agora Litoral

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Golpe: bandidos criam perfil falso de diretor do Detran para “quitar multas”

Sem Comentários

23/11/2017

Estelionatários estão aplicando um novo golpe relacionado ao pagamento de débitos junto ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran-PI). Os suspeitos oferecem a quitação de dívidas como IPVA, multa e licenciamento até pela metade do valor. Para dar credibilidade ao golpe, os criminosos criaram um perfil falso do diretor geral do órgão no Piauí e forneciam informações sobre o veículo da vítima. Uma das pessoas que caiu no golpe tinha uma dívida de R$ 1 mil em multas e taxas atrasadas. Pelo débito, ele pagaria R$ 650. A vítima transferiu o valor de R$ 400 para a conta do suposto funcionário e acabou caindo no golpe. “Eu vendi meu carro e o comprador foi pagar os débitos do Detran. Lá dentro, um funcionário deu o número de telefone de um rapaz, um suposto funcionário, que tiraria os  débitos com valor inferior ao que estava sendo cobrado”, disse a vítima, que preferiu não ser identificada. O contato entre vítima e os estelionatários era por meio de conversas telefônicas e via WhatsApp. Em nenhum momento, as partes tiveram contato pessoalmente. Assim que acontecia a transferência bancária, o estelionatário bloqueava a vítima e sumia. O caso será investigado pela Delegacia de Crimes Virtuais. O diretor do Detran-PI conta que todas as medidas foram tomadas junto a Secretaria de Segurança Pública para a instauração do inquérito. “Todos os pagamentos do Detran são feitos juntos a rede bancária credenciada através de emissão de boletos no site do Detran. Quem tiver dúvidas, basta ir a sede do órgão e postos do Ciretran para evitar golpes. Os pagamentos são dados baixa via sistema. Esse tipo de procedimento não existe no Detran-PI”, alerta o diretor geral do Detran do Piauí, que disse ainda que será investigada a participação de funcionários do órgão.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Cidade Verde

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é vítima de estelionato pelo aplicativo WhatsApp

Sem Comentários

24/10/2017

Um homem de 48 anos de idade foi vítima de estelionato em Barbacena, na tarde de segunda-feira (23). Ele recebeu a ligação do autor, o qual ofereceu alguns serviços e que esta conversa foi realizada pelo aplicativo WhatsApp, sendo que durante as conversas, entrou uma outra pessoa, a qual deu várias referências a respeito do autor. Diante disto a vítima aceitou o serviço do autor, porém ele alegou não poder viajar, pois estava sem “dinheiro” e pediu à vítima um adiantamento no valor de R$500, o qual foi pago ao autor por depósito bancário. A vítima, achando estranho a demora, ligou para o autor, para saber onde ele estava, momento em que o autor alegou ter sofrido um acidente no anel rodoviário, solicitando mais R$250 para pagar o prejuízo. De imediato a vítima percebeu que caiu em um golpe e acionou a PM, sendo orientada quanto às demais providências. 

DICAS da PM

  • Cuidado para não cair em armadilhas na internet, como em golpes no WhatsApp, é importante que você desconfie de qualquer tipo de promessa exagerada que chega por mensagens, checando sempre se é algo real. 
  • Os cibercriminosos que espalham o golpe são bonificados dependendo da quantidade de usuários que caem no mesmo, por isso solicitam que a vítima envie um convite para 10 pessoas ou grupos diferentes antes de ganhar o “brinde”. 
  • O golpe tem características bem comuns a ataques do tipo: a oferta de uma vantagem incomum, mensagens com links, erros de português e que indicam urgência – é bom ficar de olho nesse tipo de coisa em mensagens suspeitas para evitar cair nesse tipo de golpe. 
  • Desconfie de pessoas desconhecidas que se aproximam oferecendo qualquer tipo de serviço.
  • Não faça negócios e nem deposite dinheiro algum em conta de estranhos.
  • Não acredite em mensagens de benefícios de bancos, solicitando senhas e dados pessoais.
  • Não  acredite em pacote de internet ou créditos gratuitos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Barbacena Mais

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Fraude do FGTS atinge 5 milhões de pessoas

Sem Comentários

10/10/2017

Cinco milhões de beneficiários já caíram no golpe que circula desde maio no WhatsApp. A fraude promete a possibilidade de consultar o saldo e resgatar do Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS). De acordo com uma empresa de consultoria de segurança mobile, os trabalhadores clicaram no link falso que receberam, mas nem todos tiveram os dados pessoais vazados ou os recursos retirados. O link fraudulento supostamente possibilitaria ao usuário conferir se está apto a receber R$ 1.760 do Fundo de Garantia. A orientação aos trabalhadores que entraram nesses sites é procurar o banco imediatamente. “Mesmo se não foi roubado, para alterar a senha do cartão e evitar, assim, que os criminosos continuem com acesso à sua conta”, orienta o presidente do Fundo Devido ao Trabalhador.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: O Nortão

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Golpe no WhatsApp promete créditos e já enganou milhares de usuários

Sem Comentários

27/06/2017

Milhares de usuários do WhatsApp estão recebendo uma mensagem dizendo que a pessoa ganhou créditos por causa do aniversário do aplicativo, só que isto é um golpe e já enganou muita gente. O que a pessoa do outro lado quer na verdade é que você siga os passos informados e mais, o usuário ainda é induzido a compartilhar esta mensagem com pelo menos mais dez contatos e, assim, outras pessoas vão sendo enganadas. Como se isto não bastasse, no final a pessoa acaba assinando um serviço que cobra R$ 4,99 semanalmente e para cancelar será muito difícil. Essa prática é conhecida como ‘pishing’ e o golpe tem sucesso porque a vítima segue todas as informações que são passadas. Sendo assim, basta ignorar estas falsas promoções e não repassá-las a ninguém, para que o golpe seja barrado. Contudo, caso você já tenha caído neste golpe e esteja pagando por um serviço que não tem o menor interesse, precisa entrar em contato com a operadora de telefone, imediatamente, para solicitar que a assinatura seja cancelada.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: 1 News

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior