Detran-SP alerta sobre golpe pelo Facebook e WhatsApp na região de Ribeirão Preto

Sem Comentários

03/08/2018

O Detran-SP está alertando motoristas sobre um golpe na região de Ribeirão Preto (SP): se passando pelo diretor-presidente do órgão, estelionatários oferecem serviços pelo Facebook e WhatsApp, e ficam com o dinheiro das supostas taxas que devem ser recolhidas. A Polícia Civil investiga o caso e a Justiça já determinou que o Facebook remova o perfil falso usado pela quadrilha. O crime também foi identificado nas regiões de Campinas (SP) e de São Carlos (SP). Até agora, nenhum dos suspeitos foi identificado ou preso.

Superintendente do Detran-SP em Ribeirão explicou que, por meio de mensagens enviadas pelas redes sociais, os suspeitos oferecem soluções envolvendo a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), quitação de multas e serviços veiculares. Para enganar os motoristas, a quadrilha criou perfis falsos com informações e até fotos do atual diretor-presidente do Departamento. “O Detran não oferece ou presta qualquer tipo de serviço nas mídias sociais e também pelo WhatsApp. Os cidadãos que procuram as formas não oficiais de prestação de serviço correm o risco de serem enganados e também de responderem criminalmente”, disse. O Detran-SP possui uma página oficial no Facebook apenas para esclarecer dúvidas quanto aos serviços prestados, que devem ser realizados no site do órgão, ou em uma das unidades físicas. “Os canais do Detran são: o site oficial, que oferece 36 serviços online para que o cidadão possa acessar e, sem nenhum tipo de ajuda, utilizar esses serviços, e também o aplicativo, além de uma de nossas unidades espalhadas por todo estado”, afirmou.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Golpe no WhatsApp oferece internet grátis mas instala vírus no celular

Sem Comentários

30/07/2018

O WhatsApp novamente é cenário de mais um tipo de golpe. Os cibercriminosos agora oferecem internet grátis para usuários na tentativa de infectar celulares com vírus. Assim como em outros golpes espalhados pelo aplicativo de mensagens, o ataque tenta enganar usuários do WhatsApp com uma oferta tentadora: no caso, os bandidos oferecem até 20GB de internet grátis para ser usada em um período de 60 dias, independentemente da operadora da pessoa. A vítima precisa clicar em um link que aparece no fim de uma mensagem para ser redirecionada para um site onde ele vai obter o suposto prêmio. O site falso faz três perguntas ao usuário: “quantos dias de internet gratuita você deseja ativar?”; “quantos GB você gostaria de receber da sua operadora?”; e “qual rede você gostaria de ativar?”. Ao responder os questionamentos, os criminosos pedem para a vítima compartilhar a “promoção” com três amigos e grupos do WhatsApp, e só depois disso a suposta internet grátis seria disponibilizada.

O problema é que o pacote de dados gratuito não existe, e a página falsa começa a exibir alertas de supostos problemas no celular da vítima, orientando a pessoa para que ela baixe aplicativos maliciosos. Em outras palavras, os hackers oferecem internet grátis mas no fim das contas instalam vírus nos dispositivos. Golpes de phishing são bastante comuns no WhatsApp e costumam enganar bastante gente. A oferta falsa de internet grátis conseguiu a marca de 45 acessos por minuto. Para evitar cair nesse tipo de golpe, a orientação de especialistas de segurança é sempre a mesma: desconfie de ofertas vantajosas demais, e evite clicar em links suspeitos que acompanham mensagens compartilhadas pelo aplicativo.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Olhar Digital

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Saque do PIS/PASEP do INSS em 2018 que virou golpe no WhatsApp

Sem Comentários

23/07/2018

Cibercriminosos criaram um novo golpe, disseminado pelo WhatsApp, que atrai as pessoas que têm interesse em sacar os valores do PIS/PASEP. O governo mal liberou os saques das cotas para pessoas de todas as idades que trabalharam de 1971 a 1988 — a começar pelos que têm entre 57 e 59 anos —, e o golpe já começou. Conforme uma empresa de segurança digital, nas últimas 24 horas, 116 mil pessoas foram vítimas da fraude. No novo golpe, os usuários do aplicativo recebem uma falsa mensagem com dois links alertando sobre a possibilidade de retirada do benefício. Ao clicar em um dos links, o internauta é conduzido a uma página com uma mensagem que pede para conferir se o nome da pessoa consta na lista de beneficiados. Logo em seguida, sugere-se que o usuário responda a algumas perguntas: “Você trabalhou com carteira assinada entre 2005 e 2018?”; “Você está registrado atualmente?”, entre outras. O golpe, no entanto, traz informações erradas sobre o período de trabalho que gera o direito ao benefício e sobre o valor a ser pago (que, na verdade, varia de cotista para cotista). Sejam quais forem as respostas dadas, o internauta é direcionado a outra página falsa, sendo induzido a compartilhar a mensagem com 30 amigos ou grupos do WhatsApp. Conforme os golpistas, é preciso finalizar o processo para ter o benefício. Há, também, uma falsa seção de comentários de pessoas que supostamente teriam conseguido sacar suas cotas. Assim, o usuário abre brechas de segurança em seu smartphone, que pode ser infectado. Para não ser vítima desse tipo de fraude, os usuários não devem abrir links ou arquivos suspeitos, deletando a mensagem imediatamente. Também devem manter antivírus instalados em seus aparelhos e sempre verificar no site da empresa citada e existe a promoção ou a oferta anunciada. Verifique ainda se as mensagens estão escritas corretamente. Em geral, contêm erros de português, acentuação e pontuação.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Mix Vale

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Saiba como se proteger do golpe do WhatsApp que atingiu ministros do governo

Sem Comentários

19/07/2018

Na última terça-feira (17), a Polícia Federal deflagrou uma operação contra criminosos que faziam clonagens de números telefônicos. O grupo utilizava a conta de WhatsApp das vítimas, se passava pelos reais donos dos números e solicitava transferências bancárias. Em março, os ministros da Casa Civil e da Secretaria de Governo, e o ex-ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, tiveram os seus celulares clonados pelo grupo.

O WhatsApp tem uma ferramenta que pode proteger a conta dos usuários, a verificação em duas etapas. O recurso, precisa ser ativado. Com a verificação o aplicativo passa a solicitar senha antes de conceder o acesso ao perfil e histórico de conversas, protegendo contra clonagens. A ativação da ferramenta é simples e pode ser feita em qualquer Smartphone Android, iPhone ou Windows Phone.

Confira o passo a passo: 

Passo 1 : Clique nos três pontinhos para acessar as configurações.

Passo 2:  Clique em Conta depois em “Verificação em duas etapas”.

Passo 3 : Insira um PIN de 6 dígitos e confirme.

Passo 4: Insira um email, confirme e pronto! Sua conta ficará protegida.


Ler a notícia na íntegra

Fonte: O Povo

Saiba mais.

Alerta: Usuários espanhóis relatam novo golpe no WhatsApp

Sem Comentários

17/07/2018

Mais um tipo de golpe surgiu no aplicativo de mensagens instantâneas WhatsApp. Vários usuários espanhóis relataram a fraude nas redes sociais. Uma mensagem os incita a fazer uma chamada telefônica. O pretexto seria para cancelar a assinatura dos serviços de sites adultos. A única finalidade do golpe é tentar enganar os usuários a realizarem uma chamada para o número particular. Isso ajuda os criadores da fraude a se beneficiarem pela ligação, que tem um custo de quase dois euros por minuto. Também já foram registrados casos semelhantes na América Latina.

Operação

A Polícia Federal lançou nesta terça-feira a Operação Swindle (fraude, em inglês) com o objetivo de desarticular um grupo que realizava clonagens de números telefônicos para aplicar golpes via aplicativo de trocas de mensagens WhatsApp.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Metro Jornal

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Bandidos pedem dinheiro em novo tipo de golpe aplicado por mensagem de celular

Sem Comentários

09/07/2018

Em um novo tipo de golpe aplicado por meio de mensagem de texto de celular, criminosos têm acesso ao WhatsApp da vítima e se passam por ela para pedir dinheiro “emprestado” a pessoas próximas. Nesta segunda-feira (09), um especialista em tecnologia da informação deu dicas de como evitar ter os dados roubados do telefone e do computador. O caso foi denunciado por uma moradora de Olinda, no Grande Recife. Nas mensagens trocadas entre ela e a pessoa que supostamente seria a sua amiga, o pedido é de que ela faça uma transferência bancária com urgência, sob alegação de que a senha do aplicativo do banco estava dando problemas. As mensagens afirmam, ainda, que a quantia emprestada seria devolvida às 18h, após sair do trabalho. “Eu estranhei, porque seria uma pessoa que não me pediria um dinheiro dessa forma. E a minha atitude foi tentar contatar familiares e ter certeza de que ela estava bem e de que não se tratava realmente dela”, contou a mulher, que não quis se identificar. Depois do ocorrido, a amiga dela, que também não quis se identificar, prestou queixa em uma Delegacia de Polícia. Segundo o chefe do Núcleo de Segurança da Informação da Agência Estadual de Tecnologia da Informação (ATI), esse tipo de golpe acontece porque muitas pessoas deixam o celular ou o computador desbloqueados, permitindo o acesso de outras pessoas aos seus dados, tais como e-mail e WhatsApp. Diferente do celular, que tem o costume de travar a tela automaticamente após alguns segundos sem uso do aparelho, os computadores precisam ser travados, evitando que os dados fiquem expostos à ação de outras pessoas. Os celulares mais recentes também possuem controle de bloqueio por senha, padrão e reconhecimento biométrico e facial. Para evitar cair neste golpe, outra dica é tentar falar com a pessoa por outro meio de comunicação, para confirmar se essa mensagem realmente foi passada por ela, e/ou falar com familiares.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Engenheiro de Mogi é vítima de estelionato pelo WhatsApp

Sem Comentários

02/07/2018

Um engenheiro, de Mogi das Cruzes (SP), foi enganado pelo WhatsApp e teve prejuízo de R$ 1.980. Segundo o boletim de ocorrência, o morador recebeu uma mensagem de uma ex-colega de trabalho, com quem mantém conversas regulares pelo aplicativo, pedindo dinheiro para o pagamento de uma conta com urgência. A mensagem explicava que o depósito da conta bancária dela demoraria mais de um dia para compensar, pois era banco diferente. O amigo, acreditando na conversa, fez a transferência para a conta, no valor de R$ 980. Depois, recebeu novo pedido da suposta colega dizendo que havia se enganado com o valor e precisava de mais R$ 1.000, o que foi prontamente atendido. O combinado era que o valor seria reposto no mesmo instante para a vítima. Inclusive, um comprovante falso de transferência foi enviado para o engenheiro. A vítima somente percebeu o golpe quando viu uma postagem da amiga no Facebook informando que o celular dela havia sido clonado e que o mesmo crime havia sido aplicado com outros dois conhecidos. O fato aconteceu na quinta-feira (27), mas somente foi registrado neste domingo (1º), como estelionato, no 1º Distrito Policial de Mogi das Cruzes.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior