Homem tenta fazer cartão de crédito com documentos falsos mas fraude é descoberta

Sem Comentários

31/05/2018

Na tarde desta quarta-feira (30), uma guarnição da Polícia Militar estava em rondas na avenida do Estado, próximo da praça das Bandeiras, quando avistou um homem em atitude suspeita correndo pelo estacionamento de um fast food, vindo da rua Acre, no bairro dos Estados, em Balneário Camboriú (SC). Após a abordagem foi constatado que o homem, identificado como J.A.F.S., 30 anos, havia tentado fazer um cartão de crédito com documentos falsos em um supermercado e fugiu quando foi descoberta sua fraude. O homem foi preso em flagrante. Ele não possui outros registros policiais.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Click Camboriú

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Mãe e filho são presos por estelionato no Centro de Teresina

Sem Comentários

31/05/2018

Foram presos na tarde dessa quarta-feira (30), uma mulher e o seu filho, suspeitos de estelionato, após tentarem comprar um carro na BV Financeira, no Centro de Teresina, utilizando documentos falsos. Segundo a Polícia Militar, a guarnição foi informada pela financiadora de que os suspeitos estariam tentando comprar um veículo de posse de documentos de um homem residente no município de Bocaina. Com a chegada da polícia ao local, mãe e filho foram presos por uma equipe da Força Tática do 1º Batalhão da PM, que montaram vigilância para capturar os criminosos. Um terceiro suspeito conseguiu fugir. A Polícia Militar informou que estão sendo realizadas diligências para conseguir capturar o outro envolvido. Após a prisão da dupla, os criminosos foram conduzidos à Central de Flagrantes junto com os documentos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Viagora

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Idoso é preso ao tentar sacar benefícios da previdência com documentos falsos em Belém

Sem Comentários

28/05/2018

A Polícia Civil prendeu nessa segunda-feira (28), um idoso de 65 anos suspeito de tentativa de estelionato. A prisão ocorreu no momento em que ele tentou abrir conta com documentos falsos em uma agência bancária na av. Senador Lemos em Belém. Conforme a polícia, o homem é suspeito de envolvimento em um esquema de fraude para sacar dinheiro referentes a benefícios previdenciários. A gerência do banco percebeu a falsificação em um dos documentos apresentados e acionou a Polícia Civil. Foram apreendidos a carteira de identidade falsa, uma carta em nome do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e um comprovante de endereço falso. A Polícia informou que a documentação estava em nome de outras pessoas. O suspeito foi ouvido na Divisão de Prevenção e Repressão a Crimes Tecnológicos, no bairro do Telégrafo, e o caso deve continuar sendo investigado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Dupla é presa aplicando golpes em comerciantes

Sem Comentários

04/04/2018

Na terça-feira (03), no bairro Uvaranas, em Ponta Grossa (PR), dois homens, de 30 e 42 anos, foram presos por estelionato por estarem aplicando golpes em comerciantes da região. O funcionário de uma das lojas abordadas pelo suspeito estranhou a ação, e chamou a polícia. Segundo a Polícia Militar, o homem de 30 anos foi até o comércio afirmando trabalhar em uma empresa de máquinas de cartão, e solicitou o equipamento e a senha da “maquininha”. Ao chegar no local, a polícia deteve o homem e também o outro suspeito, de 42 anos, que estava nas proximidades com outra máquina de cartão e documentos falsos com dados de uma vítima. Os homens contaram à equipe que faziam parte de um grupo que aplicava golpes a comerciantes. Outra loja também havia sido alvo dos suspeitos minutos antes. A dupla foi encaminhada para a delegacia.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Massa News

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Locadora de Fortaleza denuncia caso de golpistas que não devolvem carros alugados

Sem Comentários

22/02/2018

Em Fortaleza, uma locadora está sofrendo com golpe de documentos falsos. O estabelecimento alugou dois carros, que não foram devolvidos pelos locatários no prazo estipulado no contrato. Três pessoas, dois homens e uma mulher, estão sendo procurados. O gerente do local diz que ouviu relatos de outras vítimas do mesmo crime. Ele espera que a população possa ajudar com informações. Usando comprovantes de residência falsos e carteira de habilitação, F.D.B., M..P. e J.A.L. alugaram dois carros, um Chevrolet Cobalt e um Onix, em uma locadora ao lado do aeroporto. O aluguel é feito no próprio aeroporto e o contrato é assinado na locadora, onde também é feito um checklist nos documentos e provam a idoneidade e têm acesso aos veículos. “Eles fazem o contrato no aeroporto normalmente, com os documentos que são exigidos. Aí, vence o prazo da devolução, a gente começa a procurar, ligar, mas ficaram protelando, nós vamos entregar, vamos entregar, aí vão passando os dias, chega um ponto em que a gente já sabe que é golpe”, disse o gerente do local. Com o sumiço, os funcionários foram aos endereços indicados nos documentos, um na Barra do Ceará, em Fortaleza, e outro em Caucaia, no bairro Tabapuá, mas foram informados por vizinhos que aquelas pessoas não residiam no local há bastante tempo. O gerente do local acredita que os veículos possam estar por Aracoiaba e Sobral, região norte do estado, já que diversas multas vêm chegando daquela região. Ele espera que a população possa informar o paradeiro dos veículos e das três pessoas. “Dão golpe em endereço. Eles fazem tudo isso para ter endereço fixo e depois saem. E os carros ficam sendo usados para se locomoverem e aplicarem golpes. Nós temos quase certeza que um roda naquela área pela reincidência de multa. Tem a marca da locadora, telefone, tudo… A gente pede que ligue e dê alguma informação”, disse o gerente.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Tribuna do Ceará

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Dono de concessionária no DF é suspeito de usar dados de clientes para financiar carros

Sem Comentários

14/11/2017

A Polícia Civil do Distrito Federal está em busca de um homem, de 41 anos, suspeito de financiar carros com o nome de outras pessoas. Ele é apontado como dono de uma concessionária de seminovos e teria dado o golpe em potenciais compradores – cerca de 20 vítimas registraram ocorrência. A polícia estima que, ao menos, R$ 1 milhão tenha sido movimentado com o esquema. “Ele não só agia como vendedor ou proprietário de loja de automóveis, mas há ocorrências dando conta de que ele agia de forma autônoma, oferecendo veículos e trabalhando no ramo de compra e venda, sempre lesando terceiros de boa fé”, disse o delegado-chefe da 19ª DP. A mãe de uma das vítimas disse que o nome do filho foi usado em 2011, quando fez uma proposta de compra de um carro usado. Na ocasião, ele não chegou a dar entrada, mesmo assim, os dados dele acabaram sendo usados. Seis anos depois, ele foi surpreendido com um débito de cerca de R$ 90 mil na conta e uma cobrança extrajudicial para apreensão de bens. “Meses depois, [meu filho] recebeu uma cobrança. Foi até o banco, chegou lá disse que tinha sido vítima de um golpe, mas ficou por isso mesmo. Porque o banco disse que já tinha tomado as providências. “Ele perdeu a oportunidade de ter um apartamento devido a esse débito”, disse a mãe.

Outras fraudes

Segundo a Polícia Civil, o suspeito também praticava outras fraudes, como a troca e locação de carros roubados, além da venda de veículos com documentos falsos. “Chegava a fazer trocas, oferecendo aos interessados veículos com restrições de roubo, furto e até oriundos de fraudes como veículos que eram locados em locadoras de automóveis até fora do DF”, explicou o delegado. “A documentação era adulterada e esses veículos eram trocados ou vendidos para terceiros.” Se for encontrado, o homem deve responder por estelionato. A polícia também investiga a participação de pessoas ligadas a cartórios, órgãos públicos e instituições financeiras no esquema. Caso seja confirmado o envolvimento, o suspeito também responderá por associação criminosa, cuja pena varia de 3 a 8 anos de prisão em regime fechado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Suspeita de golpe avaliado em R$40 mil ostentava nas redes sociais, diz polícia do AM

Sem Comentários

29/06/2017

Uma estudante, de 26 anos, foi presa na quarta-feira (28) suspeita de usar documentos falsos para adquirir um empréstimo de R$ 40 mil em nome de uma advogada. Conforme a Polícia Civil, nas redes sociais ela ostentava uma vida que não condizia com o seu poder aquisitivo. “Tenho direito de me divertir”, disse ela. O delegado titular do 24° Distrito Integrado de Polícia (DIP), disse que a jovem usou documentos falsos para obter o empréstimo e, em seguida, foi a uma agência bancária para transferir o valor. O gerente do banco achou estranha a movimentação e entrou em contato com a advogada. “A suspeita foi até uma agência bancária onde a advogada já tinha conta e tentou abrir uma conta corrente. O gerente questionou alguns fatos que ela não soube responder e, diante disso, comunicou à Polícia Militar, e ela foi conduzida para a delegacia. Nós verificamos que nas redes sociais ela posta fotos em festas, viagens e se diz estudante sem renda, então é um padrão não condizente com o nível salarial que ela afirma ter”, explica o delegado. Com a suspeita, a polícia encontrou RGs adulterados, comprovante de residência e extrato bancário da vítima. Ela foi localizada por volta das 16h de quarta. Ela ainda usou o cartão de uma loja de departamentos da advogada e fez várias compras. Em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (29) a estudante negou os crimes. “Eu não sou estelionatária, eu só troquei a foto do documento. Vocês também viajam quando estão de férias, eu tenho direito de me divertir”, alega a estudante. A mulher disse não ter renda, mas não quis dizer como conseguia dinheiro para festas e viagens. Questionada sobre o empréstimo de R$ 40 mil em nome da advogada, ela disse que só falaria em juízo. De acordo com a Polícia Civil, a estudante já foi presa outras duas vezes. Ela responde a um processo por estelionato cometido em 2008 junto com a mãe, e uma receptação de veículo em 2016. O titular do 24º DIP disse que o caso será aprofundado para saber se ela tinha ajuda de outras pessoas para conseguir dados das vítimas e se faz parte de uma quadrilha. Ao término dos procedimentos na delegacia, ela será encaminhada para audiência de custódia.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior