Funcionário público é preso suspeito de dar golpes em bancos

Sem Comentários

02/08/2016

Foi apresentado nesta terça-feira (02) pela Polícia Civil, um funcionário público suspeito de falsificar documentos e aplicar golpes em bancos e comércios de Goiânia. Segundo as investigações, S.S.Oliveira, de 29 anos, agia desde 2003 e pode ter causado um prejuízo de mais de R$ 1 milhão. Conforme o delegado responsável pelo caso, o suspeito escaneava certidões de nascimentos de cidades do interior do Brasil, imprimia com boa qualidade e ia até agências do Vapt Vupt para fazer carteiras de identidade com nomes falsos. “Depois de ter esses documentos, ele fazia empréstimos, pegava cartões de crédito, fazia compras e não pagava. Ele chegou a comprar vários veículos, montou um comércio e estava construindo um sobrado e já tinha gastado mais de R$ 500 mil, sendo a ele tem salário de pouco mais de R$ 1 mil”, disse. O golpe foi descoberto após o suspeito ir a uma agência bancária onde já tinha feito um empréstimo antes e apresentar uma segunda identidade para abrir uma nova conta. Uma funcionária o reconheceu e acionou a polícia. Ele foi preso no momento em que tentava conseguir um empréstimo. O diretor do Instituto de Identificação, disse que o número de funcionários é pouco para combater esse tipo de golpe. “Nosso sistema, infelizmente é frágil, o efetivo é pouco para checar as digitais de todo mundo que está fazendo a identidade. Fazemos a análise por amostragem. Porém, o estado vai implantar um sistema de biometria que vai solucionar esse problema, pois todas as digitais serão conferidas”, explicou. Ao ser apresentado, o suspeito disse apenas que estava arrependido dos crimes. Ele vai ser indiciado por uso de documento falso, estelionato, falsificação de documento público e falsidade ideológica. A polícia investiga agora se mais pessoas estão envolvidas no crime.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Corretor de seguros é preso com documento falso em Várzea Grande

Sem Comentários

01/08/2016

Na noite do último sábado (30), um corretor de seguros, de 36 anos, foi preso ao apresentar uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) falsa durante uma abordagem policial ocorrida na região do “Zero Quilômetro”, em Várzea Grande (MT). Segundo os policiais militares do 4° Batalhão, o homem estava conduzindo um veículo Corolla pela região e foi abordado pelos PMs. Ao apresentar a sua CNH, os policiais identificaram que o documento era falso e a sua numeração era inexistente. Diante dos fatos, ele recebeu voz de prisão e foi encaminhado a central de flagrantes, onde também foi checado com uma passagem criminal no artigo 171 (estelionato). Na delegacia, o homem se apresentou como sócio de uma corretora de seguros localizada no bairro jardim Universitário.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Folhamax

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Trio é preso ao tentar receber R$ 75 mil em golpe contra o INSS na Bahia

Sem Comentários

28/07/2016

A Polícia Civil divulgou nesta quinta-feira (28), que três pessoas foram presas na cidade de Tucano, no nordeste da Bahia, após tentarem receber uma quantia de R$ 75 mil referente ao auxílio-reclusão em nome de uma pessoa que não existe. Os suspeitos foram detidos quando deixavam uma agência bancária na quarta-feira (27). A polícia acredita que os três presos façam parte de uma quadrilha de estelionatários que aplica golpes no Instituto Nacional de Seguro Social (INSS). O auxílio-reclusão é um benefício voltado apenas aos dependentes do segurado do INSS, preso em regime fechado ou semiaberto, durante o período de reclusão ou detenção. Para que os dependentes tenham direito, é necessário que o último salário recebido pelo segurado seja de até R$ 1.212,64. A polícia informou que foi alertada por meio de uma denúncia anônima que falou o dia e a hora em que os três iriam tentar receber o dinheiro. O gerente da agência, já informado do golpe pela polícia, pediu para o trio retornasse ao posto do INSS, pois havia ocorrido um problema na solicitação do auxílio-reclusão feito por uma das integrantes da quadrilha e assim que eles saíram do banco, receberam voz de prisão dos policiais que aguardavam a saída deles do lado de fora da agência. Os três foram autuados em flagrante por formação de quadrilha, uso de documento falso, falsidade ideológica e estelionato. Eles estão na Delegacia de Euclides da Cunha, no norte do estado, à disposição da Justiça.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Motoristas compram CNH e são presos em blitz por uso de documento falso

Sem Comentários

29/07/2016

Depois de serem flagradas em uma blitz da Polícia Militar, usando carteiras de habilitação falsas, três pessoas foram parar na delegacia na quinta-feira (28). O flagrante ocorreu na Rua Rachel de Queiroz, no bairro Aero Rancho, em Campo Grande (MS). Os autores confessaram que compraram o documento por R$ 2 mil. Segundo informações do boletim de ocorrência, homem de 44 anos, foi parado na blitz e a polícia exigiu a apresentação de sua CNH. Ao consultarem o SGI (Sistema de Informações Gerais) da polícia, os policiais não encontraram o registro do documento. Questionado, o autor confessou que há cerca de dois anos comprou a carteira por R$ 2 mil, porque tem problema de memória, não sabe ler, e só consegue escrever o seu próprio nome, sendo assim tinha a consciência de que não conseguiria tirar a CNH pelos meios legais. O homem disse aos policiais que não se recorda de quem comprou o documento. Outras duas pessoas de 64 e 42 anos também foram presas na mesma situação. Os condutores foram autuados em flagrante e presos. Eles vão responder por uso de documento falso e podem pegar até dois anos de prisão.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Campo Grande News

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Mulher é presa ao tentar sacar R$ 92 mil usando documento falso

Sem Comentários

28/07/2016

Uma mulher, de 58 anos, foi presa pela Polícia Civil de São Luís de Montes Belos (GO) pelo uso de documento falso. Ela tentava realizar um saque de R$ 92 mil em um banco da cidade, usando um alvará judicial proveniente de precatórios federais, que são valores relativos através de ações judiciais contra o poder público. Conforme foi revelado pelas investigações, a suspeita utilizou uma identidade grosseiramente falsificada para se passar pelo titular do direito. Após receber informação de que um possível golpe estava prestes a acontecer, uma equipe de agentes e um papiloscopista da Polícia Civil se dirigiu ao local e constatou a falsificação. A mulher recebeu voz de prisão em flagrante. O caso ocorreu na segunda-feira (25).

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Mais Goiás

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia descobre grupo que tentou dar golpe de R$ 1 milhão em MT

Sem Comentários

27/07/2016

Foi descoberto nesta terça-feira (26) pela Polícia Civil em Poconé (MT), um grupo que tentou aplicar um golpe de R$ 1 milhão através de empréstimos e financiamentos em um banco. De acordo com as investigações, sete mandados judiciais foram decretados contra os investigados. O grupo vai responder por falsidade ideológica, uso de documento falso e crime contra o sistema financeiro. Foram três mandados de busca e apreensão domiciliar, três mandados de condução coercitiva, e um de prisão temporária, todos cumpridos em Cuiabá. As investigações iniciaram no começo de mês de junho, após registro de um boletim de ocorrência de desaparecimento. Na ocasião, a comunicante dos fatos se passou por filha de criação do suposto desaparecido. No decorrer das diligências para apurar o suposto sumiço, os investigadores de polícia de Poconé descobriram que não houve desaparecimento, e que a pessoa procurada possuía duas identidades e dois números de Cadastro de Pessoas Física (CPF). A Polícia Civil está investigando os possíveis crimes praticados pelos envolvidos, como uso de documento falso e falsidade ideológica. Os policiais civis apreenderam documentos e computadores. Na condução, dois dos suspeitos foram encontrados e levados para prestarem declarações e esclarecimentos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Funcionário de cartório recebia R$ 10 mil por documento falsificado

Sem Comentários

26/07/2016

Vários documentos foram apreendidos na manhã desta terça-feira (26), pela Operação Falsário, em uma casa de Campo Grande (MS). O grupo criminoso falsificava certidões de nascimento a partir de um funcionário do cartório de Areado, distrito de São Gabriel do Oeste. As investigações tiveram início em 2014, em Ponta Porã. Na época, um homem procurou a Delegacia de Polícia Federal para tirar um passaporte e disse que era nascido em Pequim, na China, mas tinha nacionalidade Palestina. Ele levou até a delegacia um certidão de nascimento que parecia ser legítima, mas os dados não constavam nos registros do cartório e ele acabou detido em flagrante por uso de documento falso. Ele foi solto tempos depois e esclareceu a situação para a polícia, que deu início às investigações. O responsável pela fraude de certidões de nascimento é um funcionário do cartório de Areado. Ele teria falsificado documentos para a mãe, o pai e o irmão, mas há possibilidade de existirem outros beneficiados pelo esquema criminoso. Cada documento era emitido após o pagamento de R$ 10 mil e depósitos bancários indicam que outras pessoas também pagaram pelos documentos falsos. Os alvos da operação são brasileiros que intermediavam as negociações e o funcionário do cartório. Entre os investigados está um morador da Vila Bandeirantes, em Campo Grande. A casa dele foi vistoriada nesta terça-feira e os policiais federais deixaram o local com vários documentos apreendidos. As pessoas que obtinham a certidão de nascimento falsificada conseguiam tirar outros documentos, como RG e CPF. As investigações continuam e os envolvidos devem responder pelos crimes de corrupção ativa e passiva, associação criminosa e uso de documento falso. Há ainda a suspeita de que os documentos falsos eram usados para introduzir refugiados no país.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Midia Max

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior Próximo