Estelionatário cai após golpe do barril

Sem Comentários

13/03/2014

Foi preso em Jundiaí nesta quinta-feira (13), um homem de 38 anos, após a Guarda Municipal identificar o carro dele pelo sistema OCR (que faz leitura das placas em entradas e saídas da cidade). O sujeito só foi pego porque vítimas que caíram no golpe do estelionatário conseguiram anotar a placa do carro que usava. Foi informado pelos policiais da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) a GM que há alguns dias um indivíduo vinha aplicando golpes na cidade, ao fazer compras de barris de chope e choperias elétricas, efetuando o pagamento com cheques. Contudo, esses cheques eram produto de crimes e em nome de terceiros, resultando em prejuízo para os comerciantes. Com a denúncia de uma das vítimas, a Guarda Municipal localizou o carro em sua chegada e o detiveram numa rua. Os guardas do monitoramento imediato repassaram as informações para as viaturas, possibilitando a detenção do bandido. No interior do veículo, além do homem, estavam duas mulheres – o trio mora em Campinas. O motorista apresentou documento como sendo outra pessoa. Os guardas encontraram dentro do carro, várias folhas de cheques, documentos falsos, cartões bancários e um comprovante de rendimento da Agência Nacional de Petróleo. Levado à DIG, os militares descobriram que o nome da pessoa no documento não era o do suspeito. Os policiais então, apresentaram uma ficha criminal contendo diversos outros golpes praticados por ele. O homem foi autuado em flagrante por documentos falsos e estelionato. As duas passageiras do veículo foram ouvidas e liberadas, o sujeito foi recolhido até o Centro de Triagem.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Rede Bom Dia

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Mulher de 66 anos é presa por receptação e uso de documento falso em Balneário Camboriú

Sem Comentários

12/03/2014

Foi presa em Balneário Camboriú (SC) uma mulher de 66 anos por uso de documento falso, receptação e adulteração de sinal identificador. Ela foi encontrada após os agentes da Divisão de Investigação Criminal (DIC) receberem denúncias de que um carro estaria estacionado na garagem de um prédio na rua 1201 com placas clonadas de outro veículo idêntico. Depois de investigar o fato, os policiais descobriram que o carro tinha registro de roubo em uma cidade do Rio Grande do Sul no mês de fevereiro. Além das placas clonadas, o carro estava com numeração de chassi raspada e foi levado para o Instituto Geral de Perícias (IGP), onde será identificado o chassi original. Ao falar com a dona da garagem, a idosa de 66 anos, os agentes da DIC confirmaram que ela possuía as chaves do carro e também chegou a apresentar um certificado de registro e licenciamento falso. A mulher possui passagens pela polícia por tentativa de homicídio e furto. Ela foi encaminhada para a delegacia e depois para o presídio regional, no bairro Nossa Senhora das Graças, em Itajaí.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Notícias do Dia

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Em golpe, quadrilha consegue sacar R$ 1,7 milhão de conta do TJ-RS

Sem Comentários

12/03/2014

O Ministério Público denunciou oito pessoas por um golpe de R$1.776.043,80 contra o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. Os golpistas falsificaram documentos, usando informações sigilosas do banco de dados da Secretaria de Segurança Pública, e conseguiram transferir o dinheiro de uma conta da Justiça. O promotor que investigou o caso diz que há suspeita de envolvimento de funcionários do TJ. A fraude foi investigada durante um ano após a denúncia feita ao Ministério Público pelo próprio Tribunal de Justiça. De acordo com a investigação, um alvará judicial falso autorizando a liberação da quantia foi parar em uma agência de um banco no fórum Central de Porto Alegre. No local, o golpista apresentou outra via do documento, que foi conferida pelo caixa. Depois, o dinheiro foi liberado e transferido para um doleiro em Santana do Livramento. Na fronteira com o Uruguai, o dinheiro foi sacado, trocado por dólares e euros e , então, distribuídos aos outros integrantes da quadrilha. “Essa operação de transferência do dinheiro para a fronteira e a troca desse valor para euros e dólares dificulta a localização desses valores e a identificação dos autores do delito”, diz o promotor de Justiça. O dinheiro desviado tinha sido depositado por uma companhia telefônica como garantia de pagamento em um processo movido por um comerciante de Tapejara, na Região Norte do estado. Para conseguir fazer o saque, a quadrilha falsificou não apenas o documento da Justiça, mas também a carteira de identidade do autor da ação. Os dados que permitiram a fraude saíram de um computador de uma delegacia na Zona Norte de Porto Alegre. O Policial Civil consultou no sistema de informática policial os dados da pessoa que teria os documentos falsificados e forneceu esses dados para um dos integrantes da quadrilha, que com base nesses dados, fez os documentos e consumar a prática. O policial foi exonerado e é um dos denunciados. O promotor suspeita que existe envolvimento de algum funcionário do Tribunal de Justiça e do banco no esquema, mas ninguém foi identificado até agora. “Conseguimos apurar que pode ter ocorrido a participação de algum funcionário do Judiciário e do banco ao introduzir um documento na agência que propiciou o saque  de mais de R$ 1,7 milhão”, explica o promotor. A Corregedoria do Tribunal de Justiça disse que não vai comentar a denúncia porque não foi comunicada da investigação. Nesta semana, a Corte abriu uma sindicância para apurar outra suspeita de envolvimento de servidores. Desta vez, no setor de precatórios. Com uso de documentos falsos, o crédito de R$ 40 mil de uma idosa foi sacado do banco. “Com certeza houve algum tipo de informação privilegiada, porque quando a advogada foi comunicada da liberação do alvará, o alvará já tinha sido sacado. Então, essa pessoa teve informação antes da nossa advogada”, diz a filha da idosa prejudicada. Uma outra mulher disse que o escritório de advocacia onde trabalhava tinha uma lista vazada do tribunal, com nomes e dados de 65 mil pessoas que têm precatórios a receber do estado. Um juiz examinou a lista, confirmando que as informações são verdadeiras. Ele também anunciou medidas para restringir o acesso ao banco de dados do setor de precatórios.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é preso por receptação e documento falso em Imperatriz

Sem Comentários

11/03/2014

Um homem de 51 anos, que é secretário de Administração do município de Cidelândia (MA), localizado a 50 km de Imperatriz, foi autuado nesta terça-feira (11), no km 260 da BR-010, por receptação e uso de documento falso. O secretário conduzia um veículo quando foi abordado por agentes da Polícia Rodoviária Federal. Os policiais comprovaram que o documento do carro, apresentado pelo condutor, era falso e a numeração do chassi estava raspada, o que levanta as suspeitas de furto ou roubo do automóvel. O sujeito foi levado para a sede da Polícia Federal de Imperatriz, onde permanece preso.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia Federal investiga falsificadores de carteiras de pesca no Litoral Norte

Sem Comentários

10/03/2014

Foi desmontado nesta segunda-feira (10) pela Polícia Federal de Itajaí um esquema para confecção de carteiras de pesca e certificados de cursos falsos nas cidades de Penha e Balneário Piçarras. Os falsificadores, que chegavam a lucrar cerca de R$ 3 mil em cada documento expedido, serão investigados. As falsificações eram feitas há cerca de dois ou três anos em Santa Catarina e dezenas de certificados podem ter sido produzidos – ampliando o número de empresas prejudicadas com a fraude. A operação chamada Homem ao Mar apreendeu etiquetas, carimbos e selos usados nas falsificações, além de aproximadamente 20 certificados de conclusão, US$ 5 mil, computadores, telefones e cadernetas de inscrição e registro de trabalhadores marítimos. As apreensões ocorreram durante cumprimento de seis mandados de busca e apreensão. O delegado chefe da Polícia Federal, explica que a investigação no Litoral Norte iniciou porque inquéritos de outras unidades informavam que os documentos falsos apresentados, estavam sendo produzidos no Estado. As falsificações eram utilizadas também em Santa Catarina e no Espírito Santo. Ninguém foi preso durante a operação, apenas duas pessoas prestaram esclarecimentos para a Polícia Federal. Nenhum deles passou informações que auxiliassem nas investigações, apenas negaram saber da falsificação. Se indiciados, os suspeitos podem ser processados por falsificação e uso de documento falso. Os documentos falsos permitem que pessoas sem a devida formação e conhecimento na área se candidatem a cargos em empresas de navegação dom salários que podem ir de R$ 5 mil a R$ 15 mil. Alguns dos certificados são expedidos somente pela Marinha do Brasil, que auxiliou na operação.

Ler a notícia na íntegra

Fonte:Diário Catarinense

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Duas mulheres e um homem são presos em flagrante por estelionato

Sem Comentários

11/03/2014

Foram presos em flagrante nesta segunda-feira (11), duas mulheres e um homem tentando aplicar um golpe em uma agência bancária do município de Belo Jardim, no Agreste de Pernambuco. Os três estavam com documentos falsos tentando sacar a quantia de R$ 678 em nome de outra pessoa, referente a uma aposentadoria por tempo de serviço. Os funcionários do banco chamaram a polícia após desconfiarem do trio, que se demonstrava nervoso e se contradizia com as perguntas sobre os dados da pessoa beneficiária. Na hora da abordagem, os agentes notaram que uma das mulheres sinalizou para que a outra senhora, que estava fora do prédio, fugisse do local. A mulher foi detida antes de poder tentar sair dali. Com ela, toda a documentação falsa para sacar R$ 724 em nome de outra pessoa também foi detida. Segundo a polícia, o homem, a mando de outro sujeito, aliciava pessoas para que elas cedessem uma foto 3×4 depois fossem com ele às agências aplicar o golpe. Em depoimento, o suspeito informou que recebia R$ 50 de cada pessoa aliciada. As duas mulheres disseram que ganhariam R$ 150 cada. Eles foram autuados por estelionato e em seguida presos, elas foram enviadas para a Penitenciária Feminina da Buíque e ele para a Juiz Plácido de Souza em Caruaru.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Folha-PE

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Receita apreende documentos em escritórios suspeitos de fraudes

Sem Comentários

10/03/2014

Documentos e memórias de computadores em dois escritórios de contabilidade de Campinas (SP), foram apreendidos pela Receita Federal na manhã de sexta-feira (07), durante operação para desarticular um esquema de criação fraudulenta de empresas. De acordo com a assessoria do órgão, ninguém foi preso, porém as investigações continuam e pode haver desdobramentos sobre o caso. A Receita informou que os escritórios são responsáveis por 1,2 mil empresas que, pela suspeita, foram criadas por meio de informações e documentos falsos, inclusive, com o uso de selos de reconhecimento de firma roubados de cartórios. Na operação, que envolveu também a Polícia Federal, foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão, mas os estabelecimentos não foram fechados. Essas empresas usavam nomes de laranjas e eram usadas para aplicarem golpes em estabelecimentos comerciais, bancos e órgãos públicos. Estão sendo apuradas a práticas de crimes, como falsidade ideológica, uso de documentos falsos e estelionato.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Contábeis

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior Próximo