Falsificação de documento representa 75% das fraudes registradas em MG

Sem Comentários

14/02/2014

Informações de cidadãos brasileiros são usadas por falsificadores de documentos  para emitir carteiras de identidade que não tem validade alguma. Em uma volta rápida pelo centro de Belo Horizonte, capital mineira, a equipe de um noticiário encontrou vários grupos oferecendo documentos falsos. Segundo a Serasa, a cada 15 segundos alguém tenta cometer uma fraude usando documentos falsos no Brasil. São tentativas de golpes como abrir uma conta bancária com dados de outra pessoa, pedir financiamento e cartões de crédito usando o nome de terceiros ou comprar uma linha de telefone com as informações de outro. Em muitos casos, a conta fica para a vítima pagar. Na Praça Sete, a mais movimentada de Belo Horizonte, a equipe deste noticiário usou uma câmera escondida para chegar aos falsificadores sem despertar desconfiança. Um dos homens se apresenta como o intermediário para fornecer uma carteira de identidade falsificada. O documento deveria ser emitido pelo órgão de segurança pública do estado. Na primeira abordagem, um rapaz aponta o caminho:

Compra a identidade dele na mão dele, pronto.
– Mete uma foto nela. É só você plastificar ela de novo e colocar negócio, quer ver, ó?
– Vai ter que tirar a foto aí, ó.
– Mas quanto você vai me vender?
– Ah, véio, me dá uns 40 reais nela aí.

Outro ambulante oferece um RG feito sob encomenda, com papel que ele diz ser original e cobra caro. “R$ 1.200 dá pra fazer pra você. Você dá um sinal de R$ 600. Tem quase trinta anos que eu trabalho aqui.” Na praça ainda é possível conseguir comprovante de endereço e contracheque, para comprovação de renda, com o mesmo nome que virá na carteira de identidade. “Faz um contracheque num valor de uns R$ 1.800 por mês que você ganha. Com desconto de passagem, vale-transporte, desconta almoço, tem tudo descontadinho no contracheque, original. Aí cai de uns R$ 1.800, cai pra uns R$ 1.500.” Nem a presença da Polícia Militar inibe os vendedores.

Produtor: A gente ficar aqui assim não é perigoso, não?
Vendedor: Não, vamos ali anotar os negócios aqui.

Na entrega do documento, ele tenta enganar:

Vendedor: Aqui pra você ver. Do mesmo jeito, aqui ó, está escaneado, está vendo? Escaneado, tudinho igualzinho da identidade mesmo, olha pra você ver.
Produtor: A sua é menor, tá vendo? Aqui. Coloca aqui. Tá vendo? Debaixo do outro. Tá vendo?
Vendedor: Vou lá buscar no tamanho original, então. Falou?

O homem volta com uma carteira de identidade que diz ser original. “Agora é quente, pelando”. O documento está sem fotografia, para o comprador colocar a foto que quiser. “Coloca o dedão, assinatura, está vendo aí? E atrás aí, ó.” Ele ainda oferece outros serviços: “pra você conseguir uma carteira de motorista no nome dele, você vai ter que vir, vai ter que tirar uma foto sua. Você me dá ela e vê quanto que os caras cobram lá. Diploma também, nós arruma (sic).” A pedido do noticiário, uma perita judicial analisou o documento e constatou que o papel não é original. Contudo, isso só foi possível com a ajuda de equipamentos especiais. “A olho nu passa, é uma falsificação perfeita, tem imitações de vários elementos de segurança. Com esse documento a pessoa, o portador conseguiria abrir contas em bancos, abrir crediários, fazer compras em lojas, em estabelecimentos comerciais, e talvez até tirar outros documentos porque os conferentes na maioria das vezes não têm tempo e não tem aparelhagem necessária para fazer uma análise.” A Polícia Civil confirma que os dados da carteira de identidade são verdadeiros. A pessoa realmente existe, tem 29 anos e mora no interior de Minas Gerais. Ela não possui antecedentes criminais e nunca fez um boletim de ocorrência sobre a perda de documentos. Mesmo assim, informações pessoais como nome dos pais, data de nascimento e CPF foram parar nas mãos de criminosos. Um delegado-chefe da divisão de fraudes ficou surpreso com a qualidade da falsificação do documento. “Se ela tivesse plastificada eu dificilmente conseguiria falar se isso é verdadeiro ou falso.” O documento foi entregue ao delegado-chefe da divisão de fraudes da Polícia Civil de Minas Gerais que vai investigar o caso. A pena para o crime de falsificação é de dois a oito anos de prisão. Quem usa o documento falso também pode ser condenado – a pena vai de dois a seis anos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Globo.com

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Idosa é detida ao tentar tirar identidade com nome falso na Bahia

Sem Comentários

12/02/2014

Foi detida na tarde de terça-feira, uma senhora de 78 anos (11) após apresentar uma documentação falsa no Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC), localizado em um shopping no município de Teixeira de Freitas, na Bahia. Segundo a delegada plantonista da 8ª Coordenadoria de Polícias do Interior (Coorpin), ela portava documentos de uma outra mulher para a obtenção de um novo Registro Geral (RG) e foi surpreendida no atendimento. “As pessoas que estavam responsáveis perceberam, por causa da impressão digital, que em 2010 ela havia trocado o RG e estava com nomes diferentes. Era a mesma pessoa, mas com nomes diferentes”, atestou. A senhora, que é analfabeta, foi conduzida pela equipe do SAC para se apresentar na delegacia e prestar esclarecimentos sobre o fato. No início do depoimento, a senhora alegava não saber de nada mas, em seguida, confirmou que utilizava um documento emprestado de outra pessoa. “Ela disse que uma mulher emprestou o documento para ajudá-la com a aposentadoria. A idosa repetiu diversas vezes que a intenção era se aposentar. Ela ainda disse que as duas são bem parecidas”, completa.       

Ler a notícia na íntegra

Fonte:  G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

PM prende autor que dirigia caminhão com carteira falsa

Sem Comentários

12/02/2014

A Polícia Militar abordou na rodovia MG-187, um caminhão que era conduzido por um indivíduo de 43 anos. Os militares solicitaram os documentos de porte obrigatório, sendo apresentada pelo motorista uma carteira de habilitação tirada em Araxá. Os policiais desconfiaram da carteira de motorista, pois ela apresentava alguns sinais de inautenticidade como papel de cor diferente, escrita meio borrada e assinatura do condutor também meio borrada. Diante da situação, foi realizada pesquisa informatizada e não foi encontrada nenhuma CNH cadastrada para o condutor. Com isso, o motorista acabou dizendo que na verdade comprou a CNH de outro caminhoneiro que conheceu em Uberaba, tendo pagado pela carteira a quantia de R$ 2 mil e deixando com o caminhoneiro seus dados pessoais, recebendo a CNH dias depois. Assim, o condutor foi preso e conduzido à delegacia.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Diário de Araxá

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Duas brasilienses são presas suspeitas de estelionato em banco de Natal

Sem Comentários

11/02/2014

Foram presas na manhã desta segunda-feira (10), em uma agência bancária na avenida Maria Lacerda Montenegro, no bairro de Nova Parnamirim, na Grande Natal, duas mulheres naturais de Brasília (DF), de 61 e 50 anos, suspeitas de fraude contra um banco. Segundo a PF, as suspeitas  tinham procurado a agência na semana passada e requerido a abertura de uma conta corrente, mas ficou constatado, que os documentos apresentados eram falsos. Diante de um possível golpe, a Polícia Federal foi avisada e deslocou uma equipe até o local, conseguindo surpreender as duas mulheres quando as mesmas regressaram à agência e apresentaram novos documentos, também adulterados, para complementar o cadastro. As duas receberam voz de prisão e confessaram o crime. Elas levaram os policiais até o flat onde estavam hospedadas e, no local, encontraram mais documentos falsos. Ambas estão sob custódia na Polícia Federal, onde aguardarão o pronunciamento da Justiça. Elas responderão pelos crimes no Rio Grande do Norte. Um dos funcionários da agência teria dito à polícia que uma das mulheres já havia tentado abrir uma conta na mesma agência, mas com um nome diferente, um nome falso. Na ocasião, ela conseguiu sacar cerca de R$ 10 mil do cheque especial, cuja dívida permanece em aberto. Diante da acusação, a suspeita permaneceu calada. Elas foram indiciadas e vão responder pelos crimes de uso de documento falso e tentativa de estelionato. De acordo com a Polícia Federal do Rio Grande do Norte, desde o início de 2014, seis pessoas já foram presas no estado por uso de documento falso e tentativa de estelionato.

Ler a notícia na íntegra

Fonte:CorreioBraziliense

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Motorista que pagou R$ 1,8 mil por CNH falsa é preso em Prudente

Sem Comentários

07/02/2014

Foi preso na madrugada da última sexta-feira (7) um motorista de 27 anos que utilizava uma CNH falsa. Ele admitiu para a Polícia Militar Rodoviária que comprou o documento por R$ 1.800. O sujeito, que é mecânico e morador de Paraguaçu Paulista, foi abordado por volta das 11h do dia 6 pelos policiais com seu Vectra na base de Presidente Prudente, para operação de rotina. Porém, ao consultarem a sua Carteira nacional de Habilitação e seu registro de identidade, verificaram que os dados de um não batiam com o do outro documento. No sistema, a CNH pertencia a um condutor de outro nome, do estado do Paraná. Perguntado, ele assumiu que comprou o documento por R$ 1.800 de uma pessoa que não conhecia. Apenas informou que entregou o número do seu CPF e RG, e passados seis meses recebeu o documento falso, passando a usá-lo. O homem, por sua vez, recebeu voz de prisão em flagrante por  uso de documento falso e foi levado para a Delegacia de Participativa de Presidente Prudente, onde permaneceu para depois der encaminhado ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Caiuá.

Ler a notícia na íntegra

Fonte:iFronteira

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem acusado de estelionato é preso em São José de Mipibu

Sem Comentários

07/02/2014

Foi detido na última quinta-feira (6) no quilômetro 117 da BR-101, na altura de São José de Mipibu (RN), um homem acusado de estelionato. Ele dirigia um carro de cor prata, uno, com placas de Ceará-Mirim. Na hora da abordagem, ele apresentou uma carteira de identidade falsa. Após revista, foram encontrados CPFs, cédulas de identidades com diferentes nomes e cartões de crédito. Ele foi localizado após uma possível denúncia de uma vítima, que disse tê-lo reconhecido e avisado para a Polícia Rodoviária Federal. Com a denúncia, a PRF montou uma barreira e o estelionatário acabou sendo abordado minutos depois. Após a prisão, ele foi levado para a Delegacia de Polícia Civil de São José de Mipibu e, depois, encaminhado  para um Centro de Detenção Provisória.

Ler a notícia na íntegra

Fonte:Tribuna do Norte

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é preso com CNH falsa na rodovia Marechal Rondon

Sem Comentários

06/02/2014

Foi abordado durante uma fiscalização de rotina na rodovia Marechal Rondon (SP-300), um homem que conduzia uma caminhonete e portava uma carteira de habilitação falsa. Morador do bairro São Sebastião, em Araçatuda, ele foi preso na noite de quarta-feira (5), no quilômetro 535, próximo a um motel de beira de estrada na mesma rodovia. Os policiais pediram a documentação dele e do veículo e perceberam que o papel da CNH não apresentava ranhuras, que é um dos sinais de identificação. Ao consultar o documento em um sistema, foi constatado que o número constante no documento apresentado não era cadastrado e que o acusado não aparecia como pessoa habilitada. Ao ser perguntado, o homem confessou que o documento era falso e que havia comprado de um desconhecido por R$ 800 em uma cooperativa instalada na área central de Araçatuba. Levado para a Central de Flagrantes, ele foi preso por uso de documento falso, cuja pena pode chegar a cinco anos de prisão, e foi encaminhado à cadeia de Penápolis, onde aguardará decisão da Justiça. A caminhonete Hilux, que está com a documentação em dia, foi apreendida por estar com os pneus carecas.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Folha da Região

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior Próximo