Estelionatário é preso por causar prejuízo de R$ 15 milhões ao Estado

Sem Comentários

08/04/2019

Um homem foi preso suspeito de utilizar documentos falsos para abrir empresas com o objetivo de vender notas fiscais. De acordo com as investigações da Polícia Civil, pelo menos seis CPFs foram utilizados para a ação criminosa. Em um dos documentos falsos, existe um débito de mais de R$ 15 milhões com a receita estadual. A prisão foi realizada no domingo (07) pela Delegacia de Crimes Contra Ordem Tributária, em João Pessoa. A polícia acredita que o prejuízo causado aos cofres do Estado sejam superior a R$ 30 milhões. As dívidas feitas ao Estado não poderão ser cobradas, pois as empresas estão em nome de pessoas que não existem. O sujeito será processado pelo crime de estelionato e está detido na Central de Polícia. Ele será apresentado à Justiça na manhã desta segunda-feira (08), onde passará por audiência de custódia.

Jogador de futebol usa documento falso para parecer mais novo, tenta tirar passaporte na Bahia e é preso

Sem Comentários

08/04/2019

Nesta segunda-feira (08), um jogador de futebol de 24 anos foi preso ao tentar tirar um passaporte com documento falso, no SAC da cidade de Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador. De acordo com a Polícia Federal (PF), o jovem, que não teve a identidade divulgada, falsificou a certidão de nascimento com um “olheiro”, com o objetivo de diminuir a idade. Em depoimento, jogador de futebol teria confessado que queira o passaporte para viajar para a Europa, para tentar realizar o sonho de ser contratado por um clube estrangeiro. O plano foi descoberto depois que o sistema da Polícia Federal detectou a compatibilidade biométrica das digitais coletadas com o jogador registradas no nome dele. O jovem foi autuado em flagrante por falsidade ideológica e uso de documento falso. Ele ficará custodiado no Conjunto Penal de Feira de Santana, à disposição da Justiça.

Homem bate em viatura da PM e é preso com documento falso em São Miguel dos Campos, AL

Sem Comentários

05/04/2019

Um homem foi preso na noite de quinta-feira (04) após bater em uma viatura da Polícia Militar de Alagoas e apresentar carteira de habilitação falsificada. O flagrante foi feito na BR-101, em São Miguel dos Campos. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os militares faziam rondas quando viram a colisão entre a viatura da PM e um Ford/Ka de cor verde. Eles constaram que a Carteira Nacional de Habilitação apresentada pelo condutor não batia com os dados do Renach. O condutor admitiu que pagou a quantia de R$ 1 mil pelo documento falsificado. Entretanto, não passou informações sobre o vendedor. Ele foi levado para a Delegacia de Polícia Civil de São Miguel dos Campos. O veículo e a documentação falsificada também foram apreendidos pelos agentes.

Mulher é presa por tentativa de estelionato na Zona Sul de Natal

Sem Comentários

05/04/2019

Uma mulher, de 42 anos, foi presa por agentes da Delegacia Especializada em Falsificações  e Defraudações (DEFD), pela prática dos crimes de falsidade ideológica e tentativa de estelionato. A prisão aconteceu na manhã de quinta-feira (04), em uma agência bancária na zona sul da capital potiguar, quando a mulher tentava realizar um empréstimo de R$ 13 mil portando documentação falsa. De acordo com as investigações realizadas, a mulher integra um grupo criminoso e, destes R$ 13 mil que seriam resultantes do crime, ela ficaria com R$ 2 mil e o restante seria destinado aos demais integrantes, a serem identificados. Com ela foram apreendidos diversos documentos de supostas vítimas.

Falsificação de CNH: Polícia Civil prende quatro em gráfica de Ceilândia

Sem Comentários

04/04/2019

Policiais civis prenderam em flagrante quatro homens por produzirem documentos falsos em uma gráfica na QNM 4, em Ceilândia. Durante a prisão, os agentes confirmaram que os acusados faziam Carteira Nacional de Habilitação, Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV) e carteiras de identidade. A ação, que ocorreu na tarde desta quarta-feira (03), foi chefiada pela Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Propriedade Imaterial e a Fraudes (Corf), mas só foi divulgada na manhã desta quinta (04). A Polícia Civil detalhou que, no interior da gráfica, os policiais apreenderam, além dos documentos falsos, cerca de R$ 2 mil em espécie e selos falsificados de Detrans dos estados de Goiás, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso, Paraná, Paraíba, Tocantins e do Distrito Federal. Além disso, os criminosos também tinham cártulas de cheque e certidões de cartórios em branco e diversos apetrechos destinados à produção de documentos falsos. O quarteto preso em flagrante irá responder pelos crimes de associação criminosa, falsificação de documento público e receptação. Como um deles, inclusive, apresentou documento falso ao ser detido, ele também será indiciado por isso.

Mulher é condenada por apresentar atestado médico falso no trabalho

Sem Comentários

02/04/2019

Uma ex-funcionária de um salão de beleza foi condenada prestar serviços comunitários e pagar 11 dias-multa por falsificar atestado médico para justificar faltas na empresa. Ela já havia sido condenada em primeiro grau, recorreu, mas a sentença foi mantida pelos desembargadores da 2ª Câmara Criminal de Campo Grande. Segundo o processo, a acusada faltou o trabalho no período de 10 a 14 de junho de 2015 e, no dia 15, ao retornar, ela apresentou um atestado médico à gerente, com intuito de justificar as faltas. Um tempo depois, no mesmo mês, ela apresentou novo atestado, assinado pelo mesmo médico, para justificar falta de cinco dias. Desconfiada, a gente do estabelecimento decidiu procurar a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) para verificar a veracidade dos atestado e descobriu que o médico que constava no documento havia sido transferido para o Conselho Regional de Medicina (CRM) de São Paulo em março de 2015, tendo o CRM/MS ficado inativo. A empregadora também procurou a Delegacia de Polícia Civil e, durante a investigação, foi constatado que a acusada deixou a descrição da doença (CID-10) em branco e, em consulta ao prontuário médico, foi verificado que ela não recebeu atendimento médico pelo Serviço Único de Saúde (SUS) nas datas em que faltou ao trabalho. Em 1º grau, a então funcionária foi condenada a 2 anos e 4 meses de prisão, em regime aberto, pelo crime de falsificação de documento público e uso de documento falso. A pena foi substituída por duas restritivas de direitos, consistentes em prestação pecuniária e prestação de serviços à comunidade ou a entidades públicas, além de 11 dias-multa. Ela recorreu. No julgamento do recurso, relator do processo, afirmou que ficou comprovado o uso do documento falso. Dessa forma, por unanimidade, os desembargadores negaram o recurso e mantiveram a sentença de primeira instância.

PF detém suspeita de tentar sacar benefício do INSS com documento falso em Campos, no RJ

Sem Comentários

01/04/2019

Uma mulher suspeita de tentar sacar um benefício de outra pessoa com documentos falsos foi detida pela Polícia Federal nesta segunda-feira (1º) em uma agência do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense. De acordo com a PF, a mulher era investigada desde 2009 pela corporação e foi abordada por agentes à paisana na agência. A PF informou também que a suspeita foi encaminhada para a delegacia, mas passou mal e foi levada para o Hospital Ferreira Machado (HFM). Ainda segundo a PF, os agentes aguardam a alta da suspeita para que a ocorrência seja concluída e ela seja encaminhada para o Presídio Feminino de Campos. A mulher irá responder por uso de documento falso e a pena para este tipo de crime vai de dois a seis anos de prisão.

Anterior Próximo