PF desarticula quadrilha envolvida em fraude de R$ 2,9 milhões do INSS

Sem Comentários

19/09/2018

Nesta quarta-feira (19), a Polícia Federal (PF) prendeu integrantes de um grupo envolvido em uma fraude com prejuízo estimado de R$ 2,9 milhões aos cofres públicos. As fraudes ocorreram em cidades de Minas Gerais e da Bahia e envolviam benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Vinte e oito policiais e dois integrantes da Coordenação Geral de Inteligência Previdenciária (COINP) participam da Operação Alhures. Eles cumpriram dois mandados de prisão temporária em Contagem, na Grande BH, e em Almenara, no Vale do Jequitinhonha. Outros cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos nas mesmas cidades, um em Contagem e quatro em Almenara. “As investigações realizadas pela Polícia Federal tiveram o auxílio da COINP e revelaram um esquema de fraudes na obtenção de benefícios previdenciários a partir de certidões de nascimento falsas. O grupo de estelionatários teria forjado o nascimento de menores e dado entrada no INSS com processos de obtenção de Pensões por Morte. Também teria utilizado documentos falsos por pessoas angariadas pela quadrilha para se passarem pelas representantes legais dessas crianças fictícias”, detalhou a Polícia Federal em Minas, por meio de nota. Os investigados vão responder na Justiça por formação de quadrilha e estelionato qualificado, cuja pena pode ser de até seis anos e meio de prisão por cada golpe contra o INSS, além de três anos por associação criminosa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: EM

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Falso policial é preso ao tentar visto na embaixada dos EUA em Brasília

Sem Comentários

12/09/2018

Foi preso na tarde desta quarta-feira (12), um homem, de 35 anos, ao se passar por policial civil e apresentar um documento falso na embaixada dos Estados Unidos, em Brasília. Conforme a Polícia Civil do Distrito Federal, D.C.M.C. tentava o visto de entrada no país norte-americano, como turista. Acompanhado da mulher e de dois filhos, o homem foi descoberto durante a entrevista presencial. A segurança da embaixada desconfiou do documento apresentado e chamou a polícia. O delegado responsável disse que ao conferir os dados do documento com a Segurança Pública do estado de Goiás, a pasta negou que D.C. fosse policial. O suspeito foi detido na saída da embaixada. O homem está preso na carceragem da 1ª Delegacia de Polícia, na Asa Sul, em Brasília. A mulher e os filhos foram liberados. Ao ser preso, o sujeito teria confessado a falsificação do documento, segundo a Polícia Civil do DF. “Ele disse que estava sendo ameaçado de morte e, por isso, precisava sair do país”. Na delegacia, o suspeito permaneceu calado. Conforme as investigações, o falso agente trabalhava como motorista de transporte privado por aplicativo, em Trindade (GO). Ainda não se sabe se o falso policial usou o documento para obter vantagens.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Após aplicar golpe em São José, casal é preso em flagrante em casa em Balneário Camboriú

Sem Comentários

12/09/2018

A Polícia Civil, por meio da SIC (Serviço de Informação ao Cidadão) da 1ª Delegacia de Polícia de São José, prendeu em flagrante um casal na tarde da terça-feira (11), pelos crimes de posse irregular de munição e porte de documento falso. Conforme a polícia, a dupla era investigada pelo crime de estelionato. Usando um cartão de crédito pego de uma vítima de um golpe do bilhete premiado em São José, eles compraram uma TV de 32 polegadas e dois pares de tênis. Foi emitido um mandado de busca e apreensão na casa dos suspeitos, na avenida Brasil, em Balneário Camboriú. Foram encontrados a televisão e os tênis na residência, além de munições e objetos adquiridos com documentos falsos em nome de uma mulher, mas com fotos da suspeita.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: ND Online

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia Civil realiza operação para combater fraudes em Minas Gerais

Sem Comentários

13/09/2018

Nesta quinta-feira (13), a Polícia Civil de Minas Gerais realiza uma operação para prender uma quadrilha suspeita de movimentar mais de R$ 160 milhões em lavagem de dinheiro e em fraude processual. Estão sendo cumpridos mandados de prisão e busca e apreensão em Belo Horizonte, Contagem e Pará de Minas. Segundo informações do delegado responsável pelo caso, os crimes eram cometidos através da criação de cerca de 25 empresas, que aumentavam o capital social delas. Com o valor adquirido nos crimes, a quadrilha comprou imóveis de luxo. As investigações começaram há um ano atrás, em julho de 2017. A quadrilha está envolvida em crimes de fraude processual (R$ 16.500.000,00), lavagem de dinheiro (Aproximadamente R$ 150.000.000,00), falsidade ideológica, falsidade de documento público, falsidade de documento particular, estelionato, uso de documento falso, dentre outras condutas criminosas. A operação denominada “Apate” remete à mitologia grega. Apate era um espírito que personificava o engano, o dolo e a fraude.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: R7

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Africano é detido no Aeroporto do Recife ao tentar embarcar para Europa com passaporte de outra pessoa

Sem Comentários

12/09/2018

No Aeroporto Internacional do Recife/Gilberto Freyre, na Zona Sul da capital, um africano foi detido pela Polícia Federal (PF) por fraude na utilização de um passaporte. Natural do Congo, o homem, de 38 anos, tentava embarcar para Lisboa, em Portugal, com um documento francês expedido em nome de outra pessoa. O estrangeiro se apresentou como eletricista e disse que morava no Brasil há um mês, sem residência fixa. A fraude foi descoberta quando os agentes federais que atuam no aeroporto detectaram que a foto do passaporte não tinha semelhança com a fisionomia do passageiro. Por isso, ele foi chamado para se submeter a uma comparação de assinaturas. Ao escrever o nome em um caderno, ficou constada a diferença com o registro feito no documento. A ação da PF ocorreu no domingo (90), mas foi divulgada na manhã desta quarta-feira (12). Levado para a sede da PF, na área central do Recife, o africano foi autuado pelo crime de falsa identidade.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Grupo tenta fazer compras com cartões clonados e vai parar na DP

Sem Comentários

06/09/2018

Na noite dessa quarta-feira (05), cinco pessoas foram detidas após tentarem fazer compras utilizando cartões de crédito clonados e documentos falsos, no hipermercado Extra, na Asa Norte. Durante a abordagem aos suspeitos, a Polícia Militar encontrou duas identidades falsas e sete cartões clonados. O grupo era composto por três homens e duas mulheres, e foi levado à 5ª Delegacia de Polícia (Área Central). Na DP, um dos rapazes, de 22 anos, e uma jovem, de 22, foram autuados em flagrante por uso de documento falso. Os outros três suspeitos foram liberados. O jovem disse que havia comprado o documento em uma feira, em Ceilândia. A comparsa dele disse ter ciência de que o documento era falso e que havia sido levada pelo resto do grupo para fazer compras. Todo o material foi apreendido.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Jornal de Brasília

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Faxineira é presa com mais de 100 documentos falsos em Sorocaba

Sem Comentários

05/09/2018

Em Sorocaba (SP), na tarde desta terça-feira (04), uma faxineira de 41 anos foi presa por uso de documentos falsos. Na casa dela, a polícia encontrou mais de 100 identidades falsificadas e a suspeita é que ela usava os documentos para conseguir crédito em bancos virtuais. Segundo a Polícia Civil, a foto da suspeita aparece em oito identidades, todos com nomes diferentes. No momento da abordagem, a mulher apresentou um documento falso aos policiais e, em buscas pela sua residência, a polícia também encontrou um cadastro com mais de 60 mil dados pessoais em um pen drive. A suspeita da polícia é de que esse banco de dados era usado para falsificar os documentos, como RGs e carteiras de habilitação. Com isso, a mulher solicitava os cartões de crédito para bancos virtuais. Duas máquinas de cartão também foram apreendidas. Em uma primeira análise dos documentos, pelo menos 20 boletins de vítimas já foram encontrados com empréstimos que chegam a R$ 47 mil. O uso de documento falso é considerado crime com pena de até seis anos de prisão. Todos os nomes que estão nas identidades serão investigados. A polícia busca saber se essas pessoas são vítimas ou se possuem envolvimento no esquema. Ela já tem passagens por tráfico de drogas, receptação e estelionato. A suspeita passou pela audiência de custódia nesta quarta-feira (05) e teve sua prisão em flagrante convertida em prisão preventiva.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior