Polícia prende maior falsificador de documentos de MT

Sem Comentários

18/01/2018

Considerado um dos maiores falsificadores de documentos em Mato Grosso, que atende criminosos que usam papeis públicos para prática diversa de estelionato, foi preso na quarta-feira (17),pela Delegacia Especializada de  Roubos e Furtos (Derf), da Polícia Judiciária Civil de Rondonópolis (212 km ao Sul). A prisão ocorrida no bairro Vila Mineira, em Rondonópolis, culminou na descoberta de um verdadeiro escritório do crime. No local foram apreendidos impressoras, notebooks, computador de mesa, perfurador de placas de veículos, rolo em branco de papel de talão de água, monitor de TV, fichas de empresas, balanças de precisão,  folhas de cheque em branco, documentos pessoais, blocos de atestados médicos, documentos de veículos, registros de prontuários médicos, cadastros de pacientes, fotografias 3×4, cédulas de documentos (RG, CNH), entre outros. O falsificador usava documentos falsos para autenticar procurações em cartórios. Eles foi descoberto depois de uma informação na Delegacia, sobre um homem que tentava autenticar uma procuração em um cartório da cidade. O suspeito foi autuado em flagrante por falsificação de documentos públicos e particular.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Folhamax

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Golpistas miram comércio

Sem Comentários

18/01/2018

Donos de lojas de Rio Preto viraram alvos preferenciais de uma onda de golpes aplicados por estelionatários vindo de outras regiões e até de outros estados. Com documentos falsos e cartões de crédito clonados eles fazem grandes compras, desaparecem e deixam para trás prejuízo. Segundo a Polícia Civil, antes de aplicar os golpes, os estelionatários abrem empresas de fachada com documentos falsos ou furtados. Com o CNPJ conseguem cartões de crédito, empréstimos e talões de cheque. Com isso em mãos, escolhem as lojas e empresas para aplicar os golpes pessoalmente ou por meio da internet. Os truques são usados para comprar e até para conseguir empréstimos em lojas de departamento. O delegado coordenador da DIG, afirma que os estelionatários sempre pedem parcelamento e solicitam 30 dias para o primeiro pagamento. Fornecem endereço de uma casa vazia, alugada com nome falso, só para receber as mercadorias, depois desaparecem sem pagar a locação. Em alguns casos, usam residências de laranjas. “Esse tempo eles usam para receber a mercadoria e depois desaparecer. Sempre fornecem endereço falso de entrega ou dão desculpa para pegar direto na transportadora. Somem depois de receber o produto em mãos”, explica. Na semana passada, uma fabricante de semi joias procurou a DIG depois de sofrer dois golpes e acumular R$ 11 mil em prejuízo. Nos dois casos, os estelionatários usaram nomes diferentes para fazer as compras. “Foi com base na pista deste caso que conseguimos prender a quadrilha em Uberlândia, que tinha uma mulher da cidade e mais dois homens de Ituiutaba. A equipe ficou de campana no lugar indicado para entrega da mercadoria e deu voz de prisão assim que eles receberam os produtos”, explica o delegado. Há também os golpistas que agem sozinhos ou em dupla, como foi na prisão de um casal detido com diversos documentos falsos e cartões clonados, após tentarem fazer grande compra em uma loja. Com a mulher foram apreendidos sete RGs com nomes, data de nascimento e locais de nascimento diferentes. Com o homem foram encontrados mais dois RGs falsificados. Para dar autenticidade, em cada documento ela usava uma foto com roupa diferente. Com esses documentos eles já tinham conseguido abrir conta em banco e estavam com seis cartões de crédito. O delegado ficou impressionado com a quantidade de documentos falsificados e a facilidade que os golpistas têm para conseguir abrir contas. “Só depois que mostramos os documentos encontrados eles admitiram falsidade ideológica.”  O diretor da Associação Comercial de Rio Preto (Acirp) afirma que os funcionários de crediários de lojas deveriam passar por treinamento para evitar os golpes. “O pessoal precisa fazer um cadastro bem detalhado antes de autorizar a venda. Na maioria das vezes, ficam com receio de pedir o RG e o comprovante de residência e o cliente ir embora, mas isso pode evitar que a empresa possa ser alvo de estelionatários”, afirma.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Diário da Região

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Casal é detido suspeito de fazer compras com documentos falsos

Sem Comentários

15/01/2018

Um casal foi preso ao tentar fazer compras usando documentos falsos em uma loja de departamento em São José do Rio Preto (SP). Conforme o boletim de ocorrência, a mulher teria apresentado o documento de outra pessoa para comprar eletrodomésticos. Enquanto o casal saia da loja, o sistema da empresa teria identificado a fraude. Funcionários impediram a saída dos suspeitos e entraram em contato com a polícia. Assim que chegou ao local, a equipe encontrou com a suspeita uma carteira de motorista, cinco carteiras de identidade e um cartão de crédito bancário. Todos os documentos eram falsos. O homem que estava com ela fugiu do local, mas foi localizado em um bairro de Rio Preto. Com ele, os policiais encontraram outras duas carteiras de identidade, um talão de cheques falso e um cartão de loja. Questionados pela equipe da corporação, eles confessaram que conseguiram os documentos em Barretos (SP). A dupla foi presa em flagrante e levada para a delegacia da cidade.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Presidiário foragido do Pará é preso com documentos falsos e 133 chaves para arrombar casas, no AM

Sem Comentários

10/01/2018

Chaves michas usadas para abrir cadeados, portas e portões foram encontradas com o foragido.

Um presidiário foragido do Pará há quatro anos foi preso, na noite dessa terça-feira (09), em Manaus. A.C.S., de 30 anos, é suspeito de realizar série de furtos, roubos, traficar drogas e falsificar documentos. Mais de 130 chaves micha foram apreendidas com ele. A polícia diz que elas seriam usadas para arrombar imóveis. O homem era considerado fugitivo desde 2014, onde cumpria pena por tráfico de drogas e associação para o tráfico, além de responder por sete processos criminais na justiça paraense. O foragido foi preso pela equipe do 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP), por volta das 20h, na Zona Leste. Segundo o delegado responsável, A.C.S. é suspeito de furtar na região do bairro Flores. “Ele apresentou uma identidade, que aparentemente era original. Policiais checaram o documento e encontraram inconsistências nas informações. Foi realizada busca na residência e encontramos uma Carteira de Habilitação com foto dele, mas com nome de outra pessoa. Ele estava usando documentos falsificados”, explicou. Com o foragido foram apreendidas 133 chaves michas usadas abrir fechaduras, uma balança de precisão, Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e Carteira de Identidade falsificadas. Um caderno com anotações de tráfico de drogas foi achado pela polícia, que identificou que o presidiário teria movimentado grande volume de dinheiro na compra e venda de entorpecentes. Em depoimento à polícia, ele confirmou envolvimento com o tráfico e costumava enviar drogas para Santarém (PA). Um documento mostra o envio de 2 milhões de pesos colombianos para compra de drogas. “Junto com a associação criminosa que ele fazia parte, eles realizavam furtos em diversos locais da capital. O sujeito já tem condenação no Pará por tráfico e associação. Aqui no Amazonas ele já foi condenado por roubo e responde a diversos furtos. Tem um homicídio que é atribuído a ele. Ele teria matado uma pessoa que furtou uma loja que ele possuía”, afirmou o delegado. Outros dois suspeitos de integrar a quadrilha já estavam presos. A.C.S. foi autuado por falsidade ideológica e uso de documento falso.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Motorista é preso após apresentar CNH falsa

Sem Comentários

10/01/2018

Foi preso nesta terça-feira (09), um homem, de 36 anos, suspeito de apresentar à Polícia Rodoviária Federal (PRF) uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) falsa. A abordagem aconteceu na Unidade Operacional de Uruaçu, na BR-153. Em depoimento, o homem informou que pagou a quantia de R$2.000 pelo documento. Além disso, ele confessou que nunca tentou obter a sua habilitação pelas vias normais, ou seja, junto ao DETRAN. O motorista foi levado para a delegacia de Polícia local onde poderá responder por uso de documento falso.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: DM

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem indiciado 34 vezes por estelionato e furto é preso após aplicar novos golpes em Piracicaba

Sem Comentários

09/01/2018

Na tarde desta terça-feira (09), um homem, de 40 anos, foi preso após admitir à Polícia Civil que entregou cheques sem fundo para pagar duas farmácias de Piracicaba (SP). Conforme a corporação, ele já foi indiciado outras 34 vezes por estelionato ou furto. Um outro suspeito, que estava com o preso, conseguiu fugir. O homem foi seguido por um policial civil que viu ele saindo de uma farmácia com sacolas na mão. Como ele é conhecido pelos crimes de estelionato, o policial suspeitou que estivesse aplicando outro golpe. O policial o seguiu até uma galeria no bairro Cidade Alta. Lá, a Polícia Civil o abordou e questionou sobre as sacolas. O suspeito, então, admitiu que deu cheques sem fundo em duas farmácias da mesma rede durante o dia. Os policiais encontraram dois talões com o homem e apreenderam as mercadorias.

Tentativa de suborno

O suspeito ainda sugeriu à equipe um “acerto” para liberá-lo. O caso foi registrado na Unidade de Polícia Judiciária (UPJ) e o homem responderá por estelionato, uso de documento falso e falsidade ideológica, além de corrupção ativa, já que tentou subornar os policiais. Ele ficou encarcerado e será encaminhado para uma unidade prisional até a audiência de custódia.

Esquema de estelionato usava dados de aposentados analfabetos para fraudar empréstimos no Marajó

Sem Comentários

04/01/2018

Nesta quinta-feira (04), um esquema de estelionato foi flagrado em Breves, na Ilha do Marajó, pela operação “Loba Mau”, da Polícia Civil. O crime envolvia uma agência bancária e teve como vítimas aposentados, cujos dados pessoais foram usados ilegalmente para realização de empréstimos consignados indevidos que eram descontados nos contracheques. Um vasto material foi apreendido. Nenhum suspeito do crime foi preso até o momento. A equipe de policiais civis da Superintendência Regional do Marajó Ocidental, deu cumprimento a mandado de busca e apreensão na sede da empresa, localizada no bairro Centro de Breves. Durante a buscas, foram apreendidos computadores e documentos. Os policiais encontraram dezenas de documentos pessoais de aposentados, cartões de créditos e respectivas senhas, além de muitos contratos celebrados por pessoas analfabetas em que constavam somente as firmas a rogo dos contratantes e/ou somente as digitais deles. As investigações foram iniciadas há meses após os registros de boletins de ocorrência sobre o crime supostamente praticado por representantes da empresa. Os computadores foram remetidos ao Centro de Perícias Científicas Renato Chaves em Belém e as documentações apreendidas passarão por análises da equipe de analistas.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior