Estelionatário se passa por colega de trabalho e mulher perde mais de R$ 1.500 em golpe

Sem Comentários

20/11/2019

Uma mulher de 56 anos foi vítima de estelionato, após sofrer um golpe por meio de um aplicativo de troca de mensagens, nesta segunda-feira (18), em Presidente Prudente. A mulher contou que recebeu uma mensagem no aplicativo, no qual o autor se passava por um colega de trabalho de seu esposo. O homem pediu que ela fizesse uma transferência bancária no valor de R$ 1.560, informando os dados da conta que seria beneficiada. A mulher realizou a transferência da quantia solicitada, no entanto, pouco depois, o autor voltou a pedir mais dinheiro, desta vez, R$ 1.550. Neste momento, ela desconfiou de que poderia estar sendo vítima de um golpe. De acordo com a ocorrência, ela ligou para o verdadeiro colega de trabalho de seu esposo, que informou que não havia sido ele o autor do pedido, pois seu número de celular havia sido clonado e ele havia registrado o fato na Delegacia Civil de Regente Feijó, município onde trabalha. A vítima ainda informou que o estelionatário tentou aplicar o golpe em seu esposo, mas não concluiu a conversa pelo aplicativo nem chegou a mencionar valores.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Fintech é nova estrela de golpe em aplicativo de mensagens

Sem Comentários

01/10/2019

Um novo golpe que menciona uma Fintech circula atualmente em um aplicativo de troca de mensagens. A mensagem oferece convites para um novo cartão de crédito, com limite de R$ 12 mil, sem consulta aos órgãos de proteção ao crédito. A mensagem termina com uma URL que, ao ser acessada, pode instalar malwares no computador ou no celular do potencial cliente — atente-se para o fato de que ela não é um endereço atrelado a Fintech. Além disso, é provável que peça seus dados pessoais para usá-los de forma criminosa. Sempre que receber esse tipo de mensagem, desconfie. Aqui, incluem-se quaisquer outras promessas, como as que frequentemente envolvem o nome de O Boticário, por exemplo. Sempre procure informações sobre a oferta diretamente com o banco ou instituição que supostamente a está concedendo.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: OlharDigital

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.