Nordeste teve R$ 14 milhões em fraude evitadas no 1º trimestre

Sem Comentários

22/07/2014

Nos três primeiros meses do ano a região Nordeste teve 18.889 fraudes evitadas em compras online, totalizando R$ 14,6 milhões no período. Destaca-se a procura dos fraudadores por telefonia celular: nesse segmento, 13,6% das compras realizadas foram identificadas como fraude e dessa maneira a transação criminosa foi evitada. Itens de Informática ficaram em segundo lugar com 10,8%; seguido por games, com 10,7%. Itens de beleza representaram 7,9% e em último lugar, itens automotivos, com 6,1% de compras de má fé evitadas. A média geral da região foi de 4,6%. Forma de pagamento favorita do consumidor, o uso do cartão de crédito deve ser acompanhado de perto. Sempre é aconselhado o monitoramento do extrato no momento das compras, confirmando valores e pedidos efetuados. Outro ponto que deve ser levado em conta, é a confirmação da compra feita por telefone, especialmente nos pedidos de alto valor. Em caso de ligação, é importante averiguar a idoneidade da empresa, confirmando os dados da transação, informações disponíveis apenas por ela.

1 em cada 4 brasileiros já foi vítima de fraude com cartão de crédito na web

Sem Comentários

21/07/2014

Uma pesquisa sobre segurança em transações eletrônicas feita em 20 países, revelou que é mais seguro comprar pela internet no Brasil do que nos Estados Unidos. Mesmo assim, 30% dos consumidores brasileiros ainda são vítimas dos golpistas. As compras com cartões pela internet já colocaram o Brasil em 4º lugar na lista de países com o maior número de fraudes. Os cartões com chip tornaram quase impossível a clonagem e com o investimento em tecnologia, o Brasil já caiu para a 8ª posição no ranking. Os primeiros da lista são os Emirados Árabes, em segundo lugar, a China e Índia e Estados Unidos na terceira posição. Mas 30% dos brasileiros que compram pela internet ainda são vitimas de fraude. Os bandidos continuam roubando dados para fazer compras em nome do consumidor. “Se executa através de vírus, que se instala no celular, e quando você estiver utilizando internet banking você pode ser vítima de uma fraude porque não se preocupa ou não tem como se defender desse vírus”, explica um consultor de segurança eletrônica. Muitas vezes os criminosos chegam a entrar em contato com a vítima antes de completar o golpe. A ideia é confirmar os dados que já estão em poder dos golpistas. Uma analista de RH passou por essa situação. “Recebi uma ligação à noite, da central de relacionamento do meu banco, e eles já tinham todos os meus dados. No dia seguinte, minha conta estava zerada”, conta. Para diminuir o prejuízo, uma credenciadora de cartões investe em monitoramento do comportamento de compras do consumidor e de vendas das lojas credenciadas. “Costumo fazer compras em um certo valor, depois começo a fazer diversas compras, através da internet, com valor totalmente diferentes que costumo fazer. A partir do momento que a análise é feita, é direcionado ao banco, que toma as devidas providências”, diz um membro do Comitê Prevenção Fraudes/ABECS. Para o consultor de segurança eletrônica, que é especialista no assunto, ter um bom antivírus não basta. “Esse é outro hábito de risco, você pegar contas bancárias, ou extrato do cartão e jogar no lixo sem destruir, os fraudadores pagam para coletar informações e utilizam para fraudes”. A analista de RH recebeu o dinheiro de volta e aprendeu a lição. “O mais engraçado é que eu acho que eles têm o mailing (lista de correio, banco de dados que reúne nomes, endereços e dados adicionais de consumidores) das pessoas que caem no trote, porque depois continuaram me ligando e com a mesma história: fazer upgrade da conta, melhores condições, não, não tenho interesse, obrigada. Já me ligaram quatro ou cinco vezes”.

Golpe na internet usa mensagem sobre Enem para enganar usuários

Sem Comentários

18/07/2014

Um golpe virtual envolvendo o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) está circulando pela internet. Ele visa roubar dados das pessoas ou instalar programas maliciosos nos computadores através de um e-mail, que é enviado para os inscritos no exame. “Identificamos que ocorreu um erro na emissão do cartão de inscrição do candidato com o email @radiobras.gov.br cadastrado em nosso sistema, podendo resultar no cancelamento de sua inscrição em até 48 horas. Evite o bloqueio do seu cadastro pois o Enem é a única forma de ingresso para 2015 em faculdades públicas, requisições para PROUni, Fies e outros programas aos quais o Governo Federal oferece a população”, consta no e-mail. No caso em questão, algumas divergências podem causar estranhamento ao destinatário do e-mail, como o uso do endereço eletrônico da Radiobras, empresa extinta que deu lugar à Empresa Brasil de Comunicação (EBC) em 2007. Além disso, a assessoria do Ministério da Educação negou que tenha enviado a nota oficial nº 12838-2014, como consta na mensagem, e confirmou que trata-se de um e-mail falso. Como em diversos e-mails, cujo objetivo é se apropriar de dados de terceiros, os golpistas pedem que as pessoas preencham um formulário com seus dados ou de parentes. O texto mostra isso claramente: “Preencha manualmente o recadastramento passo a passo e normalize já sua situação (repare que algum parente pode ter usado seu email para cadastro de informações). Segue abaixo o link para consulta e regularização do seu cadastro.” Golpes parecidos com esse são frequentes na internet, principalmente pela curiosidade que essas mensagens despertam nas pessoas. O ideal é ficar atento, instalar antivírus no computador e não abrir e-mails considerados suspeitos.

Mãe e filho são presos por golpe para comprar tênis e celulares na internet

Sem Comentários

10/07/2014

Foram presos em Salvador mãe e filho, suspeitos de aplicar um golpe para fazer compras na internet em nome de outras pessoas. Segundo a polícia, aproximadamente 720 e-mails foram enviados para as vítimas do estelionato com propagandas falsas que, ao serem abertas, infectava os computadores e os dados eram hackeados. A operação foi realizada pelo Grupo Especializado de Repressão aos Crimes por Meios Eletrônicos (GME), na quarta-feira (09). O suspeito hackeava as contas de sites de compras das vítimas e capturava as senhas e o login para compra de equipamentos eletrônicos, como celulares, roupas e tênis, que eram recebidos na casa da mãe dele, situada no bairro de Alto de Coutos, em Salvador. A denúncia, de acordo com o GME, foi feita por uma das vítimas que teve a conta da empresa invadida pelo hacker e um aparelho celular foi comprado. Após a denúncia, a polícia fez um monitoramento da residência durante cinco dias e identificou o celular comprado sendo entregue pelos Correios na casa da mãe do suspeito. Depois de receber o produto, ela foi presa em flagrante e informou à polícia que a compra teria sido realizada pelo filho. O jovem também foi autuado em flagrante, dentro de casa, enquanto realizava outras compras na internet em nome de terceiros. Com eles foram apreendidos quatro celulares, um tablet, fones de ouvido, cabo USB e carregadores. Um analista de sistemas também está sendo investigado sob suspeita de vender os programas que fazem a quebra das senhas para o suspeito, o que teria facilitado a invasão no sistema. A mãe foi levada para a Delegacia Especializada de Repressão a Crime Contra Criança e Adolescente (Derca) e o filho foi conduzido para a 1ª Delegacia de Polícia, onde estão à disposição da Justiça.

Golpe virtual com falsos boletos bancários infecta 192 mil PCs. Brasil está incluído

Sem Comentários

02/07/2014

Uma investigação conjunta entre as polícias federais do Brasil e dos Estados Unidos (FBI), resultou na descoberta de uma quadrilha de criminosos virtuais. Eles conseguiram infectar cerca de 192 mil PCs pelo mundo, incluindo o Brasil, e praticavam uma fraude que envolvia o uso de boletos bancários. Os maiores bancos brasileiros se viram envolvidos no golpe, sendo que 34 instituições financeiras pelo mundo tiveram seus nomes usados. A fraude envolveu o uso de quase meio milhão de boletos falsos, que eram distribuídos a partir de um vírus que infectava os computadores. Esses documentos falsos tinham um valor total de mais de R$ 8,5 bilhões. Para aplicar o golpe, os criminosos usavam e-mails falsos que sinalizavam supostas cobranças ou mensagens que induziam o usuário a visualizar fotos. Ao clicar nestes arquivos, o vírus era instalado no PC e passava a monitorar a movimentação do usuário à distância. A partir daí, toda vez que um código de barras do boleto (impresso) era digitado no internet banking da vítima, o vírus – batizado de Bolware – detectava a movimentação e trocava o número que identifica a conta corrente da empresa a receber o valor pela conta da quadrilha no Brasil. O internauta não consegue visualizar a fraude, já que o malware esconde o código alterado até a confirmação do pagamento. Só depois o código aparece, mas, então, já não há mais tempo para interromper o processo. Uma empresa norte-americana de segurança, afirmou que o vírus não acessa a conta corrente da vítima, nem o sistema de geração de boletos das lojas. Todo o golpe é feito na transmissão de dados do PC contaminado. No entanto, compras online com boletos gerados pelas próprias lojas também podem ser afetados. Para evitar cair em fraudes do gênero, é recomendável evitar e-mails de origens desconhecidas, links suspeitos em redes sociais e, claro, mantenha suas soluções de segurança devidamente atualizadas.

Presos irmãos suspeitos de falsificação de documentos e tráfico de drogas em BH

Sem Comentários

27/06/2014

Um casal de irmãos foi preso na tarde desta sexta-feira (27), suspeitos da prática de tráfico de drogas e falsificação de documentos em Belo Horizonte. Com eles, foram encontrados drogas, documentos fiscais, folhas de cheques, carteiras de identidade, máquinas para utilização de cartão de crédito, entre outros objetos que seriam utilizados para aplicar golpes na capital e região metropolitana. A dupla chegou a resistir à prisão durante as buscas na residência. Conforme a Polícia Civil, o rapaz tomou um celular da mão de um dos investigadores e atirou no telhado. Ele também tentou se desvencilhar da equipe e reagiu com violência à abordagem. Já a irmã chegou a ameaçar os policiais com um objeto pontiagudo, mas foi contida. No telhado da residência foram encontradas porções de maconha e cocaína. Talões de cheques, cartões bancários e outros documentos foram descobertos dentro de uma sacola plástica, jogada na casa do vizinho. Dentro da casa, a Polícia Civil encontrou mais quantidade de droga, uma balança de precisão, documentos fiscais, contas, além de folhas de cheque, correspondência bancária em nome do suspeito, notebook com “espelhos” de cartão de crédito e débito, carteira de identidade, máquinas para utilização de cartão de crédito e chips de telefonia móvel. Uma homepage falsa de um banco também foi encontrada. De acordo com os investigadores, os irmãos usavam a ferramenta para obter dados pessoais e bancários das vítimas.

Hackers usam ingressos da Copa para aplicar golpe

Sem Comentários

05/06/2014

Mais um golpe envolvendo ingressos da Copa do Mundo está sendo utilizado como isca por hackers na aplicação de uma falsa promoção virtual. O alerta foi feito por uma empresa de segurança nesta quinta-feira (05). De acordo com a companhia, o golpe é enviado por e-mail em nome do Ingresso.com, serviço online que comercializa entradas para shows e eventos, e promete sortear entradas para os jogos. Em seu site, a Ingresso.com publicou um aviso dizendo que não está sorteando ingressos para a Copa do Mundo e que correspondências sobre o assunto em nome da companhia são falsos. Além disso, os e-mails enviados por eles “nunca trazem arquivos executáveis, anexos ou link para download. Todos têm links diretos para os nossos site ou sites parceiros”. Segundo a empresa de tecnologia, o e-mail traz informações pessoais do destinatário como nome, endereço e data de nascimento. Na mensagem, há um link que, supostamente, baixará um formulário para ativação da promoção. No entanto, um trojan (cavalo de tróia) é instalado ao realizar esta ação. Diferente dos golpes convencionais, esse é difícil de de reconhecer pois trazem informações reais das vítimas. A partir disso, o usuário poderá ter suas informações bancárias roubadas por criminosos virtuais. 

Anterior Próximo