Homem é preso por estelionato em Solânea

Sem Comentários

24/03/2016

Na tarde da quinta-feira (23), a Polícia Civil da cidade de Solânea, no Brejo paraibano, prendeu em flagrante, um microempresário acusado da prática de estelionato. A prisão se deu após a comprovação que ele utilizava dados de outras pessoas para adquirir cartões de créditos e realizar compras. Foram apreendidos com o acusado vários cartões de crédito em nome de terceiros, além de papéis com anotações de números de cartões e documentos pessoais das vítimas.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: PBAgora

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Um terço dos consumidores brasileiros já sofreu fraudes on-line

Sem Comentários

21/03/2016

O comércio eletrônico brasileiro teve um faturamento de R$ 41,3 bilhões em 2015, o que representou um crescimento de 15,3% na comparação com 2014, quando o setor movimentou R$ 35,8 bilhões, de acordo com uma empresa de segurança on-line. Isso mostra que os usuários estão comprando mais on-line e isso também pode trazer riscos, como fraudes. Uma pesquisa realizada por uma empresa especializada em segurança digital, mostra que esse tipo de técnica já chegou a atingir 28% dos consumidores que fazem compras pela internet no Brasil – 70% das vítimas de fraudes on-line tiveram mais de R$ 150 debitados de seus cartões e esse valor ultrapassou R$ 500 com 34% das vítimas. Com a consolidação da migração para cartões com chip, a tendência é os fraudadores se concentrarem no comércio eletrônico – já que os esquemas de clonagem de cartões com tarja tendem a diminuir, segundo a empresa. A pesquisa aponta, ainda, que 69% dos entrevistados compraram produtos ou serviços on-line mais de cinco vezes por mês e 64% já compraram em sites estrangeiros. Apesar disso, apenas 12% dos entrevistados são considerados consumidores intensos (que realizam mais de 15 operações por mês), e a maior parte deles tem entre 18 e 24 anos de idade.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: It Forum 365

Fique ligado. Dicas do BrSafe para evitar essa modalidade de fraude.

As principais tendências de fraude no e-commerce para ficar de olho

Sem Comentários

17/03/2016

O comércio eletrônico expandiu muito nos últimos anos, mesmo assim, uma das maiores preocupações do setor são as fraudes. Segundo dados de uma empresa de tecnologia, especializada em soluções antifraude, só em 2015 foram detectadas 704.133 transações indevidas no Brasil. Esse número corresponde a R$ 476.509.146,72 em perdas evitadas. Para 2016, os consumidores devem continuar tendo cuidado com as compras realizadas pela internet, mas atentos, principalmente, com três tendências mais esperadas para serem vistas ao longo do ano. De acordo com o Diretor de Operações da empresa, cada vez mais os roubos de dados e falta de preocupação com a segurança com as informações por parte de consumidor serão usados na invasão de contas em lojas virtuais. “O usuário brasileiro geralmente usa a mesma senha em todos os e-commerces que tem o costume de comprar. Desta forma, uma vez capturados, os dados permitem o acesso em diferentes lojas virtuais”, explica. Esse tipo de golpe é muito difícil de ser barrado, pois os criminosos conseguem muitas informações corretas das vítimas, sendo que com login e senha fica fácil descobrir até o número de cartão de crédito. Já as fraudes bancárias devem ser facilitadas por conta dos aplicativos e serviços mobile. Muitas instituições oferecem para os correntistas a opção de usar o celular como token para autorização de transações bancárias. Através de documentos falsos, o fraudador informa à operadora da vítima que sofreu a perda ou roubo do aparelho e com um novo chip consegue receber os códigos de autorização. “Com o aumento do número de smartphones no Brasil, é normal que os fraudadores queiram acompanhar esse crescimento e por conta disso, se aprofundar cada vez mais nos golpes”, afirma o Diretor de Operações. Além disso, o setor já está preparado para um futuro aumento nos índices de fraude. A crise econômica também está afetando o e-commerce, por isso as vendas tendem a cair, mas a aplicação de golpes não. “Se antes eram registradas 100 tentativas a cada mil transações, o percentual de fraudes era de 10%. Se o número cai para 500 compras, o índice automaticamente sobe para 20%”, exemplifica o executivo.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Olhar Digital

Fique ligado. Dicas do BrSafe para evitar essa modalidade de fraude.

Fraudes e malwares mais sofisticados tornam cenário de segurança ainda mais complexo

Sem Comentários

15/03/2016

Ao que parece, 2016 tem tudo para ser mais um ano de crescente complexidade e evolução das fraudes eletrônicas. Na visão de uma empresa de tecnologia, os ataques serão cada vez mais sofisticados, hackers começarão a usar a dark web para hospedagem e haverá verdadeiros surtos de malware. A provedora relacionou seis principais previsões e explica porquê incluiu cada uma delas. Confira.

1. A Dark Web será mais utilizada para ciberataques

O APWG (Anti-phishing Working Group) estima que o tempo médio de desativação de um ataque de phishing é de cerca de 34 horas para ataques hospedados na Internet visível (ou de superfície). Com a migração da hospedagem de ataques de phishing para a dark web, as organizações levarão muito mais tempo para desativar as ameaças, se é que serão capazes de encontrar a fonte.

2. A invasão de contas de e-mail corporativo será mais comum

O número recorde de credenciais roubadas e a reutilização generalizada de senhas estimula a invasão de e-mails corporativos em 2016. Segundo o FBI, empresas em todo o mundo perderam mais de 1 bilhão de dólares entre outubro de 2013 e junho 2015 com esquemas de fraude em contas corporativas. Esses esquemas usam e-mail de alguém de dentro da organização para enganar as empresas e levá-las a transferir grandes somas de dinheiro para contas fraudulentas.

3. A adoção do EMV nos Estados Unidos impulsionará a fraude com cartão-não-presente

Em 2016, com a consolidação da migração para cartões com chip em grandes mercados, como Estados Unidos, a tendência é que os fraudadores se concentrem ainda mais no comércio eletrônico e que essa atuação atinja diversos mercados, como o Brasil.

4. Crescimento da fraude com identidade sintética

A fraude com identidade sintética ocorre quando um fraudador combina informações pessoais de vários indivíduos com dados falsos para criar uma nova identidade, que será usada para abrir contas e solicitar cartões de crédito. O grande volume de informações pessoais roubadas em invasões aos sistemas de empresas levará a um crescimento desse tipo de fraude em 2016.

5. A escala e o sucesso do esquema de hacking contra a JPMorgan Chase inspirarão novos ataques

As informações pessoais de mais de 83 milhões de contas do JPMorgan roubadas por hackers em 2014 foram utilizadas por um grupo de pessoas que lucrou dezenas de milhões de dólares com o esquema, uma complexa operação para manipular preços de determinadas ações de empresas de capital aberto. A escala e sofisticação desse ataque mostram que não há limites para a capacidade e a criatividade dos hackers, e essas operações de hacking de larga escala serão mais comuns em 2016.

6. A democratização de programas maliciosos levará a verdadeiros surtos de malware

Há dez anos, a maioria das ferramentas de hacking era de código fechado, desenvolvidas e mantidas por um pequeno número de hackers. No entanto, com a democratização do conhecimento, quando um software malicioso é democratizado ocorre um verdadeiro surto de códigos de malware e vazamentos de ferramentas de hacking para atividades criminosas, e a previsão é que essa tendência se fortaleça em 2016.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: CIO

Fique ligado. Dicas do BrSafe para evitar essa modalidade de fraude.

Janeiro registra mais de 150 mil tentativas de fraude, aponta Serasa

Sem Comentários

15/03/2016

Em janeiro de 2016 foram registradas 150.643 tentativas de fraude conhecida como roubo de identidade, em que dados pessoais são usados por criminosos para firmar negócios sob falsidade ideológica ou mesmo obter crédito com a intenção de não honrar os pagamentos. O número é equivalente a uma tentativa de fraude a cada 17,8 segundos no país.  O resultado representou queda de 2,8% em comparação a dezembro de 2015, quando registradas 155.056 tentativas, e queda de 10,8% em relação a janeiro de 2015, que registrou 168.944. Segundo os economistas da Serasa, o aprofundamento da recessão econômica e aumento do desemprego têm provocado diminuição do fluxo dos consumidores nas lojas, bancos etc. Com isso, diminuem-se as chances de os fraudadores obterem documentos pessoais, os quais são utilizados nas tentativas de fraudes. Embora o volume das tentativas tenha diminuído, esse patamar continua elevado.

Indicador

O segmento de Telefonia foi o único a apresentar alta em relação a dezembro de 2015, de 1,6%, totalizando 64.226 tentativas de fraude no mês de janeiro, 42,6% do total. Em relação a janeiro de 2015, no entanto, houve queda de 10,1%. O setor de serviços – que inclui construtoras, imobiliárias, seguradoras e serviços em geral (salões de beleza, pacotes turísticos etc.) – vem em segundo lugar com 47.212 registros em janeiro de 2016, equivalente a 31,3% do total. Em relação a janeiro de 2015, houve ligeira queda de 0,3%. O setor bancário foi o terceiro do ranking, com 26.389 tentativas, 17,5% do total. O setor observou queda de 24,2% em relação aos registros do mesmo mês no ano anterior. Já o segmento varejo registrou 10.559 tentativas de fraude contra o consumidor no período, 7,0% das investidas contra o consumidor no primeiro mês do ano. O número de tentativas de fraude do setor apresenta queda de 13,8% em relação a 2014. O ranking de tentativas de fraude de janeiro de 2016 é composto ainda por demais segmentos, que totalizaram 2.257 tentativas no mês (1,5% do total).

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Jornal Dia Dia

Fique ligado. Dicas do BrSafe para evitar essa modalidade de fraude.

Quatro são presos por aplicar golpe através de rede Wi-Fi na Bahia

Sem Comentários

10/03/2016

Quatro homens foram presos por aplicar golpes através da rede wi-fi e fazer transferências do dinheiro das vítimas para contas de terceiros. A prisão e os golpes estavam sendo realizados na cidade de Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia. Segundo a polícia, os homens fazem parte de uma associação criminosa que atua em todo país, hackeando contas bancárias e realizando fraudes financeiras. Os criminosos invadiam redes wi-fi de hotéis, shoppings, estabelecimentos comerciais e instalavam um programa de computador no roteador da internet. Quando as vítimas iam acessar a conta do banco, através do celular e dessa rede wi-fi, os dados eram capturados e o dinheiro das transações era roubado. A polícia ainda informa que a prisão ocorreu durante uma blitz de rotina no centro da cidade, na quarta-feira (09). Os policiais abordaram T.M.S., de 23 anos. No carro dele foram encontrados vários cartões de créditos de várias pessoas e comprovantes de transações bancárias. O homem confessou para a polícia que o material era utilizado em golpes financeiros e entregou os outros integrantes da quadrilha. “Ele se sentindo pressionado por tantas perguntas, não aguentou e informou que se tratava de crimes, de fraudes com cartões de créditos, contra as pessoas”, relatou o major da Polícia Militar, Fernando Leite. A.S., de 25 anos, e o pai dele, G.S., de 51 anos, foram presos em seguida. O último a ser preso foi P.R., indicado como o chefe da organização. Com a quadrilha foram apreendidos celulares, notebooks, comprovantes de transações bancárias, cartões, cheques e um revólver calibre 38 que, segundo a polícia, eram utilizados na fraude. A tecnologia auxiliava e facilitava a ação dos criminosos. Todos os presos foram levados para a sede da Polícia Federal, em Vitória da Conquista, e vão responder pelos crimes de furto, quebra ilegal de sigilo financeiro, interceptação ilegal de comunicações telemáticas e associação criminosa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Suspeitos de estelionato e furto são detidos em Ituiutaba

Sem Comentários

26/02/2016

Nesta quinta-feira (25), três pessoas foram detidas pela Polícia Militar (PM) de Ituiutaba (MG), sendo duas por suspeita de estelionato e uma por furto. As idades ainda não foram informadas. Conforme informações da PM, um dos suspeitos havia furtado a bolsa de uma mulher e os outros dois utilizaram o cartão de crédito da vítima e realizaram compras em estabelecimentos e um saque em uma agência bancária. Segundo a PM, uma mulher procurou a polícia para informar que estava sendo notificada com mensagens no celular sobre a utilização do cartão de crédito dela para compras em lojas da cidade. As compras realizadas chegaram a R$ 4 mil. Além disso, o cartão dela também foi utilizado para saque bancário, no qual foram subtraídos R$ 1.500. A vítima informou, ainda, que a bolsa dela havia sido furtada. A PM foi até as lojas onde o cartão havia sido utilizado e verificou as câmeras de segurança dos locais, sendo possível identificar que um homem e uma mulher efetuaram as compras. A polícia também identificou um veículo utilizado pela dupla. Diante disso, os militares foram até as casas dos suspeitos. Os dois foram encontrados, bem como parte dos materiais adquiridos e o dinheiro retirado em saque. Em seguida, a PM verificou as imagens de monitoramento do local de trabalho da vítima, onde a bolsa foi furtada. Nas imagens, foi possível reconhecer o indivíduo que furtou o material. Após diligências, o rapaz foi localizado e detido. Com ele, foram apreendidos R$ 690 e um aparelho celular.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior Próximo