Polícia prende estelionatário com 180 cartões de crédito na Fernão Dias

Sem Comentários

15/03/2018

Na noite desta quarta-feira (14), um homem de 29 anos foi preso com 180 cartões de crédito e débito na Rodovia Fernão Dias em Vargem (SP). O outro ocupante do veículo, que não teve a idade informada, foi liberado. A ação aconteceu por volta das 19h. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, na altura do Km 7, os policiais deram ordem de parada a um veículo e perceberam nervosismo da dupla. Na abordagem, uma sacola com os cartões foi encontrada, a maioria deles com a etiqueta de instruções para desbloqueio. Eles não explicaram a origem dos cartões e foram encaminhados à delegacia de Bragança Paulista. Os policiais civis realizaram consultas e com o primeiro cartão, foi verificada a existência de boletim de ocorrência criminal de extravio e uso fraudulento. Nele, havia o pagamento de uma compra e de uma viagem. O condutor do veículo, ao assumir que possuía os cartões, foi preso e responderá pelo crime de estelionato. Ele também tinha passagem pela polícia pelos crimes de roubo e tráfico de drogas.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Suspeito de estelionato é preso com 12 cartões de crédito em Caruaru, PE

Sem Comentários

08/02/2017

Na noite de terça-feira (07) em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, um homem de 23 anos foi preso suspeito de estelionato. Segundo a Polícia Militar, após receber informações do Núcleo de Inteligência do Agreste (NIA), policiais se dirigiram a uma casa que seria utilizado como ponto para venda de drogas no bairro Vila Andorinha. Ao chegar na residência a polícia apreendeu um revólver calibre 38, cinco projéteis, 12 cartões de crédito de diversos bancos e nomes diferentes, seis máquinas de cartões e um cachimbo com maconha. O suspeito foi conduzido a delegacia de Plantão. O homem de 23 anos foi autuado em flagrante.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Professor de Piracicaba perde R$ 16 mil em golpe do cartão de crédito

Sem Comentários

24/01/2016

Um professor de 53 anos foi vítima do golpe do cartão de crédito e perdeu R$ 16 mil em Piracicaba (SP). Ele procurou a Polícia Civil na tarde de sábado (23) e registrou denúncia de estelionato. Compras foram feitas em nome da vítima em diversos estabelecimentos da cidade por uma pessoa desconhecida, que roubou o cartão bancário dela na sexta (22). Ninguém foi preso. Segundo o boletim de ocorrência, o professor relatou à Polícia Civil que andava pela Rua Treze de Maio, no bairro Alto, quando um suspeito, aparentemente menor de idade, esbarrou nele e levou o cartão de crédito que estava no bolso de sua camisa. Com o objeto, o criminoso fez compras em vários locais.

Outro caso

Um médico de 46 anos também procurou a Polícia Civil de Piracicaba na tarde de sábado para denunciar um golpe de estelionato. O prejuízo foi de R$ 3 mil. Conforme a vítima, uma pessoa foi até a agência bancária onde ele é correntista, no dia 07 de janeiro, e sacou o valor em nome da vítima. O homem, porém, só notou a falta do dinheiro na quarta-feira (20). O médico disse ainda, em registro à polícia, que nunca perdeu a carteira de identidade e garantiu que não emprestou o cartão bancário a ninguém. O caso foi encaminhado para o 2º Distrito Policial (DP) de Piracicaba, onde será investigado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Dupla é flagrada em blitz no Cabula com dinheiro e cartões de créditos

Sem Comentários

24/09/2015

Dois estelionatários suspeitos de efetuar compras na internet com cartões de crédito de outras pessoas foram presos em flagrante no bairro do Cabula, em Salvador, de acordo com a Polícia Militar. Eles foram localizados durante uma blitz do Batalhão Especializado em Policiamento Turístico (Beptur), na Ladeira do Cabula, por volta das 16h50, na quarta-feira (23). Os suspeitos estavam em um veículo Citroen C4 de cor prata. Conforme a polícia, eles têm 32 e 20 anos – o mais velho já tem passagem pela polícia por assalto à mão armada. No flagrante, a polícia achou com os dois R$ 2.600 em dinheiro e informou que eles entraram em contradição a respeito da origem da quantia. Segundo a polícia, o celular de um deles foi revistado e foram encontrados vários números de cartões de crédito, com validade e códigos de segurança. A dupla confessou o crime. Os dois foram conduzidos à 11ª delegacia territorial, onde estão à disposição da autoridade competente.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia faz operação para prender 22 suspeitos de fraude na Baixada Fluminense

Sem Comentários

02/09/2014

Nesta terça-feira (02) o Ministério Público e a Polícia Civil fazem uma operação para prender 22 suspeitos de fraude na Baixada Fluminense. A ação no município de Mesquita visa a cumprir os mandados de prisão temporária para desarticular quadrilhas especializadas em fraude bancária, estelionato e agiotagem. Até o momento, 11 pessoas foram detidas. Segundo as investigações da Delegacia de Mesquita (52ª DP), as quadrilhas tinham vários esquemas fraudulentos. Uma das modalidades criminosas usadas é o saque em agências bancárias por meio de roubo de cartões e senhas de correntistas. Os grupos usavam o dinheiro obtido nos golpes para comprar joias, veículos, jet skis, além de alugar casas e fazer festas. Conforme as investigações, os envolvidos expunham os ganhos no Facebook, num grupo chamado A Firma é Forte.

Presa em Goiás quadrilha suspeita de fraudar cartões de crédito pela web

Sem Comentários

15/08/2014

Nesta sexta-feira (15), uma quadrilha foi presa e apresentada pela Polícia Civil suspeita de fraudar cartões de créditos pela internet. O grupo era formado por sete pessoas, entre elas, um detento, que cumpria pena na cadeia de Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia. Ao todo, a polícia conseguiu recuperar todas as mercadorias adquiridas pelos criminosos, num total de R$ 20 mil, além de R$ 4,1 mil em dinheiro. Com o golpe, a quadrilha conseguiu obter um limite bancário de R$ 500 mil. Segundo o delegado titular do Grupo Antirroubo a Banco da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), a polícia começou a investigar o caso depois que a mãe do presidiário questionou na administração do presídio se eles poderiam repassar algumas roupas e calçados para ele dentro da cadeia. “De imediato, a diretoria do presídio achou o pedido anormal, porque eram muitas peças e de marcas famosas. Esse pedido nunca havia sido feito. Começamos a investigar e chegamos até os envolvidos”, explicou. O líder da quadrilha, que já tinha três mandados em aberto e 8 passagens por estelionato, conseguiu obter, por meio de fraudes eletrônicas, seis cartões de crédito de grandes empresários de Goiânia. Ele os repassava para a própria mãe e o irmão, além da mãe do detento, de uma prima e do namorado dela. Cinco pessoas estão presas e duas irão responder ao processo em liberdade. “Com os cartões adulterados, eles faziam saques em dinheiro e compravam aparelhos eletrônicos para revender. Também adquiriam roupas e calçados de marcas famosas, que seriam repassados ao preso, que por sua vez, revenderia os pertences a outros detentos dentro da cadeia”, esclareceu. Conforme a polícia, as operadoras de cartão de créditos já foram avisadas sobre o crime e que as vítimas também serão alertadas o quanto antes. Todos os integrantes da quadrilha responderão pelos crimes de associação criminosa, furto mediante fraude e estelionato. As penas, caso condenados, variam de 4 a 16 anos de prisão. Um dos envolvidos também foi autuado por tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo, pois, no momento da prisão, possuía um revólver e uma porção de maconha.

Operação ‘Puro Malte’: Polícia descobre fraudes à União

Sem Comentários

10/05/2014

Será acionada pela Polícia Civil do Amazonas a Polícia Federal (PF) para investigar golpes contra a União praticados por uma quadrilha de estelionatários presa durante a “Operação Puro Malte”, deflagrada há um mês, em Manaus e Fortaleza. Os membros do bando, que aplicaram golpes cujas cifras ultrapassam R$ 10 milhões, pagaram R$ 1 mil de fiança e já estão soltos, por determinação de uma desembargadora. Durante a investigação, que durou sete meses e foi comandada pelo Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), a Polícia Civil descobriu que, além dos golpes a bancos, aplicados com o uso de cartões de créditos roubados ou adquiridos por meio de documentação falsa, a quadrilha também falsificava documentos (como certidão de nascimento, identidade, comprovante de residência e CPF) para que idosos pudessem receber aposentadorias rurais ilegalmente. A fraude ao benefício pago pelo INSS só foi descoberta após o cumprimento de mandado de busca e apreensão no apartamento de um dos líderes do bando, em Fortaleza. Lá, a polícia apreendeu dezenas de RGs e certidões de nascimento falsas, usados no golpe à Previdência Social. No local, funcionava uma espécie de fábrica de documentos falsos, onde até máquina de datilografar era usada para inserir dados em certidões de nascimento.

A fotografia de um único idoso, por exemplo, aparece em 50 identidades, com nomes diferentes. Por meio do documento falso, o idoso requeria aposentadoria em diversos postos do INSS espalhados Brasil afora. Os valores eram sacados pelos criminosos. Os idosos ficavam com uma parcela do dinheiro roubado da União. “Crimes praticados contra o interesse da União serão repassados à Polícia Federal, após autorização do juiz que está presidindo o processo”, disse o delegado do DRCO. “Não era isso que estávamos apurando. Esse golpe nós descobrimos no decorrer da investigação. Essa matéria deve compor um inquérito da PF, que tem competência para apurar crimes praticados contra a União”, comentou o delegado. Com tentáculos no Amazonas, Rondônia, Mato Grosso, Goiás e Ceará, a quadrilha também fabricava documentos falsos para montar empresas-fantasmas e conseguir crédito junto aos bancos. Segundo a polícia, as empresas de fachada, cujos donos só existiam no papel, funcionavam entre seis meses e um ano, até conseguirem cartões de créditos “sem limite” junto a instituições financeiras. Somente uma fatura de um dos membros da quadrilha ultrapassava os R$ 600 mil. A especialidade da quadrilha era adquirir imóveis, carros de luxo, pagar viagens com cartões de créditos roubados ou obtidos junto aos bancos por meio de documentos falsos. “Eles tinham uma divisão de tarefas e de lucros e estabeleciam o percentual que cada um ia ganhar. Diversificam os golpes na medida da conveniência e da oportunidade”, afirma o delegado. “Podemos afirmar que essas pessoas oferecem um risco efetivo em liberdade. Elas não vão parar. O histórico delas revela a índole de cada investigado”, completou. No dia 29 de abril, a desembargadora confirmou decisão de plantão de primeiro grau e libertou os “cabeças” do bando.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: A Crítica

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior