Grupo preso com 42 cartões bancários furta clientes em agências há cinco meses, diz Polícia Civil

Sem Comentários

04/04/2018

Foram presos em flagrante nesta quarta-feira (04), dois homens, de 43 e 42 anos, e uma mulher de 25, com 42 cartões bancários furtados. A prisão, realizada pela Polícia Militar (PM), ocorreu em Cordeirópolis (SP). Conforme a Polícia Civil, o trio pratica furtos no interior de agências desde outubro do ano passado. A prisão ocorreu após a PM receber uma denúncia de que um carro modelo Jetta com placas de São Paulo percorria Cordeirópolis em atitude suspeita. Segundo o boletim de ocorrência, uma equipe abordou o veículo e os dois homens já admitiram que eram estelionatários. Dentro do veículo, os policiais encontraram os cartões de banco e uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) de uma mulher, que a dupla presa em flagrante afirmou não conhecer. Quando os PMs levavam o carro para a delegacia, a suspeita apareceu na rua e fez sinal para que parassem. Ela ainda tentou correr quando viu que eram policiais que estavam no carro, mas foi abordada e também levada para o distrito policial. Os três suspeitos são da capital.

Grupo especializado

Na delegacia, a mulher admitiu para a Polícia Civil que viajou para Cordeirópolis para realizar furtos, mas que foi presa antes. Os dois homens negaram e disseram que estavam na cidade para procurar emprego. Os cartões, segundo eles, teriam sido comprados em São Paulo. A investigação da Polícia Civil apontou que pelo menos duas vítimas foram furtadas, sendo uma em Caraguatatuba (SP), no ano passado, e outra em Piracicaba (SP). Outra pessoa foi vítima de estelionato em Araras (SP) neste ano e houve, ainda, um boletim eletrônico registrado por extravio em 2016. A Polícia Civil determinou a prisão em flagrante do trio por Associação Criminosa e Receptação. Eles foram levados para a Cadeia Pública de Limeira (SP) e o carro também foi apreendido.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Trio é preso com carro furtado após apresentar documento falso

Sem Comentários

27/03/2018

Na noite de segunda-feira (26), dois homens, de 29 e 49 anos, e uma mulher, de 46 anos, foram presos na altura do Km 12 da BR-116, em Colombo, Região Metropolitana de Curitiba,, com um carro furtado em Joinville, Santa Catarina. O veículo se trata de um Hyundai Tucson. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o grupo estava com um documento do veículo com indícios de adulteração. Ao verificar o carro, foi constatado que estava com placas clonadas, e que o veículo havia sido furtado em outubro de 2017. Os suspeitos foram presos por receptação e uso de documento falso. A ocorrência foi encaminhada para a Polícia Federal, em Curitiba.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Massa News

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Presa quadrilha que aplica golpe do cartão em idosos

Sem Comentários

01/03/2018

Policiais civis da Coordenação de Combate ao Crime Organizado, ao Crime contra a Administração Pública e contra a Ordem Tributária (CECOR) estiveram nas ruas nesta manhã de quarta-feira (01) para prender os membros de uma organização criminosa que aplica golpes em idosos para clonagem de cartões de crédito. É a Operação Luthor, nome que remete ao deus da trapaça ou da mentira, da mitologia nórdica. O esquema funciona de forma a enganar as pessoas com todos os detalhes planejados. O telefone toca depois do horário de expediente bancário. Um senhor ou senhora, em geral com mais de 65 anos, aposentado, com renda financeira elevada, morador de área nobre de Brasília, atende e ouve um alerta de uma pessoa que se identifica como funcionário da central de segurança da operadora do cartão de crédito. Os dados pessoais são confirmados e há a informação de que uma compra foi realizada indevidamente. A seguir, tirando proveito de uma situação de surpresa e fragilidade emocional, começa o golpe. A atendente passa a ligação para vários ramais e realiza o suposto bloqueio do cartão que teria sido usado indevidamente. De ramal em ramal, a pessoa é orientada a ligar para uma outra central. O telefone, no entanto, é direcionado para os próprios golpistas. Nesse meio tempo, o cliente digita a senha do cartão. A central, então, instrui o idoso a procurar o gerente do banco para formalizar a queixa. Mas, devido ao horário, isso só será possível no dia seguinte.

Serviço de delivery

Enquanto a vítima do golpe pensa e se preocupa com as compras que poderão ser feitas até lá, é oferecido um serviço de delivery. O idoso é orientado a picotar o cartão, colocar num envelope e entregar a um motoboy que irá em casa buscar o que sobrou do dinheiro de plástico. O cliente recebe também a recomendação de escrever uma carta à loja onde teria sido realizada a compra indevidamente. Esse procedimento serve apenas para distrair a vítima. Tudo parece normal, um serviço de segurança bancária. Mas o que os criminosos querem, o chip e a senha do cartão, está garantido. Com isso, a quadrilha fabrica um novo cartão e pode ir às lojas para gastar ou a um terminal de autoatendimento para sacar dinheiro. Os clientes  com poder aquisitivo mais alto são escolhidos para evitar problemas com os limites de gastos.

Mais de 80 vítimas

Esse é o modus operandi de uma organização criminosa com pelo menos 14 integrantes que vinha atuando no Distrito Federal. Foram meses de investigação da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (Draco).  Cerca de 80 vítimas registraram ocorrência. Mas o prejuízo pode ser muito maior porque muitos idosos se envergonham de, com tanta experiência de vida, ainda terem sido enganados dessa forma. Não é difícil cair no golpe. Os criminosos são estelionatários e ainda têm acesso a bancos de dados comprados clandestinamente com informações pessoais sigilosas. Durante a investigação,  suspeitos foram identificados por vendedores de lojas onde fizeram compras com os cartões clonados. Eles priorizavam gastos com telefones celulares, eletrônicos e bebidas. Em seguida, revendiam esses produtos. Há registros de compras que chegam a R$ 30 mil num só dia. Os criminosos vão responder por estelionato, furto mediante fraude, lavagem de dinheiro, receptação, entre outros crimes.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Correio Braziliense

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Casal é preso ao tentar vender carro roubado usando documento falso em MT

Sem Comentários

23/02/2018

Na tarde de quarta-feira (21), um casal foi preso pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), de Várzea Grande, da Polícia Judiciária Civil, quando tentava finalizar a venda de um veículo roubado para uma loja de garagem. O casal, de 66 e 34 anos, ambos com passagem pela polícia, foram autuados em flagrante pelos crimes de uso de documento falso, receptação, adulteração de sinais identificadores de veículos, associação criminosa e estelionato. Os dois foram surpreendidos dentro do Cartório do 7º Ofício de Cuiabá. A dupla estava na posse do automóvel, Ford Fusion, branco, roubado de um lava jato, no bairro Jardim Imperial, no dia 1º de fevereiro. Na ocasião do assalto ao lava jato foram roubados dois veículos, sendo o Ford Fusion e uma caminhonete Amarok, que foi recuperada no mesmo dia da ação criminosa, 1 de fevereiro. Os dois suspeitos estavam tentando vender para um garagista o automóvel, que já estava com os sinais identificadores adulterados. No momento da abordagem, o suspeito se apresentou com outro nome e também entregou uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) contento sua fotografia, porém, falsificada. Questionado sobre os fatos, o suspeito alegou ser usuário de drogas e frequentador da praca do Pedra 90, local onde recebeu proposta de duas pessoas, para assinar documento de um veículo, em troca ganharia R$ 2 mil reais e mais entorpecente para consumo. Após aceitar a empreitada, os rapazes compraram roupas e sapatos novos para o suspeito que também foi levado até um salão de beleza para corte do cabelo e da barba, e, posteriormente, tirado fotografias. Na segunda-feira (19), o casal estiveram no estabelecimento comercial para efetuar a venda do veículo. No entanto, não tinham o documento CRV do carro, que foi exigido pelo proprietário da garagem. Quando retornaram para concretizar a venda acabaram presos em flagrante.A suspeita possui passagem por crimes patrimoniais e estelionato. Já o suspeito por tráfico de drogas. Os dois foram conduzidos à Delegacia, interrogados, autuados e apresentados para audiência de custódia.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Cenário MT

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia prende homem com caminhão roubado e documentos falsos

Sem Comentários

18/02/2018

Na tarde deste sábado (17) em Balsa Nova, na Região Metropolitana de Curitiba, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) recuperou um caminhão com alerta de roubo. Atrelado a um semirreboque também com indícios de adulteração, o caminhão transitava pela BR-277, quando foi abordado pela equipe da PRF de plantão na Unidade Operacional São Luiz do Purunã. Durante a abordagem, os policiais rodoviários perceberam que os documentos dos veículos apresentados pelo motorista continham indícios de falsificação. Ao examinar tanto o caminhão quando o semirreboque, os agentes também identificaram sinais de adulteração em ambos os veículos, que portavam placas clonadas. O caminhão, Scania modelo R440 6×2, havia sido furtado no último mês de novembro, em Joinville (SC). Ainda não foi possível identificar a placa original do semirreboque, provavelmente também produto de furto ou roubo. Com 37 anos e morador de Pontal (SP), o motorista foi preso em flagrante pelos crimes de receptação e uso de documento falso. Ele já tinha passagem anterior pela polícia, por contrabando de cigarro. A PRF encaminhou a ocorrência para a Delegacia da Polícia Civil em Campo Largo.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: R7

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Presos suspeitos de vender cheques roubados e falsificados em Goiânia

Sem Comentários

04/01/2018

Polícia Civil apreendeu 13 talões de cheque roubados e falsificados com dupla de estelionatários.

A Polícia Civil prendeu dois suspeitos de comercializar folhas e talões de cheques roubados e falsificados em Goiânia. Além da dupla, de 48 e 50 anos de idade, a corporação também deteve dois idosos, de 73 e 71 anos, que compravam o material. A investigação aponta que os estelionatários pagavam comerciantes em várias cidades de Goiás, mas que os valores não foram descontados, causando prejuízo de cerca de R$ 450 mil aos empresários. “Eles chegavam ali no comércio com cheque já preenchido com determinado valor, porque o cheque é de terceiro. Um falava que recebeu do patrão, outro fala que recebeu de uma venda. O fato de serem idosos com uma conversa mansa despertava até solidariedade por parte do comerciante. Faziam compras até em valor menor e convenciam o comerciante ainda a voltar a diferença em dinheiro”, explicou a delegada responsável pelo caso. Ainda segundo ela, foram apreendidos 13 talões originais e falsificados com os presos, que respondem pelos crimes de estelionato e receptação. A delegada afirmou que a dupla comprava os talões roubados por R$ 300 e vendia cada folha por R$ 15. “Identificamos dois dos estelionatários que compravam essas folhas, mas com certeza são diversos. Eles usavam essa oficina gráfica para comercializar os cheques, mas acredito que não era ali que era feita a falsificação, era só o local de venda mesmo”, completou.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Motorista apresenta documento falso de carro clonado à polícia e é preso por receptação

Sem Comentários

18/12/2012

Na zona rural de Três Lagoas, na rodovia BR-262, um homem, de 38 anos, foi preso em flagrante por receptação, uso de documento falso e adulteração de sinal identificador de veículo. Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), após ordem de parada, durante a checagem dos documentos, os policiais suspeitaram da autenticidade do CRLV do veículo e notaram características de clonagem nele. Então, fizeram uma minuciosa investigação, que confirmou a suspeita. De acordo com a PRF, trata-se de um carro com placas originais do Rio de Janeiro (RJ) e com registro de furto/roubo do dia cinco de junho deste ano. À polícia, o motorista disse que sabia que o carro era clonado e fruto de um furto/roubo. Ele disse ainda que, pegou o veículo em Sumaré (SP) e o deixaria em um posto de combustível em Campo Grande. Ele não revelou quanto ganharia pelo serviço. O homem foi preso e levado para a Delegacia de Polícia Federal em Três Lagoas.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: JPNews

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior Próximo