Homem é detido pela PRF por uso de documento falso em Guaraí

Sem Comentários

06/12/2018

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) flagrou na manhã desta quinta-feira (06), no km 332 da BR-153, em Guaraí (TO), um homem por uso de documento falso. Durante fiscalização de rotina, os agentes da PRF abordaram o veículo conduzido por S.C.F, de 56 anos, que apresentou o certificado de registro e licenciamento de veículo (CRLV) com fortes indícios de adulteração. Após consulta aos sistemas da PRF, foi constatado a ocorrência de furto. Questionado sobre a origem do veículo, o condutor relatou que teria comprado na cidade de Curitiba/PR no mês de julho do corrente ano e negociado uma camionete F-1000 ano 1998, no valor de R$ 45.000,00. O motorista relatou ainda que adquiriu o veículo de uma pessoa física e teria lavrado um contrato de locação em vez de um contrato de compra e venda devido o veículo estar com restrição judicial. Diante das informações obtidas foram constatados, a princípio, os seguintes delitos: Receptação Culposa e Uso de documento falso. O documento CRLV apresentado na fiscalização foi enviado via correio por um despachante e o condutor encaminhado para a polícia civil de Guaraí.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Surgiu

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Quatro homens são presos por uso de documentos falsos e receptação

Sem Comentários

17/11/2018

Neste sábado (17), quatro homens foram presos por uso de documentos falsos e receptação de produtos roubados. Eles estavam em um bar no Setor Aeroviário. O dono do estabelecimento portava os documentos falsos, que seriam usados para aplicar golpes em Goiânia. A prisão foi feita pela equipe de motociclistas da Polícia Militar. Eles chegaram até o bar por meio de uma denúncia, feita por um comerciante da região, cujo estabelecimento teria sido arrombado. Ele mesmo é quem teria apontado aos policiais o local onde estariam os equipamentos que foram roubados: três motores elétricos, um aparelho de solda e um compressor. No bar, os policiais fizeram buscas e encontraram os objetos roubados do comerciante. Inicialmente, o proprietário do estabelecimento havia se identificado como R.H.S. Além dele, outros três homens que também estavam no bar foram levados para a Central de Flagrantes e autuados por crimes de receptação e uso de documento falso. O dono do comércio recebeu de volta os objetos que lhe foram roubados.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Mais Goiás

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Bando fraudava cartões e lavava dinheiro na Feira dos Importados

Sem Comentários

20/09/2018

Após investigações, policiais civis desmontaram uma organização criminosa envolvida em receptação, uso de documento falso e lavagem de dinheiro. O bando realizava a compra de aparelhos celulares, enviava os produtos para Brasília e lá os aparelhos eram vendidos numa banca na Feira dos Importados. As prisões do dono da banca da Feira e de uma suspeita em São Paulo (SP) aconteceram na manhã desta quinta-feira (20), durante a Operação Hermes. Os criminosos atuavam principalmente fora do Distrito Federal. Agentes cumpriram cinco mandados de apreensão. Além de dezenas de aparelhos celulares, policiais enviaram para a perícia computadores, máquinas de cartão e vários documentos de identificação falsos. Conforme o delegado da Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Propriedade Imaterial e a Fraudes (Corf), a investigação começou no fim de abril, quando uma carga com 12 aparelhos celulares foi apreendida no Aeroporto JK. No momento da apreensão, fiscais verificaram que a nota fiscal do produto estava em nome de uma pessoa, os dados da compra em nome de outra e que um terceiro indivíduo iria receber a encomenda, o que gerou suspeita sobre um possível crime de receptação. A partir daí, em parceria com a Polícia Civil de São Paulo, a Corf apurou que os envolvidos roubavam dados pessoais de consumidores, fraudavam cartões de crédito e, com a ajuda de porteiros de condomínios, obtinham os cartões. Com identidades falsas, eles realizavam a compra de celulares e os enviavam por meio de empresa aérea para serem vendidos no DF. A Polícia Civil informou que, em 30 dias, uma das empresas de transporte aéreo fez 20 encomendas de celulares à Brasília, sendo que em cada encomenda havia cerca de 10 celulares, o que totaliza quase R$ 1 milhão em mercadoria fraudada. Segundo o delegado, não está descartada a atuação da organização criminosa em outros estados. Ele não informou quantas pessoas estão envolvidas.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Correio Braziliense

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Sorriso: homem é preso com carro roubado e documento falso

Sem Comentários

22/08/2018

O acusado foi preso com um Fiat Uno cinza roubado, que estava com placas de Cuiabá. O caso ocorreu nesta quarta-feira (22). Conforme o delegado responsável, o suspeito alegou que havia adquirido o veículo como se fosse um “finan” (que não teve as prestações pagas), mas que não tinha conhecimento que seria roubado. “Entretanto, quando checamos a documentação do veículo percebemos que o número do chassi não condizia com a placa que aparecia no documento. Com isso em uma checagem rápida, por exemplo, não teria conhecimento da restrição. Só colocando o número do chassi. Por isso além de receptação vai responder por uso de documento falso”. Ainda segundo o delegado, o homem afirmou que pagou R$ 7 mil pelo carro, mas ainda não informou onde e de quem comprou. Ele foi encaminhado à delegacia para os procedimentos necessários.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Só Notícias

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Fábrica de exames falsos de gravidez é fechada pela polícia em Rondonópolis

Sem Comentários

14/08/2018

Um homem foi preso em flagrante em uma residência que funcionava como uma espécie de “fábrica” de documentos falsificados em Rondonópolis (212 km de Cuiabá-MT). A ação foi realizada pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (DERF) e ocorreu na tarde de segunda-feira (13). O suspeito W.S.A., de 26 anos, foi alvo de investigação após ser envolvido em ocorrências de estelionato com o golpe popularmente conhecido como “carro da OLX”.

Dentro da residência do suspeito foram encontrados diversos rascunhos de documentos falsificados na sala, incluindo documentos pessoais e veiculares. No quarto, dentro da fronha do travesseiro, foram localizados mais documentos finalizados e fotos 3×4 de terceiros. No balcão da cozinha foram recolhidos extratos bancários, exames de gravidez de um laboratório, entre originais e outros falsificados, e uma almofada de tinta de carimbo, utilizado para falsificação com uso de amostra de digital. O material apreendido é fabricado na casa do suspeito com um computador e uma impressora colorida. Os documentos veiculares (CRV e CRLV) possuem informações impressas em papel timbrado, proveniente de dois roubos em agências do Ciretran, um em Rondonópolis e outro no município de Jangada.

De acordo com informações preliminares, em cada documento veicular o suspeito ganhava cerca de R$ 200, cada RG ele cobrava R$ 250 e nos exames de gravidez o suspeito pedia R$ 50. Em entrevista aos policiais, o suspeito confessou os atos, relatou que integra uma organização criminosa e que em conjunto com comparsas teria adquirido lucro anterior por meio do golpe do carro no “OLX”. Ele informou que maior parte do dinheiro (R$ 19 mil) foi apreendida com um comparsa durante deflagração da operação Red Money, da Polícia Civil, em 08 de agosto. Conduzido à delegacia, ele foi autuado em flagrante pelos crimes de receptação e falsificação de documento público, falsificação de documento particular. O suspeito será apresentado em audiência de custódia junto ao Judiciário.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Circuito Mato Grosso

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Trio é preso com carros roubados e documentos falsos em Avaré

Sem Comentários

11/08/2018

Um professor universitário de 36 anos e outros dois homens, de 40 e 44, foram presos em flagrante por receptação e associação criminosa. O trio estava com três carros roubados e documentos falsos, nesta sexta-feira (10) em Avaré (SP). Conforme a Polícia Militar, o trio foi pego com os veículos que estavam sendo vendidos junto com a documentação falsificada, no nome de dois dos criminosos. Os suspeitos alegaram aos policiais que teriam feito uma troca de dois veículos por um e não sabiam que eram roubados. Ainda segundo a policia, o professor pode responder por mais crimes, já que ele tinha diversas acusações de venda de terrenos que não era o proprietário. A polícia ainda alega que ele falsificava toda a documentação das vendas e por meio de um documento registrado em cartório, conseguia o direito legal de venda. Com isso, ele comercializava os lotes com um valor muito abaixo do mercado, que só depois de concretizado descobria que o terreno pertencia a outra pessoa. Cerca de cinco pessoas registraram boletins de ocorrência nos últimos meses contra o homem. A polícia investiga os casos, já que há suspeita de que mais pessoas poderiam estar participando do esquema de vendas.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Gaeco faz operação e mira quadrilha que vendia carros roubados pela internet

Sem Comentários

19/07/2018

Na manhã desta quinta-feira (19), 14 mandados de prisão preventiva e 16 de busca e apreensão estão sendo cumpridos em uma operação para combater a venda de carros roubados pela internet. As ordens judiciais estão sendo cumpridas em Curitiba, Londrina e Guarapuava. Os mandados de busca miram dez residências e seis locais comerciais. Já os mandados de prisão, são contra oito homens e seis mulheres. Segundo as investigações do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da Polícia Civil, a organização criminosa comprava veículos roubados, principalmente em Curitiba e Região Metropolitana, e ocultava-os em Guarapuava. Depois disso, eles adulteravam os documentos dos automóveis com as mesmas especificações. Em seguida, os carros eram anunciados em sites de venda na internet. Um policial militar suspeito de acessar o banco de dados do estado para passar informações aos criminosos foi afastado da função. Entre os crimes investigados na operação estão organização criminosa, receptação, adulteração de sinais de veículos, falsificação de documentos e estelionato.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior