Mais de 1,4 mil tentativas de estelionato foram registradas em Bauru desde janeiro

Sem Comentários

01/12/2017

Segundo a Polícia Civil, desde o começo deste ano, os registros de tentativa de estelionato em Bauru (SP), somam mais de 1,4 mil boletins de ocorrência registrados na cidade. Com a chegada do fim de ano, que traz expectativas em relação ao aumento de consumo no comércio, os especialistas orientam que é preciso redobrar a atenção contra possíveis golpes. De acordo com a Serasa, um golpe é aplicado a cada 16 segundos no Brasil. Só no mês de setembro, foram registradas mais de 170 mil tentativas de estelionato. No total, de janeiro a setembro, foram quase 1,5 milhão de casos no país, uma alta de 10% em relação ao mesmo período do ano passado. Em Bauru, até outubro, foram 1.426 registros, o que resulta em média de quase cinco golpes aplicados por dia. Um delegado explica que o consumidor deve ficar atento especialmente às transações feitas pela internet. Segundo ele, os estelionatos representam quase 20% do volume de registros policiais. O indicador Serasa Experian também aponta aos consumidores em quais situações deve ficar mais atento. Os números mostram que os campeões no ranking das reclamações são telefonia (38%), serviços (30%), bancos e financeiras (23%) e, por último, o setor do varejo (6%). Um advogado revela outra dado importante quando o assunto é golpe. Os jovens e os aposentados são as vítimas prediletas dos estelionatários. Ele explica que em relações comerciais não existe milagre e, por isso, a principal “senha” para se identificar um golpe é alguma vantagem muito explícita ou exagerada.

Confira dicas para se prevenir da ação dos estelionatários:

  • Não perca de vista os seus documentos
  • Não digite suas senhas perto de pessoas que você não conhece
  • Não deixe os atendentes levarem os seus cartões de crédito para fazer o pagamento
  • Nas compras pela internet, veja se o site é seguro (sites protegidos começam com https)
  • Mantenha atualizado o antivírus do seu computador ou celular
  • Não abra e-mails nem ofertas das redes sociais
  • Evite redes de wi-fi abertas

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Brasil tem uma tentativa de fraude a cada 16 segundos, diz Serasa

Sem Comentários

22/11/2017

Segundo levantamento da Serasa Experian, o Brasil tem uma tentativa de fraude a cada 16 segundos. O número foi de 1,478 milhão no período entre janeiro e setembro, o que representa uma alta de 10,7% em relação a igual período do ano passado. Só em setembro, houve 170.595 tentativas, 18% maior que o mesmo mês de 2016 (144.514). Frente a agosto, foi registrado recuo de 7,6%. O indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraude avalia qualquer tipo de golpe, como solicitação de cartão de crédito ou compra de bens com identidade falsa. O levantamento é feito mensalmente a partir das consultas ao Serasa. Na avaliação dos economistas, o aquecimento do mercado de crédito por causa da melhora do mercado de trabalho e da retomada da economia podem estar incentivando os fraudadores. A maioria das tentativas de fraude (565.551, ou 38,3%) foi no setor de telefonia. Nessa área, é comum a compra de aparelhos ou abertura de contas de celulares. Só que o setor também funciona como uma “porta de entrada” para outros, já que as contas do telefone viram comprovantes de residências usados para abertura de contas em bancos, que dão acesso a talões de cheques, cartões de crédito e pedidos de empréstimos. Em seguida, vem o setor de serviços, com 451.777 tentativas de golpe nos primeiros dez meses do ano, com 30,6% do total. O setor financeiro — bancos e financeiras — tem quase um quarto dos casos (23,4% de participação e 346.372 tentativas). Entre as tentativas de fraudes identificadas pela Serasa Experian estão compra de celulares com documentos falsos ou roubados, pedido de emissão de cartões de crédito com identificação falsa ou roubada, compra de produtos eletrônicos também com identificação falsa ou roubada e abertura de empresa com dados falsos, que podem servir também de fachada de golpes.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: O Globo

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Fuja de golpes digitais: dicas de como se proteger na internet

Sem Comentários

14/11/2017

Você sabia que, no Brasil, a cada 17 segundos, uma pessoa é vítima de uma tentativa de golpe que envolve roubo de identidade? É o que aponta um estudo divulgado pela Serasa Experian neste ano. Cada vez mais comum no mundo, os chamados golpes digitais são discretos e, muitas vezes, fazem com que a vítima nem imagine o que esteja acontecendo. Até que a surpresa aparece: nome sujo, dívidas anônimas feitas em seu nome e até crimes mais sérios surgem, como sonegações e abertura de empresas falsas com seu CPF. Por isso, listamos algumas dicas para você se proteger e fugir dos tipos de golpes mais comuns.

  • E-mails falsos (ou phishing)

Muito cuidado ao abrir e-mails, principalmente os de bancos ou de órgãos públicos. Geralmente, eles são falsos. Evite fornecer informações bancárias ou pessoais sem necessidade – muito dificilmente, um banco irá pedir para você passar informações sigilosas por e-mail, exatamente por não ser um ambiente totalmente seguro.

  • Compras no final de ano

É normal, nas festas de final de ano, o número de crimes digitais acontecerem em todo o país. Isso acontece porque o número de compras aumenta muito, com as grandes promoções das lojas online acontecendo o tempo inteiro. Mas, cuidado: nem sempre uma loja digital é 100% segura. Prefira realizar compras em lojas que você já conhece e confia, e desconfie de promoções milagrosas.

  • Cuidado com os apps!

Com o crescimento e evolução dos smartphones, era de se esperar que usuários mal-intencionados também iriam começar a atacar os gadgets. Por isso, cuidado ao instalar um aplicativo cheio de facilidade: geralmente, eles irão roubar seus dados pessoais.

  • Envio de encomendas

Sabe quando você recebe aquele e-mail com um código de rastreio para alguma compra online que você nem se lembra de ter comprado? Pois é. Trata-se de um golpe relativamente novo e que está fazendo muitas vítimas no Brasil. Para garantir que o remetente do e-mail é confiável, veja sempre o endereço eletrônico que enviou a mensagem: e preste muita atenção, muitas vezes, os domínios são muito parecidos com os sites originais, com apenas alguma mudança de palavra no nome.

  • Mensagens de negativação de nome

Essa com certeza já aconteceu com você: uma mensagem “curiosa” chega em seu celular dizendo que seu nome irá ser negativado e pedindo para você entrar em contato com uma central de renegociações de dívidas. Ao ligar, a empresa possui muitas informações sobre o seu nome e relembra alguma dívida antiga, que pode ter ficado aberta e você nem se lembrava. Certo? Errado! Trata-se de um novo tipo de golpe que também está sendo muito comum no Brasil.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Tech Tudo

Fique ligado. Dicas do BrSafe para evitar essa modalidade de fraude.

Fraudes aumentam e população precisa ficar atenta para evitar dor de cabeça

Sem Comentários

24/10/2017

Cerca de 171 mil tentativas de fraude foram registradas, no Brasil, no último mês de julho. A principal delas é no setor de telefonia, quando criminosos usam dados das vítimas para comprar aparelhos e abrir contas, por exemplo. Dividindo por todo o mês de julho, dá uma tentativa de fraude a cada 15 segundos. O setor de telefonia funciona como entrada para golpes de maior valor. Segundo o Indicador Serasa Experian, o segmento de telefonia foi o mais afetado no acumulado do ano, sendo responsável por 38,5% do total, com 432.845 tentativas. Neste tipo de golpe, dados de consumidores são utilizados por criminosos para abertura de contas de celulares ou compra de aparelhos, por exemplo. Caso a fraude no segmento de telefonia seja bem-sucedida, funciona como uma “porta de entrada” para os fraudadores aplicarem golpes de maior valor em outros setores da economia. Os golpistas costumam comprar telefones para ganharem um comprovante de residência e, assim, abrir contas em bancos para pegar talões de cheque, pedir cartões de crédito e fazer empréstimos bancários em nome de outras pessoas. A vítima deve procurar imediatamente uma delegacia de Polícia Civil e registrar a ocorrência.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Consumidor sofre uma tentativa de fraude a cada 16,5 segundos, diz Serasa Experian

Sem Comentários

11/09/2017

Foram registradas 950.632 tentativas de fraude contra o consumidor no primeiro semestre do ano, o que representa uma tentativa a cada 16,5 segundos, segundo o Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraude. O crescimento foi de 7,5% em relação ao mesmo período de 2016, quando foram constatadas 884.105 tentativas. A alta de 31,2% nos golpes aplicados no setor bancário e financeiro foi a responsável por puxar o aumento geral das tentativas no semestre. Os setores de serviços e telefonia também registraram aumento de 5,8% e 1%, respectivamente. Já o varejo apresentou queda de 9,7% no semestre. Conforme a Serasa, apesar de o setor de bancos e financeiras ter registrado a maior alta no primeiro semestre deste ano, na comparação com o mesmo período do ano anterior, o segmento de telefonia foi o que mais teve tentativas entre janeiro e junho de 2017 (366.188) e registrou participação de 38,5% no total. Nesse tipo de golpe, dados de consumidores são utilizados por criminosos para abertura de contas de celulares ou compra de aparelhos, por exemplo. Caso a fraude no segmento de telefonia seja bem-sucedida, funciona como uma “porta de entrada” para os fraudadores aplicarem golpes de maior valor em outros setores da economia. Os golpistas costumam comprar telefones para ganhar um comprovante de residência e, assim, abrir contas em bancos para pegar talões de cheque, pedir cartões de crédito e fazer empréstimos bancários em nome de outras pessoas. O setor de serviços vem em seguida no ranking de segmentos com mais tentativas de fraude identificadas no primeiro semestre de 2017 (285.830), representando 30,1% do total. Em terceiro lugar estão os bancos e financeiras, com 23,8% de participação e 226.280 tentativas. O quarto setor mais afetado pelas tentativas nos seis primeiros meses do ano foi o varejo, com 57.451 e participação de 6%.

Principais tentativas de golpe:

  • Compra de celulares com documentos falsos ou roubados;
  • Emissão de cartões de crédito: o golpista solicita um cartão de crédito usando uma identificação falsa ou roubada, deixando a “conta” para a vítima e o prejuízo para o emissor do cartão;
  • Financiamento de eletrônicos (varejo) – o golpista compra um bem eletrônico (TV, aparelho de som, celular etc.) usando uma identificação falsa ou roubada, deixando a conta para a vítima;
  • Abertura de conta: golpista abre conta em um banco usando uma identificação falsa ou roubada, deixando a “conta” para a vítima. Neste caso, toda a “cadeia” de produtos oferecidos (cartões, cheques, empréstimos pré-aprovados) potencializa possível prejuízo às vítimas, aos bancos e ao comércio;
  • Compra de automóveis: golpista compra o automóvel usando uma identificação falsa ou roubada, deixando a “conta” para a vítima;
  • Abertura de empresas: dados roubados também podem ser usados na abertura de empresas, que serviriam de ‘fachada’ para a aplicação de golpes no mercado.
 Veja 10 dicas que podem ajudar o consumidor a se proteger das fraudes:

No mundo físico:

  1. Não perder de vista seus documentos de identificação quando solicitados para protocolos de ingresso em determinados ambientes ou quaisquer negócios; do mesmo modo, não deixar que atendentes de lojas e outros estabelecimentos levem seus cartões bancários para longe de sua presença sob a desculpa de efetuar o pagamento;
  2. Tomar cuidado ao digitar a senha do cartão de débito/crédito na hora de realizar pagamentos, principalmente na presença de desconhecidos;
  3. Não informar os números dos seus documentos quando preencher cupons para participar de sorteios ou promoções de lojas.

No mundo virtual:

  1. Ao ingressar em um site, verificar se possui certificado de segurança. Para isso, basta checar se o http do endereço vem acompanhado de um “s” no final (https). Há ainda certificados que ativam um destaque em verde na barra do navegador;
  2. Não fazer cadastros em sites que não sejam de confiança;
  3. Ter cuidado com sites que anunciam oferta de emprego ou produtos por preços muito inferiores ao mercado;
  4. Não compartilhar dados pessoais nas redes sociais que podem ajudar os golpistas a se passarem por você;
  5. Manter atualizado o antivírus do seu computador, diminuindo os riscos de ter seus dados pessoais roubados por arquivos espiões;
  6. Evitar realizar qualquer tipo de transação financeira utilizando computadores conectados em redes públicas de Internet;
  7. Ao usar computadores compartilhados, verificar se fez o log off das suas contas (e-mail, internet banking, etc.).

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Fique ligado. Dicas do BrSafe para evitar essa modalidade de fraude.

Brasil tem uma tentativa de fraude a cada 16,8 segundos, diz Serasa

Sem Comentários

25/07/2017

Nesta terça-feira (25), conforme dados divulgados pela Serasa, o Brasil registrou 782.244 tentativas de fraude entre janeiro e maio deste ano, o equivalente a uma ocorrência a cada 16,8 segundos. O segmento de telefonia foi o mais visado, com 38,6% dos casos. Neste tipo de golpe, os criminosos usam indevidamente os dados de consumidores para abrir contas de celulares ou comprar aparelhos. No segmento de telefonia, o golpe é uma “porta de entrada” para outras fraudes de maior valor. Os golpistas costumam comprar telefones para ganhar um comprovante de residência e, assim, abrir contas em bancos para pegar talões de cheque, pedir cartões de crédito e fazer empréstimos bancários em nome de outras pessoas.

Nome sujo

Uma analista de recursos humanos está com o nome sujo desde o começo do ano por causa deste tipo de crime. Ela recebeu um e-mail de uma loja onde faz compras com uma nota fiscal de um aparelho celular que custou em torno de R$ 1.500. “Achei estranho que eu não tinha feito nenhuma compra naquela loja. Então liguei pra lá pra poder dizer que se tratava de engano e realmente fizeram uma compra numa loja física em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, num local onde nunca estive na minha vida”, conta. Essa não foi a única compra feita em nome da vítima naquele endereço. Ela passou a receber as faturas de mais cinco linhas telefônicas que nunca contratou, algumas passavam de R$ 2 mil. O endereço das faturas emitidas no nome dela, que mora na zona norte de São Paulo, coincide com uma rua de terra na zona rural do Mato Grosso do Sul. O autor da fraude chegou a assinar pessoalmente um dos contratos com uma letra bem diferente da assinatura original da mulher. Enquanto as empresas não se convencem do crime, ela – que está desempregada – não consegue tomar empréstimos e está sendo prejudicada nas seleções de trabalho. “Como eu sou da área de recursos humanos, trabalho com folha de pagamento, muitas empresas têm o procedimento de consultar pra ver se não tem o nome sujo. E aí, conforme algumas constam, aí eu perco oportunidade. Então além de distribuir currículo eu tô distribuindo boletim de ocorrência e contestação de compras para poder comprovar que eu de fato não devo nada”, diz.

Segmentos mais visados

Depois da telefonia, o setor de serviços foi o segundo mais afetado, com 29,8% das tentativas de fraude. Em terceiro lugar estão os bancos e financeiras com 23,9% de participação, seguidos do varejo, com 47.452 tentativas e participação de 6,1%. Os demais segmentos representaram 1,6% do total. Em maio deste ano, 164.988 tentativas de fraude foram aplicadas em todos os segmentos, o que representa um aumento de 19,7% em relação a abril do mesmo ano, quando o indicador apontou 137.856 tentativas. Na comparação de maio de 2017 x maio 2016, o crescimento nas tentativas foi de 12,3%.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Fique ligado. Dicas do BrSafe para evitar essa modalidade de fraude.

Brasil tem uma tentativa de fraude a cada 16 segundos, aponta Serasa

Sem Comentários

26/06/2017

O Brasil registrou 617.257 tentativas de fraude de identidade, ou um caso a cada 16,9 segundos, entre os meses de janeiro a abril deste ano. Os dados são do Indicador Serasa. No mesmo período do ano passado haviam ocorrido 587.518 tentativas, ou seja, em 2017 foi registrado aumento de 5,1%. A Fraude de identidade ocorre quando dados pessoais são usados por terceiros para fazer negócios sob falsidade ideológica ou obter crédito sem a intenção de honrar os pagamentos. Segundo estudos da Serasa, basta perder um documento pessoal para dobrar a probabilidade do consumidor ser vítima de um golpe. O órgão recomenda às pessoas que perderam documentos fazerem Boletim de Ocorrência em uma delegacia e cadastrar um alerta gratuito pelo portal da entidade. O segmento de telefonia foi o mais afetado no acumulado do ano, sendo responsável por 38,7% do total de tentativas de fraude. Conforme a pesquisa, os dados são utilizados, por exemplo, para abertura de contas de celulares ou compra de aparelhos. As fraudes no setor de telefonia são ainda portas de entrada para outros golpes. Os criminosos costumam comprar telefones para ganharem comprovantes de residência e abrir contas em bancos, pegar talões de cheque, pedir cartões de crédito e fazer empréstimos. O setor de serviços ocupa a segunda colocação no ranking, com 29,3% do total de tentativas de fraude.  O terceiro segmento mais afetado é o de bancos e financeiras, com 24,3%. O varejo manteve o quarto lugar do ranking elaborado pela Serasa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Correio 24 Horas

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior