Quadrilha especializada em golpes com máquinas de cartão de crédito é desarticulada em BH

Sem Comentários

22/08/2018

Uma quadrilha especializada em aplicar golpes com cartões de crédito foi desarticulada durante uma operação que começou nessa terça-feira (21), em Belo Horizonte. O que a Polícia Militar não esperava, no entanto, é que se tratavam de membros da maior equipe de estelionatários da Grande BH, especialista em golpes com máquinas de cartão de crédito. A chamada que levou à prisão dos suspeitos foi de um juiz federal, que havia acabado de ser vítima do golpe. Segundo informações do boletim de ocorrência, os suspeitos ligavam para as vítimas e diziam que uma compra de valor alto havia sido registrada no cartão de crédito e perguntava se a pessoa reconhecia. Ao negarem, as vítimas recebiam um número de telefone para o qual deveriam ligar e informar um protocolo. Na segunda ligação, era pedido que o dono do cartão de crédito redigisse uma carta a próprio punho dizendo que não reconhecia a compra, colocasse em um envelope junto do cartão de crédito e entregasse a um motoboy que passaria pela residência da vítima. O cartão, a partir daí, era usado pra efetuar compras em máquinas que enviavam o dinheiro para a conta dos estelionatários. Somente no cartão da última vítima, entre 16h e 18h, já havia sido registrado um montante de R$ 48 mil em compras. As prisões aconteceram durante a noite dessa terça e madrugada desta quarta e a dimensão da operação foi descoberta pela manhã. De acordo com a Polícia Civil, cinco pessoas foram presas e serão acusadas pelos crimes de estelionato e organização criminosa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Hoje em Dia

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Comerciantes de SP reclamam de golpe de máquina de cartões

Sem Comentários

28/07/2017

Comerciantes da cidade e do estado de São Paulo denunciaram que uma máquina de cartões de débito e crédito não repassa corretamente os valores das vendas. Conforme a Secretaria da Segurança Pública, a empresa já está sendo investigada, após denúncia em Ribeirão Preto, no interior do estado. O dono de uma loja de materiais de construção na Zona Sul da capital, afirma que está com um prejuízo de R$ 15 mil. A empresa informou que ele só receberá os valores atrasados quando devolver o equipamento da empresa dona da máquina. “Eu não vou devolver, não. É a única coisa deles que eu tenho para negociar. Já temos o boletim de ocorrência e vamos tentar na Justiça.” Para compras no débito, a tarifa cobrada para receber o dinheiro no dia seguinte à compra é de 1,5%. As operadoras mais conhecidas chegam a cobrar de 2% a 5%. Comerciantes de São José dos Campos e Alphaville têm tido o mesmo problema. Ex-funcionários da empresa, que não quiseram se identificar, contam que notaram que algo estava errado no começo do ano. “Nós percebemos em fevereiro, quando a empresa deixou de fazer os repasses dos valores nas contas dos estabelecimentos comerciais. E aí, nós começamos a receber diversas reclamações.” Eles também contam que após venderem as máquinas, foram demitidos por um telegrama e que houve demissão de quase 200 pessoas na empresa. “Os funcionários que saíram em junho de 2017, até hoje, não receberam suas rescisões.” O advogado da empresa desmente as acusações e indica que o “cliente que deseja receber os seus valores, que ele procure a empresa, devolva a máquina, faça o distrato”. Ele diz ainda que não tem “problema algum de ordem financeira com a liquidação de seus valores”.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.