Hackers usam greve dos caminhoneiros como isca em novo golpe no WhatsApp

Sem Comentários

28/05/2018

A greve dos caminhoneiros, que tem ganhado enorme repercussão no Brasil, tem sido usada por cibercriminosos para disseminação de links maliciosos por meio do WhatsApp. O ataque foi identificado por uma empresa de segurança cibernética. Como em ataques anteriores, a campanha utiliza um tema popular e da engenharia social para se propagar. Na mensagem, a vítima recebe um link malicioso, na esperança de encontrar uma lista de postos de gasolina em que o combustível ainda estaria disponível. Em menos de 24 horas, mais de 60 mil usuários acessaram a página falsa e foram expostos a ciberataques que podem variar de acordo com o sistema operacional do smartphone.

Como funciona o golpe

A mensagem tem um link encurtado e promete a suposta lista dos postos que ainda têm combustível: Ao acessar o link, o usuário é redirecionado para uma página fraudulenta e, para acessar a falsa lista com os nomes dos postos que ainda tem combustível, solicita a cidade e estado em que a vítima se encontra. Imediatamente após compartilhar o link com seus contatos no WhatsApp, o site fraudulento irá, por meio de uma série de redirecionamentos, encaminhar o usuário para sites que oferecem serviços premium, instalação de aplicativos legítimos ou apenas um direcionamento para sites cheios de propaganda.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: IDGNOW!

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Falso e-mail da Apple rouba dados de usuários

Sem Comentários

04/01/2018

Usuários estão sendo enganados por e-mails que se fazem passar por comunicados da Apple. De acordo com uma empresa de segurança digital, o golpe consiste em dois e-mails falsos, de remetentes que se fazem passar pela empresa da maçã, com o intuito de enganar os mais desatentos e roubar dados pessoais. Nos dois casos, a armadilha informa que há algo errado com a conta Apple do usuário, redirecionando-o a links maliciosos. No primeiro deles, a pessoa é informada de que sua conta foi utilizada para realizar compras no valor de US$ 70 (cerca de R$ 226). O e-mail pede que, caso o usuário não seja o responsável pela transação, faça o download do PDF anexo e cancele a solicitação. Segundo a empresa, o arquivo em si não seria um vírus, mas um link contido no documento ─ onde o dono da conta deve clicar para contestar a compra ─ o redireciona para um site infectado. Após a primeira tentativa, o usuário da Apple receberia ainda um segundo e-mail informando que as informações de seu Apple ID estariam incompletas e precisariam ser atualizadas.

O corpo do texto traz um link para iniciar uma novo login e mudar as informações do cadastro. O endereço, porém, leva a um site bastante parecido com o verdadeiro, no qual o cliente é induzido a fornecer dados como senha da conta Apple, perguntas de segurança e números de cartões de crédito. Conhecida como phishing, essa prática é bastante comum entre criminosos virtuais. Para não cair no golpe, é preciso estar atento a alguns detalhes. Conforme destaca a própria empresa de segurança, as mensagens em questão trazem algumas falhas bastante óbvias, como o endereço de e-mail suspeito, a saudação genérica (“Querido cliente”) e o fato de conter arquivos em anexo, algo incomum entre comunicados oficiais de empresas. Em alguns casos, porém, o phishing pode ser mais sofisticado e conseguir enganar até mesmo pessoas mais detalhistas. O ideal é se prevenir e, na dúvida, não baixar itens anexados em comunicações suspeitas. Outra dica importante é buscar o site da empresa no Google e verificar se o endereço mostrado condiz com aquele que aparece no e-mail. Além disso, não forneça dados comprometedores, como números de cartões de crédito, informações de contas bancárias ou documentos pessoais, como passaporte, CPF, dentre outros.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Tech Tudo

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Como evitar golpes no Facebook

Sem Comentários

17/10/2017

O Facebook é uma das redes sociais mais usadas no mundo, com um total de 2 bilhões de usuários. Por isso, não são raros os golpes que visam roubar dados dos internautas ou então espalhar links maliciosos. Entre os golpes mais comuns na rede social estão os de romance, no qual o golpista geralmente envia mensagens para pessoas que não o conhecem, fingindo ser alguém divorciado, viúvo ou em um casamento passando por dificuldades, com a esperança de se envolver em um relacionamento online;  os de loteria, que afirmam que a vítima recebeu uma quantia em dinheiro e exige informações pessoais; e os de empréstimo, no qual o golpista envia mensagens oferecendo empréstimos instantâneos a uma taxa de juros baixa, mais uma vez, por uma pequena quantia como adiantamento.

Veja o que você pode fazer para evitar cair em golpes:

  1. Links
    Tome cuidado ao receber mensagens de desconhecidos ou mensagens estranhas de desconhecidos e nunca clique em links suspeitos.
  2. Páginas falsas
    Antes de clicar e compartilhar links de alguma página, verifique se não é uma notícia falsa. Muitos links maliciosos usam endereços de Internet similares a sites de notícias grandes e até possuem páginas que copiam o layout oficial.
    Evite também aceitar convites de contas falsas, pois eles costumam ser feitos para aplicar golpes e tentar roubar acesso de usuários na rede.
  3. Aplicativos
    O Facebook permite utilizar aplicativos em conjunto com a rede social. No entanto, alguns desses aplicativos, como de jogos, quizz e testes de personalidade podem ser usados para roubar informações. Para evitar isso, entre nas “Configurações”, procure por “Aplicativo” e remova o acesso de apps suspeitos.
    O mesmo vale para extensões de navegadores. Antes de acessar sua conta na rede social, veja se existe alguma extensão suspeita instalada. Caso tenha, desinstale e só depois faça login no Facebook.
  4. Sessões ativas
    Nas configurações você pode verificar as sessões ativas da sua conta e checar se o seu Facebook foi acessado em algum computador ou região estranha. Para fazer isso, vá em “Configurações”, depois em “Segurança” e procure por “Onde você se conectou”. Caso identifique uma conexão suspeita, toque nos três pontinhos que aparecem ao lado do dispositivo e clique em “Não é você?”. Agora, se você se conectou, mas esqueceu de deslogar, selecione a opção “Sair”.
  5. Autenticação de dois fatores
    Ative a função de autenticação de dois fatores do Facebook. Dessa forma, você saberá sempre que alguém tentar acessar sua conta, pois receberá uma notificação para confirmar que é você que está tentando acessar a rede social.
    A função pode ser ativada na área de “Segurança”. Aproveite para ativar as notificações sobre logins feitos em dispositivos desconhecidos e você ainda pode escolher de três a cinco amigos para caso você perca o acesso a sua conta.
  6. Mude sua senha
    Caso você perceba que caiu em algum golpe, mude sua senha imediatamente – não só do Facebook, mas também de outras redes sociais e e-mails, e avise o Facebook por meio do link www.facebook.com/hacked e seus amigos, pois os hackers podem usar sua conta para tentar espalhar malware para os seus contatos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Olhar Digital

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Fraude do FGTS atinge 5 milhões de pessoas

Sem Comentários

10/10/2017

Cinco milhões de beneficiários já caíram no golpe que circula desde maio no WhatsApp. A fraude promete a possibilidade de consultar o saldo e resgatar do Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS). De acordo com uma empresa de consultoria de segurança mobile, os trabalhadores clicaram no link falso que receberam, mas nem todos tiveram os dados pessoais vazados ou os recursos retirados. O link fraudulento supostamente possibilitaria ao usuário conferir se está apto a receber R$ 1.760 do Fundo de Garantia. A orientação aos trabalhadores que entraram nesses sites é procurar o banco imediatamente. “Mesmo se não foi roubado, para alterar a senha do cartão e evitar, assim, que os criminosos continuem com acesso à sua conta”, orienta o presidente do Fundo Devido ao Trabalhador.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: O Nortão

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem suspeito de hackear dados bancários é encontrado com R$174 mil em Bocaina do Sul, na Serra de SC

Sem Comentários

07/03/2013

Um homem, de 22 anos, foi indiciado no final da tarde desta quarta-feira por suspeita de hackear contas de banco em Bocaina do Sul. Junto com ele, foram encontrados R$ 174 mil, aparelhos eletrônicos e celulares. Segundo a Polícia Civil, o rapaz teria montado um esquema em parceria com um adolescente utilizando dois sites falsos na internet, sendo um de um banco e outro de um provedor internacional. Primeiro, eles enviavam um spam utilizando o nome do banco e convidando as pessoas para movimentação da conta corrente com um link falso. Depois, os dados digitados pelas vítimas eram copiados pelo adolescente. Estima-se que a dupla tenha conseguido mais de R$800 mil com os golpes e o esquema era feito há cerca de um ano e meio.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Diário Catarinense

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.