Hacker vaza dados pessoais de mais 93 milhões de pessoas; você foi uma delas?

Sem Comentários

03/09/2019

O hacker, é o mesmo que colocou à venda os dados de mais de 600 milhões de pessoas na semana passada. E, no último domingo (17), ele adicionou à sua “lojinha” da dark web informações roubadas de mais oito sites, que também contêm informações pessoais como nome e endereço, e possivelmente até mesmo números de cartão de crédito. Dessas vez, foram afetadas as bases de dados sites No total, essas bases somam informações pessoas sobre quase 93 milhões de pessoas, e o hacker está pedindo cerca de US$ 9.400 no pacote todo.

Evite problemas

A recomendação é de que troque todas as senhas de suas redes sociais e e-mails, e ative a autenticação em dois fatores nos serviços que possuírem essa opção. A partir de uma senha roubada de serviços que você já não utiliza, os criminosos podem tentar acessar seu e-mail e suas redes sociais e, se você não tem o costume de utilizar diversas senhas diferentes, há grandes chances deles conseguirem o acesso a esses serviços.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: CANALTECH

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe:

Milhares cancelam cartões de crédito após roubo de dados na Coreia do Sul

1 Comentário

21/01/2014

Nesta terça-feira (21) dezenas de milhares de sul-coreanos lotaram os bancos do país para bloquear seus cartões de crédito após o roubo de dados confidenciais de ao menos 20 milhões de usuários. Mais de 1,15 milhão de pessoas cancelaram seus cartões de crédito desde segunda-feira e nove milhões de usuários consultaram sua conta na internet para ver se estavam entre as vítimas, segundo a autoridade de controle das transações financeiras. O pânico generalizado foi provocado pela detenção de um funcionário de uma empresa de estudos de solvência, a Korea Credit Bureau (KCB), suspeito de ter roubado as informações pessoais de clientes de três empresas emissoras de cartões de crédito. Logo, ele vendia as informações a empresas de marketing por telefone, cujos diretores também foram detidos no início do mês, informaram a polícia e os Serviços de Vigilância Financeira (FSS), que revelaram no domingo (19) o alcance do desastre. O regulador anunciou que o roubo afeta ao menos 20 milhões de usuários em um país de 50 milhões de habitantes conhecido por ser um dos mais informatizados do planeta. A informação roubada inclui nomes, números de segurança social, telefone, cartões de crédito, assim como da data de expiração, de acordo com o FSS. Nas redes sociais e nos principais sites de internet, os usuários criticavam as horas intermináveis de espera nas agências e os problemas nos sites e nos telefones dos bancos.

Sanções exemplares

“Fiquei telefonando para a central por mais de seis horas e não consegui. Acabei indo diretamente ao banco e tive que esperar mais uma hora antes de poder cancelar meu cartão de crédito”, declarou um cliente do NH Nonghyup.

Dezenas de diretores das três empresas de crédito apresentaram sua renúncia e foram abertas investigações para determinar se as medidas de segurança utilizadas eram adequadas.

“Nós os tornaremos responsáveis pelo vazamento de dados se ficar provado que as medidas utilizadas no momento de compartilhar dados entre as filiais e os controles eram pouco profundas”, declarou o presidente do FSS, Choi Soo-Hyun, citado pela agência de notícias Yonhap. A presidente Park Geun-Hye pediu pessoalmente à justiça sanções exemplares para os ladrões de dados. As três sociedades de crédito em foco se comprometeram a cobrir as eventuais perdas financeiras de seus clientes.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.