Acre é o quinto estado com maior número de golpes em compras online, aponta estudo

Sem Comentários

10/06/2019

As fraudes contra consumidores do Acre que utilizam a internet para fazer compras, cresceram. Segundo o Mapa da Fraude, realizado por uma empresa especializada em segurança de e-commerce, no ano de 2018, a cada R$ 100 gastos em compras online, R$ 5,68 foi por algum tipo de tentativa de fraude, o que coloca o estado como o quinto mais atacado por fraudadores. O levantamento aponta ainda que os segmentos que mais sofreram tentativas de fraudes no ano passado foram compras de celulares, games, bebidas, eletrônico e informática. Em comparação a 2017, os produtos são os mesmos, a diferença é que no ano anterior as tentativas de fraudes cresceram. No setor de celulares, 4,66 % e no setor de eletrônicos, 4,29 %.

Dados nacionais

A média do Brasil é de R$ 3,53 a cada R$ 100 em compras, o que representa um aumento de quase 9% em relação ao ano anterior. De acordo com o estudo, não só o Acre teve esse aumento, mas a região Norte foi a mais atacada, e a cada R$ 100 em compras no e-commerce, R$ 5,43 foram tentativas de fraude. O percentual é 54% maior que a média nacional. Confira a matéria completa no link abaixo.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia prende suspeitos de aplicar ‘golpe do empréstimo’ pela internet

Sem Comentários

21/05/2019

Nesta terça-feira (21), quatro pessoas foram presas suspeitas de participação em golpes aplicados pela internet em Belo Horizonte e na Região Metropolitana. Segundo a Polícia Civil, a quadrilha oferecia falsos empréstimos. A Operação Arlequina prendeu M.V.G., de 31 anos, A.V.M., de 36, F.C.S., de 33, e M.V.S. de 34. A polícia ainda apreendeu notebooks, aparelhos celulares, cartões de crédito, cheques e outros documentos. De acordo com o delegado da 2ª Delegacia de Crimes Cibernéticos, o grupo também fez vítimas em outros estados. “Essas pessoas ofereciam empréstimo a pessoas carentes e à população em geral. Pactuado os valores, eles começavam a cobrar algumas taxas, algumas tarifas, para efetivar o empréstimo. Após fechar o negócio, no dia seguinte, falavam: ‘você deve depositar x em tarifa’. A pessoa fazia o depósito bancário. Esses depósitos geralmente eram com contas fraudadas ou com contas emprestadas por laranjas”, explicou. Segundo ele, novos depósitos continuavam a ser pedidos até que as vítimas não tivessem mais condições de pagar. Até o momento, a polícia estima que o valor movimentado pela quadrilha chegue a R$ 200 mil. Entretanto, esta quantia tende a ser ainda maior. Os sites usados para aplicar o golpe já foram retirados do ar.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é preso após aplicar golpes pela internet em Santos, SP

Sem Comentários

18/03/2019

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG), informou nesta segunda-feira (18), que um homem foi preso em Santos, no litoral de São Paulo, após ser flagrado com documentos falsos que utilizava para aplicar golpes na internet. Segundo a Polícia Civil, J.L.M.S., de 51 anos, tentou enganar os agentes com os documentos falsos ao ser abordado, mas foi descoberto. Além disso, o suspeito também era investigado por crimes de estelionato. Ele utilizava aplicativos e redes sociais para enganar vítimas e aplicar golpes para ganhar dinheiro. Uma das pessoas enganadas pelo homem foi ouvida pelos policiais e mostrou que existem grupos em aplicativos de conversas com mais vítimas. O caso segue sendo apurado para identificar essas pessoas.

Mais de 200 pessoas caem em golpe de venda de veículos na internet

Sem Comentários

12/03/2019

Nos últimos dois anos, um golpe de venda de veículos on-line fez mais de 200 vítimas no Distrito Federal. Só em 2019, pelo menos 49 pessoas caíram na ação criminosa, que consiste em enganar tanto o verdadeiro dono do produto anunciado quanto os potenciais compradores. O estelionatário assume o papel de intermediário na negociação e articula um encontro entre as vítimas. Antes, por telefone, o criminoso conta histórias diferentes tanto para o proprietário quanto para o comprador. Não há estimativa do tamanho do prejuízo, segundo a Polícia Civil. Os primeiros registros do golpe começaram em 2017. Em todos os casos, os bandidos agiram por meio do site de vendas OLX, segundo informações da Divisão de Falsificação e Defraudação (Difraudes), ligada à Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Ordem Tributária e a Fraudes (Corf). Na última quinta-feira (07), um empresário de 56 anos foi enganado pelo estelionatário durante a compra de um Jeep Renegade no valor de R$ 65 mil. “Falei com o anunciante, que se identificou como Carlos Eduardo. Ele disse que o carro estava com um suposto sobrinho, em uma concessionária do Sia, e que articularia uma visita minha”, conta. Às 10h30, o empresário e o suposto sobrinho, que, na verdade, era o dono do carro, se encontraram. “No WhatsApp, Carlos disse para não falarmos de preço, alegando que o familiar também estava interessado no carro, mas que ele queria pagar em parcelas longas.” Então, o estelionatário falou ao empresário que precisava quitar dívidas e, por isso, daria preferência à proposta dele, já que tinha oferecido um sinal de R$ 20 mil. “O homem confirmou ser sobrinho do criminoso e, por isso, não desconfiei de nada. Fechei negócio e fiz o depósito.” Mal sabia o empresário que o suposto parente também tinha caído na ação do estelionatário. Para o dono do veículo, um advogado, o bandido alegou que ia comprar o carro para abater uma antiga dívida com o empresário. “No mesmo dia, o dono do Jeep me ligou desconfiado de que se tratava de um golpe. Ele disse que o estelionatário pediu para que ele dissesse que eram parentes. Na mesma hora, liguei para o gerente do meu banco.”

Ao rastrear o depósito, o empresário identificou que o dinheiro tinha ido para a conta de uma jovem de 19 anos, moradora de Ribeirão Preto (SP). Como a transferência ocorreu à noite, o criminoso sacou pequenas quantias em caixas eletrônicos e não pôde movimentar todo o montante. A vítima conseguiu recuperar quase R$ 18 mil. Ele e o dono do Jeep registraram o boletim policial. “Com o boletim de ocorrência, o meu gerente entrou em contato com o banco da cidade paulista, pedindo o bloqueio da senha da jovem. Assim, congelamos o dinheiro e recuperei quase tudo. No entanto, ainda não estou satisfeito, pois saí no prejuízo”, lamenta.

Quadrilhas especializadas

A delegada da Difraudes, garante que qualquer pessoa pode cair nesse tipo de golpe, que tem crescido em todo o país. “Acreditamos que se tratam de quadrilhas especializadas, pois é uma ação bem articulada, que não levanta suspeita inicial nas vítimas”, sinaliza. A ação criminosa é minuciosa. “Primeiro, o estelionatário fala com o dono do veículo, se mostra interessado e pede mais fotos. Em seguida, cria o segundo anúncio e engana os compradores. Quando uma pessoa o procura para saber do carro ou da moto, ele passa o material adquirido com os proprietários. Depois, articula que a pessoa interessada no bem veja o produto”, detalha. Para evitar que as vítimas falem sobre a venda durante o encontro, o estelionatário inventa novas mentiras. Aos proprietários, o criminoso diz que irá adquirir o veículo para quitar dívida com a pessoa que irá ver o carro ou a moto. Para o comprador, que o bem está com um familiar. Com as desculpas, a delegada destaca que o bandido afirma que “não é preciso tratar do preço, pois é ele o responsável por essa parte.” As investigações acerca do golpe estão no começo e, portanto, ninguém foi identificado ou preso pelos crimes. Mas a apuração dos agentes indica que há a participação de criminosos de outros estados, que possivelmente contam com a ajuda de estelionatários do Distrito Federal. Em nota, a OLX garante condenar as ações criminosas que ocorrem no site, pois “vai contra as regras da empresa.” Ainda, frisa que a plataforma tem um botão de denúncia em todos os anúncios. Assim, qualquer pessoa pode expor práticas irregulares e conteúdos indevidos. “Identificada a irregularidade, a OLX conta com uma equipe especializada que atua sobre as denúncias, deletando os anúncios e banindo o mau usuário da plataforma”, destaca o texto.

Polícia Civil evita golpe pela internet em Águas Mornas

Sem Comentários

26/02/2019

Nesta segunda-feira (25) em Águas Mornas (SC), a Polícia Civil interceptou um golpe que estava em curso pela internet. Policiais foram acionados com a denúncia de uma ocorrência envolvendo a venda de um caminhão, via site OLX. No local dos fatos, os investigadores perceberam que se tratava de um golpe e evitaram que a parte compradora saísse com o veículo do local, um Ford Cargo ano 2005. A vítima, uma mulher moradora de Água Mornas, anunciou o veículo por R$ 100 mil e um estelionatário replicou seu anúncio por valor menor, o que fez com que outra vítima caísse no golpe. O criminoso, nesse caso, pedia um valor de R$ 80 mil e chegou a conseguir extorquir a segunda vítima. O homem então se deslocou do Paraná até Santa Catarina para buscar o caminhão. No local, porém, os policiais da Delegacia de Santo Amaro da Imperatriz lhe explicaram que ele havia caído num golpe também. A vítima, segundo a Polícia Civil, tinha inclusive feito alguns depósitos para o estelionatário, ainda no estado do Paraná, em um total de R$ 60 mil. Com a ação, os agentes conseguiram evitar que o morador de Águas Mornas caísse no golpe, e ainda conseguiram que a vítima paranaense recuperasse R$ 40 mil. Por enquanto, ninguém foi preso pelo crime. A Polícia Civil alerta para esses tipos de negociações virtuais, recomendando sempre que seja verificado o real crédito em conta, para que só depois sejam entregues bens ou produtos. Alerta também que comprovantes enviados via WhatsApp podem ser falsos, e as pessoas devem sempre procurar uma agência bancária oficial para verificar a situação.

Polícia do Acre alerta população sobre golpes aplicados em aplicativos de vendas

Sem Comentários

25/02/2019

Com um número de 20 ocorrências de estelionato registradas nos últimos meses, a Polícia Civil do Acre passou a divulgar uma alerta com cuidados que a população precisa ter ao fazer uma negociação por meio de aplicativos de vendas. A polícia informou que não tem o número exato de casos, mas iniciou um levantamento das ocorrências. Um morador de Brasileia, interior do Acre, chegou a perder R$ 16 mil ao cair no golpe. Segundo a polícia, a vítima depositou o dinheiro em uma conta bancária do Mato Grosso do Sul. O valor seria a primeira parte da compra de um carro. A segunda parte seria depositada quando o veículo estivesse com o comprador. “A vítima fez um depósito no valor de R$ 16 mil em um conta do Mato Grosso do Sul para comprar um veículo de R$ 30 mil, os outros R$ 14 mil ia dar quando recebesse o veículo.

O criminoso simulou que seria o proprietário do carro, mas o proprietário era de Brasileia, e tinha colocado o veículo à venda”, explicou um delegado. Ainda segundo a polícia, o criminoso primeiro ligou para a vítima para pegar as informações do veículo. Com os dados, o suspeito esperou a primeira vítima ligar e fechar o negócio. A polícia acredita que tanto a conta bancária como o dono do chip do telefone usado sejam de ‘laranjas’. “Deu a conta de um terceiro e o saque foi feito em seguida. Tentamos o estorno da transferência, mas já havia sido feito o saque. Solicitamos os dados da conta, temos o cadastro da proprietária da conta e vamos fazer o encaminhamento de carta precatória para Mato Grosso para que ela seja ouvida. Também vamos pedir a quebra do sigilo do celular”, detalhou.

Estelionato virtual aparece em 1º lugar no ranking dos crimes praticados na internet no TO

Sem Comentários

10/02/2019

Em Tocantins, o estelionato virtual apareceu em primeiro lugar no ranking dos crimes praticados na internet em 2018. De acordo com a Polícia Civil, foram registradas 223 ocorrências. O furto qualificado com abuso de confiança também está na lista, com 67 casos. E em terceiro, os crimes contra a honra, como injúria e difamação, com 58 ocorrências. Conforme a delegada especializada em crimes cibernéticos, os criminosos mudaram a maneira de agir e veem na internet um meio fácil para praticar crimes. “O que percebemos hoje é que há uma renovação no modo de agir. Crimes que anteriormente eram praticados de modo mais tradicional, hoje encontra facilidades no ambiente virtual. Isso não só encoraja como provoca um certo aumento, não de crimes virtuais, mas da mudança do modus operandi daquele crime”. O estelionato virtual é praticado muitas vezes por hackers, pessoas que têm um vasto conhecimento na área de informática. Em alguns casos, eles usam vírus ou clonagem de sites. O objetivo é fazer com que o usuário acesse a página. Nesse momento, os criminosos passam a ter acesso a dados, como por exemplo, de contas bancárias. Desde 2017, o Tocantins conta uma delegacia especializada em crimes cibernéticos.

Anterior