Homem perde R$ 1,5 mil ao cair em golpe de suposto estelionatário

Sem Comentários

10/01/2018

Um morador de Sinop (MT) registrou um boletim de ocorrência, na terça-feira (09), na delegacia de Polícia Civil informando que recebeu uma ligação do suposto golpista pedindo para ele instalar câmeras de segurança em sua fazenda. Posteriormente, o suspeito retornou a ligação e pediu para ele depositar R$ 1,5 mil em sua conta alegando que precisaria pagar alguns tratoristas que estavam no local. O dinheiro foi depositado e, logo depois, o suspeito enviou um comprovante de transferência informando que já havia pago o montante emprestado. Porém, o suposto golpista voltou a ligar e pediu a mesma quantia dando a mesma desculpa. A vítima desconfiou, foi até a fazenda indicada e descobriu que o endereço não constava. O homem conversou com os moradores da região e ninguém soube informar quem era o suspeito.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Só Notícias

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Estelionatário é flagrado tentando fazer empréstimo de R$ 13 mil

Sem Comentários

29/11/2017

No centro de Curitiba, em uma agência bancária na rua Marechal Deodoro, um homem, de 42 anos, foi preso em flagrante. O caso ocorreu nesta quarta-feira (29). De acordo com informações da Polícia Civil, ele é suspeito de tentar aplicar um golpe. O homem foi flagrado no momento em que tentava fazer um empréstimo no valor de R$ 13 mil. Para isto, ele apresentou um documento falso com o nome de uma terceira pessoa. Os funcionários do banco desconfiaram dele e acionaram a polícia. O suspeito de estelionato foi preso na área dos guichês de atendimento e encaminhado para a delegacia.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Massa News

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Roteiro para proteger seu dinheiro de fraudes e golpistas

Sem Comentários

01/08/2017

É preciso estar sempre atento em relação ao dinheiro, e em todas as frentes possíveis. Segundo dados divulgados no Congresso Mundial de Geriatria e Gerontologia, ocorrido entre 23 e 27 de julho, um em cada dezoito idosos, mesmo sem problemas cognitivos, é vítima de algum tipo de fraude financeira. Golpistas ficam de olho na aposentadoria e na poupança que a pessoa possa ter guardado durante a vida. Se o indivíduo estiver nos primeiros estágios de demência, pode tomar decisões desastrosas – trata-se de um “custo oculto” de enfermidades como o Alzheimer. Uma pesquisa mostrou que 47% deixam de pagar as contas, ou fazem o pagamento com atraso; 35% realizam compras imprudentes ou desnecessárias; e 21% acabam com suas economias.

Para se proteger – e abrir o olho dos amigos e parentes – confira os golpes mais comuns:

 1) Produtos antienvelhecimento falsos: justamente porque vivemos numa sociedade que endeusa a juventude, pessoas mais velhas podem ser atraídas por anúncios que prometem milagres de rejuvenescimento, com risco para a saúde.

 2) Telemarketing de araque: golpe antigo e recorrente, no qual os bandidos fingem vender produtos que nunca são entregues. De posse dos dados da pessoa, podem ampliar o prejuízo usando essas informações.

 3) Fraudes na internet: elas têm se multiplicado vertiginosamente. Pode ser uma janela que aparece na tela do computador simulando um programa para fazer uma varredura contra vírus – não clique, ok? Ou uma mensagem que parece vir do seu banco, da Receita Federal ou outra empresa conhecida, mas cujo objetivo é ter acesso a seus dados.

4) Netos de mentira em apuros: é uma variante do golpe do falso sequestro. Alguém telefona perguntando: “adivinhe quem está falando, vô/vó?”. Se a vítima morder a isca, dando um nome, baixará a guarda para ajudar um falso neto/neta com um depósito ou outro tipo de socorro financeiro. E é claro que a senha para garantir o sigilo será: “não conte nada para meus pais, se não eles vão brigar comigo”.

 6) Parentes que são serpentes: o mal, com frequência, é causado por gente próxima. Na verdade, a maior parte dos abusos é praticada por filhos, seguidos por netos e sobrinhos. Pode ser um empréstimo que nunca será pago, apropriação dos cartões do idoso, ou surrupiar o dinheiro sem dor na consciência.

 O que fazer para evitar a fraude ou se desconfiar que uma está em andamento:

 1) Se for procurado com algum tipo de oferta, exija que a proposta seja enviada por escrito. Avise que não toma decisões apressadamente e peça dados do seu interlocutor: nome, endereço da empresa, identidade, enfim, mostre que está atento, o que fará o outro desistir se tiver más intenções.

 2) Instale antivírus em seu computador, proteja sua caixa de mensagens com um anti spam e elimine e-mails desconhecidos. Não anote senhas em locais óbvios (como agendas).

 3) Confira regularmente seu saldo bancário e extratos de rendimentos. Em hipótese alguma dê informações pessoais ou financeiras por telefone, a menos que você mesmo tenha procurado o serviço. Considere a hipótese de ter alguém de confiança para ajudar neste monitoramento.

 4) Os sinais mais evidentes de que algo de errado pode estar acontecendo com um ente querido:

a) Ele começa a apresentar comportamento confuso ou demonstra medo.

b) Há saques atípicos na conta corrente ou uso do cartão de crédito por terceiros.

c) Contas deixam de ser pagas apesar de a pessoa ter renda.

d) Quem cuida do idoso dificulta o acesso a ele.

 No momento em que se der conta de que está presenciando ou vivendo uma situação de abuso, entre em contato com o banco ou a operadora de cartões, fazendo os cancelamentos necessários. Não tenha medo ou vergonha de falar sobre isso com alguém em quem confie, você não está sozinho.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Fique ligado. Dicas do BrSafe para evitar essa modalidade de fraude.

Dois homens são presos em golpe de estelionato com cartão falso em BH

Sem Comentários

27/10/2016

No fim da tarde desta quinta-feira (27), dois homens foram presos por tentarem dar um golpe em um supermercado no Bairro Caiçara. Conforme a Polícia Militar, a dupla falsificava documentos e com eles fazia um cartão da loja. Não foi a primeira vez que a dupla aplicou o golpe, porém na primeira eles conseguiram concluí-lo. Os agentes investigam se houve participação de um funcionário no esquema. Na semana passada os mesmos homens foram ao estabelecimento, fizeram um cartão com documentos alterados e compraram dois aparelhos celulares no valor de R$ 4 mil, segundo a PM. Nesta quinta, os golpistas retornaram ao supermercado para aplicar o mesmo golpe. Contudo, a segurança do local já havia sido avisada por empregados da loja para ficar atenta a um possível retorno deles. Quando os homens entraram no supermercado, foram rendidos pelos seguranças e detidos até a chegada da polícia ao local. Em depoimento aos policiais, um dos golpistas contou que um funcionário do supermercado também estaria envolvido na falsificação das identidades e na produção dos cartões. O acusado teria participação em metade dos lucros provenientes da venda das mercadorias. A dupla será levada para a Central de Flagrantes da Polícia Civil.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: EM

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Suspeito de golpe em caixa eletrônico é preso após perseguição na Paraíba

Sem Comentários

06/10/2016

Um homem suspeito de roubar dinheiro, aplicando golpes durante operações de clientes bancários em caixas eletrônicos, foi preso em flagrante na manhã desta quinta-feira (06) em João Pessoa. Conforme informações da polícia, ele oferecia ajuda às pessoas no momento das operações nos caixas eletrônicos e se aproveitava para enganar os clientes e sacar todo dinheiro das contas. Uma das vítimas desconfiou da ação, tentou avisar uma funcionária da agência, localizada em Cruz das Armas, mas o suspeito percebeu e fugiu. Na fuga, houve perseguição por uma viatura, que acabou batendo em um muro, e o carro do suspeito chegou a derrubar um motociclista. O homem do golpe foi preso poucos metros depois por uma outra viatura. Com ele apontado como golpista a polícia encontrou o dinheiro que havia sido roubado na agência de Cruz das Armas na manhã desta quinta-feira. Conforme uma das vítimas, o suspeito agia se aproveitando de uma suposta falha no caixa para sacar e roubar o dinheiro do cliente. “Eu coloquei o cartão, digitei a senha e o teclado parava de funcionar. Aí ele estava atrás de mim na fila e indicou que eu fosse para o caixa seguinte. Foi nesse momento que ele foi para o caixa que eu estava e sacou dinheiro. Eu achei estranho, suspeitei que fosse o meu dinheiro e avisei a funcionária do banco. Ele notou e saiu correndo”, comentou a vítima sem se identificar. A polícia percebeu a movimentação e deu início à perseguição assim que o suspeito saiu correndo da agência e entrou em um carro. Uma mulher, que também foi vítima do falsário, explicou que o suspeito sacou mais de R$ 800 referente ao salário do mês. O dinheiro recolhido e o suspeito foi encaminhado para a Central de Polícia, no bairro do Geisel, em João Pessoa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Golpista se passa por mulher e juiz e rouba R$ 60 mil de ‘amigo’ no ES

Sem Comentários

04/08/2016

Na tarde da quarta-feira (03), no bairro BNH, em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Espírito Santo, um desempregado de 26 anos foi preso em flagrante pela polícia. Durante um ano e meio, J.L.T.Silva fingiu ser uma mulher e, depois, se passou por um juiz de direito para roubar cerca de R$ 60 mil de um agricultor, de quem o suspeito se dizia amigo. Conforme o titular da Delegacia Patrimonial de Cachoeiro de Itapemirim, J.L. era amigo de longa data do agricultor e também vizinho dele em uma zona rural do município. “Sabendo da ingenuidade da vítima e problemas de saúde, audição e visão, se beneficiou e aplicou os golpes”, afirma o delegado. Todos os golpes eram orquestrados por telefone. No primeiro, que durou cerca de oito meses, J.L. afirmou à vítima que uma ‘amiga’ estava interessada em conhecê-lo. Através conversas telefônicas, o suspeito se passava pela mulher e pedia dinheiro por diversos motivos, entre eles para ajudar a pagar contas. O ‘amigo’ J.L. se prontificava a fazer a intermediação do dinheiro. “Após ela não aparecer pessoalmente, a vítima resolveu não dar mais dinheiro. Então, o suspeito criou outro personagem, o juiz de direito, sabendo que a vítima tinha um processo na Justiça”, afirma o delegado. Novamente, o estelionatário se prontificou a fazer o intermédio dos pagamentos do suposto juiz, que iria avançar e fazer com que o agricultor ganhasse a causa. As quantias passadas ao estelionatário eram de valores variados. Durante a prisão, nesta quarta-feira, ele receberia R$ 350.

Alerta de amigos

De acordo com o titular, amigos do agricultor que desconfiaram dos golpes foram até a polícia e contaram todos os casos. “Os amigos nos informaram que o agricultor faria um novo saque bancário e novo pagamento ao suspeito, no bairro BNH. Eu e agentes da Patrimonial fomos ao local, que fica próximo à delegacia e o prendemos em flagrante”. Em depoimento, J.L. confessou os crimes, mas afirmou que a quantia subtraída é de R$ 10 mil. “Ele disse que o dinheiro era para motivos diversos, pagar contas, já que estava desempregado e afirmou também estar arrependido do crime”, afirma. O suspeito, que já tinha passagem na polícia em 2011 por roubo, foi preso por estelionato e, se condenado, poderá cumprir pena de cinco anos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia Civil alerta para novo golpe aplicado na região

Sem Comentários

08/03/2016

O setor de investigação da Delegacia de Polícia de Içara alerta para um novo golpe praticado na região. Trata-se do “golpe do português” no qual indivíduos bem-vestidos com cidadania portuguesa, inclusive, falando com sotaque lusitano chegam em residências geralmente de classe média e contam a seguinte história, segundo o investigador da DP de Içara. “Eles relatam que trouxeram de seus pais na Europa uma grande quantia de materiais de marcas conhecidas para uma exposição no Brasil. No entanto, por causa do fim da exposição e a alta carga alfandegaria para remeter os produtos de volta para Portugal estão liquidando as mercadorias na região”, explica. O investigador frisa que todos os materiais são falsos, como: faqueiros, bolsas e camisas de marcas conhecidas. Segundo o investigador, duas famílias já relataram o golpe na região praticado por uma mulher. Cada venda varia, em média, R$ 2,5 mil.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Engeplus

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior