Preso suspeito de golpes de veículos pela internet

Sem Comentários

11/07/2019

Um homem de 28 anos foi preso nesta quinta-feira (11) pela Delegacia de Polícia de Rio Pardo (RS). O crime de estelionato teria ocorrido na cidade no dia 1º de Julho deste mesmo ano. Através de golpe realizado por conhecido site de venda, a vítima perdeu o veículo GOL, ano 2014, no valor de 30 mil reais. O homem foi preso na cidade de Caxias do Sul (RS) e o veículo apreendido na cidade de Canoas (RS).

Conforme o delegado responsável pelas investigações, o acusado, nos últimos oito meses, lesou mais de 28 pessoas de golpes de veículos, através do site, no Rio Grande do Sul, principalmente regiões do litoral e norte do estado. O preso foi recolhido ao sistema prisional à disposição da justiça. A ação contou com o apoio da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) de Canoas e agência regional de inteligência da Brigada Militar de Caxias do Sul.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Revista News

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Mais de 2,3 mil casos de estelionato foram registrados em MT entre janeiro e abril deste ano

Sem Comentários

25/06/2019

O estado de Mato Grosso registrou 2.312 casos de estelionato no primeiro quadrimestre deste ano. O dado se manteve parecido com o mesmo período do ano passado, quando foram contabilizados 2.311 registros. Os dados são da Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal (Ceac) da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) e abrange todas as modalidades praticadas do crime, dentre elas, internet e telefone. O Código Penal Brasileiro define estelionato como crime contra o patrimônio com o objetivo de obter vantagem ilícita em prejuízo alheio. Em 2018 foram registrados em Mato Grosso 6.578 casos de estelionato. Já no mesmo período de 2017 foram 6.390 ocorrências. Uma prática que tem lesado algumas pessoas é a fraude mediante clonagem do aplicativo de mensagens WhatsApp. Neste modelo, o suspeito se utiliza da rede de contatos da vítima e pede que quantias em dinheiro sejam transferidas na conta de uma terceira pessoa. Por se tratar de um contato conhecido da vítima, a mesma repassa valor e só depois descobre que caiu em um golpe. Um analista de tecnologia explica que a clonagem não é uma prática nova, mas tem vitimado muitas pessoas por falta de adoção de medidas primárias.

Orientações

 O delegado chefe da Gerência de Crimes de Alta Tecnologia (Gecat), orienta que em caso de clonagem do celular, a vítima deve imediatamente registrar um boletim de ocorrência e na sequência avisar seus contatos e familiares sobre a fraude, e bloquear o chip junto à operadora de telefonia. Se o criminoso tiver conseguido habilitar a verificação em duas etapas, reinstale novamente o aplicativo e digite erroneamente códigos sucessivos até bloquear a conta. Outro passo importante, após ter a conta do aplicativo WhatsApp invadida por um criminoso, é encaminhar um e-mail para support@whatsapp.com, em português mesmo, solicitando o bloqueio da conta. No corpo da mensagem, o usuário deve colocar o código do país. A empresa vai desativar a conta do aplicativo, que somente poderá ser utilizada em sete dias.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia Civil prende jovem suspeito de aplicar golpes em Uberaba e região

Sem Comentários

18/06/2019

Na segunda-feira (17), a Polícia Civil prendeu um jovem de 28 anos, suspeito de aplicar golpe em vítimas em Uberaba, Sacramento e Araxá. De acordo com o delegado responsável, o jovem se passava por intermediador na venda de veículos. Ele clonava um anúncio de veículo de um site de vendas e replicava o mesmo anúncio em um grupo em rede social, mas por um valor bem abaixo ao do mercado. “Então, o comprador entrava em contato com ele, e ele ficava de intermediário entre o comprador e o vendedor, só que, em nenhum momento, ele deixava os dois conversarem. Marcava um encontro e, quando ele encontrava o comprador e o vendedor para mostrar o veículo, ele falava de um ágio, que tinha ser pago em dinheiro. Ele pegava o dinheiro da vítima, ia embora e deixava o comprador e o vendedor conversando. Logo, as vítimas percebiam que haviam caído em um golpe”, contou o delegado. A Polícia Civil conseguiu chegar até o jovem depois que uma vítima, que estava negociando com ele em Conquista, marcou o encontro e ficou desconfiada que poderia ser um golpe, por causa do modo de agir dele. “Fomos ao local e confrontando com as imagens de Uberaba, tivemos certeza que era a mesma pessoa. O jovem foi preso em flagrante por tentativa de estelionato e vai ficar à disposição da Justiça na Comarca de Conquista”, explicou o delegado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia Civil prende homem suspeito de estelionato em Maceió

Sem Comentários

22/05/2019

Nesta quarta-feira (22), um homem foi preso por suspeita de aplicar golpes em Maceió. De acordo com a Polícia Civil (PC), ele é natural da Bahia e já havia sido preso no estado pelo mesmo motivo. Os agentes do Grupo de Investigação da Delegacia Geral (GIDG) ainda informaram que o acusado, de 45 anos, foi detido no momento em que tentava efetuar um empréstimo em um banco, utilizando um documento falso. Em depoimento, ele confessou que foi contratado por um segundo homem para realizar um saque de R$ 11 mil. Em seguida, esse indivíduo o buscaria na saída da agência e o pagaria 10% do valor pelo serviço prestado. Com ele, a polícia encontrou cinco identidades falsas, com os locais de nascimentos em municípios do interior de Alagoas e da Bahia. Segundo os agentes, as investigações sobre o caso devem continuar para que o homem citado pelo suspeito seja encontrado. Após a prisão, o sujeito foi encaminhado à Central de Flagrantes I, no bairro do Farol, para a realização dos procedimentos cabíveis.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Gazeta Web

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Grupo suspeito de estelionato é detido em hotel de Araxá

Sem Comentários

14/05/2019

Foram presas em Araxá, no Alto Paranaíba, por suspeita de estelionato, quatro pessoas com idades entre 30 e 41 anos. De acordo com a Polícia Militar (PM), eles são da região de Belo Horizonte, se passavam por funcionários de empresas que não tiveram registros encontrados e aplicam golpes em todo o estado. A PM recebeu informações de que eles estavam hospedados em um hotel na cidade. Ao chegar no local, os policiais se depararam com os envolvidos que foram abordados. A polícia apurou que os suspeitos são naturais de Belo Horizonte, Contagem e Ibirité. Questionados, eles disseram que são vendedores autônomos de duas empresas de produtos terapêuticos e de segurança. Porém, segundo a PM, não apresentaram documentos que comprovassem vínculo empregatício ou a existência das empresas. Segundo a PM, eles abordavam as vítimas e, durante a negociação, solicitavam o cartão bancário delas e passavam por diversas vezes, debitando o valor das contas. Com eles foram apreendidos cartões bancários, aparelhos celulares, dinheiro, máquinas de cartão, diversos eletrônicos e blocos de contrato em nome de duas empresas, além de uma bucha de maconha e ainda camisetas azuis estampadas com nomes de falsas empresas. Além disso, com o grupo os militares encontraram dois contratos de compra e venda de produtos, e foi verificado que estavam em nome de uma vítima. Foram realizadas consultas e nenhum registro ou CNPJ que comprovasse a existência destas empresas foi encontrado. Eles foram encaminhados a delegacia da Polícia Civil, juntamente com o material apreendido.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é detido suspeito de aplicar golpes em clientes de agência bancária em Piracicaba

Sem Comentários

14/05/2019

Na manhã desta terça-feira (14), em Piracicaba (SP), um homem foi detido suspeito de aplicar golpes em uma agência bancária na Avenida Independência. Ao precisar de informações, os clientes ligavam em um número gratuito falso e forneciam dados bancários, que eram usados pelos criminosos para transferências de valores. O segundo suspeito do crime está foragido. Conforme informações da Guarda Civil Municipal (GCM), eles foram acionados após o monitoramento do banco filmar dois homens demorando na utilização dos caixas eletrônicos. Quando os guardas chegaram, um deles fugiu e o outro foi capturado. Em um dos caixas, foi encontrado um dispositivo que travava as teclas do equipamento e, ao lado, um adesivo com um número de telefone 0800 falso. Ainda conforme a GCM, ao ter problemas para usar o caixa, a pessoa ligava no número, que caía no celular dos suspeitos. Durante a ligação, eles pediam as informações bancárias dos clientes e com os dados, faziam as transferências bancárias. Não foi informado valores desviados pelos criminosos. A Polícia Científica foi acionada para realizar a perícia na agência e confirmar a irregularidade do dispositivo. O caso foi encaminhado para a Unidade de Polícia Judiciária (UPJ) de Piracicaba.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Mulher é presa por revender joias adquiridas em um golpe de estelionato em Montes Claros

Sem Comentários

09/05/2019

Nessa quarta-feira (08), uma mulher de 38 anos foi presa em Montes Claros suspeita de revender produtos de um estelionatário. De acordo com informações da Polícia Militar, ela foi apontada por uma mulher como proprietária de uma grande quantidade de joias e semijoias. Os produtos, para a PM, foram adquiridos pelo homem em janeiro deste ano; ele pegou cerca de R$ 130 mil em joias para revender, mas não pagou e desapareceu. O autor do estelionato já foi identificado, mas ainda não foi preso. O homem de 28 anos já havia sido denunciado por outros golpes de estelionato com as mesmas características. A PM conseguiu chegar até a mulher que foi presa após uma denúncia de que as joias retiradas de joalheria estavam sendo revendidas em uma plataforma online. A mulher que fez o anúncio contou à polícia que havia sido contratada pela mulher de 38 anos para revender a mercadoria. Ela assumiu ser a proprietária, mas não informou onde comprou as joias e não tinha nenhum documento fiscal. Através de documentações, a joalheria, que fica no Centro da cidade, comprovou que as joias pertencem à empresa. Parte do material foi recuperada, e a polícia tenta localizar o estelionatário.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior