Polícia prende suspeitos de aplicar ‘golpe do empréstimo’ pela internet

Sem Comentários

21/05/2019

Nesta terça-feira (21), quatro pessoas foram presas suspeitas de participação em golpes aplicados pela internet em Belo Horizonte e na Região Metropolitana. Segundo a Polícia Civil, a quadrilha oferecia falsos empréstimos. A Operação Arlequina prendeu M.V.G., de 31 anos, A.V.M., de 36, F.C.S., de 33, e M.V.S. de 34. A polícia ainda apreendeu notebooks, aparelhos celulares, cartões de crédito, cheques e outros documentos. De acordo com o delegado da 2ª Delegacia de Crimes Cibernéticos, o grupo também fez vítimas em outros estados. “Essas pessoas ofereciam empréstimo a pessoas carentes e à população em geral. Pactuado os valores, eles começavam a cobrar algumas taxas, algumas tarifas, para efetivar o empréstimo. Após fechar o negócio, no dia seguinte, falavam: ‘você deve depositar x em tarifa’. A pessoa fazia o depósito bancário. Esses depósitos geralmente eram com contas fraudadas ou com contas emprestadas por laranjas”, explicou. Segundo ele, novos depósitos continuavam a ser pedidos até que as vítimas não tivessem mais condições de pagar. Até o momento, a polícia estima que o valor movimentado pela quadrilha chegue a R$ 200 mil. Entretanto, esta quantia tende a ser ainda maior. Os sites usados para aplicar o golpe já foram retirados do ar.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Casal que aplicava golpe de falso pagamento em compras na internet é preso no AP

Sem Comentários

18/05/2019

Na tarde deste sábado (18), um casal foi preso suspeito de praticar golpes em compras feitas na internet. A captura da dupla ocorreu no município de Santana, a 17 quilômetros de Macapá, após denúncia anônima. Segundo a polícia, os estelionatários usavam um site de compra e venda para se conectarem com a vítima. Eles escolhiam o produto, acertavam detalhes com o vendedor e simulavam depósito bancário. Com um comprovante forjado em mãos, eles marcavam um encontro com a pessoa. Nesse momento diziam ser policiais militares. Sem desconfiar de nada, a vítima entregava o produto aos golpistas. Ainda segundo a polícia, a dupla agia a mando de um detento do Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen), que já teria sido identificado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Duas mulheres e adolescentes são detidas suspeitas de aplicar golpe em sites de compra e venda em MT

Sem Comentários

11/05/2019

Na sexta-feira (10), três mulheres foram detidas após aplicarem golpes pela internet em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá. Segundo a Polícia Militar, elas aplicavam golpes em sites de compra e venda. As suspeitas têm 21, 19 e 16 anos. Uma delas foi pega em flagrante sacando dinheiro em um caixa eletrônico de uma vítima de Minas Gerais. Ela disse que o saque estava sendo feito a mando de um homem e levou os policiais até a casa onde ele estaria. No local as outras duas comparsas foram detidas. O suposto mandante ainda não foi encontrado. Além das mulheres, os policiais apreenderam na casa mais de R$ 4 mil em dinheiro, além de comprovantes de depósitos e cheques bancários.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Mulher é vítima de golpe na internet e tem prejuízo de R$ 9,5 mil em Mogi

Sem Comentários

10/05/2019

Na quinta-feira (09), uma mogiana de 58 anos teve prejuízo de R$ 9,5 mil depois de cair em um golpe pela internet. A vítima contou à polícia que viu o anúncio de uma moto em um site de compra e venda. Ela entrou em contato com o anunciante por telefone e ele disse que fecharia negócio com depósito em conta corrente. Antes de fazer a transação bancária, a vítima recebeu por e-mail um contrato de venda da moto. No documento constava o logo de uma empresa fabricante de tratores. A vítima questionou a relação da empresa com a moto e segundo o suposto anunciante, a fabricante de máquinas agrícolas tinha feito um sorteio e a ganhadora não queria a moto e sim o dinheiro. Por este motivo a empresa estava vendendo o veículo. Acreditando na versão do suposto anunciante, a vítima fez o depósito no valor de R$ 9,5 mil. Em seguida, foi até a empresa para pegar a moto, mas foi informada que não foi feito nenhum sorteio. Nesse momento a mulher percebeu que foi vítima de um golpe e procurou a polícia. O caso foi registrado como estelionato.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Duas pessoas são vítimas de tentativa de estelionato na Capital

Sem Comentários

12/05/2019

Duas vítimas em dias diferentes e o mesmo ‘modo operandis’. A primeira, uma jovem de 21 anos disse que anunciou a venda do veículo no site de venda de veículos OLX, na última quinta-feira (09). O comprador informou por meio do WhatsApp que fez o depósito com o valor do veículo, porém, a informação que a vítima confirmou na agência é de que o envelope estava vazio. No segundo caso, um rapaz de 21 anos também anunciou a venda do veículo, no sábado (11) e o comprador também confirmou o depósito na conta. Contudo, em troca de mensagens, o homem insistiu em buscar o veículo na casa do jovem, localizada no bairro Jardim Los Angeles.  As duas situações foram registradas como estelionato na forma tentada, na Delegacia de Pronto Atendimento (Depac Piratininga). 

Flagrante

Neste domingo (12), por volta do meio-dia, um casal chegou a casa do proprietário para levar o veículo e sua esposa acionou a equipe da Rotac que conseguiu flagrar a dupla, saindo da residência da vítima. O homem foi identificado como R.A.C., de 19 anos,  e a mulher, M.C.S., de 25. Questionados sobre a negociação do veículo e o não pagamento, o rapaz disse que tinha sido contratado por uma pessoa que se encontra presa no Instituto Penal de Campo Grande, para pegar o veículo e levar até um endereço no bairro Estrela do Sul, no dia anterior, mas recusou por estar longe do local de entrega. Enquanto conversavam, ele recebeu várias ligações informando que deveria levar o veículo (VW Gol) do Jardim Los Angeles até o Jardim Colúmbia e entregar para Maria Atais que esperaria no endereço informado. Os policiais prenderam a dupla e a terceira mulher envolvida nas negociações. As investigações continuam para identificar a pessoa que realizava as ligações e está detida no sistema penitenciário.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Correio do Estado

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Adolescente cai em golpe ao anunciar na internet venda de celular por R$ 1.350

Sem Comentários

09/05/2019

O caso, registrado como estelionato consumado pela Delegacia Participativa na noite desta quarta-feira (08), é investigado pela Polícia Civil. Quem compareceu à repartição policial para elaborar o Boletim de Ocorrência foi a mãe do rapaz. Ela contou que o filho anunciou a venda do celular na internet pelo valor de R$ 1.350. Um homem entrou em contato e pediu para o adolescente postar a venda em outro site de negócios, pois “assim ficaria mais seguro para os dois”, o que foi feito e ambos deram início à transação. A venda foi fechada pelo valor de R$ 1.350 e o suposto comprador ainda depositaria mais R$ 100 para o envio do aparelho pelos Correios. Como o suposto comprador passou uma foto de um comprovante de pagamento no valor acordado, o adolescente enviou-lhe o aparelho pelos Correios e pagou as taxas. No entanto, um amigo viu o comprovante e desconfiou da imagem. Ele verificou no sistema do site de negócios que não constava o pagamento e alertou a mãe do adolescente de que se tratava de um golpe. A mãe dirigiu-se aos Correios, mas foi informada de que o celular já havia sido enviado ao destinatário. A mulher ainda tentou cancelar a entrega, porém, não conseguiu. O marido dela, segundo o Boletim de Ocorrência, entrou em contato via mensagem com o suposto comprador e ele informou que não vai receber o produto, o qual será entregue na cidade de São Paulo (SP). Com o registro do BO, a Polícia Civil iniciou a apuração do caso.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia Civil alerta para golpes de estelionato em Divinópolis

Sem Comentários

17/04/2019

A Polícia Civil tem recebido um alto número de denúncias envolvendo estelionatários em Divinópolis. Após a prisão de um jovem de 25 anos, no dia 05 de abril, que vendia pacotes de viagens que não existiam, 15 vítimas compareceram à Delegacia para prestar queixa contra o suspeito. No entanto, segundo uma delegada, golpes envolvendo a venda de veículos e de imóveis também são comuns na cidade. Em 2019, até o momento, 40 pessoas denunciaram golpes envolvendo a compra e venda de veículos na internet. Os golpistas se passam pelos donos do veículo e o ofertam a um valor mais baixo do que o da tabela. Após fechar o negócio, os suspeitos pedem que o dinheiro seja depositado em uma conta bancária e a pessoa só percebe que foi vítima de um golpe ao tentar realizar a transferência do veículo. De acordo com a delegada, os golpistas sacam o dinheiro rapidamente, dentro de até 20 minutos – o que dificulta a ação da polícia. “É possível rastrear [o dinheiro], só que é um procedimento demorado que depende de quebra de sigilo bancário”, revelou.

Falso corretor

Ela revelou que outro golpe que vem sendo aplicado na cidade é o do falso corretor de imóveis. Um suspeito, que não teve a idade revelada, mas que já foi condenado por estelionato, está preso desde a semana passada. Ele é investigado há seis anos por golpes de estelionato em Divinópolis e dez vítimas procuraram a Delegacia para denunciar o suspeito. “Desde 2013 até atualmente ele continua aplicando o mesmo golpe. Ele se faz passar por corretor de imóveis, quando na verdade, nem registro no Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Minas Gerais [Creci] ele tem”, afirmou a delegada. Uma das vítimas do homem afirmou à equipe do MG1 ter encontrado a oferta de financiamento de um lote, com prestações que caberiam no orçamento da família, feita pelo suspeito. “Ele falou que ia fazer uma construção para a gente, mandou foto de planta, mostrou alguns lotes. A gente escolheu um lote, deu um valor de R$ 1,4 mil, ele levou a gente em uma empresa de engenharia que ele conhecia e essa pessoa da empresa, o próprio engenheiro, pediu para eu dar mais uma averiguada”, revelou.

Anterior