Estelionatária é presa em flagrante tentando dar golpe em banco

Sem Comentários

15/07/2019

A Justiça decretou, neste domingo (14), prisão preventiva à estelionatária identificada como V.S.S.. Ela foi presa em flagrante, tentando aplicar um golpe em uma agência bancária no Centro do Rio (RJ) na última sexta-feira (13). De acordo com a polícia, no momento em que foi presa, a mulher debochou dos policiais alegando que seria liberada pela Justiça, o que não aconteceu.

O delegado, titular da 17ª DP de São Cristóvão, relatou que o crime foi descoberto por meio de denúncia de que uma quadrilha de estelionatários estaria prestes a roubar a agência e o objetivo da ação criminosa era desabilitar os cartões extraviados e sacar o dinheiro.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Super Rádio Tupi

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Suspeito de estelionato com 65 passagens pela polícia é preso ao tentar vender saxofone na web

Sem Comentários

11/07/2019

Nesta quinta-feira (11), um homem de 44 anos foi preso em flagrante ao tentar vender um saxofone em um site em Sorocaba (SP). O homem já estava sendo procurado por estelionato e possuía 65 passagens pela polícia. Segundo investigações do 3º Distrito Policial, o homem já era monitorado pela polícia e estava sendo procurando pela Justiça desde janeiro do ano passado com 5 mandados de prisão. De acordo com a Polícia Civil, o estelionatário foi preso no bairro Guadalajara com o saxofone avaliado em aproximadamente R$ 20 mil. Havia também, um Boletim de Ocorrência (B.O.) por estelionato com o número de série do instrumento.

Ao ser abordado pelos policiais em flagrante, ele alegou que conseguiu o saxofone em uma feira de troca de produtos em Campinas (SP). Ainda conforme a polícia, o suspeito foi encaminhado ao plantão policial e passará por audiência de custódia por conta da situação de flagrante.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Empresária deposita R$ 4 mil para falso primo e cai em golpe

Sem Comentários

12/07/2019

Foi registrado nesta quarta-feira (10) no Primeiro Distrito Policial de Votuporanga o caso de uma moradora da cidade que caiu em um golpe de estelionato ao depositar R$ 4 mil em uma conta do suposto primo de seu marido, que havia enviado uma mensagem por um aplicativo de mensagem solicitando um empréstimo. 

De acordo com o Boletim de Ocorrência (B.O.), o criminoso teria enviado a mensagem para o marido da vítima, se passando por seu parente e alegou estar precisando de uma quantia de R$ 4 mil e disse ainda que devolveria o valor em até uma semana. Dado o fato, a vítima prontificou-se a ajudar o suposto primo e realizou duas transações bancárias no valor solicitado.

O prazo de uma semana expirou-se e o estelionatário não cumpriu com o acordo combinado. A empresária então entrou em contato com o primo de seu marido e lhe foi dito que um indivíduo havia invadido seu aplicativo de mensagens e que estava se passando por ele. Nas conversas, o criminoso pedia várias quantias para seus contatos e, ao perceber isso, o primo também registrou um boletim de ocorrência. A mulher prontamente tomou a mesma atitude e relatou o caso para o Primeiro Distrito Policial da cidade como estelionato.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Jornal A Cidade de Votuporanga

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Mulher cai no golpe do bilhete premiado e perde mais de R$ 37 mil

Sem Comentários

12/07/2019

Nesta quinta-feira (11), uma senhora de 58 anos caiu no golpe do bilhete premiado, em Patrocínio (MG). Segundo informações da Polícia Militar (PM), a vítima relatou que retornava a pé para sua residência momento em que foi abordada por uma mulher.

A estelionatária tinha aproximadamente 50 anos e, em seguida, relatou que possuía uma rifa premiada e que não sabia onde receber a premiação e solicitou a ajuda da vítima para encontrar. Neste instante um homem, de aproximadamente 40 anos, se aproximou das duas e participou da conversa. Logo em seguida, pediu para examinar a rifa e informou que o valor do prêmio era de oito milhões de reais. O homem também disse que, para provar a veracidade do bilhete premiado, era necessário mostrar uma grande quantidade de dinheiro ao gerente do local em que receberia o prêmio.

A mulher, dona do bilhete, prometeu que pela ajuda daria 10% do prêmio para a vítima. A vítima então deslocou em seu veículo levando os dois indivíduos até a agência bancária e sacou R$ 2 mil, porém o homem disse à vítima que essa quantia não era suficiente. Então os golpistas a convenceram a vítima deslocar-se até sua própria residência para pegar sua caixa de joias avaliada em R$ 30 mil e entregou aos indivíduos, além de seus dois anéis avaliados em R$ 5 mil e €$ 60 euros em dinheiro, também entregues à suposta dona do bilhete premiado. Após isso, os criminosos fugiram, deixando a vítima com um prejuízo de mais de R$ 37 mil.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Triângulo Notícias (TN)

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Casal de idosos de Curitiba cai em ‘golpe do travesseiro’ e tem prejuízo de mais de R$ 9 mil

Sem Comentários

12/07/2019

Nesta terça-feira (9), um casal de idosos de Curitiba (PR) caiu no “golpe do travesseiro”. O homem e a mulher, que têm mais de 70 anos, disseram que tiveram um prejuízo de mais de R$ 9 mil. Eles registraram um Boletim de Ocorrência (B.O.) na Delegacia de Estelionato. Eles relataram que foram abordados por um casal que vendia travesseiros e estava em um carro com placas de Belo Horizonte (MG), conforme consta no Boletim de Ocorrência. Os idosos passaram a quantia de R$ 65, que era o preço cobrado pelo travesseiro, várias vezes na máquina de cartão, com mais de um cartão de crédito, pois os vendedores diziam que os cartões não estavam funcionando.

Mais tarde, os idosos foram até a agência bancária e descobriram, no extrato, cinco compras de autoria desconhecida. O casal de idosos não foi ressarcido pelo banco.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Banco de fachada no DF aplicou golpe de R$ 400 mil em empresário

Sem Comentários

11/07/2019

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) investiga um banco sediado em Brasília pela suspeita de aplicar golpes em clientes de todo o país. Prometendo empréstimos milionários, o banco de fachada exigia dos investidores um valor de garantia antes de liberar os recursos. No entanto, após realizar o depósito, as vítimas não recebiam a quantia combinada nem mesmo a devolução da contrapartida.

O empresário que denunciou o caso conheceu dois sócios deste suposto banco por meio de um primo e então, embarcou para Brasília em maio de 2016 com o objetivo de negociar um empréstimo de R$ 3 milhões e dar início à realização de seu projeto. A vítima é proprietária de uma loja de móveis desde 2002, mas sempre teve vontade de abrir dois postos de combustíveis no município em que mora. Então o empresário entregou dois cheques de R$ 150 mil acreditando que receberia o primeiro depósito, de R$ 1 milhão, após 30 dias. O prazo expirou e o empresário não recebeu o montante nem conseguiu reaver o dinheiro dado a título de caução.

Depois de cair no golpe, ele diz estar “atolado” em dívidas, sem crédito na praça e que teve dificuldades até mesmo de vir à capital do país para prestar o depoimento. Os sócios do suposto banco foram indiciados pelo crime de estelionato, mas as investigações continuam. A PCDF quer saber se outras irregularidades foram cometidas e se há outras vítimas.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Metrópoles

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Preso casal que fingia representar instituições para recolher doação

Sem Comentários

10/07/2019

Nesta terça-feira (9), um casal foi preso suspeito de integrar uma das maiores quadrilhas de estelionato do estado do Rio de Janeiro. 

De acordo com as investigações, a dupla fez 301 vítimas em três anos de atuação em diversas regiões do Rio de Janeiro. Eles fingiam ser representantes de instituições para arrecadar quantias entre R$ 50 e R$ 200 de pessoas solidárias, que acreditavam estar ajudando crianças, idosos ou até pacientes com câncer. Um dos suspeitos foi detido em flagrante quando recolhia uma doação em dinheiro, fingindo ser para uma instituição de caridade.

A polícia descobriu que o homem recebia 15% dos valores, enquanto a mulher repassava 40% das doações para os demais integrantes da quadrilha. Os suspeitos vão responder por organização criminosa e estelionato. Outros dois integrantes da quadrilha também já foram identificados.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: R7

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior Próximo