Mulher é presa com documentos falsos ao tentar realizar saque em agência bancária no Acre

Sem Comentários

07/02/2019

Na manhã desta quarta-feira (06) em Rio Branco, a Polícia prendeu F.F.C., de 60 anos, por crime de estelionato. Ela foi flagrada usando um documento de identidade falso em nome de outra pessoa e tentava efetuar saques em uma agência bancária do município. A suspeita agia em em dupla com outra mulher, que fugiu do local. As duas já haviam efetuado saques no valor de R$ 5 mil e R$ 7 mil, respectivamente, na terça (05), utilizando documentos e cartões de outras pessoas. F.F. apresentava documento de identidade com fotografia própria e o nome de outra pessoa. Da mesma forma foram apresentados os cartões de crédito correspondendo ao nome dos documentos de identidade. A mulher foi levada para a Delegacia de Flagrantes (Defla) para prestar esclarecimentos.

Aposentada cai em golpe e perde R$ 9 mil em Araraquara

Sem Comentários

07/02/2019

Na tarde desta quinta-feira (07), uma idosa perdeu R$ 9 mil após cair em um golpe, dentro de banco da região central de Araraquara. O caso foi registrado e a Polícia Civil vai investigar para identificar autor. Conforme informações do Boletim de ocorrência, a aposentada de 73 anos aguardava pelo atendimento, quando um homem se aproximou e ofereceu ajuda. Acreditando tratar-se de um funcionário da agência, a vítima entregou um envelope com R$ 9 mil para ser depositado, com a promessa de receber o recibo. Em seguida, o homem desapareceu.  A idosa foi até o gerente para confirmar o depósito, porém, o mesmo não foi feito. Ao perceber que foi enganada, a vítima procurou o Segundo Distrito Policial para realizar o Boletim de ocorrência. Ela descreveu o homem como sendo alto, forte e com aproximadamente 50 anos.

Polícia prende três suspeitos de desviar dinheiro de contas bancárias no DF

Sem Comentários

07/02/2019

Agentes da Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Ordem Tributária e a Fraudes (Corf) prenderam três homens acusados de desviar dinheiro de contas bancárias de terceiros. A suspeita dos policiais é a de que eles conseguiam dados por meio da internet e realizavam transferências das contas das vítimas. A estimativa é que eles tenham lucrado mais de R$ 40 mil com o golpe. A primeira prisão aconteceu na segunda-feira (04), em Ceilândia. E.J.S.L., de 35 anos, foi preso em flagrante no momento em que se preparava para realizar um saque. Ele havia desviado R$ 10 mil de uma vítima, e os agentes o localizaram no momento em que tentava retirar R$ 2 mil em uma agência. De acordo com o delegado à frente do caso, o homem transferia o valor da conta da vítima para um terceiro, que realizava o repasse para ele. Essa pessoa ainda não foi identificada pela corporação. “Vamos continuar as investigações para apontar os envolvidos”, disse. Ainda segundo o investigador, a vítima não percebeu que teve esse valor debitado da conta e a própria agência bancária acionou a polícia, que iniciou as investigações. No entanto, os agentes ainda não conseguiram identificar como o suspeito conseguiu chegar até os dados bancários.  

Duas outras prisões

Na quarta-feira (6/2), os policiais prenderam mais dois homens suspeitos de cometer o mesmo crime. G.S.B., de 28 anos, e M.J.M.F., de 29, desaviaram R$ 29 mil de outra vítima. Eles foram detidos no momento em que retiravam R$ 6 mil em uma agência em Taguatinga. Os investigadores suspeitam que os três criminosos tenham ligação. “A forma de agir deles era muito parecida, e o crime ainda aconteceu no mesmo banco, mas em agências diferentes”, comentou o delegado. Agora, os policiais continuarão trabalhando para identificar se os suspeitos lesaram mais vítimas e se há mais pessoas envolvidas.

Depois de cair em golpe de falso corretor, assistente perde R$ 3,2 mil da entrada de apartamento em Mogi

Sem Comentários

07/02/2019

Uma assistente administrativo de 32 anos perdeu R$ 3,2 mil depois de ser atendida por um falso corretor de imóveis. À polícia, ela afirmou que foi atendida por ele no estande de um empreendimento imobiliário de Mogi das Cruzes. Já a cooperativa que construiu o condomínio disse que ela já chegou ao local com o estelionatário, que conheceu em uma imobiliária. O caso foi denunciado à polícia nesta quarta-feira (06). A mulher contou que no dia 30 de novembro foi ao estande de venda de um empreendimento imobiliário no Conjunto do Bosque. Lá, ela disse que foi atendida por um corretor que lhe apresentou o imóvel. A assistente acabou comprando um apartamento no valor de R$ 121 mil. Para a assinatura do contrato, ela disse ter pago R$ 3,2 mil. Depois deu cópias de diversos documentos pessoais, como RG, CPF, holerite e uma declaração para liberação do FGTS. Após o depósito do dinheiro, ela disse que recebeu por e-mail uma cópia do contrato. A vítima assinou e entregou para o corretor.

A assistente relatou que o corretor ficou de entregar uma cópia do contrato assinado pela empresa responsável pelo empreendimento. Como isso demorou para acontecer, ela entrou em contato com a empresa, que a informou que o contrato era falso e ela tinha caído em um golpe. Ao perguntar pelo corretor foi informada que o homem teria acesso ao empreendimento, porém não era funcionário da empresa. A Cooperativa informou que não detém corretores de imóveis em seu quadro de funcionários e que tem contratos de parceria com duas empresas de assessoria imobiliária, justamente objetivando conceder maior segurança nas negociações, e caso a pessoa lesada visitasse o estande, seria atendida por uma dessas duas empresas.

Supervisora de Mogi perde R$ 1,4 mil no golpe do conserto do carro

Sem Comentários

06/02/2019

Uma supervisora de 29 anos de Mogi das Cruzes perdeu R$ 1,4 mil, no golpe do conserto do carro. Ela comunicou o caso à Polícia Civil nesta terça-feira (05). No 2º Distrito Policial, a vítima contou que recebeu um telefonema de um homem que se identificou como um primo dela de Minas Gerais. Ele disse que precisava de R$ 1,4 mil, para pagar uma seguradora para buscar o carro dele que tinha quebrado. A vítima explicou que acreditou que ele era mesmo seu primo, porque o golpista falou o nome da mãe, da irmã e do filho dela. A vítima disse que fez o depósito do dinheiro na conta indicada pelo golpista. Após fazer a transação, ela ligou para uma tia, que explicou que nada tinha acontecido com o carro do filho. A supervisora destacou que neste momento percebeu ter sido vítima de um golpe.

Cliente é vítima de golpe em agência bancária de Sorocaba

Sem Comentários

03/02/2019

No sábado (02), em Sorocaba (SP), um cliente de uma agência bancária caiu em um golpe de um estelionatário. Segundo a Polícia Militar, a vítima estava com dificuldade para fazer uma operação no caixa eletrônico. Foi então que uma pessoa ofereceu ajuda dizendo que estava ao telefone com um funcionário da agência que poderia ajudar. O cliente passou todas as informações pessoais para o estelionatário, incluindo as senhas, e foi chamada para fora da agência para resolver o problema. Outra pessoa que estava no local suspeitou da situação e comentou que poderia ser um golpe. Ao voltar para dentro da agência, a vítima percebeu que o estelionatário havia fugido. A PM foi acionada e, ao chegar ao local, constatou que havia uma máquina falsa de cartão no caixa eletrônico, que foi instalada para captar dados. O estelionatário continua sendo procurado. A polícia não informou se a vítima chegou a perder dinheiro com o golpe.

Casal é preso por estelionato na zona sul de São José, SP

Sem Comentários

04/02/2019

Na tarde desta segunda-feira (04), um casal foi preso por estelionato no Parque Industrial em São José dos Campos (SP). Segundo a Delegacia de Investigações Gerais (DIG), os suspeitos utilizavam documentos falsos para abrirem contas bancárias e faziam saques em nome de outras pessoas. Eles aplicaram golpes em uma agência em Jacareí e funcionários acionaram a polícia, que passou a monitorar a dupla a partir do episódio. A polícia surpreendeu a dupla em uma agência em São José. Com eles foram apreendidos cartões, dinheiro e documentos falsos usados para abrir as contas. Eles foram levados para a delegacia, onde ficaram presos por uso de documentos falsos e estelionato.

Anterior Próximo