Banco terá que restituir à correntista valores sacados por fraudadores

Sem Comentários

02/10/2019

O juiz de direito substituto da 5ª Vara da Fazenda Pública do DF determinou que um banco declare nulo contrato de empréstimo realizado por fraudadores em nome de cliente cujo cartão teria ficado preso em terminal de autoatendimento. A instituição bancária terá ainda de restituir à correntista valores sacados indevidamente de sua conta corrente e de seu cartão de crédito.Narra a autora que no dia 7/12/18, por volta das 20h, dirigiu-se a um dos caixas eletrônicos da agência bancária. No momento em que tentava sacar dinheiro, seu cartão magnético teria ficado travado na máquina. Foi quando uma mulher teria lhe oferecido ajuda e fornecido um número 0800 como se fosse do autoatendimento do banco. A pessoa que atendeu a chamada, por sua vez, teria solicitado dados pessoais e informado que retornasse àquela agência no dia útil seguinte para fazer a retirada do cartão que ficara preso. Três dias após o ocorrido, a autora tomou conhecimento de que terceiros teriam realizado diversas movimentações financeiras em sua conta, no valor total aproximado de R$ 14.298,56. A correntista afirma que o banco réu não teria tomado precauções para evitar o golpe. Conta, também, que registrou Boletim de Ocorrência e que a 3ª Delegacia de Polícia do DF realizou a prisão em flagrante de estelionatários que portavam notas fiscais de celulares em seu nome. Dessa forma, o julgador determinou que o banco deverá anular o contrato de empréstimo firmado em nome da autora e restituir os valores eventualmente por ela pagos para quitação do referido empréstimo. Além disso, deverá devolver os R$ 350 sacados indevidamente, assim como os demais saques fraudulentos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Jornal Jurid

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Conheça o golpe de motorista de aplicativo para multiplicar conta de passageiros

Sem Comentários

01/10/2019

Um golpe aplicado por um motorista de aplicativo serve de alerta para usuários deste tipo de transporte na capital mineira. O homem, de 41 anos, foi preso em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, depois de enganar e dar prejuízo a diversas pessoas. Segundo a Polícia Civil, ele conseguiu, com o estelionato, arrecadar, ao menos, R$ 50 mil. Mas, acredita-se que mais pessoas podem ter sido vítimas. As investigações apontaram que o homem escolhia, em sua maioria, vítimas idosas. Ao fim da corrida, ele afirmava ao passageiro que o pagamento prévio não tinha sido registrado e convencia a vítima fazer o pagamento em cartão de débito. Para isso, rodava com uma máquina. A polícia vai continuar com as investigações para tentar encontrar outras vítimas do motorista. Ele vai responder por estelionato.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Jornal Estado de Minas

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Entregadores de comida aplicam o golpe do delivery.

Sem Comentários

01/10/2019

O usuário faz um pedido usando algum aplicativo de entrega que o conecta com um estabelecimento. O entregador chega e, no momento da cobrança, disponibiliza uma maquininha com o visor quebrado ou com arranhões que impedem a visualização do valor digitado. Ele irá dizer que sofreu uma queda em uma das entregas e, por isso, o equipamento está daquele jeito. O entregador digita um valor bem superior ao correto, e o consumidor, já envolvido com a história, digita a senha sem desconfiar que está caindo em um golpe. Há dezenas de casos sendo investigados em todas as regiões de São Paulo, por exemplo. A maquininha danificada pertence ao golpista, e não ao estabelecimento que preparou a refeição. E, para diminuir o risco de ser identificado, a conta com o valor real será paga pelo próprio golpista na maquininha certa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: TudoGolpe – BlogosferaUOL

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Estelionatários fingem ser delegados da Polícia Civil do RS para aplicar golpe dos nudes

Sem Comentários

24/09/2019

Criminosos que aplicam o chamado golpe dos nudes estão usando fotos de delegados da Polícia Civil do RS para extorquir as vítimas. Nesta modalidade de estelionato, perfis falsos de mulheres nas redes sociais adicionam homens — preferencialmente casados — e trocam mensagens e fotos eróticas. Com prints dessas conversas, os golpistas se passam por policiais, ameaçam as vítimas e exigem dinheiro, alegando a existência de suposta investigação por pedofilia. Depois de adicionar uma jovem em uma rede social, um caminhoneiro conta que passou a receber mensagens de um suposto delegado que disse estar investigando queixas de parentes da jovem. Ela, segundo o suposto policial, seria adolescente. “Senti pânico. Na hora, a gente chega até a pensar em pagar, até por uma coisa que não fez” conta o caminhoneiro. Até uma cópia de boletim de ocorrência forjado os criminosos enviaram ao caminhoneiro. Mesmo assim, a vítima decidiu não pagar os R$ 3 mil solicitados pelo suposto delegado. Ao procurar o policial, descobriu a farsa. A Delegacia de Repressão aos Crimes informáticos da Capital investiga diversos casos e orienta as vítimas desse tipo de extorsão a procurarem as autoridades e não realizarem pagamentos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: GAUCHAZH

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

 

Acusado de estelionato tinha vida de luxo com golpes que chegam a R$ 2 mi

Sem Comentários

18/09/2019

Jeito sedutor, palavras bem escolhidas e uma vida de luxo. Era assim que o golpista, de 39 anos, se apresentava para as vítimas. Confiante, o homem acusado de estelionato relatava ser dono de uma empresa especializada em gestão financeira. Seis mulheres e um homem acabaram caindo na lábia do suspeito, dando altos valores para investimento em um falso fundo nos Estados Unidos. Os golpes somam mais de R$ 2 milhões. Até a manhã de terça-feira (17/9), três vítimas haviam prestado depoimento na Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Ordem Tributária e a Fraudes (Corf). Uma quarta pessoa é esperada para formalizar depoimento, assim como a mãe do acusado, que é suspeita de auxiliar nos golpes. No Imposto de Renda deste ano, o suspeito declarou um patrimônio de R$ 1,2 milhão. De acordo com o delegado, o acusado criava contratos com as vítimas e usava-os para prestar contas ao Leão. “Ele legalizou todo o dinheiro obtido por meio de golpe para não cair na malha fina e gerar desconfiança”, detalha. “Apuramos que os golpes ocorrem desde 2011. Estamos em fase de investigação, além de as vítimas também estarem vindo à delegacia. Assim, identificamos como o acusado agiu com cada pessoa e quanto cada uma perdeu”, conclui o delegado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: CORREIO BRAZILIENSE

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia prende grupo que aplicou golpe em 55 mil brasileiros usando criptomoedas

Sem Comentários

18/09/2019

A Polícia Federal e a Receita Federal desmantelaram nesta semana um suposto golpe praticado por uma empresa sediada em Novo Hamburgo (RS), que prometia lucros de 15% no mercado de criptomoedas e captava dinheiro dos interessados sem autorização. De acordo com as autoridades, 55 mil brasileiros teriam investido no negócio, com um valor acumulado de, pelo menos, R$ 850 milhões obtidos até fevereiro, um montante que já pode ser maior que R$ 1 bilhão, segundo as autoridades. A ideia era apetitosa. De acordo com a PF, cujas investigações começaram em janeiro, a promessa era que os lucros viriam já no primeiro mês de investimento, com resultados muito mais altos até mesmo que os obtidos no mercado de criptomoedas. Entretanto, não foi encontrado nenhum indício de que moedas virtuais efetivamente tenham sido adquiridas; em vez disso, os cinco sócios da empresa, sendo dois casais e um quinto homem, sacavam o dinheiro ou o redirecionavam a aplicações de renda fixa, com rentabilidade muito menor que a prometida aos clientes. A prática teria sido iniciada em fevereiro de 2018, com 80% dos investidores fraudados depositando quantias de até R$ 20 mil. O dinheiro foi repassado a partir de agências bancárias em 823 cidades brasileiras para três contas em nome da empresa, de onde, na sequência, eram direcionados para as aplicações sob controle dos sócios ou, então, para as despesas pessoais deles.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: CANALTECH

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Ex-gerente de banco em Niterói é acusada de dar golpe milionário em clientes

Sem Comentários

16/09/2019

A 77ª DP (Icaraí) investiga pelo menos dez denúncias contra uma ex-gerente de uma agência em Niterói. Clientes afirmam que a ex-gerente, que não trabalha mais no banco, realizou transferências, saques e empréstimos em suas contas sem ser autorizada por eles. Somadas, as movimentações podem chegar a R$ 2 milhões. A Polícia Civil pede que outras possíveis vítimas procurem o Núcleo de Fraudes da delegacia para denunciar o crime. A Polícia Civil afirma que, em junho, um correntista da agência, que recebera cerca de R$ 89 mil de herança de sua mãe, foi à delegacia denunciar que percebeu movimentações estranhas em sua conta-corrente. A advogada que representa a vítima, diz que a gerente se aproveitava da relação de confiança com os clientes para realizar as fraudes. A investigação também apura se outros correntistas foram vítimas da gerente. Em algumas contas, ela teria contratado empréstimos e, imediatamente, depositado o dinheiro em contas de outras vítimas, para dificultar a identificação da origem e do destino da transação. A reportagem tentou falar com a acusada, mas não conseguiu contato. O telefone pessoal que a ex-gerente fornecia aos clientes foi desabilitado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: OGLOBO

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior Próximo