Acusado de estelionato tinha vida de luxo com golpes que chegam a R$ 2 mi

Sem Comentários

18/09/2019

Jeito sedutor, palavras bem escolhidas e uma vida de luxo. Era assim que o golpista, de 39 anos, se apresentava para as vítimas. Confiante, o homem acusado de estelionato relatava ser dono de uma empresa especializada em gestão financeira. Seis mulheres e um homem acabaram caindo na lábia do suspeito, dando altos valores para investimento em um falso fundo nos Estados Unidos. Os golpes somam mais de R$ 2 milhões. Até a manhã de terça-feira (17/9), três vítimas haviam prestado depoimento na Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Ordem Tributária e a Fraudes (Corf). Uma quarta pessoa é esperada para formalizar depoimento, assim como a mãe do acusado, que é suspeita de auxiliar nos golpes. No Imposto de Renda deste ano, o suspeito declarou um patrimônio de R$ 1,2 milhão. De acordo com o delegado, o acusado criava contratos com as vítimas e usava-os para prestar contas ao Leão. “Ele legalizou todo o dinheiro obtido por meio de golpe para não cair na malha fina e gerar desconfiança”, detalha. “Apuramos que os golpes ocorrem desde 2011. Estamos em fase de investigação, além de as vítimas também estarem vindo à delegacia. Assim, identificamos como o acusado agiu com cada pessoa e quanto cada uma perdeu”, conclui o delegado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: CORREIO BRAZILIENSE

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia prende grupo que aplicou golpe em 55 mil brasileiros usando criptomoedas

Sem Comentários

18/09/2019

A Polícia Federal e a Receita Federal desmantelaram nesta semana um suposto golpe praticado por uma empresa sediada em Novo Hamburgo (RS), que prometia lucros de 15% no mercado de criptomoedas e captava dinheiro dos interessados sem autorização. De acordo com as autoridades, 55 mil brasileiros teriam investido no negócio, com um valor acumulado de, pelo menos, R$ 850 milhões obtidos até fevereiro, um montante que já pode ser maior que R$ 1 bilhão, segundo as autoridades. A ideia era apetitosa. De acordo com a PF, cujas investigações começaram em janeiro, a promessa era que os lucros viriam já no primeiro mês de investimento, com resultados muito mais altos até mesmo que os obtidos no mercado de criptomoedas. Entretanto, não foi encontrado nenhum indício de que moedas virtuais efetivamente tenham sido adquiridas; em vez disso, os cinco sócios da empresa, sendo dois casais e um quinto homem, sacavam o dinheiro ou o redirecionavam a aplicações de renda fixa, com rentabilidade muito menor que a prometida aos clientes. A prática teria sido iniciada em fevereiro de 2018, com 80% dos investidores fraudados depositando quantias de até R$ 20 mil. O dinheiro foi repassado a partir de agências bancárias em 823 cidades brasileiras para três contas em nome da empresa, de onde, na sequência, eram direcionados para as aplicações sob controle dos sócios ou, então, para as despesas pessoais deles.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: CANALTECH

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Ex-gerente de banco em Niterói é acusada de dar golpe milionário em clientes

Sem Comentários

16/09/2019

A 77ª DP (Icaraí) investiga pelo menos dez denúncias contra uma ex-gerente de uma agência em Niterói. Clientes afirmam que a ex-gerente, que não trabalha mais no banco, realizou transferências, saques e empréstimos em suas contas sem ser autorizada por eles. Somadas, as movimentações podem chegar a R$ 2 milhões. A Polícia Civil pede que outras possíveis vítimas procurem o Núcleo de Fraudes da delegacia para denunciar o crime. A Polícia Civil afirma que, em junho, um correntista da agência, que recebera cerca de R$ 89 mil de herança de sua mãe, foi à delegacia denunciar que percebeu movimentações estranhas em sua conta-corrente. A advogada que representa a vítima, diz que a gerente se aproveitava da relação de confiança com os clientes para realizar as fraudes. A investigação também apura se outros correntistas foram vítimas da gerente. Em algumas contas, ela teria contratado empréstimos e, imediatamente, depositado o dinheiro em contas de outras vítimas, para dificultar a identificação da origem e do destino da transação. A reportagem tentou falar com a acusada, mas não conseguiu contato. O telefone pessoal que a ex-gerente fornecia aos clientes foi desabilitado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: OGLOBO

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Golpe do FGTS em aplicativo de troca de mensagens atinge 100 mil em dois dias

Sem Comentários

12/09/09

Após o governo de divulgado que a Caixa Econômica Federal irá liberar R$ 500,00 das contas ativas e inativas do FGTS para saque, os golpistas viram uma oportunidade para enganar usuários desavisados e roubar seus dados pessoais. De acordo com o laboratório especializado de uma desenvolvedora brasileira de aplicativos de segurança digital, em apenas dois dias, mais de 100 mil pessoas foram atingidas pelo golpe do FGTS em um aplicativo de troca de mensagens. O golpe também tem circulado por e-mail e SMS. Como perguntas como: “Desejar sacar todo seu FGTS?” ou “Você sacou algum valor do FGTS nos últimos três meses?”. Ao clicar no link, o usuário é encaminhado para uma nova pagina, que induz a compartilhar a mensagem falsa com mais dez amigos do WhatsApp, para que o suposto saque seja liberado. Segundo a consultoria, por hora são registrados, pelo menos, 2.083 novos acessos ao link da fraude. Esse golpe é conhecido como phishing, prática de obtenção de dados pessoais e senhas por meio de links falsos que direcionam o usuário para websites maliciosos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: CORREIO DO ESTADO

Saiba como evitar esse e outros tipos de fraude acessando a página do BrSafe, um sistema moderno e eficaz no combate a fraude em documentos.

Estelionatário que oferecia empréstimos bancários falsos é preso no Amapá

Sem Comentários

11/09/2019

Acusado de se passar por funcionário de um banco e oferecer falsos empréstimos, o acusado foi preso por estelionato nesta sexta-feira (6), por volta de 13h, na casa onde morava, Zona Oeste de Macapá(AP). O estelionatário estava foragido desde 16 de junho desse ano e já respondia pelo mesmo crime. Ele foi condenado a três anos e meio, em regime fechado. As investigações foram conduzidas pelo Núcleo Operacional de Inteligência (NOI) da Polícia Civil. De acordo com o delegado da 1ª Delegacia de Polícia (DP), o acusado se passava por funcionário do banco, oferecia empréstimos a juros baixos e facilitava a intermediação para criação de projetos, supostamente necessários para a operação, em troca pedia adiantamento no valor de R$ 8 mil. “Ele tinha um perfil de vítima, geralmente empresários, aplicava o golpe e depois sumia (…) a grande sacada dele era oferecer facilidades para a contração do empréstimo”, explicou o delegado. Segundo a polícia, o homem já possui sete processos por estelionato. Só na 1ª DP havia três inquéritos contra ele, que atuava desde 2018.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é preso tentando sacar R$ 34 mil de golpe em MT

Sem Comentários

06/09/2019

Um homem de 35 anos foi preso pela Polícia Civil na quarta-feira (04.09) no município de Nova Xavantina (MT), dentro de uma agência bancária, tentando sacar o dinheiro. O suspeito intermediava a venda de um caminhão por meio da internet, no valor de R$ 100 mil. A vítima interessada, moradora de Mairiporã (SP), ofereceu a quantia de R$ 60 mil pelo veículo. Ficando acertado a transferência de R$ 34 mil em conta corrente, como sinal do negócio. Após contato com o real vendedor, a vítima procurou a Delegacia de Polícia Civíl de São Paulo, onde solicitou apoio da Polícia Civil de Mato Grosso. Segundo o Delegado, “Essa não é a primeira vez que o suspeito se envolve em golpes”.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: VG Notícias

Saiba como evitar esse e outros tipos de fraude acessando a página do BrSafe, um sistema moderno e eficaz no combate a fraude em documentos.

Preso acusado de aplicar golpes em compra e venda de veículos

Sem Comentários

21/08/2019

Foi preso nesta semana em Goiás, um homem acusado de praticar o golpe do falso depósito. Segundo a polícia, o homem simulava a transferência de dinheiro para furtar carros e motos anunciados em um aplicativo de vendas. “Primeiro ele simulava uma transação bancária pela internet, ‘printava’ a página, mostrava para o vendedor, e após alegar que o dinheiro demoraria de 20 a 30 minutos para cair na conta, afirmava que estava com pressa, pedia para ir embora no carro ou moto e dizia que depois voltaria para buscar o documento de transferência”, contou o delegado. De maio até agora, sete vítimas procuraram a delegacia e relataram terem sido vítimas do acusado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Mais Goiás

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior