Vítima cai em golpe após acreditar que padrasto ganhou R$12 mil em RO

Sem Comentários

05/10/2016

Nesta quarta-feira (05), após ser vítima de um golpe e perder aproximadamente R$100, um operador de máquinas de 22 anos procurou a Delegacia de Polícia Civil de Colorado do Oeste, no Cone Sul de Rondônia. O homem recebeu uma ligação de um suposto funcionário de uma operadora telefônica dizendo que o padrasto dele, um sitiante, havia ganhado R$ 12 mil, mas precisava depositar uma quantia para ter direito ao prêmio. O operador de máquinas recebeu uma ligação de Santa Catarina (SC) por volta das 12h30. No telefonema, uma pessoa de voz masculina alegou que o padrasto dele, que é o dono do aparelho telefônico, havia ganho um prêmio no valor de R$ 12 mil. No entanto, para ter acesso ao dinheiro, teria que ir até uma agência bancária específica e depositar R$99,99 em uma conta que levava o nome de uma mulher. A princípio, a família tentou depositar a quantia através da conta do padrasto, porém, como não havia saldo, o operador de máquinas utilizou o próprio dinheiro e concluiu o depósito. Depois do procedimento, o suposto golpista ligou para eles no intuito de confirmar o pagamento e, a partir de então, não obtiveram mais nenhum retorno sobre o tal prêmio. O caso foi registrado na delegacia como estelionato. A polícia irá investigar.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Banco não responde por golpe telefônico sofrido por correntista

Sem Comentários

27/06/2016

Os bancos não devem indenizar cliente que sofreu golpe por telefone se não houve conivência ou omissão. Esse foi o entendimento da 3ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região ao negar pedido feito por uma correntista de Santa Maria (RS). Ela afirmou que, em 2014, recebeu mensagem de celular em nome de uma operadora de telefonia informando que havia sido contemplada com um prêmio de R$ 10 mil. Entretanto, para receber o valor, ela teria de fazer três depósitos de R$ 999 na conta de terceiros. Após as transferências, a mulher consultou seu extrato e constatou que havia três depósitos programados na sua conta nos valores de R$ 10 mil, R$ 8,5 mil e R$ 185. Sentindo-se confiante, ela fez mais 11 depósitos e comprou R$ 470 em cartões telefônicos para concorrer a um carro. Em sua conta apareciam lançamentos futuros de R$ 18 mil. Entretanto, no dia seguinte, os valores não foram confirmados pelo depositante e ela percebeu que havia caído num golpe. Ela ajuizou ação contra o banco, alegando que caberia à instituição impedir que aparecessem em seu extrato como créditos futuros valores ainda não efetivados. O pedido, porém, foi negado tanto em primeira instância como pela 3ª Turma do TRF-4. Conforme um desembargador federal, relator do caso, a situação fática seria culpa exclusiva da vítima, não tendo havido ato ilícito por parte do banco. “Na hipótese, a cliente foi vítima de golpe por telefone, sem a participação, conivência ou omissão do banco”, concluiu o desembargador.

Homem fornece senha de cartão e leva golpe de R$ 17 mil por telefone

Sem Comentários

10/06/2016

Um Boletim de Ocorrência por estelionato foi registrado, nesta quinta-feira (09), pela Delegacia Participativa de Presidente Prudente (SP), por volta das 14h30. Segundo consta no registro, a vítima passou, por telefone, a senha e o código de segurança de seu cartão bancário para uma  pessoa que fingiu ser funcionária da agência na qual possui conta e levou um golpe de R$ 17 mil. Na tarde da quarta-feira (08), a vítima recebeu a ligação de uma mulher, que se passou por uma atendente bancária e questionou o homem se ele havia feito compras em Campinas (SP). O dono dos dados bancários respondeu que não, momento em que a mulher afirmou que “estavam usando seu cartão para compras de valor muito alto”, o que havia motivado o contato da mesma. Como já havia passado por situação semelhante, o homem ficou pensando sobre o assunto, entretanto, “deixou passar”. Já por volta das 16h do mesmo dia, a suposta funcionária da agência voltou a ligar e disse que pagamentos e transferências estavam sendo feitos pela internet. Ela perguntou à vítima se a mesma tinha interesse em bloquear o cartão, mas que, para isso, precisaria digitar a senha e precisaria informar os códigos do cartão. O homem concordou e passou os dados. Cerca de uma hora depois, várias mensagens via celular passaram a chegar, avisando sobre transações feitas de sua conta. Foi então que o homem ligou para a Central de Atendimento da agência bancária e narrou o ocorrido. O atendente afirmou que R$ 4.999,35 haviam sidos transferidos de sua conta, além de uma solicitação de empréstimo no valor de R$ 12 mil. A agência também informou que conseguiria creditar o valor transferido para sua conta novamente e que, como não houve tempo hábil para o depósito, o banco estornaria o valor do empréstimo. O atendente passou o nome do titular da conta para a qual o dinheiro seria encaminhado.

Ler a notícia na íntegra

Jovem de 24 anos cai em golpe do celular e perde R$ 11 mil

Sem Comentários

18/03/2016

Um jovem de 24 anos caiu no golpe do celular premiado e teve um prejuízo de R$ 11 mil neste mês. Ele efetuou diversas recargas em números de telefones passados por golpistas, além de ter depositado quantias de dinheiro que, agora, ele espera recuperar. Conforme o depoimento da vítima à polícia, desde 9 de março, ele recebeu várias ligações, além de mensagens, em seu número dizendo que seu celular havia sido contemplado com R$ 75 mil. Mas que, para receber o prêmio, era necessário fazer depósitos e recargas de créditos em números de telefones passados pelos suspeitos ainda não identificados pela Polícia Civil. Na última terça-feira, após ter efetuado vários depósitos e recargas, ele desconfiou que se tratava de um golpe e procurou o 1º Distrito Policial para registrar um boletim de ocorrência. Ao todo, o rapaz disse ter perdido R$ 11 mil com o golpe. O delegado responsável rastreou as contas que constam como sendo de bancos de Fortaleza (CE). Segundo ele, o próximo passo é identificar os titulares e acionar a polícia cearense e obter a restituição do dinheiro.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: GCN

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Proteja-se de golpes aplicados por telefone

Sem Comentários

29/02/2016

Um dos setores que mais registraram aumento nas tentativas de golpe no ano passado foi o de telefonia. Conforme levantamento da Serasa Experian, o crescimento nesse tipo de golpe foi de 4,5% no comparativo ao ano anterior. A majoração se deve ao número de pessoas que hoje tem a possibilidade de comprar e manter uma linha e um aparelho. Além disso, fatores como desemprego e estagnação econômica levam as pessoas a ficar mais fragilizadas e acreditar em vantagens, promessas e sorteios. “É nesse momento, quando existe uma fragilidade por parte do consumidor, que o golpista age”, explica um advogado especialista em direitos do consumidor. Frases como “você ganhou um carro e uma casa” fazem vítimas fáceis em golpes via telefone. A fragilidade emocional das pessoas que recebem mensagens via celular contribui para que elas transfiram dados e informações, ou seja, elas vão respondendo perguntas que possibilitam o envolvimento no golpe. Outra modalidade comum de golpe é pedir um depósito de uma quantia em valor para conceder o falso prêmio.

Desconfiar sempre
Para evitar cair em golpe, a pessoa deve desconfiar de prêmios e sorteios dos quais não tenha participado. Caso esteja desconfiada, não deve fornecer informações. É recomendável que faça que a pessoa do outro lado forneça dados para provar que ela sabe de verdade do que está tratando. “Faça perguntas para verificar se a pessoa entra em contradição”, orienta o advogado. Depois de desligar o telefone, deve entrar em contato com a empresa, procurando números de ouvidoria ou serviço de atendimento ao consumidor para verificar se as informações são verdadeiras.
Delegacia
Quem receber mensagens com conteúdo duvidoso deve procurar a delegacia. Com o registro fica fácil divulgar esse tipo de golpe e ajudar possíveis vítimas. Outra dica do advogado é que a pessoa não deposite dinheiro em contas que não conhece. A divulgação de documentos e informações financeiras deve ser feita somente em negócios que esteja tratando.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Comércio do Jahu

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Bandido se passa por juiz e tenta aplicar golpe em empresário

Sem Comentários

24/02/2016

Investigadores da Polícia Civil procuram por um homem que tentou aplicar golpe em um empresário se passando por um juiz da comarca de Naviraí. Na segunda-feira (22), à noite, o golpista ligou no celular do empresário, se identificou como juiz e agendou uma reunião de negócios para o dia seguinte. Na manhã desta terça-feira (23), o empresário recebeu outro telefonema do golpista cobrando sua presença na reunião e pediu que ele inserisse crédito em um aparelho celular. Ele justificou o pedido dizendo que estava em meio a uma audiência e que a conexão com o modem havia sido perdida. O empresário então desconfiou, foi até o Fórum e descobriu a mentira. Em seguida, comunicou o caso na 1ª Delegacia de Naviraí.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Correio do Estado

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Jovem cai em golpe dos créditos e dá prejuízo de R$ 900 para comércio

Sem Comentários

07/02/2016

Uma jovem de 18 anos é a mais nova vítima do golpe dos créditos, aquele em que estelionatários ligam no celular afirmando que a vítima ganhou um prêmio e que precisa recarregar determinado número para receber o que ganhou. O caso aconteceu em Dourados (MS), e além de cair no golpe, a jovem deixou uma comerciante no prejuízo. Segundo o registro policial, a jovem foi até um comércio localizado no Jardim Márcia porque precisava recarregar vários números de celular. A mulher acreditava ter ganho prêmio de empresa de telefonia, mas na verdade estava caindo no golpe. A atendente do comércio fez todas as recargas solicitadas pela jovem. Tudo ficou em R$ 900, mas ao fim da ligação, a vítima percebeu ter caído em golpe e afirmou para atendente não ter como pagar as recargas. A funcionária então acionou a polícia. O caso foi parar na delegacia da cidade e como tantos outros, a polícia não deve chegar a identificação dos estelionatários. Diante do caso, a jovem se comprometeu a pagar a dívida com o estabelecimento em 9 parcelas de R$ 100.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Correio do Estado

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior Próximo