Golpe de Black Friday oferece cartões de crédito premium para roubar seus dados

Sem Comentários

19/11/2018

Um novo golpe de cartão de crédito tem invadido as redes sociais a poucos dias da época mais esperada do ano para muitos lojistas: a Black Friday. Através das redes sociais, uma nova empresa, que se identifica com o nome de PremiumCard, oferece uma oferta de Black Friday “imperdível” para novos clientes: o PremiumCard Black, um cartão de crédito que é emitido sem consulta a órgãos de crédito e tem a conversão de cada dólar gasto no cartão em 5 pontos para os programas de troca por prêmios, entre diversas outras vantagens. E, durante a Black Friday, os clientes receberiam um desconto vitalício de 90% no valor da anuidade, que passaria ao valor de apenas R$ 34,90 por ano.

Ao clicar no link, os usuários eram direcionados a um site com diversas informações sobre o cartão e, ao escolherem completar o cadastro para se tornarem clientes PremiumCard Black, eles eram então encaminhados para um formulário onde eram exigidos dados como endereço físico, endereço de e-mail, número do CPF, entre diversas outras informações pessoais. Então, era gerado um boleto no valor de R$ 34,90 para pagamento em qualquer banco. A operação, que parece de praxe para o pedido de qualquer cartão de crédito, não passava de um golpe, e os usuários que fizeram o cadastro para o recebimento do suposto cartão, além de terem jogado dinheiro fora ao pagar o boleto, ainda tiveram todos os seus dados pessoais roubados — o que significa que correm o risco de ver seus nomes sendo usados em novos golpes no futuro. Esse golpe do cartão se destaca pela qualidade da farsa: os golpistas não apenas criaram um site bonito e com todo um design inspirado em empresas de cartões de crédito virtuais, como também é um dos poucos golpes deste tipo em que a página não possui nenhum erro gramatical, e tem um texto que parece ter sido realmente escrito por alguém do setor de marketing. Além disso, não só o golpe seguiu o procedimento padrão para o pedido de um cartão de crédito, como ainda os golpistas se deram o trabalho de arrumar um formulário HTTPS válido para o site, dando ao usuário a garantia de que aquele se tratava de um ambiente seguro.

A única parte em que os golpistas vacilaram foi no registro dos domínios que seriam usados para o site de cartão de crédito, pois um dos três endereços foi cadastrado no nome de uma pessoa física, deixando claro que aquela era uma empresa falsa e que o cartão de crédito não passava de um golpe. No momento, todos os endereços de acesso ao site do PremiumCard Black foram derrubados, e não é mais possível acessá-los. Para evitar cair nesse tipo de golpe, é recomendado nunca clicar em links desconhecidos — nem mesmo se eles foram enviados por parentes ou amigos de confiança, já que eles podem ter sido infectados por um vírus e mandado de forma automática um link malicioso. Além disso, ao ver uma oferta tentadora de uma empresa que parece se nova no mercado, sempre pesquise na internet pela nome da empresa, pois uma busca rápida já pode mostrar se ela se trata realmente de uma startup buscando espaço no mercado ou um nome falso usado para aplicar golpes.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Canal tech

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é preso por aplicar golpes em pessoas que usam sites de vendas pela internet no Recife

Sem Comentários

25/10/2018

Nesta quinta-feira (25), no Recife, um homem foi preso em flagrante por aplicar golpes em pessoas que usam sites especializados em vendas pela internet. Segundo a Polícia Civil, a captura ocorreu quando A.M.P., de 38 anos, tentava desbloquear uma conta corrente, aberta com documentos falsos em um banco localizado no Centro da cidade. O estelionatário enganava, ao mesmo tempo, vendedores e compradores. Para isso, ele falsificava documentos e praticava o crime em várias etapas. Primeiro, ele entrava em sites especializados e escolhia um produto oferecido por uma determinada pessoa. Depois, informava que aquela mercadoria pertencia a ele e colocava à venda em seu nome. Ao entrar em contato com um cliente em potencial, o homem orientava que a vítima do golpe depositasse o dinheiro em uma conta bancária, aberta com os documentos falsos produzidos por ele. A prisão do estelionatário foi efetuada por uma equipe da Delegacia do Cordeiro, na Zona Oeste. No ato da captura, ele estava com uma identidade em nome de outro homem. Autuado por tentativa de estelionato, uso de documento falso e falsificação de documento público, ele deve ser levado para a audiência de custódia na sexta-feira (26).

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Número de vítimas de golpes pela internet cresce em Palmas; saiba como se proteger

Sem Comentários

14/10/2018

Só no Primeiro Distrito Policial da capital foram registrados sete boletins de ocorrência em dois meses. Um golpe que está se tornando comum é quando uma pessoa aparece para intermediar a venda e a compra de um item anunciado na internet. Foi assim que um produtor agrícola, que precisava de uma máquina para plantar soja, perdeu R$ 30 mil. Ele depositou o dinheiro na conta de um estranho, mas que foi autorizada pelo vendedor. Os casos estão sendo investigados. O delegado responsável alerta para que as pessoas não façam negócios com intermediadores.

“Se o preço do produto está muito abaixo do valor de mercado, desconfie. Se há um terceiro que está intermediando, veja bem, você tem o comprador e o vendedor, ao invés deles conversarem, eles admitem que um terceiro controle toda a negociação. Aí sim você está caindo em um golpe”, diz.

Um auxiliar de manutenção escapou de um golpe por pouco. Graças a experiência no uso da internet. Ele conta que há poucos dias, quando colocou um celular para vender em um site, rapidamente apareceram vários interessados. “Eu entrei em contato com ele via WhatsApp e ele me pediu detalhes do celular.” Sem comprovar o pagamento, o suposto comprador insistiu bastante para que o aparelho fosse enviado para um endereço em São Paulo. Na tentativa de convencê-lo, o homem enviou o e-mail com o slogan de um site de compra e venda confirmando o pagamento, mas na hora, o vendedor notou que era falso. “Se não fosse a minha atenção, eu teria caído porque na hora eu notei que não era do próprio site”, afirma.

Mulher cai em golpe do falso empréstimo praticado pela internet

Sem Comentários

20/09/2018

A vítima, de 46 anos, registrou um boletim de ocorrência nessa quarta-feira (19), informando que teve um prejuízo R$ 398, ao tentar fazer um empréstimo pela internet. A denunciante disse aos policiais que teve conhecimento que a suposta financeira fazia empréstimo facilitado, então entrou em contato, recebeu um contrato por e-mail, assinou e enviou de volta. Posteriormente, o suspeito ligou e pediu o valor para adiantar a liberação do dinheiro, depois, voltou a ligar e pediu mais R$ 900 para liberação imediata, foi quando a denunciante desconfiou e procurou a polícia. Ela não chegou a relatar quanto pediu de empréstimo. O caso está sendo investigado. Um homem, de 25 anos, também registrou boletim de ocorrência informando que perdeu R$ 7,1 mil ao tentar fazer um empréstimo pela internet. O jovem disse que recebeu uma mensagem no seu celular que oferecia dinheiro a juros reduzidos, pesquisou não encontrou nada de errado e resolveu fazer contato. Ele pediu um empréstimo de R$ 30 mil, recebeu o contrato por e-mail, cobrando parcelas de R$ 450 que ao final ele teria pago R$ 37 mil pelo valor solicitado, assinou e reenviou. Posteriormente, o suspeito ligou pedindo um adiantamento. Os casos ocorreram em Sinop (MT).

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Só Notícias

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Golpe do Dia dos Pais atrai vítimas com páginas falsas no Facebook

Sem Comentários

02/08/2018

Conforme a proximidade de uma nova data comemorativa, um novo golpe começa a circular pelas redes sociais. Isso porque a busca por presentes, descontos ou brindes faz muitos internautas desatentos clicarem em links e propagandas falsas. O Dia dos Pais será no dia 12 de agosto, mas uma ação em massa no Facebook já atua para atrair novas vítimas para um golpe bancário. Ao longo dos últimos sete dias, um laboratório de segurança especializado no combate ao cibercrime, identificou 60 páginas falsas na rede social, que se aproveitam do nome de diversas lojas famosas para passar credibilidade. As cores e os logos são copiados para que seja difícil perceber que a página exibida na tela não é a oficial. Até mesmo o serviço de autoatendimento no Facebook Messenger, com respostas automáticas de robôs, tem uma versão criada pelos cibercriminosos. Um ponto em comum de todas as páginas criadas é que o nome da loja é substituído por “Mês dos pais”, “especial dia dos pais” ou “Black Friday Dia dos Pais”. O preço mais baixo do que a média para TVs 4K e smartphones de última geração chamam a atenção dos consumidores. Uma página falsa é aberta assim que o link falso é clicado. Ao inserir todos os dados do cartão de crédito e, supostamente, concluir a compra, tudo é enviado para os golpistas. Para se proteger desse tipo de crime virtual o ideal é não clicar em links recebidos pelas redes sociais ou por aplicativos de mensagens. Para ter certeza de que é uma tentativa de golpe e não de uma promoção, acesse o site oficial da empresa e confirme as informações recebidas.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: R7

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Golpe no WhatsApp oferece internet grátis mas instala vírus no celular

Sem Comentários

30/07/2018

O WhatsApp novamente é cenário de mais um tipo de golpe. Os cibercriminosos agora oferecem internet grátis para usuários na tentativa de infectar celulares com vírus. Assim como em outros golpes espalhados pelo aplicativo de mensagens, o ataque tenta enganar usuários do WhatsApp com uma oferta tentadora: no caso, os bandidos oferecem até 20GB de internet grátis para ser usada em um período de 60 dias, independentemente da operadora da pessoa. A vítima precisa clicar em um link que aparece no fim de uma mensagem para ser redirecionada para um site onde ele vai obter o suposto prêmio. O site falso faz três perguntas ao usuário: “quantos dias de internet gratuita você deseja ativar?”; “quantos GB você gostaria de receber da sua operadora?”; e “qual rede você gostaria de ativar?”. Ao responder os questionamentos, os criminosos pedem para a vítima compartilhar a “promoção” com três amigos e grupos do WhatsApp, e só depois disso a suposta internet grátis seria disponibilizada.

O problema é que o pacote de dados gratuito não existe, e a página falsa começa a exibir alertas de supostos problemas no celular da vítima, orientando a pessoa para que ela baixe aplicativos maliciosos. Em outras palavras, os hackers oferecem internet grátis mas no fim das contas instalam vírus nos dispositivos. Golpes de phishing são bastante comuns no WhatsApp e costumam enganar bastante gente. A oferta falsa de internet grátis conseguiu a marca de 45 acessos por minuto. Para evitar cair nesse tipo de golpe, a orientação de especialistas de segurança é sempre a mesma: desconfie de ofertas vantajosas demais, e evite clicar em links suspeitos que acompanham mensagens compartilhadas pelo aplicativo.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Olhar Digital

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Saiba como funciona golpe das falsas lojas de roupas nas redes sociais

Sem Comentários

13/05/2018

Sonho de consumo. Uma loja cheia de roupas lindas, vestidos, saias, blusas, e o melhor: o preço é uma pechincha. Tem até queima de estoque, por R$ 10, cada peça. Não precisa nem sair de casa para comprar. A reportagem realizada pelo Fantástico, da Rede Globo, entra em contato, escolhe dez modelos e envia o pedido. A vendedora manda uma conta bancária para ser feito o depósito. Mas tudo isso não passa de um golpe. As roupas nem mesmo existem. O programa investigou durante dois meses esse novo golpe na internet que está deixando muita gente frustrada: o golpe das falsas lojas de roupas. Os casos que descobriram são de perfis em redes sociais. As vítimas negociaram através de mensagens de texto pelo celular ou nos chats das próprias redes e acabaram caindo no papo de vendedor. Para ver a matéria completa, acesse o link abaixo.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Fique ligado. Dicas do BrSafe para evitar essa modalidade de fraude.

Anterior