Quadrilha aplicava golpe do envelope vazio e explodia caixas para pedir ressarcimento ao banco e é presa em Cuiabá, diz polícia

Sem Comentários

28/09/2018

Em Cuiabá, foi presa na manhã desta sexta-feira (28), na ‘Operação False Flag’, uma quadrilha que aplicava o golpe do envelope vazio e explodia caixas eletrônicos para pedir ressarcimento ao banco. De acordo com a Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), foram cumpridos três mandados de prisão e oito mandados de busca e apreensão. A operação é resultado de investigações sobre as ações criminosas contra uma agência alvo de ataque na região Central de Cuiabá. Naquela ocasião, caixas eletrônicos, portas, vidraças e o teto foram destruídos. A investigação apontou que o grupo usava explosivos para destruir o terminal de autoatendimento e ocultar depósitos vazios realizados anteriormente. O crime de estelionato pretendia fazer o pedido de ressarcimento ao banco. Conforme a GCCO, o grupo comprava produtos pela internet e negociavam os pagamentos por meio de depósito bancário. Eles pediam as contas dos vendedores e faziam o depósito sempre após o fechamento da agência. A quadrilha colocava envelopes vazios e, na parte da madrugada, outros membros do grupo explodiam os caixas eletrônicos para disfarçar o golpe. Segundo a delegada à frente da investigação, os presos foram indiciados pelos crimes de explosão, tentativa de estelionato, associação criminosa e emprego de artefato explosivo. Os detidos serão apresentados em audiência de custódia no Fórum de Cuiabá.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é preso por ‘vender’ evento falso e receber pagamento; ele depositava envelope vazio em conta como ‘devolução’

Sem Comentários

02/08/2018

Na tarde de quarta-feira (1º), um homem foi preso em flagrante pelo crime de estelionato na cidade de Ipiaú, no sul da Bahia. Ele foi encontrado pela polícia enquanto ia para uma agência bancária, a fim de fazer um depósito com envelope vazio na conta de uma das vítimas. A.J.S. usava o nome de uma empresa fictícia, a AJ Produções e Eventos, e induzia as vítimas a fazer pagamentos antecipados para a preparação das festas, que ele não iria fazer, apesar do contrato. Com os eventos não realizados, ele fingia devolver o dinheiro às vítimas, mas os depósitos eram feitos com envelopes vazios. Segundo o delegado responsável, o homem é investigado por quatro golpes feitos da mesma forma. O suspeito já havia sido preso na cidade de Itabuna, que fica a cerca de 120 km de Ipiaú. Lá, A.J.S. possui 14 ocorrências registradas por diversos golpes de estelionato. Ele está detido na delegacia de Ipiaú, onde ficará até decisão judicial.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Criminosos usam cheques sem fundo para aplicar golpes na compra de carros

Sem Comentários

13/07/2018

Criminosos estão usando cheques sem fundos para aplicar um tipo de golpe já conhecido no mercado. A modalidade é chamada de ‘envelope vazio’ pela polícia e normalmente é feita com comprovantes de depósitos fraudulentos. O uso dos cheques dificulta que a vítima perceba a armação, já que o dinheiro chega a aparecer na conta antes do banco avisar que não havia fundos para a transação. Um pedreiro foi uma das vítimas. Ele colocou o carro a venda na internet, logo recebeu uma ligação de um suposto comprador. Ele fechou o negócio por R$ 32 mil e fez a transferência, só depois percebeu que tinha sido enganado. O homem que roubou o carro do pedreiro foi identificado pela Polícia Civil. Ele também é suspeito de outros golpes em Rondônia e no Maranhão. Outro tipo de crime que já fez sete vítimas em Palmas é o golpe do ‘bem bolado’. Presidiários estariam se passando por intermediadores de compras de carros que são anunciados na internet. “O bandido, ele liga para o comprador e para o vendedor e fala para um falar que não conhece o outro ou inventa uma história que é cunhado”, explica o delegado responsável. “Se alguma pessoa ligar e pedir para você mentir para o outro que está comprando ou vendendo, desconfie que é golpe”.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Mulher é presa aplicar golpe do ‘envelope vazio’ a mando do marido preso

Sem Comentários

24/05/2018

Na noite desta quarta-feira (23), uma mulher foi presa quando fazia depósitos de envelopes vazios a mando do marido que está recluso na Penitenciária Central do Estado (PCE), no bairro Carumbé, em Cuiabá. A prisão da mulher aconteceu em uma agência bancária, na Avenida Couto Magalhães, centro de Várzea Grande. Policiais militares do 4º Batalhão receberam uma informação que em uma agência bancária no centro de Várzea Grande havia uma mulher fazendo vários depósitos em envelopes vazios. Os militares foram até o local e encontraram a mulher, que foi abordada. Durante conversa, ela contou que faz depósitos de envelope vazios em contas de  diversas empresas, que são encaminhadas por seu marido J.B.C., que está preso na PCE. Após efetuar o falso depósito, ela envia os comprovantes para marido, que aplica  os golpes juntamente com seus colegas de cela, que formariam uma quadrilha. Os policiais fizeram diligências na residência da suspeita, onde foram encontrados diversos comprovantes de depósitos de datas anteriores. Na ocasião, a quantia de R$1.300 foi apreendido. A suspeita foi encaminha a Central de Flagrantes para registro da ocorrência.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Cenário MT

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Golpe usa falso depósito em conta para enganar vítimas

Sem Comentários

18/04/2018

Clientes de diversos bancos voltaram a virar alvo de um golpe bancário que funciona da seguinte forma: o consumidor percebe um depósito inesperado em sua conta-corrente e recebe uma ligação de uma pessoa que pede que o valor transferido por engano seja devolvido. No extrato bancário, a quantia aparece na conta, porém, na prática, os criminosos realizam depósitos em caixas eletrônicos com envelopes vazios e pedem o estorno às vítimas enquanto os valores ainda não foram conferidos pelas instituições financeiras. É comum que esse contato aconteça após o fim do expediente bancário, dificultando que o cliente fale com o banco. A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) esclarece que os depósitos realizados em caixas eletrônicos são compensados no dia útil seguinte, após conferência dos envelopes. Por isso, para ter certeza da autenticidade da operação, é imprescindível conferir o extrato bancário depois desse prazo. O mesmo tipo de golpe também pode utilizar transferências entre contas. Neste caso, quem efetua o golpe programa a transação, porém, depois de entrar em contato com a vítima, suspende a operação, já que é possível cancelar agendamentos de DOC, TED e transferências entre contas de um mesmo banco até as 23h59 do dia útil anterior à data programada para a transferência. Segundo a Febraban, se no extrato bancário, a transferência estiver marcada como “saldo a liberar”, o crédito ainda não está na conta do favorecido. A orientação para o consumidor é sempre desconfiar e, em casos de problemas, registrar queixas no Serviço de Atendimento do Cliente de seu banco no Banco Central. No ano passado, as queixas sobre golpes bancários pela internet ou aplicativo cresceram 297% em relação a 2016. Entre outros truques usados por criminosos com frequência, estão promessas de vantagens financeiras ou dramas familiares apresentados por desconhecidos. Segundo a federação que representa os bancos, o cliente deve desconfiar especialmente de propostas de utilização de sua conta para transferência de valores.

Outra recomendação da Febraban é que o cliente não aceite receber créditos de pessoas desconhecidas em sua conta, pois propostas desse tipo são feitas por golpistas. Já o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) acrescenta que quadrilhas usam mensagens de texto e e-mails como isca para enganarem clientes. Nessas mensagens, os grupos se passam por funcionários da instituição financeira e compartilham links maliciosos, que tentam roubar os dados das vítimas. Os bancos e operadoras de crédito não ligam, nem enviam mensagens, pedindo a atualização de informações e, muito menos, que o consumidor forneça senhas. Outra prática comum entre os golpistas é ligar com a falsa informação de que o cartão do usuário foi clonado. Se passando por representantes do banco, os consumidores são induzidos a fornecer dados para supostamente bloquear o cartão. O Idec recomenda que, caso receba uma chamada desse tipo, o cliente encerre a ligação e ligue para o número que está no verso do seu cartão, utilizando outro aparelho de telefone. Isso é essencial porque há casos em que os fraudadores conseguem “prender” a linha do consumidor, que pensa que está em contato com o banco, porém, continua na ligação com os bandidos.

Cuidado com as Armadilhas

- Foco na segurança: cadastre seu celular para receber mensagens de texto (SMS) sobre movimentação em sua conta.

- Confira sempre as transações em seu extrato e, em caso de suspeita de irregularidades, procure sua agência e troque suas senhas.

- Alterações dos dados de boleto bancário podem acontecer de diversas formas, como alteração no número do banco ou nos valores. Por isso, sempre verifique as informações que estão no seu boleto, tanto na tela do computador quanto no documento impresso, como: valor, nome do beneficiário, marca e código do banco e numeração do boleto. As informações devem ser iguais em todo o documento.

- Nos caixas eletrônicos, em hipótese alguma, aceite auxílio de estranhos. Caso precise de ajuda, procure um empregado identificado com o crachá. Lembre-se que o funcionário de um banco jamais pedirá suas senhas ou códigos de segurança.

- Ainda nas agências, não permita que ninguém manuseie seu cartão e lembre-se de retirá-lo do equipamento depois de finalizada a operação. Se o seu cartão cair por algum motivo e alguém se apressar em recolhê-lo, verifique se o cartão devolvido é o seu.

- Memorize a sua senha, evite escrevê-la em papéis ou no próprio cartão.

- Na escolha de senha, evite escolher combinações que podem ser facilmente deduzidas, como datas de nascimento, placas de carros, números de documentos, nomes de familiares e números sequenciais como 1234, 1122, 1571, 1233.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: O Globo

Fique ligado. Dicas do BrSafe para evitar essa modalidade de fraude.

Homem é detido suspeito de estelionato em Caruaru

Sem Comentários

21/03/2018

Na terça-feira (20) em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, um homem de 50 anos foi detido suspeito de estelionato. De acordo com a Polícia Civil, o suspeito comprou cerca de R$ 5 mil em cadeiras e ao invés de fazer os depósitos bancários em dinheiro para realizar o pagamento, ele forjava os depósitos com envelopes vazios. Ainda segundo a polícia, o homem, que é ex-presidiário, foi autuado em flagrante e aguarda por audiência de custódia.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Golpista com passagens criminais em MT é preso no MS

Sem Comentários

05/03/2018

Em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, um homem, de 35 anos, foi preso por estelionato ao tentar vender um Volkswagen Gol a uma garagem de veículos. De acordo com a polícia, o suspeito comprou o carro aplicando o golpe do envelope vazio e tentava repassá-lo por R$ 16 mil quando foi flagrado por policiais da Deco (Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado). O homem tem uma longa ficha criminal, justamente por crimes de estelionato, nos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Rondônia. Em 2013, ele foi preso em Coxim (MS), por aplicar um golpe exatamente igual ao que resultou na prisão nesta semana. A polícia chegou ao suspeito, na terça-feira (27) após denúncias anônimas de que ele tentava vender o veículo de origem ilícita em uma garagem da Capital. No local, os investigadores encontraram-no realizando os procedimentos cartorários de transferência de um Gol, modelo 2010, ao proprietário da garagem. Ele receberia R$ 16 mil pelo carro e diante do flagrante explicou aos policiais que havia comprado o veículo no dia anterior em Três Lagoas – a 338 quilômetros de Campo Grande. Ele detalhou que negociou o veículo com um idoso de 70 anos, depositou um envelope vazio supostamente com o valor do pagamento, mostrou o comprovante e recebeu o carro. Depois disso, viajou até Campo Grande (MS), procurou a garagem para revender o Gol e fugir com o dinheiro. Na data, ele adquiriu um Volkswagen Gol em Anaurilândia, também aplicando o golpe do envelope falso, e viajou para Coxim (MS) para tentar vendê-lo. O sujeito chegou a entregar o carro a uma garagem após receber R$ 4 mil e foi preso em flagrante quando embarcava em um ônibus para Rondonópolis, a 212 km de Cuiabá.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: 24 Horas News

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior