Filho de juiz é preso em Alagoas por fraude e associação criminosa

Sem Comentários

04/09/2018

Na madrugada desta terça-feira (04), três pessoas foram presas em Penedo, região do Baixo São Francisco, em uma operação que investiga fraudes em Alagoas. Entre os presos, estão o filho de um juiz e um advogado. Este é o desdobramento da operação policial realizada em Alagoas e no Rio Grande do Sul que acabou com a prisão de outras três pessoas no mês passado. Os presos desta terça foram identificados como o advogado J.P.D.P., o taxista F.F.S. e o filho de um juiz alagoano J.X.C.J. Eles são investigados por associação criminosa, falsidade ideológica e furto mediante fraude. Um outro suspeito, que trabalhava para o advogado, está foragido. Os mandados de prisão foram expedidos por um juiz da 4ª Vara Criminal da Comarca de Penedo. Além das prisões, os agentes da 7ª Delegacia Regional de Polícia (DRP) de Penedo apreenderam notebooks, celulares e documentos que passarão por perícia. Após as análises, novos mandados de prisão podem ser expedidos. De acordo com as investigações, a quadrilha fraudava documentos de pessoas que tinham crédito em instituições financeiras e faziam a retirada dos valores. O golpe só foi descoberto depois que familiares de pessoas que já teriam morrido perceberam os saques nas contas.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Presa quadrilha que aplica golpe do cartão em idosos

Sem Comentários

01/03/2018

Policiais civis da Coordenação de Combate ao Crime Organizado, ao Crime contra a Administração Pública e contra a Ordem Tributária (CECOR) estiveram nas ruas nesta manhã de quarta-feira (01) para prender os membros de uma organização criminosa que aplica golpes em idosos para clonagem de cartões de crédito. É a Operação Luthor, nome que remete ao deus da trapaça ou da mentira, da mitologia nórdica. O esquema funciona de forma a enganar as pessoas com todos os detalhes planejados. O telefone toca depois do horário de expediente bancário. Um senhor ou senhora, em geral com mais de 65 anos, aposentado, com renda financeira elevada, morador de área nobre de Brasília, atende e ouve um alerta de uma pessoa que se identifica como funcionário da central de segurança da operadora do cartão de crédito. Os dados pessoais são confirmados e há a informação de que uma compra foi realizada indevidamente. A seguir, tirando proveito de uma situação de surpresa e fragilidade emocional, começa o golpe. A atendente passa a ligação para vários ramais e realiza o suposto bloqueio do cartão que teria sido usado indevidamente. De ramal em ramal, a pessoa é orientada a ligar para uma outra central. O telefone, no entanto, é direcionado para os próprios golpistas. Nesse meio tempo, o cliente digita a senha do cartão. A central, então, instrui o idoso a procurar o gerente do banco para formalizar a queixa. Mas, devido ao horário, isso só será possível no dia seguinte.

Serviço de delivery

Enquanto a vítima do golpe pensa e se preocupa com as compras que poderão ser feitas até lá, é oferecido um serviço de delivery. O idoso é orientado a picotar o cartão, colocar num envelope e entregar a um motoboy que irá em casa buscar o que sobrou do dinheiro de plástico. O cliente recebe também a recomendação de escrever uma carta à loja onde teria sido realizada a compra indevidamente. Esse procedimento serve apenas para distrair a vítima. Tudo parece normal, um serviço de segurança bancária. Mas o que os criminosos querem, o chip e a senha do cartão, está garantido. Com isso, a quadrilha fabrica um novo cartão e pode ir às lojas para gastar ou a um terminal de autoatendimento para sacar dinheiro. Os clientes  com poder aquisitivo mais alto são escolhidos para evitar problemas com os limites de gastos.

Mais de 80 vítimas

Esse é o modus operandi de uma organização criminosa com pelo menos 14 integrantes que vinha atuando no Distrito Federal. Foram meses de investigação da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (Draco).  Cerca de 80 vítimas registraram ocorrência. Mas o prejuízo pode ser muito maior porque muitos idosos se envergonham de, com tanta experiência de vida, ainda terem sido enganados dessa forma. Não é difícil cair no golpe. Os criminosos são estelionatários e ainda têm acesso a bancos de dados comprados clandestinamente com informações pessoais sigilosas. Durante a investigação,  suspeitos foram identificados por vendedores de lojas onde fizeram compras com os cartões clonados. Eles priorizavam gastos com telefones celulares, eletrônicos e bebidas. Em seguida, revendiam esses produtos. Há registros de compras que chegam a R$ 30 mil num só dia. Os criminosos vão responder por estelionato, furto mediante fraude, lavagem de dinheiro, receptação, entre outros crimes.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Correio Braziliense

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

PM cai em golpe da “ajuda” em caixas eletrônicos, mas prende bandido

Sem Comentários

19/02/2018

Nem mesmo policiais estão imunes a golpes. Tudo aconteceu por volta do meio-dia do último sábado (17). Um PM, de 56 anos, estava em uma agência bancária, na Avenida Presidente Costa e Silva, fazendo pagamento de contas quando o criminoso, de 27 anos, ofereceu-se para ajudá-lo. Ao perceber que o bandido fez uma movimentação muito rápida no caixa eletrônico, a vítima desconfiou e pediu para retirar um extrato bancário. Neste momento, ele percebeu que havia sido feita uma transferência no valor de R$ 2 mil para a conta de uma terceira pessoa. De acordo com o registro da ocorrência, o bandido confessou o crime e disse que ia devolver a quantia para o policial militar. Ele foi detido por furto mediante fraude, e segue preso na Delegacia-Sede de Praia Grande.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: A Tribuna

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é preso por tentar aplicar golpe em idosa em Guaratinguetá, SP

Sem Comentários

06/10/2017

Nesta quinta-feira (05), um homem de 59 anos foi preso depois de aplicar um golpe em uma idosa de 74 anos em Guaratinguetá. Conforme a Polícia Militar, ele tentava roubar R$ 1,3 mil que ela sacou no banco, mas foi flagrado e impedido por testemunhas. O caso aconteceu depois que idosa sacou o valor em um banco no centro e seguia para outro para o pagamento de contas. Com trajes sociais, ele abordou a mulher dizendo que ela havia esquecido de preencher documentos no banco para liberar o valor. Ele recolheu a quantia e deu os papéis forjados para ela preencher. Enquanto ela escrevia, ele pegou o valor sacado e tento correr. A idosa pediu por ajuda, o que chamou a atenção de pessoas que passavam pelo local e contiveram o criminoso. A polícia foi acionada e ao chegar percebeu que o homem era procurado pela polícia por crimes cometidos na Paraíba, onde nasceu. Ele foi preso por furto mediante fraude e encaminhado à Polícia Civil. O valor foi devolvido à vítima.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Dupla é presa em flagrante tentando roubar dinheiro de depósitos

Sem Comentários

13/04/2017

Dois homens foram presos em flagrante em um banco do Centro de Curitiba. Eles são suspeitos de furto mediante fraude por instalar um equipamento nos caixas eletrônicos para “pescar” envelopes de depósitos. Segundo a polícia, a dupla (genro e o sogro) veio do Estado de São Paulo (SP), com o objetivo de cometer crimes na capital paranaense, mas foram flagrados, duas horas após instalarem os equipamentos no caixa. Ambos possuem passagem pela polícia, o genro de 23 anos, inclusive, já foi condenado pelo mesmo crime na capital paulista. Com eles a equipe policial apreendeu uma Kombi utilizada para transporte, objetos utilizados para execução do crime, bem como envelopes com dinheiro e cheque. “Em São Paulo eles são suspeitos de aplicarem este golpe em várias agências bancárias. Aqui em Curitiba, acreditamos que eles tenham cometido apenas este crime”, afirmou o delegado titular da Delegacia de Estelionato. Na delegacia, ambos confessaram o crime, sem passar muitos detalhes. Eles responderão pelo crime de furto qualificado mediante fraude e ou, destreza, se condenados, poderão pegar de dois a oito anos de reclusão.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Massa News

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Golpe causa prejuízo de R$ 600 mil a revendedora de veículos

Sem Comentários

08/03/2017

Um esquema contra uma revendedora de veículos de Curitiba foi desvendado por uma operação da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR). Uma mulher foi detida suspeita de desviar R$ 600 mil do estabelecimento. Além da ex-funcionária da revendedora de veículos, nove pessoas próximas à mulher foram encaminhadas para a delegacia. A operação cumpriu mandados judiciais na Cidade Industrial de Curitiba (CIC) e em Colombo. Quatro veículos – uma moto Honda CB 650, um Fusion, um Pálio e um Ford Focus – foram apreendidos. As contas bancárias da suspeita e do marido, além de bens como duas residências (uma em Curitiba e outra em Itapoá) foram bloqueadas judicialmente. De acordo com a Polícia Civil, a mulher trabalhou na empresa durante dois períodos: entre 2012 e 2014 e de 2016 até janeiro deste ano, quando foi demitida. Ela era responsável pela administração financeira da empresa e possuía todas as senhas para movimentar as contas, além de obter todo conhecimento de entrada e saída de dinheiro. Esta situação permitiu que os golpes fossem realizados. A mulher realizou inúmeras transferências financeiras para própria conta bancária e para conta de familiares e amigos. “Ela adulterava extratos e boletos bancários a fim de mascarar os desvios que fazia”, comentou o delegado titular da especializada. O marido e o vizinho da suspeita ajudavam na falsificação dos documentos. “A adulteração de maneira permanente foi essencial para garantir a reincidência da prática criminosa, que durou por um ano”, afirma. A mulher confessou o crime. Ela disse que percebeu a facilidade ao realizar as transferências fraudulentas e deu continuidade à fraude. Com esse dinheiro comprou casa de luxo no litoral catarinense, carros, moto para presentear o namorado e colaborou com o financiamento de casa própria de parentes. A ex-funcionária, o marido e o vizinho foram indiciados por furto mediante fraude, falsificação de documentos e uso de documento falso.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Massa News

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Cearenses são presos tentando roubar caixas eletrônicos de banco em Prazeres

Sem Comentários

01/03/2017

Nesta quarta-feira (1º), a Polícia Federal em Pernambuco apresenta a prisão em flagrante de dois cearenses que tentaram furtar quantias sacadas por clientes em uma agência bancária. A dupla foi flagrada por volta das 18h do domingo de Carnaval por policiais militares utilizando dispositivos conhecidos por “réguas”, implantados nos terminais eletrônicos do banco. Os presos foram identificados como E.C.F.Sampaio, de 35 anos, sem antecedentes criminais e J.F.Souza, de 53 anos, que já havia sido preso três vezes, sendo uma por estelionato e condenado a seis anos e outras duas em 2013 no Recife e Panelas, por colocar dispositivos chamados chupa cabra em terminais de dois bancos, sendo condenado a seis anos de prisão. Por volta das 16h, uma equipe do 6º Batalhão da Polícia Militar recebeu uma determinação do Centro Integrado de Operações e Defesa Social (Ciods) para averiguar dois suspeitos dentro da agência, manipulando os terminais eletrônicos e colocando réguas para retenção do dinheiro sacado pelos clientes. Quando os militares chegaram na agência, os suspeitos já haviam saído do banco. Mas, por volta das 17h, eles receberam novamente uma ligação informando que os elementos voltaram ao banco e estavam retirando as cédulas que haviam sido retidas pela régua colocada na máquina. Quando os militares chegaram conseguiram abordar os homens e prendê-los. Após a prisão, os policiais fizeram uma revista e uma busca minuciosa nos suspeitos e no veículo que utilizavam, onde foram encontrados R$ 557, dois telefones celulares, dois cartões magnéticos, chaves de fenda, lixa, estilete, alicate, ferro de solda e tesoura. A dupla, que aparece nas imagens de circuito interno de filmagens da agência violando os terminais e colocando o equipamento, foi conduzida para a Superintendência Regional da Polícia Federal, onde foram autuados pelo crime de furto qualificado mediante fraude com concurso de duas ou mais pessoas. Caso sejam condenados, poderão pegar penas que variam de dois a oito anos de reclusão.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Diário de Pernambuco

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior