Mulher é presa após adquirir R$ 220 mil em fraudes com o seguro DPVAT

Sem Comentários

16/05/2019

Uma mulher de 41 anos está presa preventivamente por receber R$ 220 mil em fraudes no seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT). A suspeita entrou com pelo menos 16 pedidos de indenizações por invalidez permanente. Nesta quinta-feira (16), agentes da Delegacia de Luziânia também cumpriram quatro mandados de busca e apreensão. Segundo o delegado responsável, a acusada é investigada há 10 meses, quando uma seguradora, a responsável pelo repasse financeiro do DPVAT, realizou um boletim de ocorrência na unidade policial. “Notou-se que, nos últimos anos, houve um crescimento significativo nos pedidos por estas indenizações. A partir disso, apurou-se internamente os casos, o que levou até os pedidos dessa mulher”, explica. A suspeita, formada em direito, fraudava todos os documentos necessários para a entrada dos pedidos de indenização, como ficou comprovado na apuração do caso. Ela realizava assessoria jurídica para advogados em Luziânia e, assim, tinha acesso aos materiais necessários. A mulher falsificou diversos documentos públicos, como boletins de ocorrência das Polícia Civil de Goiás e Distrito Federal; laudos do Instituto Médico Legal (GO e DF);  ocorrência do Corpo de Bombeiros de Goiás; relatórios médicos do Hospital de Base e do Hospital Municipal de Luziânia. Ela também fraudou documentos particulares dos falsos acidentados, como comprovantes de residência. Desse modo, ela dava entrada no pedido de seguro no valor máximo de R$13,5 mil pela debilidade permanente.

Os únicos dados verdadeiros utilizados pela golpista eram das supostas vítimas dos acidentes, que não sabiam dos golpes. “A acusada tem uma empresa de eventos, localizada na cidade de Luziânia, por onde passa vários prestadores de serviços como garçons, cozinheiros e seguranças. Aproveitando o vínculo de trabalho, a investigada obtinha cópia dos documentos pessoais dessas pessoas, alegando que seria para registro de carteira de trabalho”, esclarece o delegado. Após a mulher ganhar a confiança destes trabalhadores, ela inventava uma história para ganhar acesso às contas das vítimas. “Como o seguro só é recebido na conta da própria vítima, ela tinha que conseguir estes dados. Ela afirmava que ia receber dinheiro de devedores, mas que estava com a conta bancária bloqueada. Assim, ela obtinha o cartão e senha dos funcionários”, acrescenta. Doze empregados tiveram os dados usados nos golpes e, quatro, foram informações de familiares da acusada, sendo dois filhos, um cunhado e um genro. Os alvos das buscas desta quinta-feira (16) foram a casa e empresa da mulher, além da residência de parentes. Policiais apreenderam diversos documentos, três notebooks, um computador e um celular. Os objetos serão encaminhados para a perícia da Polícia Civil.

Homem é detido suspeito de aplicar golpes em clientes de agência bancária em Piracicaba

Sem Comentários

14/05/2019

Na manhã desta terça-feira (14), em Piracicaba (SP), um homem foi detido suspeito de aplicar golpes em uma agência bancária na Avenida Independência. Ao precisar de informações, os clientes ligavam em um número gratuito falso e forneciam dados bancários, que eram usados pelos criminosos para transferências de valores. O segundo suspeito do crime está foragido. Conforme informações da Guarda Civil Municipal (GCM), eles foram acionados após o monitoramento do banco filmar dois homens demorando na utilização dos caixas eletrônicos. Quando os guardas chegaram, um deles fugiu e o outro foi capturado. Em um dos caixas, foi encontrado um dispositivo que travava as teclas do equipamento e, ao lado, um adesivo com um número de telefone 0800 falso. Ainda conforme a GCM, ao ter problemas para usar o caixa, a pessoa ligava no número, que caía no celular dos suspeitos. Durante a ligação, eles pediam as informações bancárias dos clientes e com os dados, faziam as transferências bancárias. Não foi informado valores desviados pelos criminosos. A Polícia Científica foi acionada para realizar a perícia na agência e confirmar a irregularidade do dispositivo. O caso foi encaminhado para a Unidade de Polícia Judiciária (UPJ) de Piracicaba.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Operação prende empresário suspeito de esquema de agiotas em Lavras, MG

Sem Comentários

12/04/2019

Na manhã da sexta-feira (12), uma operação do Ministério Público prendeu um empresário apontado como líder de uma rede de agiotagem em Lavras (MG). Investigações apontaram que o suspeito atua em uma organização criminosa envolvida com falsidade ideológica, documentos falsos, corrupção e lavagem de dinheiro. A operação é um desdobramento de outras operações contra fraudes em shows, que aconteceram em 2013 e 2015. O empresário S.E.P., apontado como líder da rede de agiotas, foi preso durante a manhã. Ele já havia sido denunciado em outras operações do MP na cidade. “A operação de hoje é um desdobramento da Operação VIP pois o líder da organização criminosa hoje investigada também participou e foi denunciado na operação VIP. De lá para cá, as investigações foram ganhando corpo e agora foi deflagrada a operação”, explicou o promotor responsável.

Também foram cumpridos mandados de busca e apreensão. Em 13 imóveis, alguns de servidores públicos, foram encontrados CD’s, documentos, agendas, computadores, anotações e notas promissórias com esquemas dos agiotas. Estava previsto o cumprimento de um mandado de busca no Fórum de Lavras, mas as buscas não foram autorizadas pela Justiça.

“O objetivo da operação foi dar cumprimento a esses mandados de busca e apreensão para angariar provas dos crimes que estão sendo investigados, como organização criminosa, lavagem de dinheiro, agiotagem, corrupção, uso de documento falso e falsidade ideológica”, explicou o promotor. Segundo as informações do Ministério Público, foi identificado o envolvimento de servidores públicos de várias áreas. Os servidores teriam criado uma rede de proteção e vazamento de informações sigilosas. A Operação Octopus foi realizado pelos núcleos do MP de Varginha e Passos, além da Promotoria de Justiça de Lavras e Receita Federal. Pelo menos seis auditores da Receita Federal, 46 policiais, nove promotores e 14 servidores do MP participaram da operação.

PF faz buscas em Filadélfia durante operação contra fraudes em aposentadorias rurais

Sem Comentários

11/04/2019

Na manhã desta quinta-feira (11), a Polícia Federal realiza buscas em endereços na cidade de Filadélfia, no norte do Tocantins, dentro da operação Game Over. A investigação apura suspeitas de fraude em aposentadorias rurais no INSS de Carolina (MA), cidade vizinha à Filadélfia. A PF informou que um ex-dirigente do Sindicato dos Trabalhadores de Filadélfia, que ainda não teve o nome divulgado, é suspeito de emitir documentos falsos. Três mandados de busca e apreensão foram decretados pela Justiça em Filadélfia e também em Teresina, capital do Piauí. Os mandados são cumpridos por 18 policiais. O prejuízo, segundo a PF, é de aproximadamente R$ 810 mil. As aposentadorias rurais eram fraudadas após a apresentação de declarações de exercício de atividade rural falsas. Também foi identificado o envolvimento de um servidor do INSS em Carolina, ele foi afastado do cargo. A Justiça também autorizou a quebra dos sigilos bancário e fiscal dos investigados. A PF estima que a operação evitou o prejuízo futuro de R$1,7 milhões aos cofres públicos.

Estelionatário que aplicou mais de 50 golpes em mulheres desde 1990 é preso no Vale do Itajaí

Sem Comentários

03/04/2019

De acordo com o delegado responsável pelo caso, o homem, de 58 anos,  já enganou mais de 50 mulheres em golpes nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, além do Distrito Federal. O histórico de crimes começou a se desenrolar em 1990, em Brasília, e parou de lá para cá. O estelionatário conquistava mulheres, normalmente na faixa dos 50 aos 70 anos, e com a desculpa de um empréstimo ou investimento de grande retorno, pegava dinheiro das vítimas – que varia de R$ 3 mil em roupas até mais de R$ 60 mil de uma mesma mulher. No acumulado de crimes do homem, conforme a Polícia Civil, estão furto, roubo, apropriação indébita, sequestro relâmpago, estupro, crimes contra a fé pública, falsidade ideológica e estelionatos. Para conquistar as mulheres e desenvolver uma relação afetiva com as vítimas, ele se passava por brigadeiro da Aeronáutica, general do Exército, diretor da Anvisa e até enfermeiro. Segundo o delegado, ele dizia às mulheres ser maratonista, ter uma filha na França, e chegava a alegar algumas dificuldades financeiras por ter todo o seu dinheiro aplicado em investimentos.

– Ele desenvolve uma relação de amizade com a vítima, às vezes até afetiva, e a partir do perfil da vítima ele desenvolve uma personalidade. Às vezes como uma pessoa mais humilde, como um enfermeiro que precisa de dinheiro emprestado para a filha que está doente, ou até de pessoas com alto poder aquisitivo e começa a propor diversos investimentos, como a compra de terrenos. Desde 1990, praticamente todo ano tem um registro dele em estados diferentes – explica. A Polícia Civil de Blumenau começou a acompanhar o suspeito após haver o primeiro registro de uma vítima na cidade, em que o estelionatário causou um prejuízo de R$ 6,5 mil. Por conta disso os investigadores conseguiram localizar o homem em Navegantes, onde ele foi detido e trazido até a Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (DPCAMI) de Blumenau.

Empresário suspeito de estelionato no Piauí é preso em Manaus

Sem Comentários

11/02/2019

A Secretaria de Segurança Pública do Piauí através da  Polícia Civil de Esperantina comunicou que no início da tarde desta segunda-feira (11) foi dado cumprimento ao mandado de prisão preventiva em desfavor de L.A.S., pelo crime de estelionato. No ano de 2015 centenas de vítimas registraram boletins de ocorrência noticiando serem vítimas do crime de estelionato em modalidade conhecida como compra premiada. L.A.S. era o proprietário de uma empresa de prêmios utilizada para aplicar as fraudes. Desde o início das investigações ele encontrava-se foragido da comarca de Esperantina. O prejuízo causado as vítimas é milionário. O  inquérito já foi relatado e enviado  à justiça local em janeiro de 2019. O suspeito foi preso em Manaus pela 17° DIP  da Polícia Civil do Amazonas em uma operação que contou com o apoio do Laboratório de inteligência cibernética do Ministério da Justiça .

PF investiga organização criminosa responsável por fraudes bancárias em TO

Sem Comentários

23/01/2019

A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira (22) as Operações Spurius II e III, para desarticular organização criminosa especializada em fraudes bancárias pela internet. Aproximadamente 40 policiais federais cumprem sete mandados judiciais de busca e apreensão e um mandado de prisão preventiva, expedidos pela 4ª Vara Federal de Palmas nos estados de Tocantins e Goiás. Foi determinado o bloqueio de bens e valores dos envolvidos, pessoas físicas e jurídicas. A investigação teve início com a comunicação de fraude ocorrida em bancos de Paraíso/TO e Relatório de Fraudes Bancárias, fatos investigados em inquéritos policiais instaurados para apurar a ocorrência dos delitos. O grupo criminoso atuava fraudando a emissão e pagamento de boletos bancários, bem como realizando fraudes bancárias pela internet e lavagem de dinheiro por meio de contas e empresas de fachada. Tais empresas eram criadas com documentação falsa para movimentar os recursos obtidos ilicitamente. Ainda não se apurou o montante dos prejuízos gerados pelas fraudes, que será mensurado após a análise do material apreendido. A investigação apurou o cometimento dos crimes de organização criminosa, estelionato, falsificação de documento público, uso de documento falso e lavagem de dinheiro.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Ponta Porã Informa

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior