Mulher é detida por aplicar golpe de R$ 20 mil em banco e aponta comparsa

Sem Comentários

07/07/2016

Foi preso na quarta-feira (06), por policiais civis da Delegacia de Estelionato (DE) de Curitiba, um casal suspeito de tentar aplicar um golpe em torno de R$ 20 mil em uma agência bancária. A mulher, de 21 anos e o homem, de 27, foram autuados em flagrante no momento em que tentavam realizar o saque. A polícia chegou até a dupla após ser comunicada pelos funcionários do banco sobre a atitude suspeita da suspeita, que tentava atualizar um cadastro de uma conta bancária que dizia ser sua, para sacar uma alta quantia em dinheiro. Ao ser abordada pela equipe de investigação da especializada, foram apreendidas três Carteiras Nacionais de Habilitação (CNH) falsas. Ao ser questionada, a suspeita apontou o seu comparsa que dava cobertura a ela fora da agência. O homem também foi preso em flagrante. “A forma de agir da quadrilha é sempre a mesma. Normalmente os integrantes do bando portam documentos falsos com suas fotos em nome de terceiros e tentam sacar o dinheiro no caixa, enquanto um dos seus comparsas ficam aguardando do lado de fora da agência dando cobertura”, explica o delegado-titular da DE. A dupla faz parte de uma quadrilha especializada em fraude bancária e falsificação de documentos. Os suspeitos são moradores do Estado de São Paulo (SP) e se deslocam até o Estado do Paraná para aplicar golpes em instituições financeiras. O casal responderá pelos crimes de estelionato, falsidade ideológica, associação criminosa, uso de documento falso e tentativa de furto qualificado mediante fraude. Ambos permanecem à disposição da Justiça.

Estudante é preso por estelionato pela segunda vez em dois meses em MG

Sem Comentários

05/05/2016

Nessa quinta-feira (05), em Governador Valadares, duas pessoas foram presas por estelionato e levadas à Polícia Federal. As prisões são fruto de um trabalho conjunto da PF e Polícia Civil, que investigavam fraudes em instituições bancárias. Durante a ação, os policiais presenciaram uma senhora de 56 anos sacando cerca de R$ 20 mil em espécie, na boca do caixa, mas foi verificado que o documento de identidade apresentado por ela era falso. Diante disso, ela foi abordada e presa em flagrante. Um jovem de 30 anos havia chegado com ela, mas ambos tentaram disfarçar que se conheciam. O jovem teria alegado que estava no banco para sacar dinheiro, pois iria viajar para o Espírito Santo. “Perguntado sobre a conta bancária, ele forneceu cartão e o gerente informou que o cartão estava cancelado há três anos; foi quando a suspeita aumentou. Dentre os documentos dele, encontramos fotografias, inclusive da autora que foi presa. Aí mostrou o liame subjetivo e ele foi preso em flagrante”, informou o delegado da PC.

Investigações

As investigações da PC apontavam que pessoas de outras comarcas estariam se deslocando até a comarca de Conselheiro Pena e solicitando benefício do INSS no teto máximo, em torno de R$ 20 mil. Analisando a documentação apresentada, verificou-se que eram falsos os documentos com os quais havia sido sacado o benefício anteriormente. O mentor do golpe é o jovem de 30 anos, que teria aliciado a senhora de 56, além de outros idosos que, utilizando documentos falsos, sacavam benefício do INSS. O mesmo jovem, que é estudante de direito, foi preso há cerca de dois meses também por estelionato.

Homem que tentava sacar R$ 500 mil usando documentos falsos é preso

Sem Comentários

18/12/2015

Nesta sexta-feira (18), um homem de 44 anos  foi preso por agentes da Delegacia de Defraudações (DDEF). De acordo com a Polícia Civil, ele é integrante de uma quadrilha especializada em fraudes bancárias que atua no eixo Rio-São Paulo e foi preso em flagrante por associação criminosa, tentativa de estelionato e uso de documento falso. O preso foi capturado quando tentava sacar R$ 500 mil. O local da prisão não foi revelado. De acordo com o delegado, o criminoso estava com identidade, carteira de habilitação, CPF e cartão de banco falsos. Ao ser abordado, ele se identificou usando um nome falso. Ainda segundo o delegado, além dos documentos o homem  estava com uma autorização judicial expedida por uma vara civil do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro que o autorizava a movimentar a conta normalmente. “A audácia deste estelionatário é tamanha, a ponto de obter em juízo uma autorização judicial, utilizando de documentos falsos para movimentar a conta, que já estava bloqueada administrativamente pelo banco por suspeita de lavagem de dinheiro”, afirmou.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Manchete Online

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia Federal combate crimes cibernéticos no DF e em Goiás

Sem Comentários

10/12/2015

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (10) a Operação Ufrap, com o objetivo de combater crimes cibernéticos na região do Distrito Federal (DF) e de Goiás. Estão sendo cumpridos oito mandados de busca e apreensão a suspeitos de fraudes bancárias, disseminação e armazenamento de pornografia infantil e invasão de sistema de votação. A operação busca desarticular quadrilhas especializadas em fraudes bancárias, em que os integrantes falsificavam documentos, conseguiam a liberação de senha de internet e invadiam contas, transferindo valores para outras contas em diferentes localidades. As buscas estão sendo feitas em Taguatinga, Águas Claras e no Lago Norte, regiões administrativas do DF, e nas regiões de Valparaíso, Luziânia, Rialma e Goiânia, cidades do estado de Goiás. A invasão ao sistema de votação está sendo investigada desde 2013, quando foi identificada fraude nas eleições do Conselho Federal de Psicologia. O caso ocorreu em agosto de 2013. Um dos candidatos que concorriam ao cargo de presidente está sendo investigado. Segundo a PF, o suspeito votou nele mesmo de manhã e, em seguida, utilizou documentação falsa para alteração de votos de outros membros do conselho. Além dos mandados cumpridos por crimes cibernéticos, a PF faz, na região de Valparaíso de Goiás, a busca de um suspeito investigado por se fazer passar por policial. Foram apreendidos vários bens que tinham o símbolo da Polícia Federal e que eram utilizados nas ações. A pena prevista para o crime de uso indevido de símbolos da Administração Pública é 2 a 6 anos de reclusão. O nome da operação, Ufrap, é a junção dos vários tipos de crime – uso indevido do símbolo da PF, fraude bancária e pornografia infantil.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: JornaldeBrasília

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Suspeitos de fraudes em Vitória da Conquista ‘esbanjavam’, diz PF

Sem Comentários

02/12/2015

Nesta quarta-feira (2), a operação Lammer, da Polícia Federal em Vitória da Conquista, sudoeste da Bahia, prendeu sete pessoas suspeitas de um esquema de fraudes bancárias. Segundo a polícia, os investigados conseguiam dados de contas bancárias das vítimas e transferiam valores para contas de terceiros. Outra forma de cometer a fraude era com o pagamento de boletos bancários, também em nome de terceiros, com os recursos desviados. O delegado da PF em Conquista, explicou que os presos são suspeitos de comandar a organização criminosa, que atuava em Conquista, Itororó (BA), Teixeira de Freitas (BA), na capital de São Paulo, além de Osasco (SP), Águas Lindas de Goiás (GO) e Brasília (DF). Dois deles foram presos, nesta quarta, na capital paulista e em Osasco (SP), com apoio da PF em São Paulo. Os outros cinco foram presos em Vitória da Conquista. Na casa de dois dos suspeitos, que moravam juntos na cidade do sudoeste baiano, a PF ainda apreendeu pés de maconha que eram plantados em uma estufa. Além da suspeita de fraude bancária, a dupla irá responder por tráfico de drogas. Com os suspeitos, foram apreendidos cinco veículos de alto custo. “A gente não tem estimativa fechada sobre o valor fraudado, mas, durante investigação, víamos que em apenas uma conta eram desviados R$ 240 mil, em outra R$ 80 mil. Eles estão há muitos anos atuando. Eram pessoas que viviam esbanjando na cidade com carros bonitos. A gente já recebia notícias da autuação desse pessoal”, conta o delegado. Conforme a investigação policial, a maioria dos recursos era encaminhada para Vitória da Conquista. Nesta quarta-feira, foram apreendidos boletos bancários, equipamentos eletrônicos, laptops e smartphones. A operação cumpriu no total sete mandados de prisão preventiva, 14 de busca e apreensão, além de nove mandados de condução coercitiva de envolvidos nas supostas fraudes. Segundo a polícia, três mandados de condução não foram cumpridos porque os investigados não foram encontrados no endereço.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Fraude bancária na internet dá prejuízo de R$ 3 milhões

Sem Comentários

23/10/2015

Foi deflagrada nesta quinta-feira (22) pela Polícia Federal, a operação Captura, resultado de investigação sobre fraudes bancárias pela internet que causaram prejuízo superior a R$ 3 milhões em diversas instituições financeiras. Conforme a PF, por meio de “malwares” (tipo de vírus) hospedados nos computadores de clientes bancários, os fraudadores capturavam os dados das vítimas, especialmente agência, conta e dados cadastrais. O golpe tinha sequência pelo telefone. Muitas vezes, se passando por funcionários do atendimento do próprio banco, eles entravam em contato com clientes para obter as senhas e códigos. Com os dados pessoais das vítimas, os fraudadores acessavam as contas pelo internet banking. Eram realizadas transferências bancárias e pagamentos de multas e impostos relacionados a veículos.

Ajuda interna. A PF informou que até agora foi possível constatar a existência de pelo menos duas organizações criminosas dedicadas às mais variadas modalidades de fraudes bancárias, tais como clonagem de cartões bancários (crédito e débito), subtração de valores de contas bancárias pela internet, desvio de cartões bancários nos Correios com a colaboração de carteiros, uso de empresas e de suas respectivas máquinas e contas bancárias para pagamentos fraudulentos com os cartões, utilização de contas de terceiros para destinação dos valores das fraudes, falsificação de cheques e fraudes em financiamentos bancários. Foram 18 mandados de prisão preventiva, três de prisão temporária e 23 de busca e apreensão em São Paulo, Mogi das Cruzes, Ferraz de Vasconcelos, Santana do Parnaíba e Praia Grande.

Milhões de reais são apreendidos

A Polícia Federal (PF) em Pernambuco deflagrou mais uma fase da operação Grande Truque, com o fim de desarticular uma organização criminosa internacional de doleiros. As operações ilegais de câmbio seriam realizadas por empresas de transporte de valores. Segundo a PF, foram arrecadados R$ 25 milhões em espécie e mais de R$ 60 milhões em moedas estrangeiras. As buscas foram realizadas na empresa de transporte de valores, em uma loja no aeroporto internacional de Recife e num banco em São Paulo. O gerente da empresa de valores foi preso em flagrante pela prática do crime de instituição financeira clandestina, mas foi solto sob fiança.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: O Tempo

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Gerente de Banco é preso suspeito de aplicar golpe de cerca de R$ 2 milhões

Sem Comentários

14/09/2015

Após dois meses de investigação, na tarde desta segunda-feira (14), o gerente de uma agência bancária, suspeito de estelionato, foi preso por policiais da cidade de Tobias Barreto. O então gerente duplicava os empréstimos solicitados pelos clientes causando assim um desfalque junto ao banco. “Ele solicitava a documentação do cliente e no meio dos documentos colocava uma ordem de saque em seu nome, e quando o dinheiro entrava na conta ele sacava. Em seguida, bloqueava a conta e quando o cliente o procurava ele dizia que o processo deveria ser reiniciado. E assim a duplicação do empréstimo era realizada”, explicou o delegado responsável pelo caso. O delegado revelou que na ocasião, os clientes estavam procurando a agência bancária para reclamar e o banco instaurou um processo administrativo para investigar o caso e após perceber que seria descoberto o gerente resolveu fugir. “Ele percebeu que iriam descobrir o golpe, já que o número de vítimas era alto e os clientes estavam buscando entender o que estava acontecendo em suas contas bancárias”. De acordo com o delegado, cerca de 72 pessoas foram vítimas do golpe no valor de aproximadamente R$ 2 milhões. “Durante as investigações descobrimos que ele responde, em liberdade, pelo por crime de estelionato, praticado entre os anos de 2007 e 2008 contra uma outra agência bancária”. “Ele vai permanecer custodiado na delegacia até que o inquérito seja concluído e outras vítimas sejam ouvidas. Depois ele segue para o sistema carcerário”, disse. Durante a prisão uma arma e um veículo foram apreendidos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior Próximo