PF vê consequências ‘fatais’ na fraude em curso de Medicina em universidade de SP

Sem Comentários

11/09/2019

Para deflagrar a Operação Vagatomia na última terça-feira, dia 3, a Polícia Federal de Jales, no interior de São Paulo, submeteu à Justiça Federal um relatório de 599 páginas apontando o suposto envolvimento de mais de trinta investigados na venda de vagas do curso de medicina da Universidade Brasil, sediada no município de Fernandópolis. Ao solicitar judicialmente ordens de prisão e de busca e apreensão, a PF indicou que haveria um “balcão de negócio de vagas ocorrendo sem nenhum tipo de receio”. Segundo a PF, somente as fraudes no Fies causaram prejuízo estimado de R$ 500 milhões aos cofres públicos. Alguns alunos também relataram o excesso de vagas no campus ao Ministério Público Federal. As estimativas das investigações indicam que pelo menos 500 alunos do curso de Medicina da Universidade Brasil de Fernandópolis tenham obtido o Fies fraudulentamente com a atuação de assessorias educacionais nos últimos três anos. A representação policial registra ainda ameaças proferidas pelo dono da universidade aos alunos que fizeram as denúncias, além de tentativas de influenciar e intimidar autoridades, destruição e ocultação de provas.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: UOL

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

PF desmonta fraudes de R$ 13 milhões nos Correios

Sem Comentários

06/09/2019

A Policia Federal (PF) deflagrou na manhã desta sexta-feira (6), a Operação Postal Off, para desarticular um esquema de fraudes que causou prejuízo de R$ 13 milhões à Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. Cerca de 110 policiais federais cumprem 12 mandados de prisão e 25 ordens de busca e apreensão em três Estados – Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. A Polícia Federal indicou que a investigação teve início em Santa Catarina em novembro de 2018, quando foi apurado o primeiro indício dos crimes praticados pelo grupo criminoso que tinha forte atuação nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro. A Justiça determinou ainda o bloqueio de R$ 40 milhões das contas e bens dos investigados, incluídos carros de luxo e duas embarcações – uma delas um iate avaliado em R$ 3 milhões.De acordo com a PF, os investigados poderão ser indiciados por corrupção passiva e ativa, concussão, estelionato, crimes tributários, lavagem de dinheiro e formação de organização criminosa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: EXAME

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe:

Dupla é presa no Rio suspeita de aplicar golpes em policiais

Sem Comentários

09/08/2019

Na sexta-feira (9), duas pessoas foram presas  suspeitas de aplicar golpes em policiais em delegacias e batalhões da Polícia Militar do Rio de Janeiro. A dupla foi preso na 12ª DP (Copacabana) enquanto oferecia vantagens aos agentes com empréstimos consignados. “A audácia deles é tremenda. Eles agem fazendo de vítimas servidores públicos que estão acostumados a desconfiar, que conhecem golpes. Mas esse é um golpe muito novo, que até eles [os servidores] estão sendo vítimas”, explicou a delegada responsável. O golpe funciona da seguinte forma: os suspeitos se apresentavam como funcionários de uma empresa de investimentos e incentivavam os policiais a pegarem empréstimos. Com os valores, também convenciam os servidores a aplicar dinheiro com eles. Os suspeitos garantiam que, com eles, o lucro seria maior que os juros pagos. Mas é mentira. “E a vítima fica com 10% do valor do empréstimo. E a empresa lesada fica com 90%. Na verdade, começam a pagar um, dois, três, no máximo seis meses e depois desaparecem. Fecham as portas. As pessoas desaparecem, os telefones são bloqueados. muda tudo. E a empresa recomeça aplicando golpe em novas vitimas”, detalhou a delegada. Cadernos de anotações com nomes de possíveis vítimas foram apreendidos com a dupla. “Nós temos nomes de diversos servidores, com a denominação de seus batalhões, com seus nomes, matrículas, identidades… E alguns até forneceram senhas para que a empresa possa pesquisar sua margem consignável”, acrescentou a agente.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Trio suspeito de aplicar golpes em empresas de festas de BH é investigado pela polícia; duas pessoas estão presas

Sem Comentários

07/08/2019

Um grupo suspeito de aplicar golpes contra empresas de aluguel de material para festas está sendo investigado pela Polícia Civil. Duas pessoas foram presas no início da semana, no bairro Nova Esperança, em Belo Horizonte. Um terceiro suspeito e os receptadores dos produtos são procurados. Durante a operação para prender os envolvidos nos golpes, um outro homem foi detido por tráfico de drogas. Conforme a delegada que investiga o caso os suspeitos M.C.F.V., de 44 anos, e L.P.F.D., de 38 e C.S.F.F., de 80, iam até imobiliárias com pretexto de alugar imóveis. Após apresentarem documentos falsos, pegavam as chaves, tiravam cópias e devolviam-nas para as corretoras. Logo em seguida, o trio buscava lojas de aluguel de material para festas, como mesas e cadeiras, e, também com documentos falsificados, davam endereços dos imóveis que tinham cópia das chaves para a entrega. Logo que recebiam a mercadoria os suspeitos fugiam com os produtos. No momento da prisão, M.C.F.V. também foi autuada em flagrante por uso de documento falso. Foram apreendidos um carro que era usado para transporte dos produtos, documentos, celulares e cartões bancários. O trio irá responder por associação criminosa e estelionato. As investigações prosseguem com objetivo de buscar os receptadores.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Mulher cai em golpe e tem R$ 37,5 mil transferidos da conta dela em Piracicaba

Sem Comentários

07/08/2019

Na terça-feira (6), uma mulher de 68 anos procurou a Polícia Civil de Piracicaba (SP) para registrar que foi vítima de um golpe em que criminosos se passaram por funcionários de banco. Foram feitas oito transações da conta dela que, somadas, chegam a R$ 37,5 mil. Conforme o boletim de ocorrência, a idosa afirma que uma pessoa que se identificou como funcionário da central de segurança do banco ligou e disse que o cartão dela havia sido clonado e que foi feita uma compra de R$ 5 mil do Rio de Janeiro (SP). Em seguida, o suspeito pediu a senha do cartão e orientou que ela o entregasse, junto a uma carta de próprio punho solicitando o cancelamento, para um motoboy que passaria na casa dela. Depois de fazer a carta e entregar o cartão, a vítima contou a situação para um primo, que desconfiou e foi verificar o extrato da conta dela. Juntos, eles perceberam as oito transações e a idosa ligou para o banco cancelando o cartão. O caso foi registrado no plantão da Polícia Civil como estelionato.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Vídeo mostra idosa sendo abordada por criminosos que dão golpe do bilhete premiado em Uberlândia

Sem Comentários

07/08/2019

Uma idosa de 80 anos teve prejuízo de R$ 30 mil ao cair em golpe do bilhete premiado em Uberlândia. Os filhos da vítima registraram a ocorrência junto à Polícia Militar na terça-feira (6). A idosa relatou a Polícia Militar (PM) que, por volta das 11h, estava passando pela Avenida Afonso Pena, na região central da cidade, quando foi abordada por um casal. A mulher teria lhe apresentado um papel relatando que havia ganhado um prêmio da Mega-Sena no valor de R$ 1,6 milhões. Segundo a vítima, a autora se passou por uma pessoa humilde e pediu ajuda para receber o prêmio. Então, o homem que a acompanhava fez uma ligação para o banco e fingiu confirmar a veracidade do bilhete. O filho da vítima disse que a mãe e o autor também entraram em uma casa lotérica para confirmar o bilhete premiado, conforme foi registrado pelas câmeras de segurança (veja a notícia na íntegra)

“Minha mãe disse que enquanto ela conversava com a autora, um homem apareceu, aparentemente comovido com a situação, e também se dispôs a ajudar a dona do bilhete”, disse o filho da idosa. Após o fato, a vítima se prontificou a ajudar a criminosa a receber o suposto prêmio. A autora pediu que a vítima comprovasse a índole dela. Para isso, ela relatou que tinha R$ 30 mil guardados. Então, a idosa se deslocou até uma agência bancária, onde realizou dois saques, um no valor de R$ 14 mil, às 12h08, e outro de R$ 16 mil às 12h42. Ela ainda afirmou a PM que saiu do banco e se deslocou até um veículo, onde se encontrou com os autores. A vítima entrou no carro dos criminosos. Após isso, o homem disse que iria comprar algumas sacolas para colocar o dinheiro do prêmio. A autora solicitou que a idosa comprasse algumas garrafas de água. Atendendo ao pedido a vítima saiu do veículo e ao retornar percebeu que os autores fugiram, levando os R$ 30 mil e o celular dela, que ficaram no carro. O filho ainda disse que a mãe estava relutante em contar a verdade e que ficou confusa com o ocorrido. Mas depois decidiu registrar o crime e solicitou as imagens das câmeras de segurança da lotérica.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Preso trio que aplicava o golpe da “saidinha de banco”; Idosos foram vítimas em Alfredo Chaves e Anchieta

Sem Comentários

06/08/2019

Nesta terça-feira (6), foram presas três pessoas responsáveis por aplicar golpes em saídas de agências bancárias e lotéricas pela equipe da 10ª Delegacia Regional da Polícia Civil de Anchieta (ES). O trio era integrante de uma associação criminosa e vitimava pessoas idosas ou com algum tipo de deficiência, aplicando golpes como o da falsa recompensa. Dois são moradores de Vila Velha (ES), enquanto o outro mora em Vitória (ES). O trio foi preso por conta de uma investigação, iniciada após o registro de um Boletim de Ocorrência (B.O.) em Alfredo Chaves (ES), em que o grupo aplicou uma fraude em uma idosa. De acordo com a Polícia Civil, com base nas imagens obtidas e no relato das vítimas, foi possível perceber a ação de dois homens e de duas mulheres.

O trabalho era feito em conjunto. A vítima realizava o saque bancário e, após o sinal de um dos integrantes, os demais iniciavam uma série de encenações para ludibriar a pessoa e facilitar o furto. Os homens ficavam no interior da agência e, ao perceberem que uma pessoa idosa ou deficiente realizava um saque de valor elevado no caixa eletrônico, passavam a informação para as mulheres que iniciam toda a fraude.

Os envolvidos foram autuados por estelionato contra idosos e associação criminosa e um dos suspeitos ainda foi autuado por falsidade ideológica. Isso porque no momento da abordagem, os policiais constataram que ele conseguiu registrar duas identidades no sistema de identificação.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: FolhaOnline.es

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior