Golpistas são presos ao tentar retirar carro

Sem Comentários

18/10/2017

Investigadores prenderam dois homens que usavam documentos falsos para retirar do depósito do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) carros apreendidos pela fiscalização. O flagrante foi feito pela equipe da 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte). Um vídeo mostra o momento em que agentes deram voz de prisão para o engenheiro G.S.Machado, de 40 anos, e para L.A.S.Carvalho, de 25, na hora em que eles tentavam resgatar do pátio um Chevrolet Camaro. Eles portavam uma procuração falsificada emitida pelo cartório de Palmeiras de Goiás, município distante 286km de Brasília. Para conseguir o documento, a dupla adulterou a identidade do verdadeiro proprietário do automóvel. Apenas em 2017 ocorreram 20 casos de tentativa de estelionato para remover do Detran veículos de alto valor comercial, o que resultou em pelo menos 40 pessoas detidas.

Preferência por importados

Os estelionatários normalmente miravam veículos importados, como Land Rover, Audi, Camaro, entre outros. Eles pagavam os débitos dos carros e depois os vendiam por preços bem abaixo dos praticados no mercado. O diretor-geral do Detran-DF, disse que o órgão tem se articulado com outras instituições de segurança pública para evitar esse tipo de golpe. “Nossos servidores estão se aprimorando e intensificando a parceria com as polícias Civil e Militar a fim de inibir essas práticas criminosas. Além disso, a orientação é para que as procurações sejam avaliadas com atenção redobrada”, afirmou Fonseca.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Metrópoles

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Quadrilhas movimentaram R$ 600 mil com fraudes no Detran-MT, diz polícia

Sem Comentários

10/11/2016

Em apenas um ano, cerca de R$ 600 mil foram movimentados por duas organizações criminosas identificadas pela Polícia Civil como atuantes dentro de unidades do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT). As quadrilhas foram desmanteladas durante a operação “Hidra de Lerna”, deflagrada nesta quinta-feira (10) pela Polícia Civil. As duas organizações eram lideradas por despachantes, contavam com a participação de servidores públicos e seus membros também tinham tarefas bem definidas. Ao todo, foram cumpridos 15 mandados de prisão contra os suspeitos de participação nas quadrilhas. Além disso, a polícia ainda conduziu 18 pessoas suspeitas de terem se beneficiado do esquema que funcionava nas unidades do Detran em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, e em Nossa Senhora do Livramento, a 42 km da capital. Conforme o titular da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos (Derrfva), as quadrilhas atuavam de forma a garantir a aprovação de veículos irregulares durante a vistoria obrigatória no Detran-MT, mediante pagamento de vantagem indevida, e também para conseguir agendamento prioritário aos clientes interessados. As quadrilhas também ofereciam o “serviço” de suspensão de multas de trânsito e pontos na carteira de habilitação. O esquema funcionava da seguinte forma: a pessoa interessada em agendar o serviço de vistoria mais rápido ou para aprovar um veículo irregular procurava o despachante que, por sua vez, já tinha um contato dentro da 5ª Circunscrição Regional de Várzea Grande (Ciretran) e em Nossa Senhora do Livramento, onde era feitos os agendamentos prioritários e as vistorias irregulares. Era o despachante que pagava o vistoriador para que os veículos fossem aprovados e cobrava, posteriormente, o cliente pelo serviço “VIP” recebido ou pela facilidade com que seu veículo era aprovado na vistoria. “Num montante geral, isso dava um valor expressivo. Às vezes, a fraude individualmente  considerada pode não parecer muito, porque se trata de R$ 50, R$ 100. Porém, em um dia, são vistoriados mais de 20 veículos. Uma equipe nossa conseguiu flagrar, em apenas um dia, mais de 12 veículos irregulares. Fizemos estimativas com base no montante diários e chegamos ao valor de cerca de R$ 600 mil, que teria sido movimentado em apenas um ano”, afirmou o delegado. Os particulares que se beneficiaram dos “serviços” prestados podem responder por corrupção ativa, segundo a polícia, caso seja comprovado que eles ofereceram vantagens para algum servidor. Agora, se eles apenas atenderam a uma solicitação feita pelo servidor, é o servidor citado quem poderá responder pelo crime de corrupção passiva.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homens que fingiam ser servidores do Detran e PMs para golpe são presos

Sem Comentários

21/07/2016

Foram presos nesta quarta-feira (20) na sede do Detran, em Cuiabá (MT), três homens que se passavam por servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) ou fingiam ser policiais militares. De acordo com o órgão estadual, os três são suspeitos de integrarem uma quadrilha que vendia carros que estavam apreendidos na capital. A quadrilha fugia depois de receber o valor combinado com as vítimas. Os veículos usados pela quadrilha eram ofertados, por um preço abaixo do mercado, nas redes sociais. Toda a negociação era feita no pátio do próprio Detran em horários de menor movimento de pessoas. Os suspeitos já eram monitorados pela polícia. Um dos homens, de 40 anos, estava com um mandado de prisão aberto por crime contra o patrimônio. O outro preso, de 38 anos, estava com um documento falso. Segundo o órgão, dentro do veículo usado pelos suspeitos foi encontrada uma camisa polo com o logotipo do Detran. A roupa era usada para fazer as negociações. Os suspeitos confessaram que praticavam o crime de estelionato. Conforme o delegado, a polícia conseguiu identificar 10 vítimas nesse golpe.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Autoescolas envolvidas em fraude serão descredenciadas pelo Detran-RJ

Sem Comentários

01/03/2016

Após a Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) desmantelar, nesta terça-feira (1º), uma quadrilha que fraudava o Detran e teria despejado nas ruas, segundo as investigações, cerca de 126 mil carteiras de habilitação falsas, as autoescolas envolvidas na fraude serão descredenciadas. Dez suspeitos de participação foram presos, entre eles, C.R.O., apontado pela polícia como um dos chefes da quadrilha. Ele criou um programa de computador capaz de interferir no sistema do Detran, para forjar a impressão digital de alunos de autoescolas. Conforme o delegado responsável, titular da DRCI, o lucro da quadrilha chegou a R$ 400 milhões. Sem fazer as aulas práticas e teóricas – que são obrigatórias, as pessoas conseguiam tirar a habilitação pagando R$ 3 mil. “A quadrilha punha em risco a segurança viária, ao colocar pessoas não preparadas para dirigir, no Rio e em todo o Brasil. Estamos trabalhando para chegar a todos os líderes esse esquema criminoso. Pelo preço médio cobrado pela quadrilha de cada aluno, de 2012 até agora, chega-se a um total de quase R$ 400 milhões em faturamento, obtido com a venda das carteiras falsificadas”, explicou o delegado. Ainda segundo o titular, os dois líderes do bando já identificados são W.S.C., que negociava com as autoescolas, e C.R.O., que elaborou o software e já está preso. O Detran informou que o sistema já foi alterado e o software removido. Ainda segundo o órgão, caso fiquem comprovadas as fraudes, as habilitações expedidas ilegalmente serão canceladas.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Em MT, 29 pessoas são presas por esquema de corrupção no Detran

Sem Comentários

05/09/2015

Neste ano, ao menos 29 pessoas foram presas suspeitas de prática de corrupção no Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT). Segundo o governo do estado as prisões ocorreram entre os meses de janeiro a agosto. O caso mais recente ocorreu na quinta-feira (03) quando um agente de trânsito e um ex-coordenador de fiscalização foram presos por suspeita de fraudes na transferência de documentos de veículos. Além das duas prisões, a Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública expediu quatro mandados de busca e apreensão. Conforme a Polícia Civil, os dois servidores teriam relação com outros dois homens que foram presos no dia 17 de agosto em Chapada dos Guimarães, a 65 km de Cuiabá. Naquela ocasião um ex-servidor do Detran e um vendedor de carros foram presos ao tentarem subornar funcionários da Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran). O diretor de Gestão Sistêmica do Detran-MT, destaca que as prisões resultam do fortalecimento da fiscalização que permite que sejam levantados elementos que subsidiam a atuação da polícia fora do órgão. “Estamos trabalhando em três frentes. Apuramos e investigamos a corrupção interna, dentro de um processo de moralização do órgão, para tentar remover os servidores que estão ligados a ações ilícitas, com atos de corrupção, falsificação de documentos e transferência ilegal de veículos. Atuamos externamente junto aos aliciadores dos servidores e, também, junto aos credenciados que atuam de forma ilegal. Vamos continuar este processo. E estas não serão as únicas prisões, infelizmente”, informou o diretor. O presidente do Detran-MT, diz que as ações para a moralização da autarquia continuarão. “O processo de moralização e de combate à corrupção na autarquia será contínuo”.

Esquema

A operação prendeu um ex-funcionário da Corregedoria do Detran-MT, um vendedor de carros, o ex-coordenador de fiscalização do Detran e ex-diretor de Ciretrans. A segunda prisão envolve um servidor do Detran-MT. O grupo oferecia dinheiro para servidores em troca de ‘agilizar’ transferência e emissão de documentos para pessoas que não eram os verdadeiros proprietários dos veículos. “Eles chamam de ‘pula-pula’, que é colocar o procedimento na frente, dar preferência. Esse serviço é chamado também de VIP. Pegam o procedimento, vão ao Ciretran, pagam a taxa, e depois pagam para o chefe do Ciretran para saírem na hora com o documento, por isso é ‘pula- pula’”, explicou o delegado de Chapada dos Guimarães.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia prende suspeitos de cometer fraudes no Detran, em Belém

Sem Comentários

26/06/2015

Na manhã desta sexta-feira (26), a Polícia Militar prendeu 24 pessoas que estariam vendendo objetos usados por condutores de veículos em frente ao Departamento de Trânsito do Pará (Detran-PA), na avenida Augusto Montenegro, no bairro do Mangueirão, em Belém. Os suspeitos estão presos na Seccional da Marambaia e deverão responder pelo crime de fraude. De acordo com informações da Polícia Civil, os suspeitos abordavam as pessoas no estacionamento do órgão e ofereciam lacres, placas, tarjetas e extintores  abaixo do preço do mercado. Os objetos foram apreendidos e levados para a seccional da Marambaia. Uma perícia irá analisar se as placas vendidas pelos suspeitos eram de veículos roubados.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Detran-SP alerta para golpe de multa de trânsito com falso boleto

Sem Comentários

12/06/2015

Foi divulgado pelo Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran-SP) na sexta-feira (12) um alerta contra um golpe relacionado a multas de trânsito que está sendo aplicado por meio de falsos boletos bancários. O crime consiste em fotografar veículos que estão trafegando em uma determinada via. De posse do número da placa, os criminosos produzem um falso boleto de pagamento de multa e o enviam ao proprietário do automóvel. Nesse suposto boleto está incluso o número de uma conta bancária na qual será efetuado o depósito do pagamento. Entre os boletos falsos que estão circulando é mencionado no cabeçalho da falsa multa o Sistema de Controle de Multas (SISCOM). Esse sistema não existe, alerta o Detran. Na notificação de penalidade do Detran-SP consta o brasão do Estado de São Paulo, menção à Secretaria da Fazenda e a sigla MILT (Multa por Infração à Legislação de Trânsito). Além disso, o Detran informa que não multa por meio de radares, pois não opera esse tipo de equipamento, de responsabilidade exclusiva das prefeituras, no perímetro urbano, e dos órgãos rodoviários. Desta forma, nenhuma notificação do Detran-SP é apresentada com foto do veículo.

Antes de pagar, verifique

O Detran recomenda aos motoristas que, antes de qualquer pagamento, consultem o portal detran.sp.gov.br para verificar, por meio do número da placa e Renavam (Registro Nacional de Veículo Automotor), se há de fato algum registro de infração de trânsito. Caso o boleto indique outro órgão autuador – como as prefeituras, o Departamento de Estradas e Rodagem (DER) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) – é importante fazer pesquisas também nos sites desses departamentos. Os débitos de veículos emplacados no estado de São Paulo também podem ser pesquisados no site da Secretaria Estadual da Fazenda (www.fazenda.sp.gov.br).

Como o Detran avisa sobre multa

O Detran-SP explica que, sempre que uma infração é registrada, primeiro é enviada ao proprietário uma notificação de autuação, com campo para indicação de condutor. Somente após o prazo para a indicação será encaminhada a notificação de penalidade, que é o boleto para pagamento da multa. As multas cujo órgão autuador é o Detran-SP podem ser pagas sem necessidade de boleto, bastando informar o Renavam do veículo em qualquer instituição bancária credenciada, por meio da internet, caixas eletrônicos e agências. Os cidadãos que receberem boletos falsos em nome do Detran-SP devem acionar a Ouvidoria – Acesso pelo portal detran.sp.gov.br, na área de “Atendimento” – enviando todas as informações com detalhes para investigação.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior