Esquema fraudou empréstimos consignados de até R$ 600 mil no CE

Sem Comentários

23/06/2016

Uma quadrilha que fraudava benefícios previdenciários e empréstimos consignados para obter vantagens financeiras foi identificada em Fortaleza, através de investigações da Força-tarefa Previdenciária, composta pela Polícia Federal, Ministério da Previdência Social e Ministério Público Federal. Somente em um dos casos, a polícia detectou que uma pessoa adquiriu R$ 600 mil com a suspensão indevida de empréstimos, prática conhecida como “ciranda dos consignados”. A operação, denominada “Ciranda”, foi deflagrada nesta quinta-feira (23), com a participação 16 policiais federais e servidores da Previdência Social. Mandados de busca e apreensão foram cumpridos em duas agências do INSS, nos bairros Damas e Centro, de onde foram identificadas as fraudes. Nos locais foram apreendidos documentos e materiais de informática, que deverão ser periciados. Conforme a chefe da Força-tarefa Previdenciária, a quadrilha atuava em duas diferentes frentes. O grupo fraudava a liberação de aposentadorias para pessoas que ainda não tinha direito ao benefício, e suspendia, indevidamente, o desconto nas parcelas de empréstimos consignados, para que os pedidos fossem refeitos.

Prejuízos

O grupo vinha sendo investigado desde 2012. Neste tempo, o prejuízo sofrido pelos cofres públicos foi de aproximadamente R$ 5 milhões. A investigadora acrescentou que, caso continuasse ativo, o esquema poderia ter gerado um prejuízo maior que R$ 15 milhões. A Polícia Federal afirmou que as investigações deverão ser continuadas para tentar identificar outros envolvidos nas fraudes. Os três homens apontados como mentores do esquema foram liberados após prestarem depoimento. Os envolvidos responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de estelionato previdenciário, formação de quadrilha, falsificação de documento público, uso de documento falso e inserção de dados falsos em sistema de informações, com penas que variam de um a 12 anos de reclusão.

Golpe da venda consignada continua acontecendo entre idosos e moradores da zona rural, alerta Procon

Sem Comentários

16/12/2014

O Procon de Itabira continua recebendo inúmeras reclamações de consumidores lesados por ambulantes que oferecem vendas de produtos com valores acima do mercado e com pagamento consignado. O golpe tem acontecido especialmente entre idosos e moradores dos distritos e zona rural de Itabira. A informação é da diretora-executiva do órgão. Conforme as reclamações recebidas, os vendedores passam oferecendo os produtos, as vítimas às vezes dizem que não têm dinheiro no momento, mas os ambulantes insistem e induzem o cliente a fazer um empréstimo consignado. As vítimas, em sua maioria, idosos ou pessoas “ingênuas”, acabam comprando os produtos, movidos pela forte propaganda dos ambulantes. “Não generalizando as pessoas de boa-fé que vendem produtos em sua casa, mas sim, aqueles que forçam a compra de produtos e que procuram como público-alvo pessoas idosas ou menos esclarecidas”, esclareceu. A diretora informou que o Procon tem passado em vários grupos da terceira idade e zona rural para orientações. As rádios também estão alertando para a fraude. Recentemente, na cidade houve dois casos de idosos que fecharam compras com ambulantes, com pagamento consignado pelo INSS. As vítimas tiveram muito trabalho até provarem que se tratou de um golpe. A diretora-executiva ressalta que os fraudadores conseguem vincular com facilidade uma financeira e já levam a autorização da operadora com desconto em folha para cassar a venda. “Isso é caso de polícia. Por isso que o Procon está atuando na educação para o consumo”. Ela cita como exemplo a ação mais usual na atualidade: vendas de colchão magnético que a pessoa pode comprar bem mais barato no mercado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: De Fato Online

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

No PA, quadrilha é suspeita de aplicar golpe do empréstimo consignado

Sem Comentários

30/10/2014

Quatro pessoas foram presas pela polícia de Santa Isabel do Pará, na região metropolitana de Belém, suspeitas de fazerem parte de uma quadrilha que aplicaria o golpe do empréstimo consignado. Um funcionário do Ministério da Saúde estaria entre os presos, que seria responsável por repassar dados de pessoas aos golpistas, que falsificavam documentos de identidade para obter valores em dinheiro nos bancos a título de empréstimo consignado em falsos contracheques. Com os suspeitos, a polícia encontrou vários contracheques originais. De acordo com a polícia, a quadrilha agiria nos estados do Rio Grande do Norte e no Maranhão.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Fraudes no empréstimo consignado lideram queixas na ouvidoria do INSS

Sem Comentários

19/08/2014

Mais de 100 queixas por dia foram dadas sobre empréstimo consignado só no primeiro semestre deste ano. O golpe pesa no bolso do segurado do INSS. A maioria das reclamações que a ouvidoria da Previdência Social recebe é sobre irregularidades no empréstimo consignado.  No ano passado todo foram quase 28 mil queixas. Nos primeiros seis meses desse ano, a cada 15 minutos, alguém ligou para Previdência para reclamar. Uma gerente comercial foi uma dessas pessoas. “Descobri que tinha três empréstimos consignados no meu nome”, conta. O nome e os documentos da gerente comercial começaram a ser usados em compras numa empresa de cosméticos. Ela é viúva e recebe pensão do INSS e, em abril, o benefício veio menor. Também fizeram três empréstimos consignados que, somados, chegam a R$ 55 mil. Na hora de pedir o empréstimo o golpista leva para os bancos todos os documentos exigidos. Inclusive comprovante de residência com endereço falso.  O golpista entrega um documento de identidade falso ao banco. O número, o nome do pai, da mãe, data de nascimento estava quase tudo correto.  O documento original foi emitido em Carmo do Rio Claro, Minas Gerais. O falsificado, em São Paulo, e a foto foi trocada. Quando o consumidor perceber que foi vítima de cobrança indevida deve reclamar. Um decreto presidencial de 2008 determina que quando o consumidor reclamar, a instituição tem cinco dias para resolver o problema e se a reclamação for sobre cobrança indevida, ela tem que ser suspensa imediatamente, a não ser que a instituição comprove que o consumidor realmente fez a dívida. A gerente comercial diz que não perdeu os documentos, nunca foi roubada, mas a dor de cabeça não acaba.  “Trabalho todos os dias direitinho, faço minhas coisas, pago minhas contas e vem uma pessoa usa meu CPF meu RG. Constrangedor você provar que você está falando verdade é bem complicado”, desabafa.

INSS responde por fraude em consignado

Sem Comentários

21/03/2014

Pessoas que são beneficiárias do INSS que sofreram descontos indevidos em sua conta bancária em relação a empréstimo consignado têm uma boa notícia. De acordo com a decisão da Turma Nacional de Uniformização dos Juizados Especiais Federais (TNU), o órgão também será responsabilizado em casos em que o segurado é prejudicado com parcelas debitadas a mais ou, até mesmo, quando ele for vítima de fraude – e, embora não tenha solicitado o crédito à instituição financeira, pague por isso. A determinação partiu da ação que um segurado moveu contra o INSS e o banco depois de ter tido descontos indevidos no benefício por conta de um empréstimo consignado que alegou não ter feito. O pedido do órgão para não ser configurado como responsável pela ação foi negado. Segundo um juiz federal relator da ação, o INSS é responsável por pagar benefícios a milhões de trabalhadores e seus dependentes, e não pode permitir o desvio de recursos, em favor de quem somente alega ser o credor. “Se a autarquia federal frustra o pagamento do segurado, desviando parcela dos recursos devidos a pretexto de satisfazer um direito de terceiro, que sequer apresentou provas de que este direito existe, não há dúvidas de que deve responder pelos seus pagamentos”, declara. Conforme explica a vice-presidente do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário, a decisão é de extrema importância, pois, em caso de fraudes, haverá dois responsáveis. “O INSS estava querendo se isentar dizendo que não tem nada a ver com esse processo. Mas, sim, ele tem, porque é dele a responsabilidade do desconto no benefício. Ou seja, o instituto tem que verificar se, de fato, o segurado fez mesmo esse empréstimo, afinal, ele é a ponte entre o credor e o segurado”, diz. Segundo o presidente da Comissão de Direito Previdenciário da OAB-SP (Ordem dos Advogados do Brasil ), o INSS foi responsabilizado por falta de cuidado. “Ele concedeu esse desconto, sem certificar-se de que era de fato legítimo. Faltou o zelo, a verificação de uma assinatura, por exemplo, por isso ele está sendo responsabilizado”, afirma. O INSS ainda pode recorrer da decisão no STJ (Supremo Tribunal de Justiça). Para a vice-presidente do IBDP, no entanto, mesmo assim o caso gera um entendimento entre os juízes. “É uma jurisprudência, que vai nortear todos esses tipos de casos.” Conforme afirmam os especialistas, não são raros os casos de fraudes em consignado. Para evitar este tipo de problema, o aposentado precisa ficar atento. “É importante não passar nenhum tipo de dado pessoal pelo telefone, já que isso pode possibilitar que alguém mal-intencionado solicite o empréstimo em nome dele”, disse ela. Ao sacar o benefício, se o segurado verificar que o valor está menor, é importante que ele se dirija à agência da Previdência Social em que ele recebe o benefício para esclarecer o assunto. “Se o INSS identificar o desconto como consignado, e o segurado não tiver realizado nenhum empréstimo, é importante fazer, na hora, um requerimento para impedir que os descontos continuem. Isso não é para a devolução do valor debitado, que só vai acontecer após o ganho da ação na Justiça, mas é importante notificar o INSS para que ele esteja ciente de que se trata de uma fraude”, orientou o presidente da Comissão de Direito Previdenciário da OAB-SP.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Diário do Grande ABC

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Presa quadrilha que aplicava golpes em aposentados no Sertão de PE

Sem Comentários

03/01/2014

A Polícia Civil de Petrolina, no Sertão de Pernambuco, prendeu nesta sexta-feira (3) a uma quadrilha de estelionatários. Três mulheres e um homem que vinham de Arapiraca-AL para aplicar golpes, através de empréstimos consignados para aposentados do INSS na cidade. A prisão aconteceu em flagrante quando a quadrilha assinava um contrato de empréstimo de R$33 mil numa agência bancária da cidade. Os criminosos falsificavam os documentos do aposentados. Na agência bancária, uma das mulheres se passava por aposentada para obter os empréstimos.  Neste esquema, foram subtraídas quantias altas como a que estava no contrato de empréstimo encontrado no momento do flagrante que era de R$ 33 mil. Os golpes eram feitos em posse de documentos falsificados. Foram encontrados com a quadrilha, cartões de créditos, celulares e comprovantes de contas bancárias e residência. Um carro foi apreendido com o grupo.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Dupla é presa ao tentar empréstimo com documentos falsos em Goiás

Sem Comentários

04/12/2013

 

Duas mulheres, de 30 e 35 anos, foram presas ao tentar realizar um empréstimo consignado em um banco de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, com documentos falsos. Policiais rodoviários à paisana foram enviados até a agência e, no local, constataram que as mulheres portavam 10 identidades falsas, 11 cartões de crédito, talões de cheque, extratos bancários, certidões de nascimento, diversos comprovantes de endereço e R$ 1.228 em dinheiro. Elas vão responder pelos crimes de estelionato e falsidade ideológica. Ainda segundo a PRF, a suspeita é que as mulheres aplicavam golpes em toda a Região Metropolitana da capital.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

O BrSafe é a ferramenta ideal para evitar esse tipo de fraude. Clique e conheça.

Anterior Próximo