Polícia Civil alerta para golpes de estelionato em Divinópolis

Sem Comentários

17/04/2019

A Polícia Civil tem recebido um alto número de denúncias envolvendo estelionatários em Divinópolis. Após a prisão de um jovem de 25 anos, no dia 05 de abril, que vendia pacotes de viagens que não existiam, 15 vítimas compareceram à Delegacia para prestar queixa contra o suspeito. No entanto, segundo uma delegada, golpes envolvendo a venda de veículos e de imóveis também são comuns na cidade. Em 2019, até o momento, 40 pessoas denunciaram golpes envolvendo a compra e venda de veículos na internet. Os golpistas se passam pelos donos do veículo e o ofertam a um valor mais baixo do que o da tabela. Após fechar o negócio, os suspeitos pedem que o dinheiro seja depositado em uma conta bancária e a pessoa só percebe que foi vítima de um golpe ao tentar realizar a transferência do veículo. De acordo com a delegada, os golpistas sacam o dinheiro rapidamente, dentro de até 20 minutos – o que dificulta a ação da polícia. “É possível rastrear [o dinheiro], só que é um procedimento demorado que depende de quebra de sigilo bancário”, revelou.

Falso corretor

Ela revelou que outro golpe que vem sendo aplicado na cidade é o do falso corretor de imóveis. Um suspeito, que não teve a idade revelada, mas que já foi condenado por estelionato, está preso desde a semana passada. Ele é investigado há seis anos por golpes de estelionato em Divinópolis e dez vítimas procuraram a Delegacia para denunciar o suspeito. “Desde 2013 até atualmente ele continua aplicando o mesmo golpe. Ele se faz passar por corretor de imóveis, quando na verdade, nem registro no Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Minas Gerais [Creci] ele tem”, afirmou a delegada. Uma das vítimas do homem afirmou à equipe do MG1 ter encontrado a oferta de financiamento de um lote, com prestações que caberiam no orçamento da família, feita pelo suspeito. “Ele falou que ia fazer uma construção para a gente, mandou foto de planta, mostrou alguns lotes. A gente escolheu um lote, deu um valor de R$ 1,4 mil, ele levou a gente em uma empresa de engenharia que ele conhecia e essa pessoa da empresa, o próprio engenheiro, pediu para eu dar mais uma averiguada”, revelou.

Mais de 200 pessoas caem em golpe de venda de veículos na internet

Sem Comentários

12/03/2019

Nos últimos dois anos, um golpe de venda de veículos on-line fez mais de 200 vítimas no Distrito Federal. Só em 2019, pelo menos 49 pessoas caíram na ação criminosa, que consiste em enganar tanto o verdadeiro dono do produto anunciado quanto os potenciais compradores. O estelionatário assume o papel de intermediário na negociação e articula um encontro entre as vítimas. Antes, por telefone, o criminoso conta histórias diferentes tanto para o proprietário quanto para o comprador. Não há estimativa do tamanho do prejuízo, segundo a Polícia Civil. Os primeiros registros do golpe começaram em 2017. Em todos os casos, os bandidos agiram por meio do site de vendas OLX, segundo informações da Divisão de Falsificação e Defraudação (Difraudes), ligada à Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Ordem Tributária e a Fraudes (Corf). Na última quinta-feira (07), um empresário de 56 anos foi enganado pelo estelionatário durante a compra de um Jeep Renegade no valor de R$ 65 mil. “Falei com o anunciante, que se identificou como Carlos Eduardo. Ele disse que o carro estava com um suposto sobrinho, em uma concessionária do Sia, e que articularia uma visita minha”, conta. Às 10h30, o empresário e o suposto sobrinho, que, na verdade, era o dono do carro, se encontraram. “No WhatsApp, Carlos disse para não falarmos de preço, alegando que o familiar também estava interessado no carro, mas que ele queria pagar em parcelas longas.” Então, o estelionatário falou ao empresário que precisava quitar dívidas e, por isso, daria preferência à proposta dele, já que tinha oferecido um sinal de R$ 20 mil. “O homem confirmou ser sobrinho do criminoso e, por isso, não desconfiei de nada. Fechei negócio e fiz o depósito.” Mal sabia o empresário que o suposto parente também tinha caído na ação do estelionatário. Para o dono do veículo, um advogado, o bandido alegou que ia comprar o carro para abater uma antiga dívida com o empresário. “No mesmo dia, o dono do Jeep me ligou desconfiado de que se tratava de um golpe. Ele disse que o estelionatário pediu para que ele dissesse que eram parentes. Na mesma hora, liguei para o gerente do meu banco.”

Ao rastrear o depósito, o empresário identificou que o dinheiro tinha ido para a conta de uma jovem de 19 anos, moradora de Ribeirão Preto (SP). Como a transferência ocorreu à noite, o criminoso sacou pequenas quantias em caixas eletrônicos e não pôde movimentar todo o montante. A vítima conseguiu recuperar quase R$ 18 mil. Ele e o dono do Jeep registraram o boletim policial. “Com o boletim de ocorrência, o meu gerente entrou em contato com o banco da cidade paulista, pedindo o bloqueio da senha da jovem. Assim, congelamos o dinheiro e recuperei quase tudo. No entanto, ainda não estou satisfeito, pois saí no prejuízo”, lamenta.

Quadrilhas especializadas

A delegada da Difraudes, garante que qualquer pessoa pode cair nesse tipo de golpe, que tem crescido em todo o país. “Acreditamos que se tratam de quadrilhas especializadas, pois é uma ação bem articulada, que não levanta suspeita inicial nas vítimas”, sinaliza. A ação criminosa é minuciosa. “Primeiro, o estelionatário fala com o dono do veículo, se mostra interessado e pede mais fotos. Em seguida, cria o segundo anúncio e engana os compradores. Quando uma pessoa o procura para saber do carro ou da moto, ele passa o material adquirido com os proprietários. Depois, articula que a pessoa interessada no bem veja o produto”, detalha. Para evitar que as vítimas falem sobre a venda durante o encontro, o estelionatário inventa novas mentiras. Aos proprietários, o criminoso diz que irá adquirir o veículo para quitar dívida com a pessoa que irá ver o carro ou a moto. Para o comprador, que o bem está com um familiar. Com as desculpas, a delegada destaca que o bandido afirma que “não é preciso tratar do preço, pois é ele o responsável por essa parte.” As investigações acerca do golpe estão no começo e, portanto, ninguém foi identificado ou preso pelos crimes. Mas a apuração dos agentes indica que há a participação de criminosos de outros estados, que possivelmente contam com a ajuda de estelionatários do Distrito Federal. Em nota, a OLX garante condenar as ações criminosas que ocorrem no site, pois “vai contra as regras da empresa.” Ainda, frisa que a plataforma tem um botão de denúncia em todos os anúncios. Assim, qualquer pessoa pode expor práticas irregulares e conteúdos indevidos. “Identificada a irregularidade, a OLX conta com uma equipe especializada que atua sobre as denúncias, deletando os anúncios e banindo o mau usuário da plataforma”, destaca o texto.

Polícia Civil evita golpe pela internet em Águas Mornas

Sem Comentários

26/02/2019

Nesta segunda-feira (25) em Águas Mornas (SC), a Polícia Civil interceptou um golpe que estava em curso pela internet. Policiais foram acionados com a denúncia de uma ocorrência envolvendo a venda de um caminhão, via site OLX. No local dos fatos, os investigadores perceberam que se tratava de um golpe e evitaram que a parte compradora saísse com o veículo do local, um Ford Cargo ano 2005. A vítima, uma mulher moradora de Água Mornas, anunciou o veículo por R$ 100 mil e um estelionatário replicou seu anúncio por valor menor, o que fez com que outra vítima caísse no golpe. O criminoso, nesse caso, pedia um valor de R$ 80 mil e chegou a conseguir extorquir a segunda vítima. O homem então se deslocou do Paraná até Santa Catarina para buscar o caminhão. No local, porém, os policiais da Delegacia de Santo Amaro da Imperatriz lhe explicaram que ele havia caído num golpe também. A vítima, segundo a Polícia Civil, tinha inclusive feito alguns depósitos para o estelionatário, ainda no estado do Paraná, em um total de R$ 60 mil. Com a ação, os agentes conseguiram evitar que o morador de Águas Mornas caísse no golpe, e ainda conseguiram que a vítima paranaense recuperasse R$ 40 mil. Por enquanto, ninguém foi preso pelo crime. A Polícia Civil alerta para esses tipos de negociações virtuais, recomendando sempre que seja verificado o real crédito em conta, para que só depois sejam entregues bens ou produtos. Alerta também que comprovantes enviados via WhatsApp podem ser falsos, e as pessoas devem sempre procurar uma agência bancária oficial para verificar a situação.

Homem suspeito de aplicar golpes na venda de carros pela internet é preso no Grande Recife

Sem Comentários

30/01/2019

Nesta quarta-feira (30), a Polícia Civil prendeu um homem, de 28 anos, suspeito de praticar golpes por meio de um site de vendas. Conforme a corporação, ele fingia estar intermediando as vendas de veículos para lesar os compradores e o prejuízo investigado ultrapassa R$ 90 mil. A prisão dele aconteceu na Rua Treze de Maio, no Centro de Camaragibe, no Grande Recife. O sujeito, que tem passagem pelo sistema prisional pelo crime de roubo, foi preso preventivamente após um mandado de prisão expedido pela 17ª Vara Criminal da Capital. O suspeito é um dos investigados em uma quadrilha interestadual que pratica golpes por meio da internet. A polícia informou que há registro de, ao menos, duas vítimas dos golpes e que os prejuízos delas são de R$ 20 mil e R$ 70 mil. “Eles agem de forma parecida, copiando o anúncio dos carros sendo vendidos na internet. Quando alguém respondia o anúncio, ele ligava para o real dono do carro, pedia para que retirasse o anúncio do ar e enviasse as fotos do veículo. Ao comprador, ele dizia que estava intermediando a venda. As vítimas depositavam o dinheiro em contas de laranjas”, afirma o delegado responsável pelo caso. Ele foi autuado pelo crime de estelionato e seguiu para o Centro de Observação e Triagem Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife.

Golpe pela internet: acreditando estar comprando carro, homem deposita R$ 49 mil para criminosos

Sem Comentários

26/01/2019

Após aplicar um golpe por meio da OLX, três pessoas foram presas em Rondonópolis (210 km de Cuiabá) acusadas do crime de estelionato. O crime foi denunciado por C.A.F.S., de Mato Grosso do Sul, que depositou R$ 49 mil em dinheiro para os criminosos, acreditando estar comprando um carro. Segundo o boletim de ocorrência, quando a vítima, de 56 anos, percebeu que era um golpe, não conseguiu mais estornar os valores. Então, ele decidiu procurar a polícia, que logo descobriu o endereço do proprietário da conta bancária na qual foi feito o depósito. Acionada, a polícia local foi até a residência do suspeito, onde J.C.F.B. e sua filha D.O.F. acabaram confessando a participação no crime, mas alegaram ter apenas emprestado a conta bancária para aplicação do golpe, sob a condição de receber 20% do valor depositado. Os dois denunciaram então uma terceira pessoa, identificada como H.J.J.S., que também foi preso. Este, por sua vez, disse que apenas intermediou o fornecimento da conta bancária com a pessoa que efetivamente teria aplicado o golpe. No entanto, ele não soube informar o nome completo nem o endereço do quarto acusado, que não foi localizado.

PF deflagra operação para combater fraudes no comércio de veículos

Sem Comentários

17/01/2019

Nesta quinta-feira (17), a Polícia Federal começou a realizar uma operação para combater fraudes no comércio de veículos. A ação é desenvolvida em Goiás e no Distrito Federal. Conforme a PF, um grupo é investido suspeito de de ocultar patrimônio, registrando bens em nome de laranjas, lavando dinheiro por meio da venda de usados. A Operação intitulada Cosplay  foi deflagrada ainda na madrugada desta quinta-feira. Cerca de 120 policias cumprem 31 mandados de busca e apreensão em Águas Lindas de Goiás, Valparaíso de Goiás, Brasília, e em regiões administrativas da capital federal, como Brazlândia, Ceilândia, Guará, Paranoá, Recanto das Emas, Riacho Fundo I, Samambaia, Sobradinho e Taguatinga. Além dos mandados de busca e apreensão, foram cumpridas duas medidas cautelares de sequestros de veículos e bloqueio administrativo junto ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Segundo a Polícia Federal, durante as investigações houve a quebra do sigilo bancário e fiscal dos investigados e, foi constatado que as movimentações bancárias eram realizadas em nome de laranjas que, ainda de acordo com a corporação cediam seus nomes mediante pagamento, para que fossem utilizados em atividades empresariais fraudulentas. O principal suspeito foi detido em 2017 suspeito de receptação de uma carga de 72 aparelhos de televisão roubados. De acordo com a PF, ficou evidente que ele estaria envolvido com o uso de nomes de laranjas para movimentar contas bancárias destes terceiros e, ao mesmo tempo, gerir empresas de fachada. A PF informou também que os envolvidos podem responder pelos crimes de falsidade ideológica e de lavagem dinheiro. Se condenados, podem chegar a até 10 anos presos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: DM

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Golpes causam prejuízos de R$ 75 mil em dois casos de estelionato, em Presidente Prudente

Sem Comentários

03/01/2019

Nesta quarta-feira (02), a Polícia Civil de Presidente Prudente registrou dois casos de estelionato, que foram originados em anúncios em um site de compra e venda de produtos. Em ambos os casos as negociações são feitas por WhatsApp para aquisição de veículos. O modo para se aplicar os golpes são parecidos. As vítimas, segundo os boletins de ocorrência, relataram terem perdido R$ 75 mil. Em um caso o prejuízo foi de R$ 70 mil. No outro, de R$ 5 mil. Os suspeitos simulam ser donos de veículos e vendem carros que não são deles. Tantos os proprietários dos automóveis quanto os compradores acabam sendo vítimas do golpe. A Polícia Civil já está investigando os casos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior