Homem suspeito de aplicar golpes na venda de carros pela internet é preso no Grande Recife

Sem Comentários

30/01/2019

Nesta quarta-feira (30), a Polícia Civil prendeu um homem, de 28 anos, suspeito de praticar golpes por meio de um site de vendas. Conforme a corporação, ele fingia estar intermediando as vendas de veículos para lesar os compradores e o prejuízo investigado ultrapassa R$ 90 mil. A prisão dele aconteceu na Rua Treze de Maio, no Centro de Camaragibe, no Grande Recife. O sujeito, que tem passagem pelo sistema prisional pelo crime de roubo, foi preso preventivamente após um mandado de prisão expedido pela 17ª Vara Criminal da Capital. O suspeito é um dos investigados em uma quadrilha interestadual que pratica golpes por meio da internet. A polícia informou que há registro de, ao menos, duas vítimas dos golpes e que os prejuízos delas são de R$ 20 mil e R$ 70 mil. “Eles agem de forma parecida, copiando o anúncio dos carros sendo vendidos na internet. Quando alguém respondia o anúncio, ele ligava para o real dono do carro, pedia para que retirasse o anúncio do ar e enviasse as fotos do veículo. Ao comprador, ele dizia que estava intermediando a venda. As vítimas depositavam o dinheiro em contas de laranjas”, afirma o delegado responsável pelo caso. Ele foi autuado pelo crime de estelionato e seguiu para o Centro de Observação e Triagem Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife.

Golpe pela internet: acreditando estar comprando carro, homem deposita R$ 49 mil para criminosos

Sem Comentários

26/01/2019

Após aplicar um golpe por meio da OLX, três pessoas foram presas em Rondonópolis (210 km de Cuiabá) acusadas do crime de estelionato. O crime foi denunciado por C.A.F.S., de Mato Grosso do Sul, que depositou R$ 49 mil em dinheiro para os criminosos, acreditando estar comprando um carro. Segundo o boletim de ocorrência, quando a vítima, de 56 anos, percebeu que era um golpe, não conseguiu mais estornar os valores. Então, ele decidiu procurar a polícia, que logo descobriu o endereço do proprietário da conta bancária na qual foi feito o depósito. Acionada, a polícia local foi até a residência do suspeito, onde J.C.F.B. e sua filha D.O.F. acabaram confessando a participação no crime, mas alegaram ter apenas emprestado a conta bancária para aplicação do golpe, sob a condição de receber 20% do valor depositado. Os dois denunciaram então uma terceira pessoa, identificada como H.J.J.S., que também foi preso. Este, por sua vez, disse que apenas intermediou o fornecimento da conta bancária com a pessoa que efetivamente teria aplicado o golpe. No entanto, ele não soube informar o nome completo nem o endereço do quarto acusado, que não foi localizado.

PF deflagra operação para combater fraudes no comércio de veículos

Sem Comentários

17/01/2019

Nesta quinta-feira (17), a Polícia Federal começou a realizar uma operação para combater fraudes no comércio de veículos. A ação é desenvolvida em Goiás e no Distrito Federal. Conforme a PF, um grupo é investido suspeito de de ocultar patrimônio, registrando bens em nome de laranjas, lavando dinheiro por meio da venda de usados. A Operação intitulada Cosplay  foi deflagrada ainda na madrugada desta quinta-feira. Cerca de 120 policias cumprem 31 mandados de busca e apreensão em Águas Lindas de Goiás, Valparaíso de Goiás, Brasília, e em regiões administrativas da capital federal, como Brazlândia, Ceilândia, Guará, Paranoá, Recanto das Emas, Riacho Fundo I, Samambaia, Sobradinho e Taguatinga. Além dos mandados de busca e apreensão, foram cumpridas duas medidas cautelares de sequestros de veículos e bloqueio administrativo junto ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Segundo a Polícia Federal, durante as investigações houve a quebra do sigilo bancário e fiscal dos investigados e, foi constatado que as movimentações bancárias eram realizadas em nome de laranjas que, ainda de acordo com a corporação cediam seus nomes mediante pagamento, para que fossem utilizados em atividades empresariais fraudulentas. O principal suspeito foi detido em 2017 suspeito de receptação de uma carga de 72 aparelhos de televisão roubados. De acordo com a PF, ficou evidente que ele estaria envolvido com o uso de nomes de laranjas para movimentar contas bancárias destes terceiros e, ao mesmo tempo, gerir empresas de fachada. A PF informou também que os envolvidos podem responder pelos crimes de falsidade ideológica e de lavagem dinheiro. Se condenados, podem chegar a até 10 anos presos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: DM

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Golpes causam prejuízos de R$ 75 mil em dois casos de estelionato, em Presidente Prudente

Sem Comentários

03/01/2019

Nesta quarta-feira (02), a Polícia Civil de Presidente Prudente registrou dois casos de estelionato, que foram originados em anúncios em um site de compra e venda de produtos. Em ambos os casos as negociações são feitas por WhatsApp para aquisição de veículos. O modo para se aplicar os golpes são parecidos. As vítimas, segundo os boletins de ocorrência, relataram terem perdido R$ 75 mil. Em um caso o prejuízo foi de R$ 70 mil. No outro, de R$ 5 mil. Os suspeitos simulam ser donos de veículos e vendem carros que não são deles. Tantos os proprietários dos automóveis quanto os compradores acabam sendo vítimas do golpe. A Polícia Civil já está investigando os casos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Casal perde R$ 43 mil após tentar vender carro e cair em golpe

Sem Comentários

27/12/2018

Nesta quarta-feira (26), em Araçatuba, um casal perdeu R$ 43 mil depois de cair em um golpe. Conforme boletim de ocorrência, as vítimas são proprietárias de um Toyota Corolla 2010 e anunciaram o veículo em um site de compras e vendas. Um homem, que estava com o pai, se mostrou interessado e, após uma visita em um local para fazer a vistoria do veículo, disse que compraria o automóvel. O golpista, então, teria ido até um banco e disse que depositaria o dinheiro. Depois, o criminoso enviou um comprovante de transação de R$ 43 mil para o proprietário do veículo. O dono do carro, então, entregou o veículo para um dos suspeitos sem verificar se o dinheiro havia caído na conta. Só depois, após ligar para a namorada, a vítima constatou que a transação não havia sido feita e que ele havia caído em um golpe. O caso foi denunciado na Polícia Civil, que abriu inquérito, mas ainda não localizou os suspeitos. Antes da compra, os golpistas haviam dito que não eram de Araçatuba.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Região Noroeste

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia Civil do DF prende 18 ligados a facção criminosa que atuavam aplicando golpes pela internet no país

Sem Comentários

20/12/2018

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu 18 pessoas suspeitas de aplicarem golpes em sites de venda de veículos em todo o país. O grupo é ligado a uma facção criminosa que atua de dentro dos presídios. Seis prisões ocorreram em Brasília e doze em Mato Grosso. Até a publicação desta reportagem, ainda faltava cumprir um mandado de prisão no Acre. Além das prisões, ainda foram apreendidos celulares, comprovantes bancários e cerca de R$ 15 mil em dinheiro. Segundo a Polícia Civil, o grupo clonava anúncios de sites de vendas de veículos e enganava pessoas interessadas fornecendo contas de “laranjas” para que o valor fosse depositado. Em seguida, o dinheiro era sacado ou transferido para contas indicada pelos criminosos. Conforme o delegado responsável pelo caso, os presos irão responder por organização criminosamente e estelionato.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia alerta para golpe que fez mais de 60 vítimas em João Pessoa, em 2018

Sem Comentários

11/10/2018

Em João Pessoa, um novo golpe já fez mais de 60 vítimas e, por isso, a Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) da cidade emitiu um alerta à população, nesta quinta-feira (11), para evitar novos casos. Conforme um delegado, o prejuízo às vítimas já ultrapassa R$ 1 milhão. O crime é conhecido como golpe do “anúncio de veículos”. Nesta modalidade, o golpista engana um vendedor e um comprador de sites de vendas de veículos para conseguir o dinheiro, sem ao menos precisar estar no estado em que golpe foi aplicado. Como usam linhas telefônicas e contas bancárias de laranjas, a identificação dos criminosos fica mais difícil. “Em razão da complexidade do golpe e do modus operandi inédito, diversas pessoas e até mesmo profissionais da área de segurança não estão familiarizadas com a presente situação e já houve relatos de detenção (até mesmo prisão) de vítimas do presente golpe”, diz a nota da DDF. As investigações mostram que o golpista entra em contato com um anunciante de veículos em sites de venda e demonstra interesse no item. Ao negociar o pagamento, ele afirma que o mesmo será feito por uma terceira pessoa, por causa de uma dívida pessoal. Após confirmar que vai fazer a compra, ele pede que o vendedor retire o anúncio do site.

Com o anúncio fora do site, ele usa as mesmas fotos e informações do veículo para fazer um novo anúncio – falso – com um preço inferior, para atrair novos compradores mais rapidamente – algo em torno de R$ 18 mil. Ao interessado no anúncio, o golpista diz que um representante é quem vai mostrar o veículo pessoalmente para que seja feita uma vistoria e, assim, marca um encontro entre as duas vítimas. Sem conversarem entre si e confiando na legitimidade da negociação, o vendedor entrega o carro ao comprador e o comprador faz o pagamento ao golpista, que não precisou se encontrar pessoalmente com nenhuma das duas vítimas. Como o vendedor não recebe o dinheiro, ele questiona a negociação e acredita que o comprador é, na verdade, o golpista. O comprador também fica no prejuízo porque, mesmo se estiver de posse do veículo, não tem os documentos porque o vendedor se nega a entregar. Segundo a DDF, já existem investigações em tramitação, com a identificação de diversos suspeitos, todos localizados em outros estados, e deverá representar pela prisão de todos, assim que as investigações forem concluídas. A estimativa é que cinco novas vítimas comparecem à delegacia toda semana.

Anterior