Polícia prende dois homens suspeitos de estelionato em São Luís

Sem Comentários

26/09/2018

Na noite de terça-feira (25), dois homens identificados foram presos pela polícia em um condomínio no bairro Parque Athenas, em São Luís. Com eles foram apreendidos cartões de crédito com nomes de pessoas diferentes, aparelhos celulares, máquinas de cartão de crédito e relógios. Segundo o superintendente da Polícia Civil, as investigações iniciaram após receberem denúncias de vizinhos que suspeitaram da movimentação de compras que os dois realizaram nos últimos tempos. “O Centro de Inteligência aguardou no local e abordou os indivíduos que chegavam da rua, com eles foram encontrados documentos falsos e cartões de créditos no nome de terceiros. Nesse momento foi dado voz de prisão por flagrante, já que foram encontrados vários equipamentos de possível falsificação e vários produtos em valor bastante elevado, aberturas de firmas, notas fiscais e certificações de digitais em nomes falsos”, revelou. Os dois homens são do Distrito Federal e através de um contato com uma delegada de Brasília foi descoberto que existe um mandato de prisão temporária para um deles expedido pela Justiça por suspeita de estelionato. O delegado acrescenta que a polícia ainda investiga a existência de mais suspeitos para descobrir a quantidade de pessoas envolvidas no golpe, além de entender melhor de que forma eles agiam no Maranhão. “Eles estavam clonando cartões e através desses cartões clonados efetuavam várias compras, obviamente eles não pagariam e com essas compras eles já tinham as pessoas certas em Brasília, na qual eles faziam revenda dos produtos. Inclusive firmas abertas, pessoas jurídicas para conseguir lavar esse dinheiro e depois retornar para as mãos da quadrilha”, finalizou.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

‘Golpe do motoboy’ é o crime da moda para fraudar cartão de crédito

Sem Comentários

25/09/2018

Uma empresária recebeu há dois meses, uma ligação de seu banco sobre uma suposta compra realizada com cartão de crédito na cidade de Campinas (SP). Não reconheceu o pagamento e foi orientada pelo atendente a entrar em contato com a instituição financeira. Ela ligou para o número localizado na parte de trás do cartão, ouviu a música de espera do banco, falou com um funcionário e aceitou a oferta de entregar o cartão ao motoboy para uma averiguação. No dia seguinte, a mulher descobriu que a compra nunca aconteceu. Que não havia telefonado para o banco. Que o motoboy não levou o cartão para a investigação. E que o prejuízo disso tudo superava R$ 80 mil. Ela caiu no ‘golpe do motoboy’, crime de engenharia social, como são chamados os casos de manipulação psicológica das vítimas por estelionatários. É o golpe da moda, segundo a Polícia Civil, o Ministério Público e os bancos – mas apenas um entre as diversas modalidades de fraudes que envolvem cartões de crédito.

“Hoje, o cartão de crédito é a principal porta de entrada para os casos de fraudes envolvendo nossos clientes”, afirma o superintende de prevenção a fraude de um banco. A instituição, recentemente, iniciou uma campanha justamente para alertar os clientes sobre o ‘golpe do motoboy’. Um vídeo disseminado pelo WhatsApp explica o crime e diz que o banco não solicita senhas e não pede cartões de seus clientes. “Quem cai nesse golpe geralmente fica espantado com o nível de detalhamento dos bandidos. Eles têm informações sobre a vítima, após monitoramento de redes sociais, e geralmente desviam a linha de telefone no instante do golpe para que a ligação caia exatamente no número dos golpistas”, afirma o delegado titular da delegacia de crimes cibernéticos da Polícia Civil de São Paulo. “A pessoa com quem conversei possuía todo conhecimento do sistema de cartões. Era impossível perceber que se tratava de um golpe”, conta a empresária. “Fui parar no hospital. Eram R$ 84 mil. Não conseguia dormir”, conta. Ela só recuperou o dinheiro 20 dias depois. A seguradora pagou uma parte do prejuízo e a agência, onde é cliente há 27 anos, assumiu a outra parcela.

 Bancos de dados

O superintendente lembra que golpes como o aplicado na empresária representam a minoria dos casos de fraudes do setor. O promotor de Justiça do MP-DF e presidente do Instituto Brasileiro de Direito Digital destaca que a maioria das fraudes tem origem nos roubos de banco de dados de empresas. “Um vazamento de bancos de dados expõe dados de milhares de consumidores. Isso depois é vendido no mercado paralelo da internet e vai alimentar milhares de fraudes no e-commerce”, conta o promotor. Atualmente, uma força-tarefa envolvendo policiais e promotores de justiça tenta levantar a origem desses ataques. Uma das linhas de investigação trabalha com o envolvimento de colaboradores dentro de bancos, companhias telefônicas e centros de processamento de dados de varejistas que facilitariam o acesso a informações por parte de estelionatários. “Existem ainda bancos de dados que são frágeis e os hackers invadem sem muita dificuldade”, diz uma fonte do setor, em condição de anonimato. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Correio Braziliense

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Bando fraudava cartões e lavava dinheiro na Feira dos Importados

Sem Comentários

20/09/2018

Após investigações, policiais civis desmontaram uma organização criminosa envolvida em receptação, uso de documento falso e lavagem de dinheiro. O bando realizava a compra de aparelhos celulares, enviava os produtos para Brasília e lá os aparelhos eram vendidos numa banca na Feira dos Importados. As prisões do dono da banca da Feira e de uma suspeita em São Paulo (SP) aconteceram na manhã desta quinta-feira (20), durante a Operação Hermes. Os criminosos atuavam principalmente fora do Distrito Federal. Agentes cumpriram cinco mandados de apreensão. Além de dezenas de aparelhos celulares, policiais enviaram para a perícia computadores, máquinas de cartão e vários documentos de identificação falsos. Conforme o delegado da Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Propriedade Imaterial e a Fraudes (Corf), a investigação começou no fim de abril, quando uma carga com 12 aparelhos celulares foi apreendida no Aeroporto JK. No momento da apreensão, fiscais verificaram que a nota fiscal do produto estava em nome de uma pessoa, os dados da compra em nome de outra e que um terceiro indivíduo iria receber a encomenda, o que gerou suspeita sobre um possível crime de receptação. A partir daí, em parceria com a Polícia Civil de São Paulo, a Corf apurou que os envolvidos roubavam dados pessoais de consumidores, fraudavam cartões de crédito e, com a ajuda de porteiros de condomínios, obtinham os cartões. Com identidades falsas, eles realizavam a compra de celulares e os enviavam por meio de empresa aérea para serem vendidos no DF. A Polícia Civil informou que, em 30 dias, uma das empresas de transporte aéreo fez 20 encomendas de celulares à Brasília, sendo que em cada encomenda havia cerca de 10 celulares, o que totaliza quase R$ 1 milhão em mercadoria fraudada. Segundo o delegado, não está descartada a atuação da organização criminosa em outros estados. Ele não informou quantas pessoas estão envolvidas.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Correio Braziliense

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

PM desarticula quadrilha especializada em fraudes com cartão de crédito, em Águas Lindas

Sem Comentários

26/08/2018

Neste sábado (25), no município de Águas Lindas, no Entorno do Distrito Federal, a Polícia Militar de Goiás prendeu duas pessoas em flagrante por fraudes com cartão de crédito. Os homens estavam comprando vários celulares avaliados em R$ 1 mil reais utilizando o mesmo cartão. Aos policiais, os autores confessaram que faziam parte de um esquema organizado que aplicava golpes com cartão de crédito e que eles ganhariam 25% na compra dos aparelhos que seriam enviados via correios para os compradores. Segundo a PM, M.A.C.L. e E.S.M. estavam realizando várias compras de um mesmo tipo de smartphone utilizando o mesmo cartão, no Água Lindas Shopping, quando a corporação foi acionada para ir até o local verificar a ação suspeita. Quando os militares chegaram, a dupla negou a fraude. Contudo, ao realizar uma busca pessoal nos dois homens, os policiais encontraram com um deles um cartão de crédito que não estava em seu nome e nem de seu parceiro. Ao ser questionado sobre a origem do documento e de quem era o dono, o homem confessou à PM que ele estava fazendo parte de um golpe aplicado por pessoas de Brasília, São Paulo, Goiás e Minas Gerais, e também disse que em sua residência havia mais aparelhos celulares, mas que todos possuíam notas fiscais. A PM prendeu a dupla.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Mais Goiás

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Brasil é segundo país com mais fraudes em cartões

Sem Comentários

17/05/2018

Segundo uma pesquisa da ACI WorldWide, empresa que desenvolve software de pagamento para instituições financeiras, o Brasil é o segundo país, num grupo de 20, com maior número de fraudes com cartão de crédito, atrás apenas do México. Para o gerente de risco para a América Latina da ACI, a maioria dessas fraudes poderia ser evitada pelo próprio usuário. “Falta informação ao mercado brasileiro. Fraudes que utilizam descontos como isca são muito clicadas no Brasil”, opina. De acordo com ele, as instituições financeiras são seguras, mas o público no país não observa se está fazendo a compra em ambiente seguro na internet, que traz o símbolo do cadeado na página. “O cartão de crédito é mais seguro que o boleto bancário porque permite que o cliente faça uma contestação de fraude”, conta. Nesses casos, a análise se é fraude ou não é feita pelas bandeiras dos cartões, e quem tem que provar que a entrega foi feita de maneira correta é o vendedor. “O problema é que o brasileiro não conhece os seus direitos”, afirma o gerente, ao comentar o baixo índice de contestação de compras fraudulentas. Uma empresa sul-africana está lançando um sistema antifraude separado de sua solução de pagamento. “Percebemos que as pequenas empresas no Brasil tinham essa demanda, para acompanhar mais de perto sua segurança e não perder conversão (venda)”, conta a diretora de vendas da empresa para América Latina. “Quando o lojista não tem controle da sua segurança, acaba abrindo mão da venda quando há uma dúvida”, explica. A taxa de aprovação das compras online no Brasil é de cerca de 92%. Em torno de 6% vão para a revisão manual e 2% são negadas. Destas últimos, apenas 10% não eram realmente fraude com cartão de crédito.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: O Tempo

Fique ligado. Dicas do BrSafe para evitar essa modalidade de fraude.

Casais suspeitos de estelionato são flagrados fazendo compras em shopping de Uberlândia

Sem Comentários

09/02/2018

Na noite desta quinta-feira (08), a Polícia Militar prendeu dois casais pelo crime de estelionato. A prisão ocorreu após a chefia de segurança do Uberlândia Shopping, na região sul da cidade, suspeitar do grupo e acionar a polícia. Segundo as informações da PM, o grupo se passava por funcionários de instituições financeiras e informavam às vítimas que os cartões de créditos estavam sendo fraudados. Em seguida, recolhiam o cartão com todos os dados e efetuavam compras de alto valor no shopping da cidade. Conforme informou a assessoria do Uberlândia Shopping, a segurança suspeitou das compras ilícitas e acionou a polícia informando que os autores estavam fazendo compras com cartões em outros nomes. Os militares imediatamente se deslocaram e flagraram os jovens saindo do local com sacolas de mercadorias. Durante a abordagem, os policiais verificaram que os suspeitos são de São Paulo e se tratavam de uma quadrilha de estelionatários que estava em Uberlândia há cerca de uma semana, praticando os crimes. Os envolvidos são um jovem de 24 anos, dois de 22 e uma adolescente de 17. Com eles foram apreendidos diversos cartões e a mercadoria que seria revendida pelos suspeitos. A assessoria do shopping também informou que o empreendimento se colocou a disposição da PM em relação às investigações e que o valor das compras não foi divulgado pelos lojistas.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Brasileiros são presos acusados de fraude com cartões de crédito em Boca Raton

Sem Comentários

29/09/2017

Dois brasileiros foram presos acusados de fraude com cartões de crédito em Boca Raton, no dia 22 de setembro. Segundo a polícia de Palm Beach, K.S.Aguiar, de 30 anos, e F.A.Oliveira, de 45, vão responder por crimes de estelionato e falsificação. F.A. forneceu para polícia um endereço de Boca Raton, já K.S. informou um endereço no Rio de Janeiro. Não foram fornecidos maiores detalhes sobre as circunstâncias da prisão. Esta não é a primeira vez que brasileiros são detidos por crimes de falsificação de cartões de crédito nos EUA. Em agosto, quatro brasileiros foram presos em New Orleans, na Louisiana, por terem fraudado mais de 200 números de cartões. O julgamento dos acusados foi no dia 31 de agosto e eles permanecem presos. Os quatro foram acusados de fraude, furto, entre outros crimes. A prisão é resultado de uma investigação coordenada pelo U.S. Secret Service Financial Crimes Task Force que inclui membros do U.S. Secret Service, Louisiana Bureau of Investigation, New Orleans Police Department e Jefferson Parish Sheriff’s Office. Em 2016, irmãos gêmeos brasileiros foram acusados pela polícia americana de usarem cartões de débito falsos no Condado de Broward. De acordo com reportagem do jornal Sunsentinel, um deles, de 30 anos, foi preso no dia 7 de abril num caixa eletrônico em Miramar (FL) usando cartão falso. Já o irmão foi preso uma semana depois, quando compareceu à audiência do seu irmão na Corte em Fort Lauderdale.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Achei Usa

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior