Integrantes de quadrilha especializada no golpe da Cartela Premiada são presos

Sem Comentários

26/06/2017

Na quinta-feira (22), em Paranaíta (MT), duas pessoas acusadas de integrar uma quadrilha especializada no golpe da “Cartela Premiada”, em bingos no Estado, foram presas em flagrante pela Polícia Judiciária Civil. Os dois suspeitos foram presos quando tentavam receber um veículo, sorteado durante as festividades da Paróquia São Pedro, na cidade. Os suspeitos já eram investigados pela Polícia Civil de Paranaíta por fazerem parte de uma associação criminosa que atua em todo Estado. Uma mulher, integrante do grupo, responsável por participar dos bingos, continua sendo procurada pela Polícia. O golpe consiste em adulterar a cartela com os números sorteados, para quando atingir os 50 chamados, a ficha fraudada ser premiada. A adulteração é feita por meio da raspagem dos números originais e prévia confecção de carimbos com a mesma forma dos números reais. O bingo da igreja aconteceu no dia 11 de junho, quando a suspeita se apresentou como vencedora, entregando a cartela fraudada, todavia o prêmio não foi retirado na data. Posteriormente, a suspeita informou que não poderia retirar o veículo, porque seu pai havia morrido e ela estava responsável pelo velório, em Lucas do Rio Verde, passando uma procuração na cidade Redenção (PA), para que os outros dois suspeitos retirassem o prêmio. Como a Polícia Civil já estava monitorando o grupo, quando os dois suspeitos foram retirar a premiação, acabaram presos em flagrante pelos crimes de estelionato e associação criminosa. Em interrogatório um deles negou a imputação e disse que apenas foi contratado para buscar o veículo. Já o outro suspeito confessou que estava no dia do sorteio e que auxiliou na fraude. Após terem o flagrante lavrado, os suspeitos permanecem presos a disposição da Justiça. As diligências continuam para localizar a mulher.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Cenário MT

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Policial civil é suspeito de falsificar documentos e fraudar R$ 2 milhões em financiamentos

Sem Comentários

12/06/2017

Na manhã desta segunda-feira (12), um policial civil foi detido suspeito de falsificar documentos e fraudar financiamentos. Ele seria integrante de uma quadrilha que movimentou cerca de R$ 2 milhões nos últimos anos. Conforme a Polícia Civil, o homem atuava como escrivão na 4ª DP de Porto Nacional, e se aproveitava do acesso que tinha a documentos de vítimas de crimes para cometer as fraudes. O suspeito foi detido na casa dele, em Porto Nacional, em cumprimento a um mandado judicial e transferido para Palmas, onde presta depoimento. No local foram encontrados carros de luxo. O delegado responsável pelas investigações disse que o agente foi afastado, teve as contas bloqueadas e bens sequestrados.”Esse policial tem envolvimento direto com uma quadrilha que a gente prendeu recentemente por estelionato e uso de documento falso. Ele usava da facilidade do cargo de escrivão de polícia para pegar senha do sistema do judiciário, catalogar o dado de vítimas e falsificar os documentos para fazer financiamento junto a bancos”, explicou o delgado da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores. Conforme as investigações, que duraram cerca de quatro meses, o escrivão falsificava carteiras de habilitação e documento de transferência de veículos. Depois, o grupo financiava os veículos das vítimas ou tentava empréstimos em bancos de outros estados. O policial será denunciado nos próximos dias e deve responder por estelionato, uso de documentos falsos, falsificação de documentos públicos e falsidade ideológica. “Isso foi tudo provado. Esses documentos estão comprovados nos autos de inquérito. Ele era o número dois do grupo e teriam cometido pelo menos 15 crimes. Os financiamentos eram feitos em Brasília e eles pegavam entre R$ 50 e R$ 90 mil.”

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Golpista erra o nome ao assinar documento e acaba preso no Detran-MS

Sem Comentários

23/02/2017

Um homem, de 31 anos, foi preso nesta quarta-feira (22), após tentar se passar por outra pessoa em uma transferência de veículo, no Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito), no Conjunto José Abrão, em Campo Grande. Conforme o boletim de ocorrência, agentes da Deletran (Delegacia Especializada de Combate a Crimes Relativos a Atividade Executiva de Transito) foram acionados por uma funcionária do Detran, que desconfiou dos erros. O suspeito estava com uma autorização de transferência preenchida, porém, preencheu e assinou uma declaração de residência de uma forma e na capa do processo do CGV (Cadastro Geral de Veículo), nos campos 49 e 57, de outra. Após entrevista ao suspeito, os agentes o levaram até a Delegacia para o registro do crime de falsidade ideológica.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Midiamax

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Três estelionatários são presos pela Polícia Civil em Governador Valadares

Sem Comentários

22/02/2017

A Polícia Civil prendeu três homens, de 26, 34 e 43 anos, em Governador Valadares (MG), por estelionato; eles são suspeitos de aplicar golpes em bancos e agências de empréstimo, contraindo empréstimos de forma ilegal. A PC afirma que eles já são conhecidos na região metropolitana de Belo Horizonte (MG). A polícia recebeu informações de que os homens estariam em Governador Valadares, e localizaram dois dos suspeitos em um carro no Bairro Grã Duquesa, nessa terça-feira (21). Durante a abordagem, foi descoberto que a identidade apresentada por um deles era falsa. Os investigadores da PC foram com os homens até um hotel da cidade, onde o terceiro suspeito estava. Ele ainda tentou subornar os policiais para que não fosse levado para a delegacia com os outros dois homens, oferecendo R$ 2 mil. No quarto do hotel, foi encontrado um contrato de empréstimo com um banco da cidade no valor de R$ 10 mil, feito com a identidade falsa, que foi apreendida pela PC. Os investigadores também apreenderam o celular do suspeito que estava hospedado no quarto, onde havia várias conversas relacionadas ao crime. O criminoso de 34 anos usa várias contas bancárias para depositar o dinheiro dos empréstimos fraudulentos, disse a polícia. Os três foram presos e levados para a delegacia da cidade, com o material apreendido. Os suspeitos de 34 e 43 anos já têm passagens por estelionato e formação de quadrilha. O contrato encontrado no quarto também foi apreendido.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

O BrSafe é a ferramenta ideal para evitar esse tipo de fraude.

Trio é preso suspeito de estelionato próximo a agências bancárias

Sem Comentários

20/02/2017

O Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), prendeu no último sábado (18), três pessoas envolvidas em crimes de Estelionato e Falsificações em agências bancárias em Teresina-PI. A ação se deu após a polícia receber uma informação do gerente do banco em Teresina, sobre indivíduos com atitude suspeita, entre eles uma mulher. Foram observadas as imagens dos suspeitos e identificado pela polícia, o veículo em que o grupo andava. A partir disso, policiais do Greco iniciaram diligências para localizar e prender os indivíduos. A prisão aconteceu no bairro São João, após terem sido vistos nas imediações em um banco da Av. Frei Serafim, aonde foram presos três suspeitos. Com o grupo foram apreendidas diversas máquinas de passar cartões, dinheiro, fitas adesivas, celulares, além de outros objetos e o veículo utilizado pelos suspeitos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Cidade Verde

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Suspeito é preso por fraudar exame de HIV para golpes contra servidores na PB

Sem Comentários

13/02/2017

Um homem de 43 anos foi preso nesta segunda-feira (13), suspeito de integrar quadrilha voltada para contratação de empréstimos consignados em nome de servidores públicos utilizando documentos falsos. De acordo com investigação da Delegacia de Defraudações e Falsificações, o suspeito fraudou um exame de HIV para conseguir benefício social. Conforme divulgado pelo delegado responsável, uma das vítimas do suspeito foi um capitão da Polícia Militar, lesado em R$ 40 mil. Além do policial, pelo menos outras três pessoas foram prejudicadas pelo esquema criminoso, totalizando R$ 200 mil. Ele vinha sendo investigado há seis meses. O suspeito já havia sido preso em agosto de 2012, com mais duas pessoas, praticando a mesma conduta criminosa. Ao ser preso nesta segunda-feira, ele portava uma cédula de identidade falsa e cartão bancário, um contrato de aluguel, um cartão de uma loja de departamentos, cartões bancários de terceiros e um exame que atesta que é soropositivo. No entanto, o laudo é falso e era utilizado pelo suspeito para conseguir a concessão de benefício social. O suspeito responderá por uso de documento falso, falsidade ideológica, estelionato e associação criminosa, podendo ser condenado a até 19 anos de reclusão.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Portal Correio

O BrSafe é a ferramenta ideal para evitar esse tipo de fraude.

Apuração crimes de fraude e estelionato aumenta no PA, diz polícia

Sem Comentários

23/12/2016

A Polícia Civil do Pará informou nesta sexta-feira (23), que houve um aumento na quantidade de procedimentos relacionados a crimes fraude e estelionatos no Pará em 2016. Foram 141 procedimentos realizados pela Delegacia de Ordem Administrativa (DOA), responsável pela investigação destes casos, contra 106 em 2015. Os dados foram divulgados pela Divisão de Investigações e Operações Especiais (DIOE) da Polícia Civil, que fez um balanço de todos procedimentos policiais realizados em 2016. Segundo os dados oficiais, foram realizadas 444 apurações de crimes, sendo 342 inquéritos, 64 autos de prisão e 38 registros de ocorrência na divisão. Para diretor da DIOE, os resultados obtidos em 2016 foram satisfatórios. “Tivemos resultados significativos no número de prisões, desarticulação de algumas associações criminosas e produção de procedimentos investigativos”, disse. De acordo com a polícia, entre os crimes mais comuns estão crimes contra o consumidor, golpes relacionados a ofertas de emprego, crimes de ordem tributária e golpes contra idosos que, após uma mudança na legislação, tem tipificação própria.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior