Cinco suspeitos de aplicar golpes em agências bancárias de Curitiba são presos em flagrante

Sem Comentários

20/11/2017

Cinco pessoas foram presas suspeitas de integrarem uma quadrilha especializada em aplicar golpes em agências bancárias de Curitiba. Entre os suspeitos, há dois irmãos. Segundo a Polícia Civil, as vítimas costumam ser idosos. As prisões ocorreram no domingo (19). Policiais estavam observando a movimentação em uma agência bancária na Rua Padre Anchieta, e prenderam os cinco em flagrante. Procurado, o banco não havia comentado o assunto, até a última atualização desta reportagem. Nesta segunda-feira (20), o delegado responsável falou sobre o caso, cuja investigação começou há um mês. Conforme a Polícia Civil, cinco vítimas já foram identificadas. Os criminosos, geralmente, abordavam os idosos no setor de caixas eletrônicos e furtavam os cartões, trocando-os sem que as vítimas percebessem. Depois, induziam para que colocassem os cartões nos caixas e digitassem a senha para, então, memorizá-las. Os suspeitos são de São Paulo (SP) e iam a Curitiba nos fins de semana para agir. As agências bancárias escolhidas para que os golpes fossem aplicados ficam em bairros de classe alta ou classe média alta, conforme explicou o delegado. Os cinco foram autuados em flagrante por associação criminosa, um furto qualificado pela fraude e uma tentativa de furto qualificado pela fraude.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

PF descobre fraudes de R$ 500 mil em benefícios da Previdência

Sem Comentários

13/11/2017

A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira (13), em Salvador, a Operação Contrafeito para desarticular organização que teria desviado R$ 500 mil dos cofres públicos por meio de fraudes na concessão de benefícios previdenciários. A ação conta com apoio do Núcleo de Inteligência Previdenciária da Secretaria de Previdência do Ministério da Fazenda. A força-tarefa mobilizou 50 policiais federias e 12 técnicos da Previdência para cumprimento de nove mandados de busca e apreensão em Salvador. Segundo as investigações, o grupo atuava desde 2012 e os envolvidos usavam documentos falsos para dar entrada em processos de requerimento de benefícios previdenciários. Na prática eram utilizados relatórios e exames médicos falsos com o auxílio de servidores do INSS, também envolvidos nas fraudes. O prejuízo apurado nessa primeira etapa da investigação atinge R$ 500 mil. A PF informou que os envolvidos vão ser enquadrados por estelionato contra a Previdência e formação de quadrilha.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: EM

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Quadrilha que aplicava golpe do falso depósito para roubar caminhões é presa

Sem Comentários

06/11/2017

Uma quadrilha que aplicava o golpe do falso depósito para o roubo de caminhões, em Campo Grande, acabou presa neste fim de semana. Dois caminhões foram roubados através do golpe. Uma das vítimas procurou a delegacia de polícia após fazer a venda de um caminhão para a quadrilha, no valor de R$ 80 mil. Ele teria feito a negociação no dia 27 de outubro, mas só percebeu que tinha sido vítima de um golpe no dia 31, quando foi informado de que o depósito era falso. Ele contou que dois homens chegaram no dia 27 para buscar o caminhão. Os autores estavam em um veículo Volkswagen Gol. Após a descoberta do golpe passou a avisar em grupos sobre o ocorrido e foi informado que os mesmos homens teriam feito a negociação de outro caminhão. A polícia foi acionada e no momento da retirada do veículo pelos autores, a polícia os surpreendeu. As conversas em seus celulares foram verificadas pelos militares que perceberam o mesmo modo operandi para a aplicação do golpe. Os autores foram identificados como O.A.G. de 23 anos, C.C.F. de 28 anos, A.R.L. de 37 anos, e uma outra pessoa conhecida como M. Não há informações se os caminhões foram recuperados.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Midiamax

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Presa estelionatária no Ceará suspeita de fazer saques do PIS com 100 documentos falsos

Sem Comentários

23/10/2017

Foi presa na última sexta-feira (23) em Maranguape, na Grande Fortaleza, uma mulher de 27 anos suspeita de aplicar golpes em todo o Nordeste. Segundo o titular da delegacia de Defraudações e Falsificações do Ceará, a mulher faz parte de uma quadrilha que aplica golpes em vários estado do Nordeste. Com ela, foram encontradas 100 de carteiras de identidades falsas. Os documentos seriam usados para fraudes em saques do Programa de Integração Social (PIS) e FGTS. “Ela já aplicou golpes em vários estados. Além de Fortaleza, ela, junto com outras pessoas da quadrilha, aplicou golpes em Natal, Teresina e São Luís”. O delegado conta que o marido dela foi preso há 20 dias por praticar os mesmos golpes, não em Fortaleza, mas em Natal. “Geralmente o golpe consistia da seguinte forma. Ela pegava o nome das pessoas e retirava dinheiro do PIS, além de realizar várias compras no comércio. Ela nos contou em depoimento que há poucos dias, estava em São Luís e fez várias compras. Uma parte de todo dinheiro roubado dos comércios e do PIS era repassada para o chefe da quadrilha”, explica o titular. Segundo a polícia, outras cinco pessoas estão foragidas. Além das identidades, foram encontrados cartões de lojas e 24 comprovantes de saques do PIS no valor total de R$ 937,00. A mulher está detida na sede da Delegacia de Defraudações e Falsificações do Ceará.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Trio é preso por megafraude bancária em Praia Grande

Sem Comentários

18/10/2017

O sistema de câmeras da Prefeitura de Praia Grande flagrou o comportamento estranho de dois homens na frente de uma agência bancária. Porém, a suspeita de eventual roubo na modalidade conhecida por saidinha de banco logo foi descartada. Os policiais militares acionados para checar o episódio se depararam com uma megafraude de âmbito nacional. Tudo começou no início da tarde da segunda-feira (16), quando câmeras captaram as imagens de K.S.Oliveira, de 25 anos, e W.R.Almeida, de 32. Eles estavam na frente de uma agência na Avenida Presidente Kennedy, e chamaram a atenção porque se encontravam ao lado de uma moto e vestiam blusas de moletom com capuz. Os PMs abordaram a dupla, que ficou bastante nervosa. Perto dela estava uma Honda CG 150 Titan preta, pertencente a W. K. alegou que esperavam a “prima” dele, que entrou no banco para realizar um saque. Encostada à moto havia uma bicicleta branca, que seria da suposta prima.

Megafraude

Enquanto um policial ficou com os dois suspeitos na rua, outro ingressou no banco e lá abordou T.C.Silva, de 30 anos. Ela admitiu ser a dona da bicicleta branca e portava a quantia de R$ 7 mil, que havia acabado de sacar de sua conta-corrente. A averiguada não soube explicar a origem do dinheiro e se referiu a K. como sendo um “conhecido”, sem chamá-lo de primo. A partir daí, os policiais desconfiaram de que os suspeitos estariam envolvidos em um crime diverso de uma saidinha de banco. A certeza dos PMs veio quando eles consultaram a gerência do banco. Esta apurou que, duas horas antes, R$ 15 mil foram transferidos da conta de um cliente de Pernambuco para a de T. A mulher retirou apenas R$ 7 mil, porque é o limite de saque diário permitido pela agência. Por meio de telefonema, a gerência da instituição de Praia Grande entrou em contato com o cliente pernambucano. Morador em Jaboatão dos Guararapes, município da Região Metropolitana de Recife, ele demonstrou surpresa com a transferência, afirmando que não a autorizou. Uma checagem mais apurada verificou que, na manhã de segunda-feira, a vítima teve transferidos R$ 375 mil para diversas contas, e uma delas era de T. Devido à fraude, o cliente de Pernambuco ficou com saldo negativo de R$ 3 mil.

Conta emprestada

Os três acusados foram ouvidos em separado, sendo descoberto parcialmente o esquema criminoso. T. informou que, há cerca de uma semana, foi apresentada a K. por um homem que soube identificar apenas por E. Esses dois homens pediram para ela “emprestar” a sua conta-corrente, para que nela fossem transferidos valores. A mulher disse que ficou combinado de ela ganhar 10% das quantias repassadas, tendo aceito a proposta por passar por dificuldades econômicas. W. não participaria diretamente da fraude bancária, mas daria apoio logístico aos demais acusados com a sua moto, que foi apreendida. O titular da Delegacia de Praia Grande, autuou o trio em flagrante por estelionato e associação criminosa. As investigações prosseguem para identificar E. e outros envolvidos no golpe.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: A Tribuna

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia Civil mira fraude que desviou R$ 10 milhões de Banco

Sem Comentários

17/10/2017

A Polícia Civil do Paraná cumpre, na manhã desta terça-feira (17), mais de 50 mandados judiciais decorrentes de uma investigação que pode ter desviado em média R$ 10 milhões de um banco. As informações são do Paraná Portal. Um ex-gerente geral da instituição, um contador e empresários são alvo da operação deflagrada pela Delegacia de Furtos e Roubos de Curitiba. A Operação Sangria acontece em quatro estados: Paraná, São Paulo, Goiás e Brasília. São 54 mandados judiciais: sete de prisão temporária, sete de condução coercitiva, cinco de prisão, 19 de busca e apreensão e 16 bloqueios de contas bancárias.

A fraude

A investigação aponta que o grupo desviou, pelo menos, R$ 10 milhões com ajuda do ex-gerente geral de uma agência que ficava no Centro de Curitiba. O esquema criminoso contava com a participação, também, de um contador, que abria contas bancárias sem o conhecimento dos donos das empresas, usando documentos falsos. Ele repassava os dados para o gerente geral que, por sua vez, realizava empréstimos financeiros e antecipações de títulos. O ex-gerente chegou a alterar o cadastro de empresários no sistema do banco, sem que os mesmos soubessem, para que as transferências bancárias fossem realizadas. Estes recursos eram deslocados, posteriormente, para contas de empresas envolvidas com a quadrilha, segundo a Polícia Civil. A operação Sangria conta com a participação de cerca de 80 policiais civis de quatro estados. Além dos policiais da DFR, Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos, Delegacia de Desvio de Cargas e do Tático Integrado Grupo de Repressão Especial (TIGRE), unidade de elite da Polícia Civil, participam ainda policiais da Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC) de Goiás, Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (GARRA) de São Paulo e da Divisão de Capturas e da Polícia Interestadual de Brasília.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Metrópoles

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia Civil prende quatro pessoas pelo crime de estelionato em Ribeirão Preto

Sem Comentários

02/10/2017

Quatro pessoas foram presas pelo crime de estelionato em Ribeirão Preto (SP). Conforme as informações do delegado responsável, o grupo detido fazia parte de uma quadrilha que aplica golpes contra empresas da cidade. Várias empresas de Ribeirão já caíram na ação criminosa. “Os estelionatários ligam para a empresa e dizem que depositaram uma determinada quantia em dinheiro ou cheque, por engano, na conta bancária do local e solicitam a devolução do dinheiro”, explica. Segundo os policiais da Delegacia de Investigações Gerais, no caso do dinheiro o depósito era feito por meio de envelopes vazios, no caixa eletrônico. Com relação aos cheques, eles eram depositados e ficavam provisionados, mas, depois, não eram compensados, pois não tinham fundos ou eram cheques fraudados. As quatro pessoas, sendo três mulheres e um homem, foram presas pelos crimes de estelionato e associação criminosa. O caso aconteceu no final da tarde da sexta-feira (29). As investigações dos oficiais continuam sob sigilo.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Revide

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior