Polícia Federal deflagra nova etapa de operação que investiga esquema de fraude na Previdência do RJ

Sem Comentários

12/01/2018

A Polícia Federal e o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) realizam nesta sexta-feira (12) uma nova fase da Operação Cardiopatas, que investiga um esquema de fraudes na Previdência, em Campos dos Goytacazes e São João da Barra, Norte Fluminense. A polícia busca cumprir dois mandados de prisão, e cinco de busca e apreensão. Conforme a investigação, o prejuízo ao INSS chega a R$ 4,3 milhões e a quadrilha começou a atuar em 2010. A OAB acompanha o trabalho dos policiais, porque advogados estariam envolvidos no esquema. A operação foi deflagrada no dia 8 de dezembro de 2017 quando 13 suspeitos foram presos. “É um desdobramento com base nos dados coletados na primeira fase da operação. A partir do que descobrimos em dezembro foram expedidos novos mandados de prisão”, informou o delegado que coordena a operação. A quadrilha recrutava pessoas saudáveis que apresentavam os exames de uma senhora doente à perícia, como se fossem delas. Servidores do INSS, incluindo médicos peritos, que participavam do golpe, aprovavam os exames e autorizavam o auxílio-doença. Além de médicos peritos e médicos particulares, também são investigados técnicos do Seguro Social, agenciadores de benefícios e clientes da organização criminosa. De acordo com a PF, foram comprovadas fraudes em 34 benefícios por incapacidade, entre auxílios-doença e aposentadoria por invalidez. Segundo a Polícia Federal, os investigados responderão pelos crimes de pertencimento à organização criminosa, estelionato previdenciário e corrupção ativa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Presidiário foragido do Pará é preso com documentos falsos e 133 chaves para arrombar casas, no AM

Sem Comentários

10/01/2018

Chaves michas usadas para abrir cadeados, portas e portões foram encontradas com o foragido.

Um presidiário foragido do Pará há quatro anos foi preso, na noite dessa terça-feira (09), em Manaus. A.C.S., de 30 anos, é suspeito de realizar série de furtos, roubos, traficar drogas e falsificar documentos. Mais de 130 chaves micha foram apreendidas com ele. A polícia diz que elas seriam usadas para arrombar imóveis. O homem era considerado fugitivo desde 2014, onde cumpria pena por tráfico de drogas e associação para o tráfico, além de responder por sete processos criminais na justiça paraense. O foragido foi preso pela equipe do 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP), por volta das 20h, na Zona Leste. Segundo o delegado responsável, A.C.S. é suspeito de furtar na região do bairro Flores. “Ele apresentou uma identidade, que aparentemente era original. Policiais checaram o documento e encontraram inconsistências nas informações. Foi realizada busca na residência e encontramos uma Carteira de Habilitação com foto dele, mas com nome de outra pessoa. Ele estava usando documentos falsificados”, explicou. Com o foragido foram apreendidas 133 chaves michas usadas abrir fechaduras, uma balança de precisão, Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e Carteira de Identidade falsificadas. Um caderno com anotações de tráfico de drogas foi achado pela polícia, que identificou que o presidiário teria movimentado grande volume de dinheiro na compra e venda de entorpecentes. Em depoimento à polícia, ele confirmou envolvimento com o tráfico e costumava enviar drogas para Santarém (PA). Um documento mostra o envio de 2 milhões de pesos colombianos para compra de drogas. “Junto com a associação criminosa que ele fazia parte, eles realizavam furtos em diversos locais da capital. O sujeito já tem condenação no Pará por tráfico e associação. Aqui no Amazonas ele já foi condenado por roubo e responde a diversos furtos. Tem um homicídio que é atribuído a ele. Ele teria matado uma pessoa que furtou uma loja que ele possuía”, afirmou o delegado. Outros dois suspeitos de integrar a quadrilha já estavam presos. A.C.S. foi autuado por falsidade ideológica e uso de documento falso.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Fraude no INSS é alvo de operação da Polícia Federal no ES

Sem Comentários

19/12/2017

Uma operação foi deflagrada pela Polícia Federal no Espírito Santo para combater uma quadrilha que fraudava benefícios do INSS. Foi cumprido um mandado de busca e apreensão nesta terça-feira (19), na casa de uma dos investigados. De acordo com a PF, o grupo criminoso também tem braços no Rio de Janeiro e em Minas Gerais. O prejuízo aos cofres do INSS atingiu quase R$ 500 mil. Os criminosos atuavam criando segurados fictícios com documentos falsos. Os membros do grupo recebiam os valores dos benefícios se passando por procuradores dos titulares. Além de saques, os bandidos ainda faziam empréstimos consignados em financeiras em nome dos falsos pensionistas. Os investigados vão responder por crime de estelionato qualificado e associação criminosa, podendo pegar mais penas e mais de oito anos e prisão. A Polícia Federal não divulgou mais informações sobre o caso para não atrapalhar as investigações.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Gazeta Online

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Estelionatário de grupo paulista que interceptava contas bancárias é preso em AL

Sem Comentários

15/12/2017

Nesta quinta-feira (14), um acusado de estelionato e que faz parte de um grupo paulista especializado em interceptar contas bancárias e realizar transferências de valores foi preso pela Polícia Civil (PC) no bairro da Ponta Verde, parte baixa de Maceió. Segundo as investigações, F.M., de 29 anos, faz parte de um grupo criminoso e, segundo informações policiais, o alagoano era responsável pelos saques bancários. A quadrilha escolhia uma conta bancária e transferia valores para outra conta, da qual o homem efetuava os saques. Ele rateava o montante e repassava parte do dinheiro para o grupo sediado em São Paulo. A ação policial do GIDG faz parte da operação nacional PC-27, que ocorre em diversas unidades federativas.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Cada Minuto

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia prende trio suspeito de usar cartão clonado em Taguatinga

Sem Comentários

13/12/2017

Na noite de terça-feira (12), três homens foram presos pela Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), após realizarem compras em um shopping de Taguatinga usando cartões clonados. Os prejuízos são de aproximadamente R$ 21 mil. Os suspeitos fazem parte de uma quadrilha e foram encaminhados para a 21º delegacia de polícia (Taguatinga Sul). Segundo a polícia, por volta de 22h, os seguranças do shopping desconfiaram da movimentação, após dois homens efetuarem uma compra no valor de R$ 20 mil em uma loja e acionaram a PM. Ao chegar no estabelecimento, os militares encontraram os dois suspeitos detidos pelos seguranças com os objetos adquiridos e os  os cartões clonados. Um deles informou que um terceiro envolvido estaria aguardando em um carro do lado de fora do shopping. Após revista ao interior do veículo, os policiais o localizaram celulares e óculos, avaliados em R$1 mil reais.  O trio foi conduzido para a 21ª DP (Taguatinga Sul), onde ficou constatado após consulta, que os detidos faziam parte de uma quadrilha especializada em clonagem de cartões e ostentavam diversas passagens. O trio foi autuado em flagrante por estelionato.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Correio Braziliense

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Perseguição e acidente nas ruas da Capital termina com quadrilha presa por estelionato

Sem Comentários

06/12/2017

Uma quadrilha investigada pelo crime de estelionato acabou sendo presa na região central de Campo Grande (MS) por volta das 15h30 de ontem (05) após perseguição e acidente. De acordo com a imprensa, os criminosos -um homem, uma menor e uma idosa- estariam a bordo de um veículo Chevrolet Cruze, de cor verde, e durante perseguição pela Avenida Afonso Pena, eles teriam invadido a Rua 13 de Maio pela contramão. Com a via lotada, os bandidos acabaram colidindo o Cruze em outros veículos, o que facilitou a prisão. O homem, que conduzia o carro e a mulher mais velha tentaram fugir a pé mas foram capturados a poucos metros. Populares começaram a se aglomerar ao entorno da viatura e manifestaram contra os presos. Eles seriam suspeitos de aplicar vários golpes na Capital, inclusive na região central. Após denúncias à Polícia Civil, investigadores montaram uma operação para desarticular o grupo criminoso.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: O Progresso

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Quadrilha aplicava golpe em locadoras para furtar carros

Sem Comentários

30/11/2017

Uma quadrilha de estelionatários de São Paulo foi presa em Campo Grande (MS). Eles alugavam carros de empresas locadoras, para depois furtá-los. O golpe foi descoberto pela Polícia Civil, na madrugada de quinta-feira (30). Sete pessoas foram presas e cinco veículos recuperados. Conforme o delegado da 3ª Delegacia de Polícia Civil, uma denúncia levou os policiais até os criminosos. Eles estavam hospedados desde o dia 18 de novembro num hotel no bairro Amambai, depois mudaram para outro hotel, desta vez de luxo, no Centro de Campo Grande. G.B.Gomes, de 29 anos, J.S.Pereira, de 26, e T.S.Souza, de 22, confessaram que haviam sido contratadas para alugar carros de luxo, usando documentos próprios, que depois seriam negociados no esquema. Elas contaram que recebiam de R$ 500 a R$ 1 mil por veículo alugado. F.F.B.Silva, de 38 anos, e C.A.Lima, de 36, tinham a função de viajar e repassar os veículos para atravessadores de São Paulo. A esposa de F.F.B.Silva, foi presa por compactuar com a quadrilha. Ao todo, foram apreendidos dois Fiat Toro, um Corolla, um Nissan Kickis SL, além de um Honda City, que não era um carro alugado, mas estava em posse da quadrilha. À polícia, os criminosos contaram que investiram cerca R$ 120 mil para bancar hospedagem, alimentação e outras questões,  afim de aplicar o golpe. O valor ganho pela quadrilha por carro “atravessado” não foi informado. A polícia investiga se os veículos tinham as placas clonadas ou eram desmanchados em São Paulo. Também é investigada a participação de outras pessoas no golpe. Os presos foram indiciados por estelionato e associação criminosa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Correio do Estado

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior