Dupla é pega por golpe do bilhete contra idosa

Sem Comentários

23/08/2018

Dois homens acusados de praticar o golpe do bilhete premiado em uma idosa, de 68 anos, foram identificados pela Polícia Civil e Guarda Municipal de Jundiaí (SP). Eles foram detidos nesta quinta-feira (23) e indiciados pelo prejuízo que teriam causado à vítima, de mais de R$ 10 mil. Crime de difícil esclarecimento de autoria, o golpe envolve geralmente dois criminosos, que escolhem seus alvos geralmente nas imediações de agências bancárias. Fingindo não se conhecerem, um deles se aproxima da vítima e alega estar com um bilhete premiado de loteria, prometendo determinada quantia em dinheiro a quem ajudá-lo a sacar o prêmio. Segundo o investigador-chefe do 1º DP, os dois detidos são moradores de Rio Claro e voltaram a Jundiaí nesta quinta, quando então foram presos durante cerco por agentes da unidade especializada Canil, da GM. Estavam em um carro e foram levados para reconhecimento pessoal, que foi feito pela idosa ainda durante a tarde. Um terceiro homem acompanhava a dupla, mas foi liberado, já que não foi reconhecido pela vítima. Ele, no entanto, será investigado sobre uma possível atuação com os dois acusados em outros eventuais golpes na Região de Jundiaí.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Jornal de Jundiaí

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Idosa perde R$ 44 mil em golpe do falso bilhete premiado

Sem Comentários

18/06/2018

O caso aconteceu na última quarta-feira dia (14), mas foi registrado na sexta-feira (16), na Central de Flagrantes, em São José do Rio Preto (SP). Uma idosa de 67 anos foi vítima de estelionato ao cair no golpe do falso bilhete premiado e perdeu cerca de R$ 44 mil. De acordo com o boletim de ocorrência, a vítima caminhava pela rua Santo André, quando um homem se aproximou pedindo ajuda, alegando que era da zona rural e não conhecia bem a cidade. Ele dizia que havia ganhado um prêmio de R$ 10 mil na lotérica. Neste momento, mais duas mulheres se aproximaram, uma dizia ser advogada e a outra era sua filha. A que se intitulou como advogada pegou o celular e, supostamente, ligou para a lotérica para confirmar o prêmio. Durante a suposta ligação, ela foi informada de que na verdade o prêmio seria de R$ 23 milhões. O homem ficou eufórico e a vítima também ficou empolgada com a situação. Após a ligação, um carro preto com vidros escuros se aproximou dos três. O homem que dirigia o veículo cumprimentou a tal advogada e disse que era um policial de férias e ajudaria o homem que teria sido sorteado com o bilhete premiado. A vítima vendo tudo que estava acontecendo se ofereceu também para ajudar. Então foi oferecido para ela R$ 100 mil pela ajuda.

A quadrilha conseguiu convencer a idosa a dar uma quantia em dinheiro como garantia enquanto não recebesse o tal prêmio. Então, todos entraram no carro preto, conduzido pelo suposto policial, e se dirigiram para uma agência bancária que fica na avenida Potirendaba. A aposentada, com a filha da suposta advogada, foram até o caixa eletrônico e sacaram R$ 4 mil. Em seguida, dirigiram-se até o atendimento do caixa e sacaram mais R$ 5 mil da conta da vítima. Saindo da agência, os quatro foram até um shopping, onde novamente a vítima transferiu R$ 30 mil de sua conta para a conta da agência de câmbio na intenção de comprar dólares. Saindo do shopping com os dólares foram até outra agência bancária, onde a aposentada sacou mais R$ 5 mil e entregou tudo a “filha da advogada”. Depois entregar todo o dinheiro a quadrilha, eles pediram para que a vítima ficasse esperando em frente ao prédio do novo Fórum enquanto a suposta advogada buscasse a parte dela do dinheiro.

A idosa permaneceu esperando por cerca de meia hora. Como ninguém apareceu, ela percebeu que havia caído em um golpe.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Diário da Região

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.