8 milhões de brasileiros foram vítimas de fraude no último ano, diz SPC

Sem Comentários

22/11/2018

Um estudo feito pela Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) estima que 7,8 milhões de brasileiros foram vítimas de fraude nos últimos 12 meses. Os dados mostram que a maior parte das ocorrências (41%) está ligada à clonagem de cartões de crédito. Segundo o levantamento, outros golpes mais comuns envolvem o uso indevido do nome para contratação de empréstimos (12%), falsificação de documentos para abertura de crediário (10%) e pagamento de boletos falsos (10%), e há ainda pessoas que foram vítimas de clonagem de cartão de débito (7%), falsificação de cheque (7%) e clonagem da placa de veículo (7%). De acordo com o SPC Brasil, além de prejuízos financeiros e constrangimento, o consumidor sofre com o tempo gasto para resolver os processos burocráticos para regularizar sua situação, como comprovar que não realizou compras indevidas ou resolver uma possível negativação do CPF, que dificulta a realização de compras por meio do crédito. Nos próximos 30 dias, o SPC diz que vai disponibilizar, gratuitamente, o serviço “SPC Avisa”, que informa, via e-mail, se o cliente teve o nome incluído ou excluído da base de dados do órgão de proteção ao crédito.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Destak

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Grupo é preso suspeito de falsificar documentos de veículos, escrituras e procurações na Grande Goiânia

Sem Comentários

08/11/2018

Nesta quinta-feira (08), dez homens foram presos durante a Operação Cartório do Crime, realizada pela Polícia Civil na Grande Goiânia. Entre eles há despachantes e donos de escritórios de contabilidade e de uma autoescola. A investigação tem o objetivo de desarticular um grupo suspeito de falsificar documentos de veículos, atestados médicos, escrituras e procurações. “Eles cobravam de R$ 100 a R$ 5 mil por cada documento, dependendo da complexidade”, disse o delegado responsável. Além das prisões, os policiais cumpriram 17 mandados de busca e apreensão em Goiânia, Abadia de Goiás e Trindade. Nos locais, as equipes encontraram materiais para a produção dos documentos, como impressoras e selos falsificados. Também havia documentos originais de carros que estavam em branco.

Em nota, o Departamento Estadual de trânsito de Goiás (Detran-GO) disse que solicitou informações junto à Polícia Civil para tomar as medidas cabíveis. A investigação da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (Derfrva) durou oito meses. Conforme o delegado, os falsificadores agiam há pelo menos três anos. Ele explicou que três presos são os responsáveis pela falsificação dos documentos. Eles foram presos nas respectivas casas, localizadas nos setores Aeroporto, Parque Oeste Industrial e Jardim Planalto, em Goiânia. Segundo a investigação, os detidos cometiam as fraudes nas próprias residências. Já os agenciadores são dois proprietários de escritórios de contabilidade, quatro despachantes de veículos e o dono de uma autoescola. “Eles eram os responsáveis por conseguir os clientes, fazer o contato com os falsários e, depois, entregar os documentos falsificados”, explicou Viera.

A polícia ainda apura qual a finalidade do grupo com as falsificações dos documentos. “As falsificações dos documentos subsidiavam vários outros crimes. Com essa operação estamos combatendo o furto e roubo de veículos, o estelionato e outros crimes contra a administração pública”, afirmou o delegado. Os presos foram indiciados por associação criminosa, falsidade de documentos públicos e particulares e falsidade ideológica. As penas dos crimes, somadas, podem chegar a 10 anos de prisão.

Adolescente é detido por falsificar documentos para abrir contas e fazer empréstimos

Sem Comentários

Rapaz falsificava documentos de identidade em Goiana, no Grande Recife

29/10/2018

A Polícia Civil apreendeu em flagrante um adolescente de 17 anos especializado em falsificação de documentos e estelionato no município de Goiana, no Grande Recife. Segundo a Polícia Federal, além de vender os documentos falsos, o rapaz os utilizava para abrir contas bancárias e pegar empréstimos. A prisão foi realizada pela Polícia Civil de Goiana, com apoio da polícia Federal e da Receita Federal, na sexta-feira (26), mas o caso só foi divulgado nesta segunda-feira (29). Depois da audiência na Promotoria da Criança de Nazaré da Mata, que fica mais próxima de Goiana, ele foi entregue aos parentes após dos procedimentos legais. Inicialmente, os policiais acreditavam que ele era maior de idade, mas depois descobriu-se que ele era menor. A Polícia Federal apontou que o adolescente mora no município de João Pessoa, na Paraíba, e já havia sido detido em 2017 por receptação de uma moto roubada no município de Sousa, na Paraíba.

A prisão do rapaz aconteceu após a Polícia Civil de Goiana receber a informação de que um homem estaria na agência da Receita Federal tentando inscrever três CPFs. Quando os policiais o abordaram, encontraram diversos documentos falsificados em seu bolso, como certidões de nascimento, procurações públicas, células de identidades e cartões de créditos. Segundo a Polícia Federal, durante o interrogatório, o rapaz informou que falsificou sozinho os documentos de identidade e certidão de nascimento, usando um programa de computador em sua própria casa. Ele conseguia as fotos das pessoas em lojas de fotografia, pagando um pequeno valor por elas, e então as utilizava na confecção de identidades falsas. Após falsificar os dois documentos, ele se dirigia a uma agência dos Correios e dava entrada na inscrição do CPF, para depois finalizar o procedimento junto à Receita Federal. Com esses documentos, o adolescente afirmou aos investigadores que abria contas bancárias e conseguia empréstimos. Ele também cobrava R$ 800 para confeccionar documentos falsos para integrantes de outras quadrilhas. Ele foi detido e autuado pelos crimes de uso de documento falso, falsificação de documentos público e particular. Somadas, as penas para esses crimes variam de um a 16 anos de prisão.

Homem é preso por aplicar golpes em pessoas que usam sites de vendas pela internet no Recife

Sem Comentários

25/10/2018

Nesta quinta-feira (25), no Recife, um homem foi preso em flagrante por aplicar golpes em pessoas que usam sites especializados em vendas pela internet. Segundo a Polícia Civil, a captura ocorreu quando A.M.P., de 38 anos, tentava desbloquear uma conta corrente, aberta com documentos falsos em um banco localizado no Centro da cidade. O estelionatário enganava, ao mesmo tempo, vendedores e compradores. Para isso, ele falsificava documentos e praticava o crime em várias etapas. Primeiro, ele entrava em sites especializados e escolhia um produto oferecido por uma determinada pessoa. Depois, informava que aquela mercadoria pertencia a ele e colocava à venda em seu nome. Ao entrar em contato com um cliente em potencial, o homem orientava que a vítima do golpe depositasse o dinheiro em uma conta bancária, aberta com os documentos falsos produzidos por ele. A prisão do estelionatário foi efetuada por uma equipe da Delegacia do Cordeiro, na Zona Oeste. No ato da captura, ele estava com uma identidade em nome de outro homem. Autuado por tentativa de estelionato, uso de documento falso e falsificação de documento público, ele deve ser levado para a audiência de custódia na sexta-feira (26).

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Dupla suspeita de aplicar meio milhão em golpes bancários contra idosas é presa

Sem Comentários

22/10/2018

Em Fortaleza (CE), duas pessoas foram presas acusadas de aplicar R$ 500 mil em golpes. Os possíveis estelionatários dispunham até de central telefônica, usada para desviar ligações de vítimas, geralmente idosas de alto poder aquisitivo, que ligavam para o atendimento bancário ao desconfiar da fraude. Com a dupla, foram apreendidos cheques, cartões bancários e documentos falsos. Conforme o delegado titular do 2º Distrito Policial, os suspeitos ligavam para a vítima como se fossem funcionários de banco. Na ligação, informavam que a pessoa teria feito uma compra de alto valor. A vítima, então, não reconhecia a compra, levantando a suspeita de que o cartão de crédito teria sido clonado. “Com isso, o golpista orientava a pessoa a escrever uma carta autorizando a investigação do caso para entregá-la num envelope junto ao cartão, que deveria estar cortado”, detalha. Um dos suspeitos recebia o envelope na casa da pessoa. “O suspeito dizia, ainda, que a vítima deveria ligar para o número do SAC impresso no cartão. A ligação era direcionada para central telefônica dos envolvidos, o que deixava a vítima mais segura”, acrescenta. Até o momento, quatro vítimas prestaram boletim de ocorrência. A dupla foi identificada através de gravações do circuito interno de vítimas. Após três dias de investigação, a dupla foi detida na última sexta-feira (20). Uma terceira pessoa é procurada pela polícia. Ela é suspeita de ser a integrante que fazia o papel de “SAC”, recebendo as ligações das vítimas. Os dois foram indiciados por lavagem de dinheiro, estelionato e associação criminosa. Um deles também foi autuado por falsificação de documento. A polícia informa que banco não manda funcionários em casa para receber cartões de créditos em transações como essa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: O Povo

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Estelionatários são presos sob suspeita de subtraírem cerca de R$ 400 mil em golpes

Sem Comentários

22/10/2018

Em Fortaleza, a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), por meio do 2° Distrito Policial (DP), desarticulou um esquema fraudulento que já havia arrecadado mais de R$ 400 mil. Duas pessoas foram presas e um vasto material, como cheques, cartões bancários e documentos falsos, foram apreendidos. O carro utilizado pelos suspeitos foi localizado pela equipe do 2º DP, após informações colhidas por meio do Sistema Policial Indicativo de Abordagem (Spia). Conforme o delegado responsável, as investigações duraram cerca de três meses e, até o momento, três pessoas já procuraram a Polícia Civil para noticiar os casos. O ‘modus operandi’ da dupla consistia em contatar a vítima sob o argumento de que o cartão dela foi clonado. Diante disso, o suspeito pedia para a pessoa quebrar o cartão e que um representante da instituição financeira compareceria à casa do cliente para recolhê-lo. Quando o estelionatário chegava à casa da vítima, a pessoa desconfiava que se tratava de uma fraude, mas era ludibriada pelo suspeito, que pedia para ela entrar em contato com o número no verso do cartão, para esclarecer qualquer dúvida. Nesse momento, uma segunda pessoa utilizava de um equipamento que desviava a ligação feita pela pessoa, para um número em que um segundo integrante criminoso atendia e convencia o cliente da legitimidade da ação. Depois, já em posse de tal documento, os suspeitos sacavam dinheiro, efetuavam pagamentos e transferiam valores para outras contas. No interior do carro da dupla, que foi localizado por meio dos sensores do Spia, foram apreendidos cheques, cartões de créditos com nomes de várias pessoas e documentos falsos. Após as prisões, os policiais civis se deslocaram até imóveis pertencentes aos indivíduos, onde foram apreendidos outros materiais, como extratos bancários e dois equipamentos de telecomunicação, semelhantes a centrais telefônicas, que eram utilizados para desviar as ligações das vítimas. A dupla foi encaminhada ao 2° DP, onde foi autuada por estelionato, associação criminosa e na Lei de Crimes de Lavagem e Ocultação de Bens.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: O Lagoa

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Três são presos com documentos falsos na rodovia dos Tamoios em Paraibuna

Sem Comentários

16/10/2018

Três pessoas foram presas nesta segunda-feira (16) com documentos falsos na rodovia dos Tamoios em Paraibuna (SP). Conforme a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), eles faziam uma ronda no km 26 da rodovia por volta das 16h, quando suspeitaram dos ocupantes do veículo. Na abordagem, a polícia encontrou com eles vários documentos falsos. Em depoimento, eles contaram que tinham adquirido as carteiras de habilitação e identidade com um falsificador no centro de São Paulo, mas não explicaram para que os documentos seriam usados. Além dos documentos, também foram apreendidos R$ 2,6 mil em espécie. O homem de 44 anos, e as duas mulheres de 25 e 27 anos foram presas em flagrante por uso de documento falso e falsificação. O caso vai ser investigado pela Polícia Civil. O homem foi encaminhado à cadeia de Jacareí e as mulheres encaminhadas à cadeia de Santa Branca.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior Próximo