Homem é preso por tentar tirar CRM com documento falso de medicina

Sem Comentários

05/06/2018

O Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM-MT) detectou mais um falso graduado em Medicina que tentou obter o registro profissional em Mato Grosso. O suspeito B.C.O.O., de 32 anos, e residente em Cuiabá, foi surpreendido por agentes da Polícia Federal na sede do conselho na manhã de segunda-feira (04), no momento em que supostamente receberia a Carteira Profissional. Após a instituição checar junto à instituição de ensino superior Universidade de Cuiabá (Unic), os funcionários do setor de registros do CRM-MT descobriram que o interessado nunca havia sido matriculado, tão pouco concluído o curso de Medicina. Os documentos apresentados por ele não estavam de acordo com os padrões da instituição. Diante da negativa da universidade, o departamento jurídico do CRM-MT requereu junto a PF a instauração de Inquérito Policial para apurar os fatos.

 Entenda o caso 

O suspeito compareceu ao Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso no dia 06 de março de 2018, com a finalidade de obter o registro de médico. Na ocasião, apresentou Diploma de conclusão de curso de Medicina emitido pela Unic. Como de praxe, diante de qualquer solicitação de inscrição de médico no Conselho, o setor de registros checou junto à universidade de origem do solicitante a veracidade do Diploma, que por sua vez informou que o documento não corresponde aos modelos oficiais expedidos pela instituição, sendo caracterizado como não autêntico e inidôneo. Segundo a Unic, além de os documentos estarem fora dos padrões institucionais, as assinaturas utilizadas no Diploma são de ex-reitores da universidade, que deixaram de exercerem o cargo antes mesmo da data de emissão do documento, conforme o Setor de Registros de Diplomas da unidade de ensino superior.

 Investigação

O Diploma apreendido, e todos os documentos apresentados, serão periciados pela Polícia Federal. O homem será indiciado por uso de documento falso. Ele foi intimado pela PF e deve prestar esclarecimento na próxima segunda-feira. De acordo com o delegado, o inquérito vai apurar como e onde o diploma falso foi produzido. Ao ser abordado pelos agentes, o acusado não soube responder, por exemplo, quais foram as últimas disciplinas estudadas durante o curso, datas de colação de grau e festa de formatura, tão pouco os nomes de professores.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: MidiaNews

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Padronização e tecnologia tornam carteira estudantil livre de fraudes e garantem a meia entrada em todo Brasil

Sem Comentários

28/05/2018

Está cada vez mais difícil pegar menos em shows e em eventos culturais, tudo isso porque a prática de falsificação de carteirinhas, para pagar meia entrada nos eventos, faz com que os preços fiquem mais salgados. Mas agora isso mudou e é lei. A chamada carteirinha estudantil apresentada em shows e eventos culturais só pode ser aceita se estiver dentro de padrões regulamentados por legislação específica. E é crime emitir ou portar carteirinha irregular. Para serem válidas em todo o território nacional, a agora Carteira de Identificação Estudantil – CIE possuirá dispositivos de segurança e aspectos que garantem a legitimidade. Fundo com linhas antiescaner, logo em cromia, campo delimitado para fotografia e microletra positiva e negativa são algumas características que as tornam mais seguras. Será aceita a carteirinha que, além dos aspectos citados acima, também possuir QRCODE, certificado digital ICP-Brasil e Código Único de Uso. A padronização da CIE está prevista pela Lei Federal 12.933/2013 e decreto 8.537/2015 e vale tanto para a identificação de estudantes quanto para professores. A carteirinha também será checada via internet junto a um banco de dados nacional, contendo foto e dados da mesma via QR CODE. Assim, quem portar carteirinha falsa poderá ser desmascarado na entrada do show e ser até preso em flagrante por crime de falsidade ideológica.

UNIJOVE

A UNIJOVE é uma das entidades aptas a emitirem a nova carteirinha estudantil, no Tocantins, e a única autorizada em Araguaína. Além dela, no Estado, somente a União Tocantinense dos Estudantes – UTE também está habilitada a emitir a identificação. Segundo o secretário da UNIJOVE de Araguaína, “a entidade é uma união de jovens e estudantes que se organizou como uma entidade estudantil responsável, entre outras coisas, por emitir carteirinhas dentro da lei.  Ela também é assume a promoção de eventos e ações de interesse dos jovens e estudantes”.

Obrigatoriedade valendo

No Tocantins, o novo padrão já é exigido em estabelecimentos e eventos. Mas, em Araguaína, poucas pessoas já apresentam o modelo novo. Conforme a gerente do Mobi Cine, um material de conscientização foi fixado no cinema para que as pessoas saibam da obrigatoriedade. “Tem gente que precisamos pedir para mostrar, tem aqueles que ainda apresentam a antiga e nós já informamos que não podemos aceitar mais”, conta. Desde o dia cinco de maio deste ano, o Mobi Cine não permite mais a entrada de estudantes que estejam com o modelo antigo de carteirinha.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Surgiu

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Fraude em benefício do INSS no ES gera prejuízo de R$ 1 milhão, diz PF

Sem Comentários

29/05/2018

Nesta terça-feira (29), a Polícia Federal realiza uma operação de combate a fraudes praticadas contra o Instituto Nacional do Seguro Social, no Espírito Santo. Durante a investigação, foram identificados documentos falsos usados para criar falsas identidades de pessoas idosas e, assim, receber o benefício assistencial. As investigações da ‘Operação 3×4′ tiveram início em 2017 e, até o momento, foi apurado um prejuízo que gira em torno de R$ 1 milhão. A Polícia Federal cumpre um mandado de busca e apreensão no estado, nesta terça. Conforme a polícia, como há indícios de que a atividade criminosa é desenvolvida há, pelo menos, 10 anos, e ainda não foram analisados todos os benefícios fraudados, a estimativa é que os prejuízos superem esse valor. Os investigados vão responder pelo crime de estelionato qualificado, além de associação criminosa, e a soma das penas pode ultrapassar oito de reclusão.

Entenda o caso

A Polícia Federal identificou, há cerca de oito anos, a ocorrência de fraudes em benefícios assistenciais a pessoas idosas denominados BPC (Benefício de Prestação Continuada) com um mesmo modo de operação, que consistia no uso de documentos falsos para forjar falsas identidades de pessoas idosas que eram aliciadas, especialmente, para esse fim. Essa situação originou vários inquéritos e o indiciamento de algumas pessoas, sem que, no entanto, fosse possível identificar o mentor das fraudes. Depois do trabalho de inteligência da Força-tarefa Previdenciária foi identificado um importante autor de várias destas fraudes anteriormente investigadas, além de se identificar várias outras que eram realizadas e, até então, não haviam sido detectadas.

Idoso é preso ao tentar sacar benefícios da previdência com documentos falsos em Belém

Sem Comentários

28/05/2018

A Polícia Civil prendeu nessa segunda-feira (28), um idoso de 65 anos suspeito de tentativa de estelionato. A prisão ocorreu no momento em que ele tentou abrir conta com documentos falsos em uma agência bancária na av. Senador Lemos em Belém. Conforme a polícia, o homem é suspeito de envolvimento em um esquema de fraude para sacar dinheiro referentes a benefícios previdenciários. A gerência do banco percebeu a falsificação em um dos documentos apresentados e acionou a Polícia Civil. Foram apreendidos a carteira de identidade falsa, uma carta em nome do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e um comprovante de endereço falso. A Polícia informou que a documentação estava em nome de outras pessoas. O suspeito foi ouvido na Divisão de Prevenção e Repressão a Crimes Tecnológicos, no bairro do Telégrafo, e o caso deve continuar sendo investigado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é preso ao tentar tirar passaporte para adolescente usando documentos falsos em Governador Valadares

Sem Comentários

23/05/2018

Em Governador Valadares (MG), na tarde dessa terça-feira (22), um homem de 41 anos foi preso após tentar tirar um passaporte para um adolescente, de 17 anos, utilizando documentos falsificados em posto de atendimento da Polícia Federal. Segundo a Polícia Civil, o homem se passou por pai do menor e a intenção dele era conseguir documentação para os dois entrarem nos Estados Unidos. Na hora de consultar a documentação, a polícia descobriu que o menor é da cidade de Coroaci (MG) e que os pais possuem outros nomes. Os dois foram encaminhados para delegacia de Governador Valadares, onde confessaram que realizariam a falsificação para viajar para o exterior. O homem confessou também que não era o pai do adolescente e que teria a intenção de viajar para os Estados Unidos onde residem os familiares dele, e que levaria o rapaz porque o menor queria ajudar a família financeiramente. A delegada que cuida do caso informou que o homem foi encaminhado para o presídio da cidade. O pai do adolescente, de 57 anos, compareceu à delegacia e o menor foi liberado. Ela ainda informou que o caso ainda está sendo investigado, e se for comprovada a participação dos pais do adolescente no crime eles também serão indiciados. A delegada explicou também que o homem iria utilizar o adolescente para que, caso fosse preso durante a passagem para os EUA, os dois fossem liberados. O homem também teria informado à polícia que chegou a pagar 12 mil dólares para fazer travessia, mas não revelou a quem fez esse pagamento. “Estamos trabalhando para chegar até homem que prometeu fazer essa travessia, uma vez que é alta a incidência desse tipo de atividade na cidade de Governador Valadares. A Polícia Civil tem desenvolvido um serviço de investigação e prevenção contra esse tipo de prática. O homem de 41 anos vai responder pelos crimes de corrupção de menor, falsidade ideológica e uso de documentos falsos”, disse.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Justiça da PB condena árabes por uso de documento falso e falsidade ideológica

Sem Comentários

18/05/2018

Três árabes foram condenados por um juiz da 6ª Vara Criminal da Capital por crime contra a fé pública – uso de documento falso e falsidade ideológica – e crime contra a paz pública, sendo classificado como associação criminosa. Dos três réus, dois tiveram as penas privativas de liberdade transformadas em restritivas de direito e um deles terá de pagar uma multa de R$ 100 mil a uma entidade beneficente. No dia 12 de abril de 2017, por volta das 13h, os primeiros acusados foram presos em flagrante, nas dependências da sede do “Programa Cidadão”, em João Pessoa. Eles utilizaram documentos públicos falsificados para conseguir um Registro Geral e a emissão de cédula de Carteira de Identidade para um deles, como forma de conseguir uma nacionalidade brasileira. Segundo a denúncia, dois deles saíram de São Paulo para João Pessoa para obter uma Carteira de Identidade de nacionalidade brasileira, usando, para tanto, uma Certidão de Nascimento falsificada, de um cartório do Ceará. Com um deles também foram encontradas duas Carteiras Nacionais de Habilitação em nome de um dos acusados, emitidas em São Paulo, também falsificadas. No dia do flagrante a coordenação do programa suspeitou do fato de um dos árabes não conseguirem se comunicar em português. Ainda nas investigações da Polícia Civil, outros dois suspeitos foram presos no dia 21 de abril, em um hotel de João Pessoa. Eles foram apontados como colaboradores para o crime.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Dupla é presa suspeita de tentar comprar carros com documentos falsos, em João Pessoa

Sem Comentários

19/05/2018

Na sexta-feira (18), dois homens foram presos  suspeitos de tentarem comprar carros com documentos falsos em João Pessoa, na Paraíba. Segundo a polícia, comprovantes de renda, créditos bancários e outros documentos, que estavam no nome de um dentista de São Paulo, estavam sendo usados por um funcionário público de 51 anos que mora em João Pessoa. A polícia informou que, durante a tentativa de compra dos carros, o suspeito estava junto com outro homem, de 71 anos, que também foi detido, e uma mulher que conseguiu fugir do local. Conforme o relato da financeira à polícia, por pouco a negociação não foi concluída, mas a empresa suspeitou da documentação e fez a denúncia. A titular da Delegacia de Defraudações de João Pessoa, afirma que entrou em contato com o titular do RG que estava sendo utilizado pelo suspeito e ele confirmou que sequer havia visitado a Paraíba. A delegada disse ainda que os dois suspeitos foram presos e conduzidos à delegacia, onde foram autuados pela tentativa de estelionato, falsidade ideológica e pela formação de quadrilha. As informações da polícia são de que a mulher que conseguiu fugir do local já foi identificada e, posteriormente, será localizada e interrogada.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior Próximo