Empresária é denunciada por falsificação de documentos e crimes ambientais em MT

Sem Comentários

18/09/2018

Nesta terça-feira (18), uma empresária foi denunciada pelo Ministério Público Estadual (MPE), por crimes ambientais e falsificação de documentos. Segundo a denúncia, L.R.G. usava a empresa para conseguir licenças irregulares na Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema). Essa é a segunda denúncia registrada contra a empresária. O MPE também fez novo pedido de prisão preventiva contra a acusada. As denúncias são resultado das operações Polygunum e Siriema, deflagradas pelo MPE em parceria com a Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema) e pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais e Renováveis (Ibama), que investigam fraudes nos sistemas ambientais. Conforme as investigações, em 2011 L.R.G., por meio da empresa dela, foi contratada para promover a regularização de uma fazenda localizada em Gaúcha do Norte, a 595 km de Cuiabá. Ao constatar que a propriedade rural estava em situação irregular, a empresária teria usado o nome da empresa dela para falsificar documento público emitido pela Sema. “Falsificando a Autorização Provisória Funcionamento de Atividade Rural (APF) a denunciada obteve vantagem ilícita de R$ 4 mil, prejudicando a vítima e o meio ambiente. Induziu o proprietário da área em erro, mediante a apresentação do documento falso, obtido por meio fraudulentos. Além disto, dificultou a ação fiscalizadora da Sema no trato de questões ambientais”, diz trecho da denúncia. Caso a denúncia seja aceita, a empresária deve responder pelos crimes de falsificação de documento, por dificultar a ação fiscalizatória do poder público e também por impedir a regeneração natural de florestas e demais formas de vegetação.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Estelionatários presos na Capital já fizeram mais de 100 vítimas em SP

Sem Comentários

18/09/2018

A quadrilha de estelionatários presa na segunda-feira (17) em Campo Grande, já fez mais de 100 vítimas em Franca (SP). Conforme o delegado responsável, os golpistas são profissionais, artistas, dissimulados e com desvio de personalidades. “Eles tentam enganar até a polícia”, diz. Oito vítimas de Sidrolândia (MS) foram identificadas. O bando lucrou mais de R$ 100 mil com vendas de cartas de crédito falsas no município. Os quatro suspeitos foram autuados por estelionato, associação criminosa e falsidade ideológica. Eles foram levados para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro. O quinto integrante da quadrilha ainda não foi localizado, mas o delegado já pediu a prisão dele. O caso será investigado pela Dedfaz (Delegacia Especializada de Repressão a Crimes de Defraudações, Falsificações).

Como agiam

Além de usar uma pessoa para fazer propagandas, a quadrilha oferecia cartas de crédito pelas redes sociais. Eles pediam um terço do contrato, ou seja, valores de entrada que iam de R$ 7 mil a R$ 40 mil. A primeira vítima da quadrilha em Sidrolândia foi um homem que fazia propaganda do grupo. Após descobrir sobre o golpe, ele passou a avisar os conhecidos que tinham feito contrato com os estelionatários. Até que ontem, as vítimas que vieram de Sidrolândia para assinar o contrato com o grupo, acionou a Polícia Militar e relatou sobre a situação. Dois dos suspeitos foram presos em flagrante. Os outros dois foram localizados em um hotel. Lá, a polícia encontrou vários documentos, contratos e máquinas de cartão de crédito. Eles admitiram a forma de agir. Mas insistem, segundo a polícia, em dizer que a empresa vai pagar os contratos. Eles são profissionais. Se forem soltos, vão migrar para outra cidade.

Ministério Público e Polícia Civil investigam suspeita de falsificação de documentos na Câmara de Serra Azul, SP

Sem Comentários

06/09/2018

O Ministério Público investiga uma suspeita de falsificação de documentos na Câmara Municipal de Serra Azul (SP). Na noite de quarta-feira (05), a Polícia Civil apreendeu equipamentos eletrônicos no prédio do Poder Legislativo e na casa do presidente. Através de mandado de busca e apreensão, cinco computadores e um celular foram apreendidos pela Polícia Civil e levados para a perícia. Foram recolhidos documentos até dos cestos de lixo. A suspeita é de irregularidade em pagamentos feitos pelo Legislativo. Segundo a Polícia Civil, a investigação vai apurar se houve falsificação de documentos por parte da presidência da Câmara. “Apreendemos alguns documentos como notas de empenho e documentos diversos relacionados à Câmara”, diz o delegado responsável.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Faxineira é presa com mais de 100 documentos falsos em Sorocaba

Sem Comentários

05/09/2018

Em Sorocaba (SP), na tarde desta terça-feira (04), uma faxineira de 41 anos foi presa por uso de documentos falsos. Na casa dela, a polícia encontrou mais de 100 identidades falsificadas e a suspeita é que ela usava os documentos para conseguir crédito em bancos virtuais. Segundo a Polícia Civil, a foto da suspeita aparece em oito identidades, todos com nomes diferentes. No momento da abordagem, a mulher apresentou um documento falso aos policiais e, em buscas pela sua residência, a polícia também encontrou um cadastro com mais de 60 mil dados pessoais em um pen drive. A suspeita da polícia é de que esse banco de dados era usado para falsificar os documentos, como RGs e carteiras de habilitação. Com isso, a mulher solicitava os cartões de crédito para bancos virtuais. Duas máquinas de cartão também foram apreendidas. Em uma primeira análise dos documentos, pelo menos 20 boletins de vítimas já foram encontrados com empréstimos que chegam a R$ 47 mil. O uso de documento falso é considerado crime com pena de até seis anos de prisão. Todos os nomes que estão nas identidades serão investigados. A polícia busca saber se essas pessoas são vítimas ou se possuem envolvimento no esquema. Ela já tem passagens por tráfico de drogas, receptação e estelionato. A suspeita passou pela audiência de custódia nesta quarta-feira (05) e teve sua prisão em flagrante convertida em prisão preventiva.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

PF prende 3 advogados por saques de precatórios com documentos falsos

Sem Comentários

03/09/2018

Nesta segunda-feira (03), a Polícia Federal prendeu três advogados e um bacharel em direito efetuando saques fraudulentos de precatórios judiciais com emprego de procurações falsas. A suspeita é que o grupo tenha causado prejuízo de R$ 20 milhões aos cofres públicos. A ação dos criminosos ocorria com o descobrimento de precatório judicial não sacado. Isso acontecia quando o dinheiro, ganhado judicialmente em disputas judiciais contra o estado, estava depositado em conta e disponível para saque pelo beneficiário. A quadrilha fazia documentos falsos que autorizariam o saque e tirava o dinheiro do banco se passando pelo verdadeiro beneficiário.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Seis pessoas são presas em operação contra estelionatários no PR

Sem Comentários

30/08/2018

Seis pessoas foram presas em uma operação da Polícia Civil, suspeitas de estelionato e associação criminosa. Cinco das prisões aconteceram na Região Metropolitana de Curitiba e uma no Maranhão. A Operação “Sutis” foi deflagrada ao longo desta semana, entre os dias 28 e 30, por meio da Delegacia de Estelionato com apoio da Superintendência Estadual de Investigações Criminais do Maranhão (SEIC). A investigação durou quatro meses e desmantelou três grupos criminosos de forma simultânea, combatendo a prática de negociações fraudulentas no estado paranaense. Uma das quadrilhas era especializada em fraudar vendas de terrenos através de escrituras e registros imobiliários fraudulentos. “Os integrantes do grupo criminoso deram um golpe de cerca de R$ 8 milhões. Eles utilizaram as escrituras falsas desses terrenos para negociar com a vítima mais de 40 máquinas agrícolas, que foram rapidamente revendidas pelos estelionatários. J. é advogado e utilizava seu conhecimento jurídico para ludibriar as vítimas. Por isso operação “Suits”, expressão norte americana que significa “Ternos”, vestimenta comum na advocacia”, explica o delegado da DE. O homem era monitorado pela polícia e teve as contas bancárias bloqueadas para ressarcir eventuais prejuízos sofridos pela vítima. Um dos suspeitos foi preso dentro de uma instituição bancária, aplicando um golpe. “Um homem foi preso em uma instituição bancária quando tentava abrir uma conta com documentação falsa, sendo que após algumas diligências, os policiais conseguiram autuar outro suspeito, que era o responsável pelo fornecimento da documentação falsa”, diz o delegado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Paraná Portal

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Suspeito de estelionato que pode ter feito mais de 500 vítimas é preso em Suzano

Sem Comentários

30/08/2018

Nesta quinta-feira (30), a Polícia Civil de Suzano prendeu um homem suspeito de extorsão. A investigação aponta que ele pode ter feito mais de 500 vítimas na região. Conforme a polícia, o suspeito de 47 anos pesquisava pessoas com dívidas e, principalmente, cheques devolvidos. Ele fazia contato com as vítimas e pedia uma quantia em dinheiro pra “limpar o nome” delas. Na casa dele, em Itaquaquecetuba, os policiais encontraram centenas de certidões de cartórios de protesto, cheques falsificados, documentos das vítimas, além de documentos falsificados com a foto do próprio suspeito e equipamentos para fazer a falsificação desses documentos. Os policiais chegaram até o suspeito depois que um empresário da região denunciou que estava sendo extorquido.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior Próximo