Operação contra fraudes em carteiras de identidade cumpre mandados de prisão em três cidades do Paraná

Sem Comentários

02/04/2019

Na manhã desta terça-feira (02), policiais civis cumprem cinco mandados de prisão e quatro de busca e apreensão em Racho Alegre D’Oeste, na região centro-oeste do Paraná, Maringá e Sarandi, na região norte do estado. O alvo da operação é um grupo suspeito de emitir carteiras de identidade fraudulentas para criminosos e para a aplicação de golpes. Segundo as investigações da Polícia Civil, o grupo falsificou 160 carteiras de identidade. Parte dos documentos foi utilizada para a abertura de empresas fraudulentas e golpes para recebimento de seguro-desemprego e salário-maternidade. A polícia estima que a fraude causou um prejuízo de cerca de R$ 1 milhão aos cofres públicos. A investigação aponta que outras carteiras de identidade falsas foram vendidas para foragidos da Justiça. Esta é a segunda fase da operação, batizada de Vucetich. Na primeira ação, em dezembro, a polícia apreendeu computadores, celulares e documentos e efetuou uma prisão em flagrante. O alvo de um dos mandados de prisão é um servidor público da prefeitura de Rancho Alegre D’Oeste. Conforme a Polícia Civil, ele trabalha em um posto de confecção de carteiras de identidade e usou a função para inserir dados falsos no sistema e produzir documentos fraudados. O balanço de apreensões e prisões será divulgado pela Polícia Civil ao final da manhã desta terça-feira.

Dupla é presa e confessa estelionato e falsificação de documentos em Barbacena

Sem Comentários

29/03/2019

Duas pessoas do sexo masculino, que não tiveram idade divulgadas, foram detidas na sexta-feira (29) por suspeita de estelionato, falsificação de documentos, receptação, uso de documento falsos e formação de quadrilha em Barbacena. Segundo a Polícia Militar (PM), a rede de bancos acionou os militares e informou que os indivíduos estavam tentando obter empréstimos utilizando documentos falsos. Após a denúncia, a equipe realizou rastreamento e abordou um veículo com dois ocupantes. Durante as diligências, foram encontrados no carro cerca de R$ 13 mil em dinheiro, diversos documentos falsos, cédulas em branco para a impressão, um notebook com programação para falsificação, quatro celulares, uma canteadeira conjugada, uma plastificadora, uma impressora e contratos celebrados com uso de documentos falsos. Os abordados confessaram aos policiais que estavam tentando obter empréstimos e que compraram dois celulares com os documentos falsos. Também durante a abordagem, foi identificado que os autores praticaram estes golpes em diversas localidades, conforme contratos encontrados no veículo. Os suspeitos foram presos e encaminhados para o Departamento de Polícia para demais providências. A dupla foi reconhecida por várias vítimas na delegacia.

Polícia Civil cumpre mandado contra acusado de uso de documento falso em Macaé

Sem Comentários

28/03/2019

Nesta quarta-feira (27), em Macaé, agentes da Polícia Civil realizaram a prisão de um homem acusado de falsificação de documento. A.E.C. foi detido em casa, mas o bairro não foi informado pela polícia. Contra ele havia um mandado de prisão, expedido pela Vara de Execuções Penais do Rio de Janeiro, pelo crime de uso de documento falso. As circunstâncias do crime também não foram divulgadas. O sujeito foi encaminhado nesta quinta-feira (28), ao sistema prisional, onde permanecerá à disposição da Justiça.

Casal é condenado por usar documentos falsos para obter visto americano

Sem Comentários

28/03/2019

A 1ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), por unanimidade, negou provimento ao recurso de dois réus (um homem e uma mulher) e manteve a sentença proferida em 1ª instância que os condenou pela prática dos crimes de falsificação e uso de documentos falsos, no intuito de obter visto americano. Segundo a denúncia oferecida pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), o casal foi preso em flagrante após ter apresentado extratos bancários de um banco, bem como declaração de imposto de renda do ano de 2015 falsos aos oficiais de imigração na Embaixada dos Estados Unidos. Presos em flagrante, os réus foram submetidos a audiência de custódia e libertados mediante o pagamento de fiança, respondendo ao processo em liberdade.

O juiz substituto da 2ª Vara Criminal de Brasília condenou os réus com incursos nas penas previstas nos artigos 304 (uso de documento falso), 298 (falsificação documento particular) e 297 (falsificação de documento público), todos do Código Penal, e fixou a pena de dois anos e quatro meses de reclusão, em regime inicial aberto, para ambos os réus. Por estarem presentes os requisitos legais, o magistrado substituiu a pena privativa de liberdade por duas penas restritivas de direitos para cada um. Os réus apresentaram recurso sustentando a necessidade de sua absolvição, diante da ausência de provas. Porém, os desembargadores entenderam que a sentença deveria ser mantida em sua integralidade, pois, além da confissão espontânea dos réus, constam no processo provas suficientes de que os acusados cometeram os crimes.

Homem é preso com documentação militar falsa

Sem Comentários

27/03/2019

Nesta quarta-feira (27), a Secretaria de Segurança Pública de Sergipe (SSP/SE) divulgou que um homem foi preso portando documentos militares falsos. Inicialmente ele era suspeito de violência doméstica. Com ele foi encontrada uma carteira falsa com brasão do Exército e um documento militar estadual. Conforme o delegado responsável, o caso foi iniciado a partir do atendimento de uma ocorrência na qual um homem teria agredido a companheira com um soco e a ameaçou com uma faca. Durante o atendimento, percebeu-se que o acusado estava em posse de documentos falsos. De acordo com a SSP/SE, ele foi questionado se era policial, mas demorou a responder. Além disso, os documentos que ele apresentou não condiziam com os cargos citados e o tempo de serviço necessário para obtenção das patentes das quais informava a carteira que ele portava. Também foi constatado que ele também está envolvido com crimes de estelionato e falsificação. Na residência onde morava, foram encontrados outros documentos e cartões de crédito falsos e ele confessou que tinha o interesse em aplicar golpes por meio do nome fictício que elaborou.

Família portuguesa que mora em MS é acusada de forjar documentos alterando a nacionalidade

Sem Comentários

27/03/2019

Seis cidadãos portugueses foram denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF) em Mato Grosso do Sul (MS) por passarem-se por brasileiros natos, falsificando documentos e prestando informações falsas para a emissão de documentos verdadeiros. Todos são integrantes da mesma família e praticaram os crimes entre os anos de 2011 e 2015, passando a praticar diversos atos da vida civil com os documentos falsos. Os seis foram denunciados pelos crimes previstos nos artigos 299 e 304 do Código Penal, que se referem, resumidamente, a inserir declaração falsa e omitir informação que deveria constar em documento público, além de fazer uso desses documentos. Dois deles ainda acumularam denúncias pelo crime previsto no artigo 297 do CP, que trata especificamente da falsificação de documento público. As condutas foram praticadas pelos seguintes acusados: J.J.T.R., que solicitou emissão de certidão de nascimento tardia alterando a própria nacionalidade e, com este documento falso, obteve RG, no qual alterou o próprio nome; J.J.B.R., que solicitou emissão de certidão de nascimento tardia alterando a própria nacionalidade e, com o documento falso, emitiu RG e passaporte; P.M.B.R., que também solicitou emissão de certidão de nascimento tardia mentindo sobre a própria nacionalidade e depois obteve RG e abertura de firma perante cartório de Campo Grande.

Prosseguindo: A.T.C. falsificou um RG (como se tivesse sido emitido no Estado de Santa Catarina) e uma certidão de nascimento, alterando o próprio nome e a nacionalidade para brasileira; e J.M.T. falsificou certidão de nascimento alterando sua nacionalidade. Com as certidões falsas, ambos obtiveram RGs falsos (documento oficial, emitido pelo Instituto de Identificação de Mato Grosso do Sul, mas com informações falsas) e reconhecimento de assinatura junto a um cartório de Campo Grande. Finalmente, M.S.T. também solicitou emissão de certidão de nascimento alterando seu nome e sua nacionalidade. Com a certidão de nascimento falsa, ele obteve RG e reconhecimento de assinatura junto a um cartório de Campo Grande. Quatro deles ainda figuraram em contratos sociais de empresas, nos quais foram utilizados seus dados falsos.

Polícia Civil de Gaspar prende estelionatários

Sem Comentários

21/03/2019

O Setor de Investigação e Capturas (SIC) da Polícia Civil de Gaspar prendeu, nesta quinta-feira (21), dois homens pela prática de crime de estelionato. No dia 13 de março, um deles, identificado como M.F.S., apresentou documentos com indícios de falsidade para abertura de conta em uma instituição financeira. A partir desta informação, policiais passaram a monitorá-lo. Nesta manhã, o suspeito retornou à agência para assinar o contrato e novamente apresentou documentos falsos em nome de outra pessoa. Na saída do local, ele entrou em um veículo que foi seguido pela Polícia Civil até Balneário Camboriú, onde houve a abordagem no momento em que desembarcava na rodoviária. Com o suspeito, foram apreendidos diversos documentos falsificados. Já o motorista do veículo, levou os policiais até a sua residência, em Camboriú, que abrigava um escritório destinado à falsificação de documentos. Ambos foram autuados em flagrante pelos crimes de uso de documento falso, falsificação de documento e estelionato.

Anterior Próximo