PF de SP realiza operação contra fraudes no seguro-desemprego

Sem Comentários

15/04/2019

Foi deflagrada nesta semana, pela Polícia Federal de São Paulo, a nova fase da operação Mendacium, que investiga uma organização criminosa especializada em fraudes no recebimento do seguro-desemprego. Até as 12h, dez pessoas tinham sido presas. São cumpridos 21 mandados de prisão preventiva e 12 mandados de busca e apreensão nas cidades de Mauá, São Paulo, Porangatu (GO) e Ibicuí (Bahia). Segundo as investigações, a quadrilha conseguiu sacar mais de R$ 20 milhões em benefícios de seguro-desemprego. Em setembro do ano passado, na 1ª fase da operação, foram cumpridos 4 mandados de busca e apreensão em São Paulo e Taboão da Serra. Na ocasião, duas pessoas foram presas em flagrante num escritório de contabilidade no bairro da Penha, na Zona Leste de São Paulo, por estarem com 1,6 mil documentos falsos ou em branco, como espelhos de RG e carteiras de trabalho. Também foram apreendidos R$ 420 mil em espécie. A investigação começou em outubro de 2017, na delegacia da Polícia Federal de Presidente Prudente, quando um trabalhador desempregado procurou a PF para relatar que não havia conseguido retirar seu seguro-desemprego porque alguém já havia recebido o benefício. Ao longo das investigações, foi constatado que o grupo agia principalmente na cidade de São Paulo. Até a primeira fase da operação, cerca de 300 empresas fictícias criadas pelos investigados foram identificadas para possibilitar o recebimento de mais de 9 mil benefícios de seguro-desemprego fraudulentos.

Duas mulheres são presas ao tentarem dar golpe no INSS

Sem Comentários

15/04/2019

Duas mulheres foram presas ao tentarem reativar um benefício previdenciário de amparo ao idoso cancelado por fraude no último dia 12 de março. A aposentada J.M.B.L., de 66 anos, e a agricultora J.F.B., de 33, foram flagradas na agência do INSS de Escada (PE). A idosa usou documentos falsos para desbloquear a aposentadoria, criada de forma fraudulenta possivelmente por uma quadrilha que atua em vários estados. Funcionários da agência já sabiam da irregularidade e ficaram atentos quando a idosa disse que precisava reativar o benefício para receber os valores atrasados de janeiro. Ao ser constatado o golpe, as duas mulheres foram detidas e a Polícia Militar foi acionada. Encaminhadas para a Polícia Federal, as duas suspeitas foram autuadas por uso de documento falso. As penas variam de dois a seis anos de reclusão, além de multa. No depoimento, a idosa informou que precisava de dinheiro para comprar os remédios de diabetes e por isso aceitou a proposta de um aliciador para que fosse até a agência previdenciária sacar valores de benefícios fraudulentos. Ela receberia R$ 300 por cada benefício sacado. A mulher disse, ainda, que recebia toda a documentação pronta e que não é a primeira vez que fazia esse tipo de saque ilegal. A segunda suspeita informou que também foi aliciada e que seu papel seria apenas o de acompanhar a idosa, que tem problemas de locomoção, para retirar os valores de seu benefício e para isso receberia R$ 200,00. Na audiência de custódia, a idosa teve a sua prisão preventiva confirmada e foi encaminhada para a Colônia Penal Feminina. A outra mulher foi liberada. Segundo a PF, a quadrilha costuma convocar mulheres e também idosas com problemas financeiros.

PF faz buscas em Filadélfia durante operação contra fraudes em aposentadorias rurais

Sem Comentários

11/04/2019

Na manhã desta quinta-feira (11), a Polícia Federal realiza buscas em endereços na cidade de Filadélfia, no norte do Tocantins, dentro da operação Game Over. A investigação apura suspeitas de fraude em aposentadorias rurais no INSS de Carolina (MA), cidade vizinha à Filadélfia. A PF informou que um ex-dirigente do Sindicato dos Trabalhadores de Filadélfia, que ainda não teve o nome divulgado, é suspeito de emitir documentos falsos. Três mandados de busca e apreensão foram decretados pela Justiça em Filadélfia e também em Teresina, capital do Piauí. Os mandados são cumpridos por 18 policiais. O prejuízo, segundo a PF, é de aproximadamente R$ 810 mil. As aposentadorias rurais eram fraudadas após a apresentação de declarações de exercício de atividade rural falsas. Também foi identificado o envolvimento de um servidor do INSS em Carolina, ele foi afastado do cargo. A Justiça também autorizou a quebra dos sigilos bancário e fiscal dos investigados. A PF estima que a operação evitou o prejuízo futuro de R$1,7 milhões aos cofres públicos.

Pai e filho são presos suspeitos de integrar quadrilha especializada em fraudar identidades e CPFs

Sem Comentários

09/04/2019

Dois homens, que são pai e filho, foram presos pela Polícia Federal suspeitos de integrar uma quadrilha especializada em fraudar documentos oficiais. Segundo a investigação, com cédulas de identidade e documentos de cartório falsificados, o grupo retirava CPFs falsos na agência da Receita Federal em Goiana, no Grande Recife. A Polícia Federal detectou a atuação do grupo tanto em Pernambuco, quanto na Paraíba e no Rio Grande do Norte. A prisão, divulgada nesta terça-feira (09), ocorreu em Parnamirim (RN), na Região Metropolitana de Natal, em um condomínio de alto poder aquisitivo. Pai e filho, identificados pela PF como M.A.C.N., de 47 anos, e B.M.G.C., de 27, foram presos em decorrência de um mandado de prisão preventiva concedido pela 25ª Vara Federal em Goiana. Os investigadores chegaram até os dois após um adolescente de 17 anos, suspeito de fraude e estelionato, ser detido com documentos falsificados em 2018. Na ocasião, ele se passava por maior de idade e foi detido em Goiana, no Grande Recife. Além de vender os documentos falsos, o rapaz os utilizava para abrir contas bancárias e pegar empréstimos.

Após a confirmação da idade e a liberação do adolescente em audiência de custódia, os investigadores conseguiram identificar outros integrantes da quadrilha. Durante a operação para prender pai e filho, os policiais encontraram documentos que comprovam as fraudes, como cédulas de identidade sem fotos e papéis de cartórios. Também foram apreendidos dois veículos durante a operação, sendo um importado. Após a prisão, os dois foram encaminhados à audiência de custódia em Goiana e tiveram as prisões confirmadas pela Justiça. Os dois respondem pela prática de crimes de falsificação de documentos públicos, inserção de dados falsos em sistemas da Receita Federal e organização criminosa, com penas que variam de dois a oito anos de reclusão. A PF afirmou que ainda analisa os objetos apreendidos no intuito de identificar outros criminosos e localizar outros integrantes da quadrilha.

Jogador de futebol usa documento falso para parecer mais novo, tenta tirar passaporte na Bahia e é preso

Sem Comentários

08/04/2019

Nesta segunda-feira (08), um jogador de futebol de 24 anos foi preso ao tentar tirar um passaporte com documento falso, no SAC da cidade de Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador. De acordo com a Polícia Federal (PF), o jovem, que não teve a identidade divulgada, falsificou a certidão de nascimento com um “olheiro”, com o objetivo de diminuir a idade. Em depoimento, jogador de futebol teria confessado que queira o passaporte para viajar para a Europa, para tentar realizar o sonho de ser contratado por um clube estrangeiro. O plano foi descoberto depois que o sistema da Polícia Federal detectou a compatibilidade biométrica das digitais coletadas com o jogador registradas no nome dele. O jovem foi autuado em flagrante por falsidade ideológica e uso de documento falso. Ele ficará custodiado no Conjunto Penal de Feira de Santana, à disposição da Justiça.

Homem é preso suspeito de fraudar documentos e vender falsificação por R$ 500

Sem Comentários

02/04/2019

Na manhã desta terça-feira (02), em Teresina, dois homens foram presos com centenas de cédulas em branco para emissão de documentos falsos. O coordenador do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), disse que um dos suspeitos comercializava RG, carteira de habilitação, certidão de nascimento e certidão de óbito. Com eles, foram encontrados 143 cédulas de identidades verdadeiras em branco, que pertencem ao Instituto de Identificação. Os homens foram presos nos fundos de uma loja de água mineral no bairro Vermelha, Zona Sul de Teresina. Segundo a polícia, o local funcionava como uma espécie de “escritório” que emitia documentos falsos. As identidades eram vendidas no valor de R$ 500. Um carro, avaliado em R$ 90 mil, foi apreendido no local. “Havia uma loja que vendia água mineral e na parte de trás estava o escritório, onde era feita a falsificação. Nós apreendemos no local um carro do modelo Cruze, que tinha sido adquirido com documentos falsificados fabricados no escritório”, contou o coordenador. O suspeito apontado como dono do “escritório” vendia também, segundo a polícia, cédulas em branco para emissão de Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV), vários cartões de crédito e dinheiro. As investigações continuarão para descobrir como essas cédulas de identidade verdadeiras, que deveriam estar nos órgãos responsáveis, foram parar no “escritório” do suspeito.

Ambulante é presa suspeita de sacar dinheiro com documento falso em Gravatá

Sem Comentários

01/04/2019

Uma vendedora ambulante de 53 anos é suspeita de tentar sacar valores em uma agência bancária de Gravatá, no Agreste de Pernambuco, com o uso de documentos falsos. Apesar de a conta não ter saldo, ela havia realizado a abertura de uma conta poupança em um correspondente bancário e realizado um empréstimo consignado através de Internet Banking no valor de R$ 38.451. Segundo a Polícia Federal, a intenção dela era fazer uma guia de retirada no valor de R$ 30.000 e depois um saque de R$ 5.000. Ao ser constatada a falsificação do documento, a mulher foi presa. Em depoimento, ela informou que esta é a segunda vez que pratica fraude contra o banco. A suspeita foi autuada em flagrante por falsificação, uso de documento falso e falsidade ideológica. Caso seja condenada, ela poderá pegar penas que ultrapassam 15 anos de reclusão, além de multa.

Anterior