Polícia Civil recupera mais de R$ 50 mil em produtos obtidos em crimes de estelionato

Sem Comentários

09/03/2018

Em Jaú (SP), a Polícia Civil da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) deteve um homem e apreendeu produtos obtidos em oito crimes de estelionato. Segundo informações dos policiais, o principal suspeito, um homem de 36 anos, aplicava golpes no comércio da cidade utilizando cheques falsificados desde 2017. A polícia recuperou um lote de madeiras no valor de R$ 14 mil, sete balcões e 20 prateleiras, avaliadas em cerca de R$ 9 mil. As madeiras seriam de uma madeireira da região e os móveis de outra empresa. Ambos seriam vendidos para uma terceira empresa. O homem também teria aplicado o golpe em duas outras empresas da cidade, totalizando um prejuízo de R$ 28 mil, no total. Ele foi encaminhado para a delegacia, onde foi indiciado pelos crimes de falsificação de documento público e estelionato. Ele prestou depoimento e foi liberado em seguida. Segundo a DIG, as investigações continuam para apurar a associação de outras pessoas nos crimes.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Acusados de fraude em pagamento ilegal de benefício do INSS no AP são denunciados pelo MPF

Sem Comentários

01/03/2018

Após três anos da deflagração da operação “Barriga de Aluguel”, em Tartarugalzinho, a 203 quilômetros de Macapá, o Ministério Público Federal (MPF) apresentou denúncia contra nove envolvidos no esquema fraudulento, que concedia indevidamente salário-maternidade a mulheres grávidas ou com filhos de até cinco anos, pago pelo Ministério da Previdência Social (MPS). Segundo o MPF, as denúncias foram ofertadas em três ações distintas, datadas nos dias 2, 21 e 23 de fevereiro. Entre os citados estão a presidente da Colônia de Pescadores do município, uma servidora do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), um conselheiro tutelar e cinco mulheres que se deixaram envolver no esquema. Se as denúncias forem acatadas pela Justiça, os envolvidos se tornam réus e podem responder por estelionato, falsificação de documento público, falsidade ideológica, associação criminosa e uso de documento falso. As penas variam de um a seis anos de reclusão e multa. O MPF não divulgou o montante de recursos desviados e nem o número de mulheres envolvidas no esquema, porque o inquérito ainda está em aberto. No entanto, informou que pede, na mesma ação, a condenação dos acusados ao pagamento dos valores recebidos indevidamente, atualizados na data da sentença, como forma de reparar pelo dano causado. Em nota, o ministério detalhou como funcionava o esquema fraudulento. Mulheres que se enquadravam no perfil de beneficiárias eram atraídas pelo conselheiro tutelar, que articulava os documentos falsos e, de posse deles, as mulheres solicitavam o salário-maternidade que é específico para pescadoras artesanais. “A falsificação dos documentos ficava sob responsabilidade da presidente da Colônia de Pescadores Z-12, que emitia certidões e declarações falsas, além de carteira de pescador artesanal, para mulheres que não exerciam a profissão. No INSS, a concessão do benefício era facilitada pela servidora”, explica a nota do MPF. Para o grupo, os benefícios vinham em forma de rateamento do valor recebido pela falsa beneficiária. Ainda de acordo com o ministério, as beneficiárias contaram que o dinheiro era entregue ao conselheiro tutelar, que dividia o valor de aproximadamente R$ 3 mil com a presidente da colônia de pescadores e com a servidora do INSS. Esse é o montante referente aos 120 dias de salário-maternidade. O esquema foi alvo de operação da Polícia Federal em 2015. Na época, a Justiça Federal concedeu prisão temporária dos indiciados.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia Civil descobre esquema de falsificação de documentos

Sem Comentários

19/02/2018

Em Itupeva (SP), a Polícia Civil identificou um esquema de falsificação de documentos e prendeu um morador de Jundiaí após flagrá-lo tentando vender a um investigador um atestado médico falso. Um notebook foi apreendido na casa do acusado. Ele confessou que falsificava os documentos em sua residência, fazendo todo o procedimento em seu computador por meio de montagens. Lançava, então, os nomes dos compradores, que poderiam escolher entre carteirinhas estudantis, históricos escolares, atestados médicos, carteira do Coren (Conselho Regional de Enfermagem), entre outros. As investigações foram coordenadas pelo titular da delegacia de Itupeva. Conforme o policial, a apuração do esquema teve início após a descoberta de que uma moradora local havia apresentado um atestado médico falso à empresa em que trabalhava. O delegado contou que após a identificação do autor da falsificação, investigadores de sua equipe realizaram contato com o acusado, fingindo o interesse em comprar um atestado médico. Marcaram então o local de entrega. Depois do homem se aproximar e entregar o documento fraudado, ele recebeu voz de prisão e foi encaminhado à delegacia, onde prestou depoimento. No imóvel, além do notebook, um pendrive foi apreendido e analisado. Em seu interior continha diversos arquivos utilizados para falsificações, além de 8um histórico escolar, uma carteira estudantil, um esboço da carteira do Coren e três atestados médicos. O acusado responderá por falsificação de documentos públicos e particulares, além de falsidade ideológica.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Jornal de Jundiaí

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é preso após pedir empréstimo com documentos falsos

Sem Comentários

09/02/2018

Um homem foi preso, na quinta-feira (08), pela Polícia Militar, por falsificação de documento no Bairro Siqueira Campos, em Aracaju (SE). O proprietário de uma financeira relatou que na quinta-feira (1º), um homem chegou em seu estabelecimento solicitando um empréstimo de R$ 10 mil, apresentando todos os documentos necessários para o procedimento, que foi aprovado. O banco emitiu ao proprietário um alerta de antifraude e orientou que ele reavaliasse toda a documentação do suspeito. Ao fazer a verificação, foi constatado que o suposto cliente teria apresentado documentação em nome de outra pessoa. O proprietário acionou a polícia, que conseguiu recuperar parte do dinheiro que foi entregue ao suspeito. O indivíduo foi encaminhado à Delegacia Plantonista Sul, onde foi autuado em flagrante delito por falsificação de documento público.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: FaxAzul

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é preso no Detran tentando renovar CNH falsa

Sem Comentários

28/12/2017

Na quarta-feira (27), um homem foi preso em flagrante na sede do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), quando tentava renovar uma carteira de habilitação falsa. Na Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos, M.M.B., de 58 anos, foi autuado em flagrante por uso de documento falso e falsificação de documento público. Os policiais da DERRFVA foram acionados pela Diretoria de Habilitação do Detran, que o suspeito apresentou uma carteira de habilitação falsa pedindo a renovação do documento. Na checagem realizada pela auditoria do processo de renovação foi constatada a falsidade da carteira,um vez que a numeração de registro na cédula era inexistente. Através do número de CPF do suspeito constava o candidato excluído do processo de primeira habilitação, ficando evidenciado que ele não possuía carteira para condução de veículo. Questionado, M.M.B. confessou que comprou a CNH falsa de um conhecido e que nunca frequentou autoescola. O documento falso foi apreendido e o suspeito encaminhado a DERRFVA, onde, após ser interrogado pelo delegado, foi autuado em flagrante por uso de documento falso e falsificação de documento público. Os crimes somados não cabem fiança e o acusado foi encaminhado para audiência de custódia na Capital.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Folha Max

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Quadrilha é presa suspeita de falsificar mais de mil documentos de identidade

Sem Comentários

18/12/2017

No flagrante, as cinco pessoas foram presas no loteamento Jardim Progresso, Zona Norte de Natal, em uma casa que pertence a um ladrão de banco, investigado pela Deicor, são eles: M.E.P.Pessoa, de 38 anos, preso na Operação Jet Coca, em 2003, pelo crime de tráfico de drogas, E.M.Silva, 47 anos, que no momento da prisão apresentou aos agentes uma identidade falsa da Polícia Militar, M.F.Medeiros, 57 anos, M.E.A.Teixeira, 38, e R.S.Silva, de 52. Os policiais apreenderam com o grupo, cartões de crédito, cheques em branco, identidades em branco e outras já confeccionadas, notebooks, celulares, e dois veículos, um Ford KA preto e um Volkswagen Voyage vermelho. Os cinco foram autuados por falsificação de documento público, uso de documento falso e associação criminosa, sendo encaminhados ao sistema prisional, onde ficarão à disposição da Justiça.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Tribuna do Norte

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Estelionatário é preso no DF por falsificar documentos para fraudar INSS e receber R$ 8 mil por mês

Sem Comentários

14/12/2017

Documentos forjados pelo estelionatário; há cartões de crédito, RGs, certidões e carteiras de trabalho (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu em Samambaia um estelionatário que aplicava golpes no INSS. F.I. recebia, de forma irregular, pelo menos nove benefícios da Previdência – simulando ser idoso de baixa renda a fim de ter acesso ao dinheiro pago pelo governo. Juntando tudo, embolsava R$ 8.433 por mês. Conforme o delegado da 26ª DP, ele carregava diversos documentos falsos, como 7 certidões de nascimento, 15 carteiras de identidade, cartões de CPF e do Bolsa Família. A polícia chegou até ele porque iria cumprir um mandado de prisão por tráfico. Mesmo não encontrando o alvo, a equipe foi revistar o endereço e achou os documentos. Aos policiais, ele disse ter comprado o material falso em São Paulo. O homem foi autuado por falsificação de documento público, particular e da carteira de trabalho (crime previsto pela CLT). “Ele foi preso em casa. Não sabemos se ele tem passagem ou não porque tudo dele é do Piauí. Ele estava nesse novo endereço só há oito dias”, declarou o delegado. A próxima etapa das investigações vai apurar se os documentos são de pessoas que não existem ou se usa a identidade de indivíduos reais. Como falsificação de benefício do INSS é um crime federal, os detalhes devem ser remetidos à Polícia Federal.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior Próximo