Suspeito de aplicar golpes em clientes de banco vai responder por quatro crimes, diz Polícia Civil

Sem Comentários

14/05/2019

Segundo a Polícia Civil, o homem de 25 anos preso em flagrante por tentar aplicar golpes dentro de uma agência bancária no Centro de Piracicaba (SP) responderá pro quatro crimes. Ele foi detido nesta terça-feira (14) pela Guarda Municipal, que encontrou um dispositivo que trava teclas dos caixas eletrônicos. Além disso, foi colado um aviso com um número falso de telefone. O homem responderá por tentativa de estelionato, associação criminosa, falsificação de documento particular e uso de documento falso. Ele deve passar por audiência de custódia na quarta-feira (15). Segundo o delegado responsável, o uso de documento falso ocorreu porque o aviso colado nos caixas tinha logotipo e grafia semelhantes ao do banco onde ocorreu a ação.

A prisão e o golpe

A Guarda Civil Municipal (GCM) foi acionada após o monitoramento do banco filmar dois homens demorando em caixas eletrônicos. Quando os guardas chegaram, um dos homens fugiu e o outro, de 25 anos, foi detido. O que conseguiu fugir segue foragido até esta publicação. Em três caixas foi encontrado o dispositivo que travava as teclas do equipamento e, ao lado, um adesivo com um número de telefone 0800 falso. O aviso sugeria aos clientes que ligassem para o número falso em caso de necessidade. Conforme a Polícia Civil, os clientes que tinham dificuldade para usar os caixas por conta do dispositivo que trava a tecla ligavam no número falso e passavam informações sigilosas, como senha e dados pessoais. Com isso, criminosos faziam saques ou compras no nomes das vítimas. A instituição informou em nota que orienta os clientes sobre os canais oficiais de atendimento e confirmou que o número indicado no aviso é falso. Além disso, que vai auxiliar a Polícia Civil na investigação.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Notícia relacionada.

Preso suspeito de fazer falsos anúncios de lotes na internet para aplicar golpe em compradores

Sem Comentários

21/04/2019

Um homem de 33 anos foi preso suspeito de fazer anúncios falsos de venda de lotes em Goianira (GO) para aplicar golpes em compradores. Ele também é investigado por usar os dados das vítimas para fazer compras no comércio local. Segundo a polícia, o homem disse que começou com os crimes porque estava “em dificuldade financeira”. W.A. foi preso na sexta-feira (19). Segundo as investigações, o homem anunciava a venda de lotes que não eram dele. Quando os interessados entravam em contato, ele pedia um adiantamento do valor e fazia até um contrato com os compradores. Assim, ele conseguia dados pessoais e a assinatura das vítimas. O suspeito foi preso em flagrante quando abastecia o carro usando dados de uma das vítimas. “Ele acabou confessando o crime, disse que estava em dificuldade financeira e caiu nessa besteira. Uma das vítimas teve o prejuízo de cerca de R$ 3 mil, que ela deu de adiantamento em um dos lotes que ele supostamente vendia. Mas com a prisão dele, acreditamos que mais vítimas vão aparecer”, disse o delegado responsável. O homem vai responder por estelionato e falsificação de documento particular.

Casal é condenado por usar documentos falsos para obter visto americano

Sem Comentários

28/03/2019

A 1ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), por unanimidade, negou provimento ao recurso de dois réus (um homem e uma mulher) e manteve a sentença proferida em 1ª instância que os condenou pela prática dos crimes de falsificação e uso de documentos falsos, no intuito de obter visto americano. Segundo a denúncia oferecida pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), o casal foi preso em flagrante após ter apresentado extratos bancários de um banco, bem como declaração de imposto de renda do ano de 2015 falsos aos oficiais de imigração na Embaixada dos Estados Unidos. Presos em flagrante, os réus foram submetidos a audiência de custódia e libertados mediante o pagamento de fiança, respondendo ao processo em liberdade.

O juiz substituto da 2ª Vara Criminal de Brasília condenou os réus com incursos nas penas previstas nos artigos 304 (uso de documento falso), 298 (falsificação documento particular) e 297 (falsificação de documento público), todos do Código Penal, e fixou a pena de dois anos e quatro meses de reclusão, em regime inicial aberto, para ambos os réus. Por estarem presentes os requisitos legais, o magistrado substituiu a pena privativa de liberdade por duas penas restritivas de direitos para cada um. Os réus apresentaram recurso sustentando a necessidade de sua absolvição, diante da ausência de provas. Porém, os desembargadores entenderam que a sentença deveria ser mantida em sua integralidade, pois, além da confissão espontânea dos réus, constam no processo provas suficientes de que os acusados cometeram os crimes.

Grupo é preso em flagrante por falsificação de documentos em Joinville

Sem Comentários

Seis pessoas foram presas na operação(Foto: Divulgação/Polícia Civil)

16/02/2019

Uma organização criminosa especializada em produzir documentos falsos utilizados para aplicar golpes em estabelecimentos comerciais na região de Joinville, foi desarticulada pela 4° Delegacia de Polícia Civil de Joinville, juntamente com a equipe do 2°Delegacia de Polícia. A “Operação Anonymous” foi realizada durante a tarde da última sexta-feira (15) até a madrugada de sábado (16), com duas prisões no bairro Aventureiro, três no bairro Ulysses Guimarães e uma no Profipo. Na situação, um dos indivíduos foi preso em flagrante dentro do estabelecimento comercial. Na sequência, constatou-se que outro estaria no posto de gasolina ao lado, situação na qual também foi abordado e conduzido. A polícia também descobriu que o veículo estaria em nome de uma terceira pessoa. Por conta disso, foram recebidas informações de que havia uma base da organização em outro local. Nesse endereço, três pessoas estariam manuseando computadores na deep web, realizando atividades delituosas de falsificação. No local, três pessoas acabaram presas. Foram apreendidos diversos materiais para falsificação. Logo depois, foi descoberta outra base da organização, local em que outro homem foi preso, juntamente com farto material criminoso. O total da operação resultou em seis prisões, farto material eletrônico, bem como papéis e demais petrechos para a falsificação dos documentos. Eles irão responder por organização criminosa, estelionato, falsificação de documentos públicos e particulares.

Quadrilha é condenada a 172 anos de prisão por fraudes fiscais

Sem Comentários

26/11/2018

Foi condenada a um total de 172 anos de prisão, pela 11ª Vara da Justiça Federal no Ceará, uma organização criminosa investigada na Operação Estorno, da Polícia Federal (PF), sob acusação de fraude fiscal a diversos órgãos públicos no Estado. Entre os oito réus sentenciados estão servidores públicos, empresários, contadores e um advogado. As penas individuais variaram de cinco anos e seis meses a 39 anos e cinco meses de reclusão. As condenações se deram pelos crimes de corrupção ativa e passiva, crime contra a ordem tributária, quadrilha, falsificação ou uso de selo ou sinal público, falsificação de documento particular, falsidade ideológica e tráfico de influência. A maior pena foi atribuída ao contador E.G.M., que, conforme a sentença, liderava o esquema criminoso. Segundo a investigação da PF e a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), ele era proprietário de uma empresa de contabilidade e mantinha contatos com servidores de órgãos públicos, com o objetivo de solucionar dívidas fiscais e multas e liberar cargas e mercadorias apreendidas dos seus clientes, de forma ilícita.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Diário do Nordeste

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Fábrica de exames falsos de gravidez é fechada pela polícia em Rondonópolis

Sem Comentários

14/08/2018

Um homem foi preso em flagrante em uma residência que funcionava como uma espécie de “fábrica” de documentos falsificados em Rondonópolis (212 km de Cuiabá-MT). A ação foi realizada pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (DERF) e ocorreu na tarde de segunda-feira (13). O suspeito W.S.A., de 26 anos, foi alvo de investigação após ser envolvido em ocorrências de estelionato com o golpe popularmente conhecido como “carro da OLX”.

Dentro da residência do suspeito foram encontrados diversos rascunhos de documentos falsificados na sala, incluindo documentos pessoais e veiculares. No quarto, dentro da fronha do travesseiro, foram localizados mais documentos finalizados e fotos 3×4 de terceiros. No balcão da cozinha foram recolhidos extratos bancários, exames de gravidez de um laboratório, entre originais e outros falsificados, e uma almofada de tinta de carimbo, utilizado para falsificação com uso de amostra de digital. O material apreendido é fabricado na casa do suspeito com um computador e uma impressora colorida. Os documentos veiculares (CRV e CRLV) possuem informações impressas em papel timbrado, proveniente de dois roubos em agências do Ciretran, um em Rondonópolis e outro no município de Jangada.

De acordo com informações preliminares, em cada documento veicular o suspeito ganhava cerca de R$ 200, cada RG ele cobrava R$ 250 e nos exames de gravidez o suspeito pedia R$ 50. Em entrevista aos policiais, o suspeito confessou os atos, relatou que integra uma organização criminosa e que em conjunto com comparsas teria adquirido lucro anterior por meio do golpe do carro no “OLX”. Ele informou que maior parte do dinheiro (R$ 19 mil) foi apreendida com um comparsa durante deflagração da operação Red Money, da Polícia Civil, em 08 de agosto. Conduzido à delegacia, ele foi autuado em flagrante pelos crimes de receptação e falsificação de documento público, falsificação de documento particular. O suspeito será apresentado em audiência de custódia junto ao Judiciário.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Circuito Mato Grosso

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Força Tática prendeu falsificador foragido em Taboão com 31 RGs, 3 CNHs e 56 cartões bancários

Sem Comentários

11/06/2018

No jardim Santa Cruz, em Taboão da Serra (SP), policiais da Força Tática do 36º Batalhão da PM prenderam em flagrante, após abordagem na rua, um foragido da prisão praticando os crimes de estelionato, falsificação de documento público, falsificação de documento particular e associação para o crime. Os policiais apreenderam com o acusado 31 cédulas de identidade da Secretaria de Segurança Pública (SSP) falsificadas, 3 cédulas de CNH, 56 cartões de banco e estabelecimentos comerciais e notebook usado nas falsificações, 3 aparelhos celular e 33 holerites, um perfurador de placas para documento, além de 3 cadernos com identificação das vítimas. Após pesquisar o nome dele no sistema, os policiais descobriram que era foragido da penitenciária de Jardinópolis (SP). Depois disso os PMs foram até a residência onde estavam vivendo em Taboão e apreenderam todo o material usado para praticar os crimes citados. Houve confissão pela prática de falsificação para cometer crimes como abertura de contas em nome de laranjas, compras no comércio, além de falsificação para terceiros.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Jornal na Net

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior