Quadrilha é condenada a 172 anos de prisão por fraudes fiscais

Sem Comentários

26/11/2018

Foi condenada a um total de 172 anos de prisão, pela 11ª Vara da Justiça Federal no Ceará, uma organização criminosa investigada na Operação Estorno, da Polícia Federal (PF), sob acusação de fraude fiscal a diversos órgãos públicos no Estado. Entre os oito réus sentenciados estão servidores públicos, empresários, contadores e um advogado. As penas individuais variaram de cinco anos e seis meses a 39 anos e cinco meses de reclusão. As condenações se deram pelos crimes de corrupção ativa e passiva, crime contra a ordem tributária, quadrilha, falsificação ou uso de selo ou sinal público, falsificação de documento particular, falsidade ideológica e tráfico de influência. A maior pena foi atribuída ao contador E.G.M., que, conforme a sentença, liderava o esquema criminoso. Segundo a investigação da PF e a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), ele era proprietário de uma empresa de contabilidade e mantinha contatos com servidores de órgãos públicos, com o objetivo de solucionar dívidas fiscais e multas e liberar cargas e mercadorias apreendidas dos seus clientes, de forma ilícita.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Diário do Nordeste

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Fábrica de exames falsos de gravidez é fechada pela polícia em Rondonópolis

Sem Comentários

14/08/2018

Um homem foi preso em flagrante em uma residência que funcionava como uma espécie de “fábrica” de documentos falsificados em Rondonópolis (212 km de Cuiabá-MT). A ação foi realizada pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (DERF) e ocorreu na tarde de segunda-feira (13). O suspeito W.S.A., de 26 anos, foi alvo de investigação após ser envolvido em ocorrências de estelionato com o golpe popularmente conhecido como “carro da OLX”.

Dentro da residência do suspeito foram encontrados diversos rascunhos de documentos falsificados na sala, incluindo documentos pessoais e veiculares. No quarto, dentro da fronha do travesseiro, foram localizados mais documentos finalizados e fotos 3×4 de terceiros. No balcão da cozinha foram recolhidos extratos bancários, exames de gravidez de um laboratório, entre originais e outros falsificados, e uma almofada de tinta de carimbo, utilizado para falsificação com uso de amostra de digital. O material apreendido é fabricado na casa do suspeito com um computador e uma impressora colorida. Os documentos veiculares (CRV e CRLV) possuem informações impressas em papel timbrado, proveniente de dois roubos em agências do Ciretran, um em Rondonópolis e outro no município de Jangada.

De acordo com informações preliminares, em cada documento veicular o suspeito ganhava cerca de R$ 200, cada RG ele cobrava R$ 250 e nos exames de gravidez o suspeito pedia R$ 50. Em entrevista aos policiais, o suspeito confessou os atos, relatou que integra uma organização criminosa e que em conjunto com comparsas teria adquirido lucro anterior por meio do golpe do carro no “OLX”. Ele informou que maior parte do dinheiro (R$ 19 mil) foi apreendida com um comparsa durante deflagração da operação Red Money, da Polícia Civil, em 08 de agosto. Conduzido à delegacia, ele foi autuado em flagrante pelos crimes de receptação e falsificação de documento público, falsificação de documento particular. O suspeito será apresentado em audiência de custódia junto ao Judiciário.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Circuito Mato Grosso

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Força Tática prendeu falsificador foragido em Taboão com 31 RGs, 3 CNHs e 56 cartões bancários

Sem Comentários

11/06/2018

No jardim Santa Cruz, em Taboão da Serra (SP), policiais da Força Tática do 36º Batalhão da PM prenderam em flagrante, após abordagem na rua, um foragido da prisão praticando os crimes de estelionato, falsificação de documento público, falsificação de documento particular e associação para o crime. Os policiais apreenderam com o acusado 31 cédulas de identidade da Secretaria de Segurança Pública (SSP) falsificadas, 3 cédulas de CNH, 56 cartões de banco e estabelecimentos comerciais e notebook usado nas falsificações, 3 aparelhos celular e 33 holerites, um perfurador de placas para documento, além de 3 cadernos com identificação das vítimas. Após pesquisar o nome dele no sistema, os policiais descobriram que era foragido da penitenciária de Jardinópolis (SP). Depois disso os PMs foram até a residência onde estavam vivendo em Taboão e apreenderam todo o material usado para praticar os crimes citados. Houve confissão pela prática de falsificação para cometer crimes como abertura de contas em nome de laranjas, compras no comércio, além de falsificação para terceiros.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Jornal na Net

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia prende em Alphaville dupla que falsificava cartões

Sem Comentários

17/05/2018

A Polícia Civil prendeu, na tarde desta terça-feira (15), em uma residência em Alphaville, dois homens, de 43 e 58 anos, acusados de falsificar cartões bancários. Agentes do 91º Distrito Policial (Ceasa) investigavam diversos crimes de estelionato que aconteceram na região. Durante as apurações, os policiais receberam uma denúncia anônima indicando o endereço do autor de clonagem de cartões. A equipe se deslocou até o endereço apontado, onde foram encontrados seis cartões de crédito e débito falsos além de um leitor utilizado para a clonagem de cartões, popularmente chamado de chupa-cabra, e um notebook. A dupla foi presa em flagrante. Ambos os indiciados apresentam registros criminais por crimes de estelionato e furto realizado por meio eletrônico. Os objetos apreendidos foram encaminhados para perícia. A ocorrência foi registrada como falsificação de documento particular ou de cartão.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Visão Oeste

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia Civil descobre esquema de falsificação de documentos

Sem Comentários

19/02/2018

Em Itupeva (SP), a Polícia Civil identificou um esquema de falsificação de documentos e prendeu um morador de Jundiaí após flagrá-lo tentando vender a um investigador um atestado médico falso. Um notebook foi apreendido na casa do acusado. Ele confessou que falsificava os documentos em sua residência, fazendo todo o procedimento em seu computador por meio de montagens. Lançava, então, os nomes dos compradores, que poderiam escolher entre carteirinhas estudantis, históricos escolares, atestados médicos, carteira do Coren (Conselho Regional de Enfermagem), entre outros. As investigações foram coordenadas pelo titular da delegacia de Itupeva. Conforme o policial, a apuração do esquema teve início após a descoberta de que uma moradora local havia apresentado um atestado médico falso à empresa em que trabalhava. O delegado contou que após a identificação do autor da falsificação, investigadores de sua equipe realizaram contato com o acusado, fingindo o interesse em comprar um atestado médico. Marcaram então o local de entrega. Depois do homem se aproximar e entregar o documento fraudado, ele recebeu voz de prisão e foi encaminhado à delegacia, onde prestou depoimento. No imóvel, além do notebook, um pendrive foi apreendido e analisado. Em seu interior continha diversos arquivos utilizados para falsificações, além de 8um histórico escolar, uma carteira estudantil, um esboço da carteira do Coren e três atestados médicos. O acusado responderá por falsificação de documentos públicos e particulares, além de falsidade ideológica.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Jornal de Jundiaí

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é preso ao apresentar documento falso para renovação de habilitação

Sem Comentários

05/02/2018

Ao tentar renovar a carteira de habilitação com documento falso, um homem, de 43 anos, foi preso em flagrante. O suspeito E.A.J., de 43 anos, foi levado à Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Veículos Automotores (Derrfva) e autuado por uso de documento falso e falsificação de documento particular. O delegado titular da Derrfva, disse que a parceira Detran e Polícia Civil, por meio da Especializada, continuará na nova gestão do Departamento Estadual de Trânsito, para inibir fraudes cometidas contra o órgão. A suspeita de fraude foi identificada, na sexta-feira (02), por servidores da Diretoria de Habilitação, que comunicou a equipe da Coordenadoria de Fiscalização de Credenciais do Detran, composta por policiais civis cedidos ao Detran, que após constatar o fato acionou a Derrfva. O suspeito apresentou,  junto com os documentos pessoais, um certificado falso de curso especializado para condutores de veículos de transporte coletivo de passageiros, de 50 horas/aulas, para renovação da CNH. Os servidores do setor de auditoria do processo checaram a documentação e constataram não haver registros em nome dessa pessoa, nos arquivos do Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/Senat). Questionado, o suspeito acabou revelando ter comprado o certificado por R$ 300 de uma pessoa e afirmou não ter realizado as aulas necessárias para habitação na categoria de veículos pretendida. Diante da constatação da fraude, o suspeito foi levado à Delegacia, autuado por uso de documento falso e falsificação de documento particular. Ele será apresentado em audiência de custódia neste sábado (03).

Ler a notícia na íntegra

Fonte: MT Notícias

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Pai e filho são presos acusados de fraude em seguro obrigatório

Sem Comentários

13/07/2017

Pai e filho acusados de diversas fraudes contra o Seguro DPVAT foram presos, por ordem da Justiça, pela Polícia Civil. V.G.A., de 48 anos, e V.G.A.F., de 27, foram presos na manhã de quarta-feira (12), em Várzea Grande (MT), durante a operação “Escamoteio”, deflagrada pela Delegacia de Defesa do Consumidor, com apoio de policiais da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A investigação contou com trabalho na análise dos inquéritos pelo Núcleo de Inteligência da Regional de Cuiabá. Presos no Jardim Marajoara II, pai e filho são investigados em pelo menos 25  inquéritos dos anos de 2013, 2014 e 2015, pela prática de estelionato, falsificação de documento público, falsificação de documento particular, falsidade ideológica e uso de documento falso. A fraude contra o seguro DPVAT funcionava da seguinte forma: os suspeitos abriam contas em bancos em nome de laranjas, ou então pegavam “emprestado” a conta de amigos para o recebimento do seguro, figurando como atos preparatórios dos golpes a falsificação de documentos públicos e particulares inserindo neles, os nomes, dados pessoais e endereços falsos de terceiros e históricos clínicos, “firmados” por um pequeno número de médicos. Na consumação do golpe, o valor do seguro não era creditado em conta supostamente pertencente à pessoa que teve seus dados usados indevidamente, e sim para pessoas que “emprestaram” suas contas, cartões e senha a pai e filho. Nas investigações foram utilizadas técnicas de análise criminal pela equipe do Núcleo de Inteligência da Regional e quebra de sigilo bancário, além do cumprimento de buscas domiciliares visando produzir mais provas para o inquérito.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Midia News

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior