Receita Federal alerta alagoanos sobre golpe do empréstimo

Sem Comentários

29/05/2018

Os cidadãos de Alagoas que estão contratando ou negociando qualquer tipo de empréstimo junto a uma instituição financeira precisam ficar atentos. Várias pessoas nessa situação estão recebendo, via correio, uma notificação de cobrança relativas a alguns impostos. A nova modalidade de golpe é aplicada em nome da Receita Federal. O documento falso alega que o crédito/financiamento só será desbloqueado mediante o pagamento do imposto. Na correspondência, atribuída a um auditor-fiscal da instituição, há dados bancários para depósito, além de assinatura falsa. A Receita Federal informa que não fornece dados bancários para o recolhimento de tributos federais via depósito ou transferência. O recolhimento do IOF é feito exclusivamente via Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf). Além disso, a cobrança e o recolhimento do IOF são efetuados pela instituição que conceder o crédito. Em caso de dúvidas, os contribuintes podem comparecer a uma unidade de atendimento da Receita Federal no Alagoas, ou enviar denúncia à Ouvidoria-Geral do Ministério da Fazenda, pela internet, no site idg.receita.fazenda.gov.br/contato/ouvidoria. Os indivíduos que aplicam o golpe poderão responder pelos crimes de estelionato, falsidade ideológica e falsa identidade, e, ainda, pelos danos causados à imagem da Instituição e do próprio servidor indevidamente envolvido.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: TNH1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem que praticou estelionato em Cordisburgo é preso

Sem Comentários

06/03/2018

A Polícia Civil prendeu nesta segunda-feira (05), F.F.S.F., contra quem havia mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça, em virtude de estelionato cometido em Cordisburgo (MG). Ele é apontado como autor de diversos golpes contra produtores rurais do município, causando grande prejuízo. O homem adquiriu gado, implementos agrícolas e outros bens com cheques irregulares (furtados, roubados, clonados, com assinatura divergente, etc). Também é investigado por cometer outros crimes contra o patrimônio em diversas cidades. O homem foi localizado e preso na zona rural de Felício dos Santos, por policiais civis da Delegacia Regional de Diamantina, após troca de informações com a Delegacia de Cordisburgo. Com a prisão dele espera-se a conclusão de outras investigações, já que muitas de suas vítimas não registraram ocorrência policial. Caso alguém o reconheça como autor de outros crimes ainda não comunicados às autoridades, deverá procurar a polícia para solicitar providências.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Cordis Notícias

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia deflagra operação contra bando que falsificava assinaturas e cheques

Sem Comentários

07/03/2017

Foi deflagrada nesta terça-feira (07), uma ofensiva contra a ação de marginais que agiam contra clientes de bancos em todo o Brasil. Ao todo, a Polícia Civil de São Paulo cumpre 15 mandados de prisão e 18 mandados de busca e apreensão na cidade de São Paulo e nos municípios de Nova Odessa, Piracicaba e Sumaré. O Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) apurou que a quadrilha conseguia descontar cheques de altos valores reproduzindo com perfeição a assinatura do correntista e “sequestrando”, por algum tempo, a linha telefônica da vítima. O prejuízo pode atingir R$ 5 milhões em um período de 10 meses. Em janeiro, um morador de Santos sofreu um golpe similar. Ele teve cheques descontados de sua conta corrente, próximos ao limite de R$ 5 mil. ”Quis ver a assinatura, pois o banco tem como conferir. E ela estava lá, semelhante a que eu faço”, disse, na ocasião. Um dia antes do fato, a vítima chegou a ficar sem sinal de celular, mas, só depois, percebeu que a ”pane” era proposital.

Funcionários aliciados

A ação conta com a participação de 70 policiais e foi deflagrada após oito meses de apurações por parte da 2ª Delegacia de Investigações sobre Estelionato. O golpe funcionava da seguinte forma: os golpistas aliciavam funcionários de instituições financeiras para obter informações completas sobre os principais correntistas. Dessa maneira, conseguiam dados cadastrais, como nome, endereço, telefones, números de documentos de identificação e das contas correntes – além da assinatura. As informações eram compartimentadas entre os diversos setores da quadrilha. No bando havia um especialista, que reproduzia os cheques assinados. O falso documento era quase perfeito, a ponto da vítima não acreditar que a assinatura não fosse dela. Para sequestrar a linha, eles conseguiam clonar o número do correntista. Assim, quando os funcionários dos bancos ligavam para confirmar a transação, eram autorizados pelos próprios vigaristas. Presos, os golpistas responderão por estelionato e associação criminosa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: A Tribuna

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Falso documento convoca reservistas do Exército em Minas

Sem Comentários

07/02/2017

Nesta terça-feira (07), um falso comunicado de convocação a reservistas do Exército em Minas tem gerado confusão e dúvida nas redes sociais. O suposto documento pede que militares da reserva com 40 anos incompletos até dezembro de 2017 se apresentem na 4ª Região Militar do Exército, em Belo Horizonte.  O comunicado dá a entender que a convocação seria para atuação no Espírito Santo, que enfrenta caos e violência nas ruas por causa de uma greve branca da Polícia Militar. “Tendo em vista futuros atos de desordem social, é hora do reservista mostrar o seu brio”, diz a mensagem falsa. Segundo o texto, a convocação vale para reservistas de Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro, todos militares do quadro de Tiro de Guerra, um grupamento específico do Exército. O documento traz ainda a data de apresentação e a suposta assinatura do general responsável pela 4ª Região Militar de Minas. O chefe de comunicação social do Exército em Minas negou que o documento seja verídico. “A 4º Região Militar do Exército corresponde apenas a Minas Gerais, não tendo nenhum comando ou decisão em outros Estados. Além disso, o nome do general aparece de forma errada por duas vezes no documento, que está fora do padrão utilizado pela corporação”, explica. Não há nenhum comunicado em vigor em Minas para apresentação de reservistas. “Afirmamos que o documento é falso”, reforça.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Hoje em Dia

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Para comprar carro, homem falsifica assinatura e vai preso em Piracicaba

Sem Comentários

26/01/2017

Após tentar falsificar uma assinatura e comprar um carro em nome de outra pessoa, um pedreiro de 36 anos foi preso na tarde desta quarta-feira (25) em Piracicaba (SP). A Polícia Civil soube do ocorrido após denúncia feita por atendentes de um cartório na Rua Santo Antônio. Segundo o registro do caso, o homem chegou a comprar um carro e foi até o cartório para reconhecer firma. Ele apresentou os documentos de uma pessoa e os atendentes da instituição desconfiaram da ação. Quando a Polícia Civil chegou até o local, o suspeito passou o telefone de uma pessoa e disse que ela pagaria R$ 500 para que ele falsificasse a assinatura e comprasse o carro. O suspeito disse ainda que a pessoa que pagou para que ele fizesse isso estaria esperando em frente ao Museu Municipal. A Polícia Civil ficou de campana e ligou para o número, mas ninguém atendeu ou compareceu ao local. O homem foi preso em flagrante por falsidade ideológica e uso de documento falso. Os documentos da vítima foram apreendidos e vão passar por perícia.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Suspeita de aplicar golpe tinha vida luxuosa com cartão corporativo

Sem Comentários

24/01/2017

Uma mulher, de 53 anos, levava um padrão de vida que não condizia com a sua fonte de renda. Foi isso que levou os policiais da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR) de Curitiba a descobrirem que ela, na verdade, desviava dinheiro da empresa que trabalhava. A mulher foi presa na manhã de segunda-feira (23), suspeita de causar prejuízo de mais de R$ 200 mil. O crime foi descoberto depois que a empresa de agropecuária que ela trabalhava fez uma auditoria e percebeu que alguns gastos estavam exorbitantes. “A empresa procurou a nossa delegacia, nós fizemos uma investigação, conversamos com alguns funcionários e chegamos até a suspeita”, explicou o delegado responsável. A mulher tinha acesso integral a todas as informações bancárias da empresa e, por ser detentora exclusiva do cartão corporativo, passou a usá-lo. Varias compras – como uma Ecosport e uma moto – foram feitas e ela chegou a mobiliar uma casa na praia com piscina. Tudo com o dinheiro da empresa. A mulher foi presa no apartamento onde mora, no Centro de Curitiba, pela equipe de investigação da DFR. Foram cumpridos quatro mandados judiciais contra a suspeita. Durante as investigações, os policiais descobriram que ela solicitou um aumento de limite junto à operadora do cartão e ainda falsificou a assinatura do titular do cartão em uma das operações. Aos policiais, a suspeita teria confessado o crime, mas para a imprensa, ela preferiu ficar em silêncio, dizendo apenas que vai devolver o dinheiro que pegou. Conforme as investigações, ela trabalhou na mesma empresa por sete anos, mas agiu por dois anos. Ela ainda planejava fugir para a Suíça desde o final do ano passado. Durante o período em que desviou o dinheiro, a mulher teria feito mais de 100 transações financeiras fraudulentas. Ela vai responder por furto qualificado, uso de documento falso e falsificação material de produtos particulares. A DFR pediu ainda que as contas bancárias e os bens dela sejam bloqueados judicialmente. “Pois assim podemos garantir que os valores levados vão ser devolvidos”, explicou o delegado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Tribuna

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Suspeito de desviar R$ 1 milhão de restaurante é preso com 15 carros de luxo

Sem Comentários

28/11/2016

Foi divulgada nesta segunda-feira (28), pela Polícia Civil, a prisão de um homem de 41 anos, suspeito de aplicar um golpe superior a R$ 1 milhão, em Curitiba (PR). A vítimas são proprietárias de um tradicional restaurante da capital paranaense. A prisão foi uma ação do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), unidade de elite da Polícia Civil do Paraná. A mulher do suspeito e outro homem também foram detidos. Os policiais apreenderam 15 carros de luxo avaliados em mais de R$ 1 milhão na casa deles, no bairro CIC, em Curitiba. O preso trabalhava no setor financeiro do restaurante e, desta maneira, tinha acesso às contas bancárias das vítimas. De posse dos dados, ele começou a fazer transferências, desviando recursos da empresa. Existe a suspeita que ele tenha falsificado a assinatura em cheques para movimentar os recursos. “A suspeita é que o golpe pode ter rendido mais de R$ 1 milhão para o casal”, disse o delegado titular do Cope. “O rapaz afirmou que fazias transferências regulares de R$ 30 mil e R$ 50 mil e sempre investia em carros de luxo para posterior revenda”, completou. Na residência do casal os policiais do Cope encontraram diversos carros de luxo – duas BMW, dois Audi, dois Camaro, um Corvette, Ford Edge, Fremont, Toro, uma Amarok, um Optima, dois Marea e um Golf. “Os veículos estavam no nome da mulher, que é empregada doméstica. Os carros são avaliados em mais de R$ 1 milhão, um patrimônio completamente incompatível”, completou o delegado. Além dos carros, os policiais encontraram cerca de R$ 8 mil em dinheiro e uma carga desviada de biscoito servido no restaurante. A investigação começou no início desta semana, quando um advogado de Curitiba levou os empresários até o Cope. “Foi uma investigação rápida e eficiente. Em poucos dias, com o auxilio do Poder Judiciário, chegamos à prisão do casal, que poderia fugir, já que o rapaz estava em processo de demissão”, disse o titular. No outro endereço, no Centro de Curitiba, na casa de uma irmã do ex-funcionário, os policiais encontraram outra parte da carga. Lá, foram apreendidas ainda diversas munições de uso restrito, além de três armas com registro vencido, uma máquina de recarga de munição e insumos de recarga. Neste local, outro homem foi detido e vai responder por posse ilegal de munição de calibre restrito. O casal teve a prisão preventiva decretada e vai responder por estelionato e lavagem de dinheiro.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Midia News

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior