Homem é preso ao tentar tirar passaporte para adolescente usando documentos falsos em Governador Valadares

Sem Comentários

23/05/2018

Em Governador Valadares (MG), na tarde dessa terça-feira (22), um homem de 41 anos foi preso após tentar tirar um passaporte para um adolescente, de 17 anos, utilizando documentos falsificados em posto de atendimento da Polícia Federal. Segundo a Polícia Civil, o homem se passou por pai do menor e a intenção dele era conseguir documentação para os dois entrarem nos Estados Unidos. Na hora de consultar a documentação, a polícia descobriu que o menor é da cidade de Coroaci (MG) e que os pais possuem outros nomes. Os dois foram encaminhados para delegacia de Governador Valadares, onde confessaram que realizariam a falsificação para viajar para o exterior. O homem confessou também que não era o pai do adolescente e que teria a intenção de viajar para os Estados Unidos onde residem os familiares dele, e que levaria o rapaz porque o menor queria ajudar a família financeiramente. A delegada que cuida do caso informou que o homem foi encaminhado para o presídio da cidade. O pai do adolescente, de 57 anos, compareceu à delegacia e o menor foi liberado. Ela ainda informou que o caso ainda está sendo investigado, e se for comprovada a participação dos pais do adolescente no crime eles também serão indiciados. A delegada explicou também que o homem iria utilizar o adolescente para que, caso fosse preso durante a passagem para os EUA, os dois fossem liberados. O homem também teria informado à polícia que chegou a pagar 12 mil dólares para fazer travessia, mas não revelou a quem fez esse pagamento. “Estamos trabalhando para chegar até homem que prometeu fazer essa travessia, uma vez que é alta a incidência desse tipo de atividade na cidade de Governador Valadares. A Polícia Civil tem desenvolvido um serviço de investigação e prevenção contra esse tipo de prática. O homem de 41 anos vai responder pelos crimes de corrupção de menor, falsidade ideológica e uso de documentos falsos”, disse.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Gaeco faz operação contra supostas fraudes em contratos entre associação e governo em MT

Sem Comentários

22/05/2018

É feita na manhã desta terça-feira (22) pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), uma operação que apura supostas fraudes em contratos. Não há mandados de prisão. A operação, chamada ‘Pão e circo’, cumpre apenas mandados de busca e apreensão. Membros do Ministério Público, Polícia Civil e Polícia Militar cumprem mandados de busca e apreensão em Cuiabá e Chapada dos Guimarães, nas sedes da Associação Casa de Guimarães, todos expedidos pela Vara Especializada do Crime Organizado da Capital. A operação se baseia em investigações sobre uma suposta organização criminosa instalada para desviar recursos públicos em contratos firmados entre a associação e o governo de Mato Grosso, entre os anos de 2011 a 2018. Segundo o Gaeco, as buscas e apreensões de documentos têm finalidade de obter provas para sustentar investigações em curso. Além do crime de organização criminosa, também há indicativos da prática de peculato, falsidade ideológica, fraude em licitações e lavagem de capitais. O governo ainda não se manifestou sobre a operação.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Justiça da PB condena árabes por uso de documento falso e falsidade ideológica

Sem Comentários

18/05/2018

Três árabes foram condenados por um juiz da 6ª Vara Criminal da Capital por crime contra a fé pública – uso de documento falso e falsidade ideológica – e crime contra a paz pública, sendo classificado como associação criminosa. Dos três réus, dois tiveram as penas privativas de liberdade transformadas em restritivas de direito e um deles terá de pagar uma multa de R$ 100 mil a uma entidade beneficente. No dia 12 de abril de 2017, por volta das 13h, os primeiros acusados foram presos em flagrante, nas dependências da sede do “Programa Cidadão”, em João Pessoa. Eles utilizaram documentos públicos falsificados para conseguir um Registro Geral e a emissão de cédula de Carteira de Identidade para um deles, como forma de conseguir uma nacionalidade brasileira. Segundo a denúncia, dois deles saíram de São Paulo para João Pessoa para obter uma Carteira de Identidade de nacionalidade brasileira, usando, para tanto, uma Certidão de Nascimento falsificada, de um cartório do Ceará. Com um deles também foram encontradas duas Carteiras Nacionais de Habilitação em nome de um dos acusados, emitidas em São Paulo, também falsificadas. No dia do flagrante a coordenação do programa suspeitou do fato de um dos árabes não conseguirem se comunicar em português. Ainda nas investigações da Polícia Civil, outros dois suspeitos foram presos no dia 21 de abril, em um hotel de João Pessoa. Eles foram apontados como colaboradores para o crime.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Mulher é presa em Pirapora com 30 RGs falsos, que eram usados para comprar e revender produtos

Sem Comentários

18/05/2018

Polpicia Civil suspeita que documentos falsos apreendidos em Pirapora foram comprados em Belo Horizonte (Foto: Polícia Civil/ Divulgação)

Uma mulher, de 38 anos, suspeita de cometer estelionatos em Pirapora (MG), foi presa nesta sexta-feira (18). Segundo a Polícia Civil, na casa dela, localizada no Bairro Industrial, pelo menos 30 RGs, além de cheques de terceiros e papéis que seriam usados para fabricar identidades falsas, foram apreendidos. A PC acredita que pelo menos trinta pessoas tenham sido vítimas de um golpe. A ação da suspeita, que pode ter envolvimento de mais pessoas, era feita através de revendas de produtos que ela comprava usando nomes e documentos falsos. Através de identidades e dados de pessoas desconhecidas, ela adquiria produtos eletrônicos e assinaturas de televisão a cabo, e revendia. As carteiras teriam sido adquiridas pela suspeita em Belo Horizonte. A polícia acredita que a mulher se passava por uma espécie de consultora de TV a cabo. Várias vítimas da cidade, sem saberem do que se tratava, procuravam pela suspeita com o intuito de que fosse instalado um sinal de TV fechada na casa delas. A mulher seria uma intermediadora e contratava a instalação, mas utilizando nomes falsos. “Dessa forma, ela se sentia a vontade para não pagar a empresa que fornece o sinal de TV. As vítimas pagavam a ela a quantia de R$ 150, esperando assistir aos canais fechados. No início dava certo, mas como ela não efetuava o pagamento, só no terceiro mês, quando o sinal era cortado, a pessoa percebia que havia caído em um golpe”, explica o delegado da Polícia Civil. Não é possível precisar quantas pessoas podem ter caído nestes golpes. “Diante do que encontramos na residência da mulher, temos certeza de que pelo menos trinta pessoas caíram em algum golpe, no mínimo; uma vítima para cada RG. Caso alguma pessoa tenha sido vítima e ainda não tenha procurado a polícia, pedimos para que o acionamento seja feito, o que vai ajudar muito nas investigações”, afirma o delegado. Como as carteiras de identidade falsas têm fotos de homens e mulheres, a Polícia Civil afirma que outras pessoas estão envolvidas no golpe de estelionato. Segundo a PC, as investigações continuam para que outros suspeitos sejam presos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Estelionatário que abria contas usando documentação falsa é preso

Sem Comentários

17/05/2018

Nesta quinta-feira (17), um homem foi preso pela polícia depois de ser flagrado tentando abrir contas em agências bancárias da Capital, usando documentação falsa. Com ele também foram apreendidos equipamentos, usados na falsificação dos documentos. De acordo com a delegada da Deco (Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado), o suspeito já tinha ao menos uma passagem pela polícia por tráfico de drogas. Ele, agora, também vai responder pelos crimes de estelionato, falsidade ideológica, uso de documento falso e falsificação de documentação publico.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Campo Grande News

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia desarticula esquema de adulteração de carteiras de estudante; 24 mil documentos falsos foram distribuídos pelo país

Sem Comentários

15/05/2018

Polícia Civil apreendeu material usado para falsificar carteiras de estudante em Patos de Minas (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

Um esquema de falsificação de carteiras estudantis foi desarticulado pela Polícia Civil em Patos de Minas, no Alto Paranaíba. O delegado responsável informou nesta terça-feira (15) que investigações mostraram que na cidade já foram feitas mais de 24 mil carteiras estudantis para pessoas que estão fora de escolas ou cursos. Conforme a Polícia Civil, durante a Operação “Terceiro Grau”, foram apreendidos duas impressoras e um computador utilizados para a prática do crime, 1.147 carteiras falsas prontas para serem entregues e outras 754 carteiras em branco, que poderiam ser utilizadas para novas adulterações em três casas e três estabelecimentos comerciais de Patos de Minas. O delegado disse que cinco pessoas foram ouvidas e liberadas. A polícia agora trabalha para identificar mais envolvidos no caso, além de pessoas que compravam esse documento falso, que era vendido na cidade por R$ 30. “O número é surpreendente e o que assusta mais ainda é o risco que correm essas pessoas que compram essas carteiras ao fornecerem dados para estelionatários e falsificadores. Quem utiliza indevidamente documentos falsos está sujeito a prisão em flagrante delito, sem direito a fiança”, explicou o delegado. A polícia explicou que quem compra e utiliza carteiras estudantis falsas comete crime de falsidade ideológica e estelionato. Quem falsifica o documento pode responder por adulteração de documento e falsidade ideológica.

Meia-entrada

A carteira estudantil é um documento que valida a identificação estudantil do aluno e assim garante os benefícios da Lei da Meia-Entrada (Lei 12.933/2013). De acordo com a União Nacional dos Estudantes (UNE), o desconto de 50% em eventos culturais, educativos, esportivos, de entretenimento e de lazer a estudantes portadores de identificação estudantil válida é dato a uma cota restrita a 40% dos ingressos disponíveis. Para conseguir uma carteira de estudante, o aluno deve separar uma foto 3×4 recente digitalizada, um documento de identificação e comprovante de matrícula, como declaração de escolaridade. Conforme a UNE, estudantes de ensino infantil, ensino fundamental, ensino médio e técnico e nível superior têm direito à meia-entrada. Para evitar fraudes, desde 2017 uma lei federal determinou que as carteirinhas devem trazer um QR Code, um mecanismo que permite o acesso de informações dos estudantes, como a instituição de ensino e o RG.

Homem é detido com documento falso após se passar por policial militar, em Campinas

Sem Comentários

09/05/2018

Em Campinas (SP), um homem foi detido após se passar por policial militar durante a averiguação de uma denúncia de extorsão. No momento em que foi abordado por policiais, ele se disse PM de Minas Gerais, mas apresentou uma carteira falsa de agente penitenciário. A ocorrência ocorreu no bairro Jardim Itatinga. Os agentes localizaram o veículo do suspeito e o abordaram. O homem se apresentou como sargento da Polícia Militar. Ao pesquisar os dados no sistema, os policiais descobriram que o homem nunca foi agente penitenciário ou policial militar. Era tudo falso, inclusive o nome que aparecia no documento. O suspeito é de Juiz de Fora, mas mora em Campinas há três anos. O carro dele foi aprendido por estar com documento atrasado desde 2012. Embaixo do banco do carro foi encontrada uma arma bem parecida com as que os policiais usam. Tudo foi levado para a 2º Delegacia Seccional, onde o falso policial prestou depoimento. Ele não tinha passagem criminal, foi liberado e vai responder por falsidade ideológica.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior