Estelionatário preso em flagrante em Rio Verde

Sem Comentários

19/07/2019

Nesta quinta-feira (18) a Polícia Civil, através do Grupo Especializado na Proteção do Patrimônio Público (GEPATRI), conseguiu prender em flagrante um homem devido à prática do crime estelionato. A Polícia Civil já havia recebido denúncias de que um homem estava praticando estelionato na cidade de Rio Verde (GO), através de uso de documentos falsos. A partir daí, as investigações começaram. Outra denúncia foi feita ontem (18), quando foi indicado que o autor estaria em uma agência bancária da cidade. Os agentes policiais então se descolaram até a agência bancária, mas o suspeito já havia saído.

Na agência bancária, o suspeito se identificou com documento de nome diferente do seu, e estava na iminência de realizar um empréstimo de R$ 10 mil, porém, não teve o cadastro aprovado. Os agentes policiais continuaram a busca e lograram encontrando o suspeito, que confessou estar aplicando crime de estelionato, utilizando documento falso.

Os agentes realizaram busca no interior do veículo do suspeito e encontraram vários documentos, todos falsificados, além de vários comprovantes de endereço em nome de terceiros.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Rio Verde Agora

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Operação combate falsificação de documentos, falsidade ideológica e sonegação fiscal no TO, PA e MA

Sem Comentários

18/07/2019

Nesta quinta-feira (18), a Polícia Civil do estado do Tocantins deflagrou a terceira fase da Operação “Walking Dead” visando combater uma organização criminosa especializada na prática de crimes de falsificação de documentos públicos e particulares, falsidade ideológica, sonegação fiscal e lavagem de dinheiro no desvio de valores que deveriam ter sido recolhidos no comércio de grãos e bebidas. Paralelamente, a Polícia Civil do Tocantins está apoiando a Operação Créditos Ilusórios, deflagrada pela Polícia Civil do estado de Maranhão a partir do compartilhamento de provas produzidas nas operações Walking Dead e Falsário.

No Tocantins, estão sendo cumpridos nesta manhã 14 (quatorze) mandados judiciais, sendo 08 (oito) mandados de busca e apreensão, 04 (quatro) mandados de prisão temporária e 02 (dois) mandados de prisão preventiva, mobilizando cerca de 30 policiais civis tocantinenses.

Segundo o delegado, que comanda a operação tocantinense, são alvos da operação um auditor da receita estadual, contadores, empresários, intermediários e “laranjas” que se beneficiaram do esquema criminoso auferindo valores que deveriam ter sido recolhidos à Fazenda Pública do Tocantins, a título de impostos. Uma das pessoas presas na operação se passava pelo nome de uma senhora falecida em 2010, e que teve o seu nome usado para constituir uma das empresas de fachada em 2014.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Folha do Bico

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia Civil prende suspeitos de fraudar pagamento eletrônico de estacionamento e pedágio

Sem Comentários

16/07/2019

Nesta terça-feira (16), agentes da Delegacia do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (DAIRJ) prenderam sete pessoas suspeitas de cometer fraude na aquisição de dispositivos para pagamentos de pedágios e estacionamentos. De acordo com as investigações, funcionários das empresas, agindo com motoristas de táxis e de aplicativos, compravam tags (dispositivos para pagamentos de pedágios e estacionamentos) mediante fraude. Usando nome de terceiros, eles cadastravam o pagamento em débito automático em contas inexistentes ou cartões de crédito clonados.

Os motoristas se beneficiam utilizando o estacionamento do aeroporto sem precisar pagar a taxa, o que pode representar lucro diário por veículo de R$ 300. Quem compra o dispositivo fraudado comete crime de receptação. Seis pessoas foram presas por receptação e uma por falsidade ideológica.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Brumadinho: Família é presa ao usar documento falso para ter indenização da Vale

Sem Comentários

09/07/2019

A Polícia Civil prendeu sete pessoas na última quinta-feira (4), mas os detalhes só foram divulgados nesta segunda-feira (8), porque três outras pessoas suspeitas de integrar o mesmo esquema foram detidas. Segundo informações, o grupo foi preso suspeito de fraudar declarações de um posto de saúde de Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte (MG). Elas tentavam se passar por atingidos da barragem que se rompeu em 25 de janeiro deste ano e, assim, receber indenizações da Vale. Segundo a delegada responsável pelo caso, as investigações começaram a partir de suspeitas de declarações falsas que seriam emitidas pelo posto de saúde Residencial Bela Vista, um dos bairros da cidade.

“A gente apurou que uma pessoa produzia esse documento, falsificando o conteúdo conforme os padrões, além do carimbo do posto, carimbo e assinatura da enfermeira responsável e inserindo conteúdo falso”, disse a delegada.

Conforme a Polícia Civil, das sete pessoas, seis pessoas vivem em Sarzedo (MG), distante cerca de 20 km de Brumadinho (MG), e usavam o endereço de uma outra pessoa que vivia em Brumadinho como comprovação de residência e, assim, conseguir obter a indenização paga pela Vale a moradores da região afetada pelo rompimento da barragem.

De acordo com as investigações, os suspeitos conseguiram arrecadar entre R$ 5 mil e R$ 20 mil da mineradora, em indenizações emergenciais. As declarações falsificadas custavam entre R$ 500 e R$ 700 por pessoa. 

Os suspeitos podem responder por crimes de estelionato e formação de quadrilha. Já a pessoa que vivia em Brumadinho e autorizava as outras a declararem que viviam no seu endereço, também pode responder por falsidade ideológica.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: WSCOM

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Integrante de cartel mexicano é preso por falsidade ideológica

Sem Comentários

04/07/2019

Nesta quinta-feira (4), o integrante de cartel de drogas mexicano, L. R. B., foi condenado a 1 ano e 2 meses de reclusão pela prática do crime de uso de documento falso e falsidade ideológica, pelo juiz substituto da 2ª Vara Criminal de Brasília.

A denúncia foi feita pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), após uma equipe da polícia civil investigar e prender em flagrante um grupo de indivíduos hospedados em um hotel do Setor Hoteleiro Norte (SHN), envolvidos com golpes relacionados a moedas e outras fraudes. Segundo o MPDFT, o acusado apresentou documento falso no momento da abordagem.

O homem e sua defesa alegaram ausência de provas na condenação. No entanto, o juiz explicou que o documento falso e a autoria do crime em flagrante restaram comprovadas. Porém, a prisão preventiva do acusado foi mantida em razão do réu encontrar-se foragido à execução provisória de sanção penal imposta pela Justiça Federal, além de ter voltado a praticar conduta semelhante, apresentando-se com documento ideologicamente falso.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: R7

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é preso em banco tentando usar documentos falsos para quitar dívidas

Sem Comentários

05/07/2019

Nesta sexta-feira (5), um homem de 53 anos foi preso em uma agência bancária de Araguaína, norte do Tocantins (TO), tentando utilizar documentos falsos para comprovar a quitação de débitos que tinha no próprio nome. Segundo as informações da Polícia Militar, o suspeito negou que tenha falsificado os papéis e disse que também tinha sido enganado. O homem ainda disse que tinha emprestado três cheques para terceiros que não pagaram as dívidas e por causa disso seu nome foi para o SPC. Afirmou ainda que ao cobrar os devedores recebeu os documentos para que limpasse seu nome no banco.

O suspeito foi preso e levado para a Central de Flagrantes da Polícia Civil, onde foi autuado por uso de documentos falsos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é preso tentando fazer empréstimo de R$ 50 mil com documentos falsos, no ES

Sem Comentários

29/05/2019

Nesta quarta-feira (29), um homem, de 36 anos, foi preso tentando fazer um empréstimo de R$ 50 mil usando documentos falsos. O caso aconteceu em uma agência bancária de Goiabeiras, em Vitória. Segundo a titular da Delegacia Especializada em Defraudações e Falsificações (Defa), para cometer o crime, o suspeito tentou se passar por advogado da prefeitura de Serra. “Em depoimento, o detido confessou outros crimes semelhantes. Ele disse que as vítimas escolhidas, seriam sempre servidores públicos e que ele localizava os dados por meio de arquivos digitais”, relatou. O homem foi indiciado por falsidade ideológica e estelionato e encaminhado ao Centro de Triagem de Viana (CTV).

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior