Mulher cai em golpe de falsa promoção “Black Friday”

Sem Comentários

14/11/2017

O Black Friday é o dia que inaugura a temporada de compras natalinas, com significativas promoções em muitas lojas e grandes armazéns. Uma mulher, de 38 anos, procurou a Delegacia Civil de Auriflama (SP), relatando ter sido vítima de uma falsa promoção de Black Friday. Ela teria pago por uma televisão de 40 polegadas, mas a empresa afirma não ter nenhum registro de compra. O caso aconteceu no dia 30 de outubro, porém a vítima só procurou a Polícia na semana passada. Conforme o boletim de ocorrência, a mulher teria acessado a versão online da rede de varejo e pago R$ 699 pelo aparelho. No dia seguinte, ela entrou em contato com a empresa pela central de atendimento e foi informada que não havia nenhum pedido em seu nome. O caso foi registrado como estelionato e será investigado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Região Noroeste

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Falso sequestro, estelionato, falsa promoção e e-mails falsos: confira as dicas para não cair nestes golpes

Sem Comentários

21/07/2017

Em Vilhena (RO), segundo a polícia, nos primeiros 15 dias de julho, foram registrados dez golpes de estelionato e fraude, a cerca de 700 quilômetros de Porto Velho. Um delegado da Polícia Civil conversou com a reportagem e fez recomendações para que a população evite cair em golpes. Os principais golpes aplicados são o do falso sequestro; parente em viagem que quebrou o carro e liga pedindo dinheiro; promoções que dão prêmios, se fizer um depósito antes; e-mails de bancos com ameaçadas de colocar o nome em protesto; e-mails de órgãos como a receita federal fazendo ameaças; e-mails dizendo que têm mensagens de mídias sociais arquivadas. Um dos casos registrados no município é o de uma mulher de 53 anos que perdeu cerca de R$ 22 mil após conhecer um casal, durante uma troca de um veículo. A vítima alega que fez transferência para a conta do casal, mas não recebeu o veículo. Além disso, no boletim, afirma ainda que furtaram um celular dela. Segundo o delegado, a questão financeira influencia muito na decisão. “Quando se trata de dinheiro, quase todo mundo acaba caindo nesses golpes. É uma questão cultural e a atual situação de crise que o país vive colabora para isso”, declara. É importante que, nos casos em que as pessoas recebem as ligações, evitem citar nomes e dar mais informações pessoais e familiares. “Mantenha a calma, respire e raciocine antes de repassar ou acatar qualquer orientação”, diz o delegado. Confira abaixo como acontece alguns dos casos mais comuns:

Falso Sequestro

Como funciona: O telefone toca e uma voz, que pode ser de homem ou de mulher, fingindo choro, que diz que foi sequestrado. O suposto sequestrador sempre pede uma quantia em dinheiro ou recargas para telefone celular.

“Nestes casos a melhor opção, em primeiro lugar é se acalmar, analisar a situação. Depois desligar o telefone, entrar em contato com a pessoa que supostamente está refém. Sequestradores não pedem pouco dinheiro ou recarga de celulares”, conta o delegado.

Parente em viagem que quebrou o carro e liga pedindo dinheiro

Como funciona: O telefone toca e uma voz, que pode ser de homem ou de mulher, alega ser um parente, que está em viagem e o veículo quebrou, pedindo dinheiro.

“Nessa situação faça o máximo perguntas e o mais importante, não saia dizendo os nomes de parentes, desligue o telefone e tente conversar com outros parentes para saber mais detalhes”, explica.

Promoções que dão prêmios, se fizer um depósito antes

Como funciona: Através de chamadas telefônicas, mensagens em aplicativos de celular e SMS. O golpe consiste em afirmar que a vítima ganhou uma quantia em dinheiro, mas que para receber, deve depositar outra quantia em alguma conta.

“Pense que nenhum dinheiro vem fácil. No caso, se ganhou determinada quantia, por quê tem que depositar outra para receber? Isso já mostra que é golpe”, conta o delegado.

E-mails de bancos e órgãos federais

Como funciona: A mensagem vem na caixa de entrada, geralmente como o Título: ‘Intimação Para Comparecimento Em Audiência (19289)’ ou ‘Sua conta do banco será bloqueada’.

Pode-se observar que o e-mail é bem convincente e aparenta ser real. O que entrega o golpe é que quase todos órgãos federais possuem e-mails corporativos com o final @gov., diferente do mostrado no campo destacado em vermelho. Caso a pessoa tiver alguma pendência com tais órgãos, as intimações não serão entregues desta maneira. No site do MPF, por exemplo, no rodapé da página há a mensagem abaixo:

A lei citada no e-mail, Art. 6◦, da Lei 8.078/90, é sobre o código de defesa do consumidor, que no inciso IV diz que “a proteção contra a publicidade enganosa e abusiva, métodos comerciais coercitivos ou desleais, bem como contra práticas e cláusulas abusivas ou impostas no fornecimento de produtos e serviços” são direitos básicos do consumidor.

Em tempos que a tecnologia se torna cada vez mais presente no cotidiano, é bom recordar que há inúmeros tipos de golpe e a cada dia, novos golpes aparecem. “Caso ocorra essas atividades, o cidadão pode recorrer a Polícia Civil”, finaliza o delegado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Brasil tem uma tentativa de fraude a cada 16 segundos, revela Serasa

Sem Comentários

26/10/2015

O Brasil registrou 167.395 tentativas de fraude no mês de agosto. O número representa uma tentativa de fraude a cada 16 segundos no País, conforme a Serasa. Conhecidas como roubo de identidade, as tentativas de fraude são o uso de dados pessoais por criminosos para firmar negócios sob falsidade ideológica ou mesmo obter crédito com a intenção de não honrar os pagamentos. Em relação a julho de 2015, quando o indicador apontou 174.137 tentativas de fraude, houve queda de 3,9%. Em relação a agosto de 2014, houve queda de 4,8%. No acumulado do ano de 2015 foram registradas 1.320.806 tentativas de fraude, ligeira queda de 0,7% na comparação com o mesmo período de 2014, quando o número era de 1.330.418. Conforme economistas, apesar do recuo, a quantidade de tentativas de fraude se mantém num patamar alto, uma vez que a queda está relacionada com a retração da economia neste ano de 2015, que vem desestimulando as pessoas a realizarem mais e novos negócios, diminuindo a quantidade de eventos e de alvos potenciais à atuação dos fraudadores. Enquanto o recuo das tentativas de fraude foi de 0,7%, a atividade econômica acumula retração de 2,2% até julho. A popularização da internet é um dos fatores que contribui para as tentativas de fraudes. O cadastramento em sites de e-commerce não idôneos, promoções falsas que exigem informações pessoais do usuário, além da solicitação de adesões para campanhas teoricamente sérias ou com apelo forte nas redes sociais são a porta de entrada para o fraudador conseguir os dados de suas próximas vítimas.

Telefonia

Em agosto deste ano, o setor de telefonia respondeu por 67.804 registros, totalizando 40,5% do total de tentativas de fraude realizadas, aumento em relação aos 35,3% registrados pelo setor no mesmo mês de 2014. Já o setor de serviços – que inclui construtoras, imobiliárias, seguradoras e serviços em geral (salões de beleza, pacotes turísticos etc.) – teve 50.880 registros, equivalente a 30,4% do total. No mesmo período no ano passado, este setor respondeu por 33,1% das ocorrências. O setor bancário foi o terceiro do ranking em agosto/15, com 33.903 tentativas, 20,3% do total. No mesmo mês de 2014, o setor respondeu por 21,9% dos casos. O segmento varejo teve 12.622 tentativas de fraude, registrando 7,5% das investidas contra o consumidor em maio de 2015, ligeira queda em relação ao percentual observado em agosto de 2014 (7,9%). O ranking de tentativas de fraude de maio de 2015 é composto ainda por demais segmentos (1,3%).

Ler a notícia na íntegra

Fonte: R7

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é vítima de golpe da falsa promoção

Sem Comentários

13/08/2012

Um homem de 58 anos, morador do Camorim Grande (RJ), compareceu à delegacia no sábado (11) para fazer um registro de ocorrência por ser vítima de estelionato. De acordo com a vítima, na última quinta-feira (8), ele recebeu uma mensagem no celular o parabenizando por ter ganho em uma promoção, uma casa própria e R$ 20 mil e pedindo para confirmar o prêmio ligando para o número informado na mensagem ou enviar a palavra ‘prêmio’ para 5522. Ele disse não ter dado importância. Entretanto, na sexta-feira (10), a vítima recebeu uma ligação de uma mulher se apresentando como funcionária de uma operadora de celular e pedindo o número da conta corrente para o depósito do prêmio. Ele informou o número e ao tirar o extrato da conta verificou que havia um depósito no valor de R$ 76 mil. Logo em seguida, a mesma funcionária ligou para a vítima solicitando que ele fizesse um depósito na conta poupança do suposto diretor financeiro da operadora para pagar as taxas e liberar o depósito. A vítima depositou o valor de R$ 1 mil. No entanto, mais tarde, recebeu outra ligação para dizer que o banco havia estornado o valor e que era para fazer um novo depósito em outra conta. Foi quando a vítima percebeu que havia caído em um golpe. A polícia investiga o caso.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: A voz da cidade

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site BrSafe.

Mulher é presa após fazer falsos depósitos em lotérica de Porto Velho

Sem Comentários

17/07/2012

Uma mulher de 47 anos foi presa na tarde desta segunda-feira (16), em uma casa lotérica de Porto Velho, por estelionato. A mulher, segundo a polícia, pediu para que a caixa da lotérica fizesse depósitos em algumas contas correntes, que totalizavam R$ 12 mil, e disse que passaria o dinheiro ao final da operação. Mas só depois que o valor foi transferido para as contas é que a mulher falou que não tinha dinheiro nenhum. Foram 11 depósitos em contas diferentes. Dez deles no valor de R$ 1 mil, e um no valor de R$ 2 mil. Terminados os depósitos a mulher aparentou nervosismo, a operadora de caixa pediu que a mulher entregasse a quantia de pouco mais de R$ 12 mil. Nervosa, ela disse que não tinha o dinheiro. Quando indagada sobre o fato a mulher relatou que vinha recebendo ligações havia uma semana, dizendo que ela foi sorteada em um determinado reality show e que para receber o prêmio deveria transferir as quantias determinadas, e que, após efetuar tais pagamentos ela e a casa lotérica receberiam toda a quantia de dinheiro do prêmio. De acordo com a Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio de Porto Velho, casos como esses de falsa promoção são comuns, mas poucos são registrados. Isso porque a maioria das pessoas identifica com facilidade a possível fraude. Para evitar cair em algum golpe de estelionato, a delegacia orienta para que dados pessoais não sejam passados por mensagens ou ligações telefônicas e para que se busque informações sobre a promoção informada por quem entrou em contato.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.