Chip adulterado: cartão de SP com limite de R$ 500 mil é apreendido em Curitiba

Sem Comentários

21/11/2017

A Delegacia de Estelionatos prendeu uma mulher que tentava aplicar um golpe que poderia lhe render R$ 500 mil. Conforme informações da Polícia Civil, a suspeita foi autuada em flagrante com um cartão de um empresário paulista, com o limite de R$ 500 mil, quando tentava cadastrar uma senha para usá-lo em uma agência no Centro de Curitiba na última sexta-feira (17). A informação foi divulgada pela polícia nesta terça-feira (21). Segundo a delegada adjunta da especializada, a desconfiança sobre a suspeita começou quando ela buscou ajuda de uma funcionária do banco para cadastrar a senha. Quando consultou o sistema do banco com os dados da mulher, a funcionária verificou que existiam 72 alertas de irregularidade em seu nome. Ela então segurou a ‘cliente’ no atendimento e acionou a polícia. Quando a equipe da Estelionatos chegou ao local, atestou que a identidade da mulher era falsa, apesar de alguns dados do documento serem verdadeiros. O cartão também era adulterado, já que os dados impressos eram da suspeita, mas o chip, que contém os dados bancários, era de outro cliente. A conta cadastrada estava em nome de um empresário paulista. A mulher foi levada para a delegacia e só com o início das investigações da especializada é que se descobriu que o golpe poderia render R$ 500 mil à suspeita, além de apontar que ela já teria passagens pela polícia por estelionato, no estado de São Paulo. Segundo a delegada, a suspeita relatou que teria acabado de chegar ao Paraná, oriunda do estado paulista, e que foi deixada no local para cadastrar a senha por um cúmplice. A Delegacia de Estelionatos segue com as investigações sobre o caso para determinar a identidade do cúmplice da tentativa de golpe e se a dupla não age há mais tempo no Paraná, contrariando o que foi declarado pela suspeita. Ela está presa e responderá pelos crimes de estelionato e porte e uso de documento falso.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Gazeta do Povo

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Foragido ‘se esconde’ com RG falso, mas acaba descoberto durante divergências em abordagem policial

Sem Comentários

24/10/2017

A Polícia Militar localizou nesta terça-feira (24), no Parque Alvorada, em Presidente Prudente, um homem de 37 anos, que havia fugido do sistema prisional em 2014, onde cumpria pena por homicídio. Ele utilizava um documento falso, que foi submetido à pesquisa e que apresentou divergências nos dados registrados. Uma equipe de Força Tática patrulhava pelo bairro quando se deparou com o indivíduo, que foi submetido à busca pessoal, mas nada de ilícito foi localizado. Durante a abordagem, os militares realizaram pesquisas com os dados do RG do suspeito e surgiram divergências entre o número e nome registrados. Diante da situação, o indivíduo foi conduzido à Delegacia Participativa da Polícia Civil, onde foi constatada a falsificação do documento com base no número do espelho. Foi levantado o nome verdadeiro do homem e foi descoberto que, desde 2014, ele estava foragido do sistema prisional de Sorocaba, onde cumpria pena por homicídio. O crime foi cometido em 2002 em Itapuí (SP), segundo a Polícia Militar. Desde a fuga, o homem vivia encoberto pela falsa identidade em Presidente Prudente. Pelo crime, o homem ainda precisa cumprir oito anos da pena que lhe foi imputada. Questionado, o indivíduo informou que adquiriu o RG na Praça da Sé, em São Paulo, pelo valor de R$ 200. Ele permaneceu preso e à disposição da Justiça.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

PF faz operação contra falsários que se passavam por delegados para aplicar golpes

Sem Comentários

03/10/2017

Foi realizada, na manhã desta terça-feira (03), pela Polícia Federal em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF), a segunda fase da Operação “Impostura”, que investiga a aplicação de golpes por falsários que se apresentavam como delegados da Polícia Federal. Foram cumpridos um mandado de condução coercitiva e um de busca e apreensão. H.Bitencourt, H.Lacerda, A.Cury e G.A.Hoffmann são alguns dos pseudônimos usados pelos criminosos que também se passavam por auditores fiscais e procuradores da República. Segundo a PF, a fraude rendeu ao grupo mais de R$ 1 milhão em contribuições para falsas revistas. A investigação iniciada em 2015, já havia comprovado o “recebimento de vantagens indevidas por pessoas que se passavam por auditores da Receita Federal, a fim de obterem patrocínios de empresários para suposta publicação de revista ligada ao órgão”. O principal articulador do esquema, à época, foi preso, processado e condenado a 8 anos de prisão. Apesar da prisão, o grupo criminoso se reestruturou e permaneceu aplicando o mesmo tipo de golpe: solicitação de valores para publicação de revistas vinculadas à Receita Federal, MPF e Polícia Federal. Ainda segundo a PF, alguns empresários, vítimas do golpe, confirmaram ter recebido diversas e insistentes ligações telefônicas de um suposto delegado federal para que contribuíssem com a revista denominada “O Federal em Atividade”. Além das ligações telefônicas, os criminosos encaminhavam e-mail com pedidos de contribuições diretamente aos empresários para participação em projetos e patrocínio em anúncios. Os investigados tiveram todos os bens bloqueados e responderão pelos crimes de estelionato, falsa identidade e uso indevido de sinal público.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Idosa é presa em flagrante por falsidade ideológica

Sem Comentários

22/09/2017

Na noite desta quinta-feira (21), na cidade de Arapiraca (AL), uma idosa foi presa em flagrante pelo uso de documento falso e corrupção ativa. A prisão foi realizada pelo 3º Batalhão de Polícia Militar (BPM) após serem notificados por um Banco, localizado no Centro, que uma mulher estava usando uma falsa identidade. Conforme informações do relatório da Polícia, E.M.P., de 65 anos e residente no estado de Pernambuco, estava na posse de um cartão de crédito, uma Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) e um CPF em nome de M.L.S. A gerência do Banco ao notar que era um golpe acionou a polícia. A mulher ainda tentou subornar os militares, oferecendo R$1.000 para ser liberada. Ela foi conduzida para a Delegacia Central de Polícia Civil de Arapiraca, onde foi autuado em flagrante por uso de documento falso e corrupção ativa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Cada Minuto

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem de 80 anos é flagrado tentando tirar RG falso

Sem Comentários

19/09/2017

Nessa segunda-feira (18), um homem de 80 anos foi preso em flagrante tentando obter um RG falsificado no Poupatempo de Bauru para fraudar a aposentadoria. P.S. tentava se passar por outra pessoa e acabou confessando o crime. Conforme o boletim de ocorrência (BO), o flagrante ocorreu por volta das 10h30. O acusado foi até o Poupatempo para buscar um RG que ele havia dado entrada no dia 29 de agosto. Na ocasião, ele apresentou certidão de nascimento e demais documentos no nome de L.F.L. e não fez a assinatura, alegando ser analfabeto. A documentação foi enviada para a Capital, onde, pelas impressões digitais, notou-se que já havia um RG com os dados coletados no nome de P.S., documento cadastrado em Rio Claro no final do ano passado. Também foram feitas consultas no Cartório de Registro Civil e descobriu-se que os dados informados pelo homem na certidão de nascimento não coincidiam com os dados de L.F.L. Nessa segunda (18), enfim, o solicitante compareceu ao Posto do Poupatempo de Bauru para retirar o documento. Questionado sobre as divergências, ele negou tudo e confirmou que era L.F.L. O policial civil do Poupatempo foi acionado e o suspeito foi conduzido à Central de Polícia Judiciária (CPJ), onde, finalmente, confessou a tentativa de golpe. Disse que seu nome verdadeiro era P.S. e que nem sequer conhecia L. Revelou também, segundo o BO, que, com o RG falso, iria buscar uma aposentadoria fraudada junto ao INSS. Como o crime de falsa identidade é inafiançável, ele foi preso em flagrante.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: JCNET

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

PRF prende homem que se passava por policial federal em Pato Branco

Sem Comentários

06/09/2017

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu em flagrante na noite de terça-feira (05), em Pato Branco, no sudoeste do Paraná, um homem de 37 anos que se passava por policial federal, após receber denúncias. Ele estava no terminal rodoviário da cidade, nas imediações da BR-158. Segundo a PRF, no momento da abordagem o homem estava vestido com uma camiseta da Polícia Federal (PF) por baixo de uma jaqueta. Ele também portava uma carteira com o brasão da República e a inscrição “Ministério da Justiça”, além de uma identidade funcional falsa da área de comunicação da PF, informou a polícia. O homem, que se dizia estagiário da Polícia Federal, carregava uma mochila que continha outra camiseta da PF, uma pistola de airsoft (arma de pressão com munições plásticas), três cilindros de gás carbônico e uma caixa de lâminas de bisturis. O homem tinha dois mandados de prisão expedidos contra ele pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. Ele foi encaminhado para a delegacia de Pato Branco e, segundo a polícia, responderá pelos crimes de usurpação da função pública, uso de documento falso, falsa identidade e contrabando.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é preso suspeito de se passar por policial militar, em Ananindeua

Sem Comentários

26/07/2017

Em Ananindeua (PA), a Polícia prendeu um homem suspeito de se passar por policial militar no conjunto Paar. Conforme informações divulgadas nesta quarta-feira (26), a Polícia Civil apreendeu um fardamento da Polícia Militar, incluindo coturno, calça, camisa e boné; carteiras falsificadas; um revólver calibre 38 de cano longo; e dois simulacros de armas de fogo. Ele foi preso na residência que morava, onde os objetos apreendidos foram encontrados. O material foi encaminhado para perícia. O suspeito foi levado para a Seccional do Paar, e deve responder pelos crimes de falsidade ideológica, falsa identidade, uso de documento falso e porte ilegal de arma de fogo. Conforme o delegado responsável, o suspeito confessou que se identificava como PM para conseguir trabalhos como segurança. No depoimento, o preso preferiu não dizer como conseguiu o fardamento, a arma e as carteiras com medo de sofrer represálias.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior