PF desarticula quadrilha de grande fraudador da história do INSS

Sem Comentários

09/10/2019

A Polícia Federal e a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia deflagraram nesta quarta, 9, a Operação Caduceu, para desarticular um grupo que fraudou pelo menos 140 benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) causando prejuízo estimado superior a R$ 7 milhões.  Segundo a PF, o grupo era liderado por “um dos maiores fraudadores da história do INSS”, na área de benefícios. Ele já responde a diversos processos penais e dezenas de inquéritos policiais por fraudes à autarquia, destacou a PF. A corporação tem registros da ‘conduta criminosa’ do estelionatário desde a década de 1980. O grupo agia nos Estados da Bahia, Sergipe, Alagoas e Pernambuco. A Polícia Federal indicou que os investigados podem responder pelos crimes de participação em organização criminosa, estelionato previdenciário, uso de documento falso, falsidade ideológica e falsificação de documento público. Somadas, as penas ultrapassam 30 anos de prisão, informou a PF.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Jornaldebrasilia

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Quatro são presos pela Polícia Civil por comprar veículos com documento falsificado em Goiás

Sem Comentários

25/09/2019

A Polícia Civil do Estado de Goiás, desencadeou, na última sexta-feira (20), uma operação que possibilitou a recuperação de um veículo automotor e outros objetos adquiridos com uso de documento falso. Além disso, a Polícia Civil impediu que outros dois veículos todos zero quilômetro, adquiridos da mesma forma, fossem entregues aos estelionatários e receptadores. As investigações começaram quando uma mulher do Distrito Federal entrou em contato com os policiais e informou que uma pessoa estaria se passando por ela na cidade de Goiânia e usando seus dados pessoais para comprar uma motocicleta. Os golpistas já tinham comprado um carro, veículo que estava em circulação no seu nome. Com esses dados, as equipes foram a campo e conseguiram prender em flagrante quatro pessoas, sendo dois por crime de estelionato e outros dois por receptação. Um homem e uma mulher foram autuados em flagrante, recolhidos e colocados à disposição da Justiça e responderão por estelionatos consumados e tentados e uso de documento falso. Já outros dois homens foram autuados em flagrante pelo crime de receptação. Após pagamento de fiança foram soltos e responderão em liberdade.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: PCGO

O BrSafe é a ferramenta ideal para evitar esse tipo de fraude. Clique e conheça:

PCDF deflagra Operação Alicantina e prende sete Estelionatários

Sem Comentários

25/09/2019

A Polícia Civil do DF, deflagrou, na manhã dessa terça-feira (24), a Operação Alicantina. A ação teve o objetivo de desmantelar uma organização criminosa especializada em praticar crimes de invasão de dispositivo informático, falsidade ideológica, falsificação de documentos, uso de documento falso, receptação e estelionato. Sete pessoas foram presas em cumprimento a mandados de prisões temporárias. Os alvos principais do grupo são servidores públicos que não têm restrições no CPF e recebem um bom salário. Foram cerca de 50 vítimas que trabalham em vários órgãos. “O bando fabricava documentos em nomes das vítimas (RG, contraqueches, comprovantes de residência), obtinha CNHs materialmente verdadeiras, mas com conteúdo falso (fotografia do fraudador) e com os papéis adulterados”, explica o coordenador. O grupo invadia contas de e-mail e de outros sistemas informáticos, celebrava contrato de locação de imóvel, contratava planos de telefonia móvel, abria conta corrente em bancos e solicitava cartões de crédito, contraía empréstimos pessoais, além de realizar outras transações financeiras. As investigações sobre a atuação do bando foram iniciadas em janeiro de 2019. O prejuízo estimado ultrapassa R$ 1 milhão.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: PCDF

O BrSafe é a ferramenta ideal para evitar esse tipo de fraude. Clique e conheça:

Mulher detida em operação da PF contra fraudes no INSS na Bahia já tinha sido presa 4 vezes em 2018

Sem Comentários

20/09/2019

Uma mulher que está entre os presos na Operação Lama Preta, deflagrada nesta quinta-feira (19), na Bahia, contra fraudes no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), já tinha sido detida outras quatro vezes em 2018, segundo informações divulgadas pela Polícia Federal (PF). O grupo era investigado há 3 anos e a suspeita é de que mais de 100 benefícios tenham sido falsificados. O prejuízo aos cofres públicos passam dos R$ 4 milhões. “Conseguimos desbaratar esse grupo criminoso, que é formado em sua maioria por estelionatários com amplas passagens policiais”, disse o delegado da PF. Segundo a PF, idosos e deficientes eram usados como “dublês” pelo grupo. Eles usavam nomes, fotos e documentos falsos e se apresentavam nas agências do INSS para obter benefícios da instituição. Pela participação no esquema, eles levavam uma parte do dinheiro. A suspeita foi surpreendida pelos policiais, no início da manhã juntamente com o marido, na cidade de Camaçari. Além do casal, segundo a PF, outras sete pessoas foram detidas nesta quinta. Entre eles um empresário de Vilas do Atlântico, área de classe média alta em Lauro de Freitas, região metropolitana de Salvador. De acordo com a PF, ele era responsável pela falsificação e produção dos documentos usados na fraude. Idosos e deficientes físicos que colocavam o esquema em prática também foram detidos. Outros três suspeitos seguem foragidos. Todos estão com mandados de prisão preventiva. Além da fraude em benefícios, conforme a PF, os envolvidos também usavam os documentos falsos para fraudar compras em lojas e financiamento de carros. Durante a operação, que também cumpriu 11 mandados de busca e apreensão, a Polícia Federal apreendeu fotos 3×4, cartões de crédito e documentos falsos usados pelo grupo. A corporação destacou que não foram identificadas participações de funcionários do INSS no esquema.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Acusado de estelionato tinha vida de luxo com golpes que chegam a R$ 2 mi

Sem Comentários

18/09/2019

Jeito sedutor, palavras bem escolhidas e uma vida de luxo. Era assim que o golpista, de 39 anos, se apresentava para as vítimas. Confiante, o homem acusado de estelionato relatava ser dono de uma empresa especializada em gestão financeira. Seis mulheres e um homem acabaram caindo na lábia do suspeito, dando altos valores para investimento em um falso fundo nos Estados Unidos. Os golpes somam mais de R$ 2 milhões. Até a manhã de terça-feira (17/9), três vítimas haviam prestado depoimento na Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Ordem Tributária e a Fraudes (Corf). Uma quarta pessoa é esperada para formalizar depoimento, assim como a mãe do acusado, que é suspeita de auxiliar nos golpes. No Imposto de Renda deste ano, o suspeito declarou um patrimônio de R$ 1,2 milhão. De acordo com o delegado, o acusado criava contratos com as vítimas e usava-os para prestar contas ao Leão. “Ele legalizou todo o dinheiro obtido por meio de golpe para não cair na malha fina e gerar desconfiança”, detalha. “Apuramos que os golpes ocorrem desde 2011. Estamos em fase de investigação, além de as vítimas também estarem vindo à delegacia. Assim, identificamos como o acusado agiu com cada pessoa e quanto cada uma perdeu”, conclui o delegado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: CORREIO BRAZILIENSE

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia prende grupo que aplicou golpe em 55 mil brasileiros usando criptomoedas

Sem Comentários

18/09/2019

A Polícia Federal e a Receita Federal desmantelaram nesta semana um suposto golpe praticado por uma empresa sediada em Novo Hamburgo (RS), que prometia lucros de 15% no mercado de criptomoedas e captava dinheiro dos interessados sem autorização. De acordo com as autoridades, 55 mil brasileiros teriam investido no negócio, com um valor acumulado de, pelo menos, R$ 850 milhões obtidos até fevereiro, um montante que já pode ser maior que R$ 1 bilhão, segundo as autoridades. A ideia era apetitosa. De acordo com a PF, cujas investigações começaram em janeiro, a promessa era que os lucros viriam já no primeiro mês de investimento, com resultados muito mais altos até mesmo que os obtidos no mercado de criptomoedas. Entretanto, não foi encontrado nenhum indício de que moedas virtuais efetivamente tenham sido adquiridas; em vez disso, os cinco sócios da empresa, sendo dois casais e um quinto homem, sacavam o dinheiro ou o redirecionavam a aplicações de renda fixa, com rentabilidade muito menor que a prometida aos clientes. A prática teria sido iniciada em fevereiro de 2018, com 80% dos investidores fraudados depositando quantias de até R$ 20 mil. O dinheiro foi repassado a partir de agências bancárias em 823 cidades brasileiras para três contas em nome da empresa, de onde, na sequência, eram direcionados para as aplicações sob controle dos sócios ou, então, para as despesas pessoais deles.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: CANALTECH

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia Civil prende em Goiás mulher que usou documento falso para tentar sacar benefício do INSS

Sem Comentários

11/09/2019

Em investigação a estelionatos ocorridos em Jaraguá, os policiais civis da Delegacia de Polícia da cidade, após troca de informações, passaram a monitorar ontem (10) uma mulher em atitude suspeita. Ela estava dentro de uma agência bancária e, munida de Carteira de Identidade e Carteira de Trabalho falsas, chegou a conseguir a ordem de pagamento de R$ 4 mil emitida pelo banco. Porém, quando foi pegar o dinheiro, foi dada voz de prisão a ela. A mulher tentava, com o documento falso, sacar pagamento referente ao auxílio doença. A suspeita se passava por outra pessoa. Mas após diligências, os policiais civis descobriram seu verdadeiro nome. Na delegacia ela confessou o crime e foi autuada em flagrante pelos delitos de uso de documento falso e tentativa de estelionato. A acusada veio da cidade de Pirenópolis(GO) somente para aplicar o golpe em Jaraguá (GO). Agora, está no presídio à disposição da Justiça.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: FOLHAGO

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior Próximo