Com tornozeleira, estelionatário é preso tentando comprar com documento falso

Sem Comentários

11/02/2019

Um homem, de 41 anos, que estava sendo monitorado por tornozeleira eletrônica, foi preso em flagrante por estelionato. Ele tentou comprar um carro usando documento falso. O caso aconteceu na última sexta-feira (08), mas foi divulgado nesta manhã (11) pela Polícia Civil. Policiais da Delegacia Especializada de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (Defurv), foram acionados pelo proprietário de uma garagem de veículo, localizada na Avenida Manoel da Costa Lima. Um cliente havia tentando financiar veículo com documento falso. Ao analisar a documentação, o banco financiador constatou que os dados não coincidiam. Os investigadores, então, orientaram o garagista a combinar a entrega do veículo ao cliente no dia 08 de fevereiro, ocasião em que os policiais, disfarçados de clientes da garagem, aguardaram o momento em que o suspeito apresentou a RG com outro nome, porém com sua fotografia, além de uma conta de água que também era falsificada. O sujeito foi autuado em flagrante por estelionato na forma tentada, uso de documento falso e associação criminosa. Outros integrantes da associação, como a mulher que intermediou a negociação entre a garagem e o suspeito, e o homem que repassou os documentos falsificados para ele, já foram identificados e estão sendo procurados.

Golpe com cheques sem fundo e furtados faz dezenas de vítimas no Sul do ES

Sem Comentários

11/02/2019

Um estelionatário está usando cheques sem fundo e também furtados para aplicar golpes em cidades da região Sul do Espírito Santo. A ação foi denunciada por quatro vítimas nesta segunda-feira (11), que registraram queixa na delegacia de Cachoeiro de Itapemirim. A suspeita da polícia é que mais de 40 pessoas já tenham sido lesadas. Até o momento ninguém foi preso. Conforme a Polícia Civil, o crime conhecido como “envelope vazio” é realizado com comprovantes de depósitos falsos. O uso de cheques dificulta que a vítima perceba que trata-se de um golpe, uma vez que o valor aparece no comprovante de depósito enviado pelo criminoso para a vítima antes do banco avisar que não havia fundos para a transação. Uma dona de casa, que estava vendendo uma moto em Cachoeiro de Itapemirim, foi vítima do golpe na semana passada. Ela foi enganada pelo homem, que se apresentou como empresário e entregou um cheque sem fundo na compra do veículo. A vítima entregou a moto e só percebeu o golpe quando foi olhar a conta, que não possuía o dinheiro da transação. “Depositei o cheque de R$ 5 mil que ele me deu e fiquei aguardando o dinheiro entrar. Nisso, ele me ligou dizendo que havia feito o depósito, mas pegou e depositou um envelope vazio e me enviou o comprovante. Fiquei esperando o dinheiro cair na conta e nada. Foi quando tirei o extrato e trouxe aqui na delegacia. Fui informada que o cheque estava bloqueado por ser roubado”, explicou. O homem que vem aplicando golpes na região foi identificado pela Polícia Civil. Ele também é suspeito de aplicar outros golpes, como a compra de uma lancha no valor de R$ 15 mil e de um carro. “Mais de 40 pessoas já caíram no golpe somente aqui na nossa região, em Cachoeiro de Itapemirim, Itapemirim e Barra”, disse a dona de casa, que diz que a partir de agora ficará mais atenta ao fazer anúncios de produtos na internet. A Polícia Civil informou que segue investigando o caso. Até a publicação da reportagem o criminoso ainda não havia sido preso.

Empresário suspeito de estelionato no Piauí é preso em Manaus

Sem Comentários

11/02/2019

A Secretaria de Segurança Pública do Piauí através da  Polícia Civil de Esperantina comunicou que no início da tarde desta segunda-feira (11) foi dado cumprimento ao mandado de prisão preventiva em desfavor de L.A.S., pelo crime de estelionato. No ano de 2015 centenas de vítimas registraram boletins de ocorrência noticiando serem vítimas do crime de estelionato em modalidade conhecida como compra premiada. L.A.S. era o proprietário de uma empresa de prêmios utilizada para aplicar as fraudes. Desde o início das investigações ele encontrava-se foragido da comarca de Esperantina. O prejuízo causado as vítimas é milionário. O  inquérito já foi relatado e enviado  à justiça local em janeiro de 2019. O suspeito foi preso em Manaus pela 17° DIP  da Polícia Civil do Amazonas em uma operação que contou com o apoio do Laboratório de inteligência cibernética do Ministério da Justiça .

Funcionária de banco impede que mulher de Mogi caia no golpe do conserto do carro

Sem Comentários

08/02/2019

Uma funcionária de um banco impediu que uma mulher de 57 anos tivesse um prejuízo de R$ 1.450. A mulher que mora em Mogi das Cruzes foi vítima do golpe do conserto do carro. O caso foi registrado como estelionato nesta quinta-feira (07) no 1º Distrito Policial. A mulher contou que recebeu uma ligação de um homem que se identificou como um primo. Ele disse que estava com o carro quebrado perto de Atibaia e precisava de dinheiro para o conserto. Em seguida, ela falou com um homem que se identificou como o socorrista do veículo. Ele passou o número da conta que ela deveria depositar o dinheiro para o conserto do carro. A vítima foi ao banco e fez um depósito de R$ 1.450 na conta indicada. Mas ao conversar com uma funcionária da agência, constatou que se tratava de um golpe e o dinheiro foi bloqueado pelo sistema do banco. Ela disse que aguarda o estorno do valor pelo sistema bancário.

Estelionato virtual aparece em 1º lugar no ranking dos crimes praticados na internet no TO

Sem Comentários

10/02/2019

Em Tocantins, o estelionato virtual apareceu em primeiro lugar no ranking dos crimes praticados na internet em 2018. De acordo com a Polícia Civil, foram registradas 223 ocorrências. O furto qualificado com abuso de confiança também está na lista, com 67 casos. E em terceiro, os crimes contra a honra, como injúria e difamação, com 58 ocorrências. Conforme a delegada especializada em crimes cibernéticos, os criminosos mudaram a maneira de agir e veem na internet um meio fácil para praticar crimes. “O que percebemos hoje é que há uma renovação no modo de agir. Crimes que anteriormente eram praticados de modo mais tradicional, hoje encontra facilidades no ambiente virtual. Isso não só encoraja como provoca um certo aumento, não de crimes virtuais, mas da mudança do modus operandi daquele crime”. O estelionato virtual é praticado muitas vezes por hackers, pessoas que têm um vasto conhecimento na área de informática. Em alguns casos, eles usam vírus ou clonagem de sites. O objetivo é fazer com que o usuário acesse a página. Nesse momento, os criminosos passam a ter acesso a dados, como por exemplo, de contas bancárias. Desde 2017, o Tocantins conta uma delegacia especializada em crimes cibernéticos.

Primas tentam recolher dinheiro e cartelas de loteria, em Junqueirópolis, e são presas por estelionato

Sem Comentários

10/02/2019

Neste domingo (10), a Polícia Civil de Junqueirópolis informou que prendeu duas mulheres por estelionato. Segundo informações da polícia, elas estavam efetuando o recolhimento de cartelas e de dinheiro proveniente da venda dos bilhetes do SP Cap – uma espécie de loteria, que sorteia prêmios em Presidente Prudente e região. De acordo com a polícia, as mulheres foram até um revendedor em Junqueirópolis e disseram estar lá para recolhimento das cartelas e o dinheiro arrecadado com as vendas. Foram entregues às golpistas 470 canhotos preenchidos pelos compradores e R$ 8,5 mil em dinheiro. A Polícia Civil investigou o caso e conseguiu identificar as autoras do estelionato. As idades delas não foram divulgadas. Uma delas mora em Ouro Verde. A outra, em Junqueirópolis. As presas são primas e, à polícia, acabaram confessando a fraude. O SP Cap informou que, apesar do ocorrido, as cartelas foram para os sorteios. As duas foram ouvidas e liberadas.

Mulher é presa com documentos falsos ao tentar realizar saque em agência bancária no Acre

Sem Comentários

07/02/2019

Na manhã desta quarta-feira (06) em Rio Branco, a Polícia prendeu F.F.C., de 60 anos, por crime de estelionato. Ela foi flagrada usando um documento de identidade falso em nome de outra pessoa e tentava efetuar saques em uma agência bancária do município. A suspeita agia em em dupla com outra mulher, que fugiu do local. As duas já haviam efetuado saques no valor de R$ 5 mil e R$ 7 mil, respectivamente, na terça (05), utilizando documentos e cartões de outras pessoas. F.F. apresentava documento de identidade com fotografia própria e o nome de outra pessoa. Da mesma forma foram apresentados os cartões de crédito correspondendo ao nome dos documentos de identidade. A mulher foi levada para a Delegacia de Flagrantes (Defla) para prestar esclarecimentos.

Anterior Próximo