Estelionatário é preso por causar prejuízo de R$ 15 milhões ao Estado

Sem Comentários

08/04/2019

Um homem foi preso suspeito de utilizar documentos falsos para abrir empresas com o objetivo de vender notas fiscais. De acordo com as investigações da Polícia Civil, pelo menos seis CPFs foram utilizados para a ação criminosa. Em um dos documentos falsos, existe um débito de mais de R$ 15 milhões com a receita estadual. A prisão foi realizada no domingo (07) pela Delegacia de Crimes Contra Ordem Tributária, em João Pessoa. A polícia acredita que o prejuízo causado aos cofres do Estado sejam superior a R$ 30 milhões. As dívidas feitas ao Estado não poderão ser cobradas, pois as empresas estão em nome de pessoas que não existem. O sujeito será processado pelo crime de estelionato e está detido na Central de Polícia. Ele será apresentado à Justiça na manhã desta segunda-feira (08), onde passará por audiência de custódia.

Polícia prende quatro por estelionato contra idosos no Distrito Federal

Sem Comentários

08/04/2019

Policiais da 9ª Delegacia de Polícia (Lago Norte) prenderam em flagrante quatro homens acusados de aplicar golpes em idosos por meio de fraude bancária. O grupo seria de São Paulo, mas viam para a capital para praticar o crime. Na delegacia, eles teriam confessado as ações, detalhando que abordavam as vítimas idosas por serem mais “propícias” a confiarem na palavra de desconhecidos. Segundo o delegado responsável, os suspeitos teriam vindo para Brasília três vezes neste ano. Na última, na tarde de domingo (07), acabaram presos em uma agência do Lago Norte. Antes, eles tinham agido em Taguatinga e na Asa Sul. “Eles escolhiam uma determinada agência bancária, onde instalavam chupa-cabra, pedaços de garrafa pet ou fita isolante para reter os cartões das vítimas, colavam adesivos com número falso da central de atendimento da instituição bancária e, após isso, aguardavam a chegada das vítimas”, destaca. Uma das vítimas, após ter o cartão retido na máquina, foi induzida por um dos criminosos a ligar em uma central de atendimento falsa. Desse modo, o grupo adquiriu a senha do idoso. Com os dados, os criminosos faziam compras. “A suspeita é de que pelo menos 20 pessoas foram vítimas dos golpes praticados, e que outras 10 pessoas fazem parte dessa organização criminosa. Todos são de São Paulo”, explica o delegado.

Os agentes monitoraram o grupo por dois meses. Como eles são da região Sudeste, foi necessário acompanhar a agência para poder identificar as ações dos suspeitos, que vinham para a capital apenas para realizarem o golpe. No domingo, policiais identificaram os acusados no interior de uma agência bancária do Lago Norte. Depois da primeira parte do golpe, os homens entraram em  um Sportage prata e seguiu para o estacionamento do Deck Norte. Ali, os estelionatários foram abordados e presos em flagrante. Eles têm 39, 34, 32 e 33 anos. Foram apreendidas diversas máquinas de cartão de crédito; cartões bancários; dinheiro; adesivos falsos com a logomarca de um banco nacional e dispositivos utilizados para reter cartões de crédito. As investigações agora continuam para identificar outros envolvidos no esquema fraudulento e, ainda, os beneficiários das máquinas de cartões de crédito apreendidas com o grupo criminoso. Eles vão responder pelos crimes de organização criminosa, além de dois estelionatos tentados contra idosos. Após as medidas legais, os envolvidos foram recolhidos à carceragem da Polícia Civil do Distrito Federal.

Suspeito de aplicar golpes em pescadores é preso em Londrina

Sem Comentários

08/04/2019

Um homem foi preso em Londrina, no norte do Paraná, suspeito de ficar com dinheiro de viagens contratadas por um grupo que tinha planejado pescar na Argentina. A prisão ocorreu nesta segunda-feira (08). Em outubro de 2018, o grupo denunciou o caso. A viagem foi contratada, tudo foi planejado, mas quando os pescadores chegaram no país vizinho, descobriram que o hotel não estava pago. O dinheiro repassado ao responsável pela organização da viagem, desapareceu. Na época, o grupo registrou um Boletim de Ocorrência por estelionato. Segundo as investigações, o prejuízo pode ultrapassar R$ 150 mil. Ao todo, 50 pessoas podem ter sido vítimas do suspeito.

Suspeito de estelionato é preso após se passar por empresário para tentar furtar contêineres

Sem Comentários

05/04/2019

Um homem de 52 anos foi preso suspeito de tentar roubar quatro contêineres na Zona Oeste de Manaus. Segundo a Polícia Civil, o crime ocorreu em janeiro deste ano e a prisão só foi efetuada nesta quinta-feira (04). A equipe de investigação do 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), cumpriu mandado de prisão preventiva por estelionato no nome do sujeito. Ele é investigado por se passar por um empresário para se apoderar de bens pertencentes a terceiros. A prisão foi efetuada em um flutuante localizado na estrada da Praia Dourada, bairro Tarumã, zona oeste da capital. No dia 23 de janeiro deste ano, o suspeito, junto com um companheiro que já foi preso, se passou por empresários, fazendo uso de nomes falsos, para obter, de forma ilícita, quatro contêineres que estavam guardados em uma propriedade particular na estrada da Praia Dourada. “O proprietário do local, um homem de 47 anos, chegou no momento em que os funcionários da empresa de transportes estavam fazendo a retirada dos contêineres. Quando percebeu que se tratava de um golpe, imediatamente acionou a equipe do 19º DIP. No entanto, a dupla empreendeu fuga sem levar os contêineres. Durante as investigações, descobrimos a localização do suspeito e logramos êxito na prisão dele. As buscas continuaram até prendermos o outro homem”, explicou o delegado. O suspeito foi indiciado por estelionato.

Mulher é presa duas vezes por suspeita de estelionato na venda do mesmo apartamento

Sem Comentários

04/04/2019

Uma mulher de 34 anos foi presa na quarta-feira (3) suspeita de estelionato. Segundo a polícia, é a segunda vez que ela é presa por tentar vender o mesmo apartamento em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), de forma irregular. De acordo com a Polícia Civil do Paraná, ela já havia sido presa em 21 de fevereiro, quando tentava negociar apartamentos de um conjunto habitacional em Pinhais, também na RMC. Desta vez, a mulher foi presa quando tentava vender para um advogado um dos mesmos apartamentos. A vítima já havia feito um depósito de R$ 500 mas achou estranho a forma como a negociação estava sendo conduzida pela suspeita e procurou a polícia. O valor de mercado do imóvel é de aproximadamente R$ 160 mil e no anúncio ofertado por ela saía no valor de R$ 70 mil. Nas duas situações ela se intitulava proprietária e engenheira responsável pelas construções, mas o objetivo era lesar os compradores.

Prisão anterior

A primeira prisão dela ocorreu depois que uma construtora de Pinhais, na RMC, viu anúncios de vendas na internet e fez a denúncia, alegando que a suspeita não tinha autorização para isso. A polícia entrou em contato com a suspeita e marcou um horário para atendimento na casa dela, um condomínio de luxo, em Pinhais. A mulher foi presa em flagrante pelo crime de estelionato e, junto com ela, havia documentos referentes à compra e à venda de imóveis da construtora. Ela disse, em interrogatório, que praticou esse golpe porque já trabalhou na construtora e que eles deviam para ela. Afirmou, ainda, que o fez para compensar o prejuízo que teve. A suspeita se intitulava proprietária de pelo menos seis imóveis, além de se passar por engenheira civil.

Empresária sofre prejuízo de R$ 385 após cair em golpe

Sem Comentários

04/04/2019

Uma empresária de São Carlos sofreu um prejuízo de R$ 385 após cair em um golpe. O caso foi registrado no 1° Distrito Policial e será apurado. Segundo o Boletim de Ocorrência (BO), no dia 14 de fevereiro desse ano, a mulher recebeu uma ligação de uma suposta funcionária da 1° Vara Civil de São Paulo informando que ela estava sendo ‘protestada’ por uma empresa. O motivo seria o não pagamento de uma dívida. Na sequência, a funcionária passou o contato da empresa e orientou a empresária a pagar a dívida. A mulher ligou na empresa e realizou a transferência. No entanto, na terça-feira (02) recebeu novamente uma ligação da 1° Vara Civil de São Paulo falando sobre a mesma dívida. A empresária, que afirmou nunca ter comprado nada na empresa, desconfiou estar sendo vítima de estelionato e resolveu procurar a Polícia Civil.

Polícia Federal prende quadrilha que clonava cartões em Caraguatatuba

Sem Comentários

04/04/2019

Na manhã desta quinta-feira (04), uma quadrilha suspeita de estelionato que agia nos bairros Camaroeiro e Ipiranguinha, em Caraguatatuba, foi detida por agentes da Polícia Federal (PF) durante a Operação Easy Card. O grupo é acusado de clonagens de cartões bancários que eram enviados pelos Correios. Foram quatro pessoas presas em cumprimento de mandados de prisões preventiva e temporárias. E.S.P., de 66 anos, A.F.S., de 36, L.A.S, 33 anos, e A.F.S.R., de 29. Dois ficaram detidos e dois foram liberados após prestarem depoimentos. Também foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão. A Polícia Militar auxiliou nas ações. Os acusados foram encaminhados para a sede da PF em São Sebastião. Segundo informações da PF, as investigações tiveram início após denúncia dos Correios, que indicaram os crimes de corrupção ativa, de estelionato contra as instituições financeiras, (os integrantes do grupo receberam inúmeros cartões bancários em nome de pessoas diversas), associação criminosa e falsa identidade (o grupo usava a identidade de clientes dos bancos, entre outros crimes a serem apurados). As diligências são importantes para localização de documentos relacionados com as fraudes bancárias perpetradas pelo grupo, “notadamente cartões bancários em nome de terceiras pessoas, comprovantes de compras e gastos diversos com cartões bancários, relações de nomes e contatos que sejam empregados de instituições bancárias ou de fabricantes de cartões, falsificações de documentos de identificação pessoais, máquinas para facilitar tais práticas e outros”.

Anterior Próximo