INSS alerta para novo golpe do recadastro

Sem Comentários

09/04/2014

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) faz um alerta sobre mais um golpe na praça. Dessa vez o pretexto  seria o recadastramento de dados, que deveria ser feito mediante o pagamento de uma tarifa. O INSS já vinha investigando o caso, quando foi procurado por um pensionista de Santo André, na Grande São Paulo. Ele recebeu uma carta em casa, contendo os seus dados e cobrando uma taxa de R$ 517,15. Por sorte, o segurado desconfiou da medida, procurou uma agência da Previdência e foi informado que quase caiu em um golpe. Porém, correspondências semelhantes a essa também estão sendo enviadas no Rio de Janeiro. O INSS não soube dizer quantas cartas foram postadas, nem quantas reclamações foram registradas. “Os aposentados têm de ficar atentos, porque o INSS não envia cartas com cobranças para ninguém”, diz o diretor do Sindicato Nacional dos Aposentados. Além do mais, essa é uma grande dica para evitar ser vítima de fraude, diz um advogado. “O INSS não cobra taxas para prestar serviços. Essa é uma regra de proteção. Se alguém receber cobrança, esqueça: é golpe”. Dessa vez, os impostores enviam para a casa das pessoas um boleto com uma suposta taxa administrativa. E ameaçam o segurado com a suspensão do benefício, em caso de não pagamento da fatura. Tanto a ameaça quanto o documento são falsos. A carta tinha como remetente a Empresa de Processamento de Dados da Previdência (Dataprev), órgão responsável pelo gerenciamento dos dados da entidade. “Os criminosos usam os símbolos oficiais para tentar dar veracidade à medida. E erros de português são comuns nesses casos. É outro indício de golpe, porque o Governo não escreveria errado”, acrescenta o advogado. O falso documento ainda tinha informações do extrato do pensionista. Nele, havia dados como número do benefício, data de nascimento, nome, CPF e o banco no qual o segurado recebe o benefício. Isso trouxe ainda mais preocupações, pois mostra que os estelionatários tiveram acesso às informações do segurado. “Como eles têm os dados certinhos do segurado? O sistema é falho e alguém está permitindo a saída dessas coisas”, reclama o diretor do Sindicato Nacional dos Aposentados. O INSS informou que o setor de inteligência da autarquia investiga o caso. Já a Dataprev esclarece que não envia pedidos de atualização de dados, nem cartas ou e-mail para segurados. Mas não responde a respeito das reclamações de vazamento de dados do seu sistema.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: A Tribuna

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Comerciante recebe informação de dívida e quase cai em golpe em Paiva

Sem Comentários

04/04/2014

Um homem, dono de uma farmácia em Paiva, na Zona da Mata, quase caiu em um golpe por telefone nesta quinta-feira (3). Segundo o Boletim de Ocorrência (BO), o comerciante de 39 anos contou que recebeu uma ligação de um homem que se apresentou como funcionário da ouvidoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Ele informou que estava pendente uma autuação de R$ 12 mil que, se não fosse regularizada, a farmácia seria interditada por 90 dias. O comerciante foi orientado a fazer dois depósitos de R$ 1 mil em duas contas diferentes. Após fazer o pagamento, a vítima percebeu que era um golpe e conseguiu bloquear o repasse e receber o valor de volta. A Polícia Militar (PM) destaca que em caso deste tipo de abordagem, a orientação é solicitar a identificação do funcionário e antes de atender ao pedido, entrar em contato com a empresa ou setor para conferir se é mesmo um serviço oficial.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem que aplicava golpes ao comprar carros é detido na BR-470

Sem Comentários

01/04/2014

Foi preso na madrugada de terça-feira (01) em Blumenau, no Vale do Itajaí, um homem que aplicava golpes ao comprar carros. O golpista de 30 anos confessou para a polícia que comprava carros e depositava envelopes vazios em caixas eletrônicos como pagamento. Segundo a Polícia Rodoviária (PRF), ele possui 48 passagens pela polícia. Conforme a PRF, os agentes faziam uma fiscalização de rotina no km 53 da BR-470, por volta da 0h30. Ao abordar um Vectra, os policiais rodoviários desconfiaram do  comportamento do condutor. O motorista disse que o veículo era de um tio e que havia pegado emprestado para visitar a filha em Rio dos Cedros, no Vale do Itajaí. Em consulta ao sistema, os policiais rodoviários constataram que o suspeito possui 48 passagens por diversos crimes, incluindo estelionato, receptação, apropriação indébita, falsificação e furto. Segundo a PRF, o dono do Vectra negou ser tio do homem e informou que havia vendido o carro para ele. O suspeito confessou aos policiais que adquiria veículos por meio de golpes. Ele comprava o carro e depositava na conta do vendedor, através de caixas eletrônicos, envelopes de cheques vazios. Assim, o golpista declarava o valor, mas não colocava o cheque no envelope. O sujeito apresentava o comprovante de depósito aos vendedores e depois fugia com o veículo. Os carros adquiridos por ele eram desmontados e clonados. Para a polícia, o homem confessou que já havia entregue mais de 30 carros ao dono de uma boate, às margens da BR-470, todos adquiridos por meio do golpe. Em ação conjunta entre a Polícia Militar e a PRF, os policiais foram a paisana no local combinado para a entrega do veículo e detiveram também o homem no momento em que entregava R$ 1,5 mil ao condutor do Vectra. Os dois homens envolvidos com o golpe foram levados ainda de madrugada para a central de Polícia de Blumenau. A equipe de investigação da Polícia Civil informou que o segundo homem preso tinha sido liberado por falta de provas. Até as 11h15 a equipe de serviços da Central de Polícia de Blumenau não tinha informações  sobre a prisão do homem que aplicava golpes, mas ele não estava preso na Central. De acordo com a PRF, o Vectra foi liberado ao proprietário na manhã da terça-feira.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem furta cartão do ex-chefe e saca quase R$ 7 mil, diz polícia

Sem Comentários

02/04/2013

Um homem de 30 anos de idade foi levado para a delegacia, no oeste do Paraná, suspeito de sacar quase R$ 7 mil com um cartão de banco que ele havia furtado do ex-chefe. Segundo a polícia, o homem admitiu ter ficado com o cartão e a senha enquanto trabalhava de segurança em uma farmácia no Jardim Itália, na zona leste da cidade. “Ele pediu demissão da empresa e passou a fazer várias retiradas entre os meses de janeiro e fevereiro”, disse o delegado Edgar Dias Santana. Os saques totalizaram R$ 6,8 mil .A identificação do ex-segurança foi possível depois das investigações feitas pelo Grupo de Diligências Especiais (GDE), com base no Boletim de Ocorrência registrado pelo dono da farmácia. “Nós sabíamos em quais dias foram feitos os saques, conseguimos as imagens desses dias, feitas pelo circuito de segurança da agência bancária, e aí foi possível identificar o funcionário.” O ex-segurança foi levado para a delegacia, onde foi autuado por estelionato. Ele foi liberado logo em seguida, já que – segundo a polícia – não houve flagrante.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Suspeito de estelionato e falsificação de documentos é preso em Lebon Régis

Sem Comentários

01/04/2014

Um homem foi preso em Lebon Régis por falsificação de documento público e estelionato. Ele, foi preso após investigação que iniciou no dia 27 de março. Ele falsificava e vendia atestados e receituários médicos do hospital da cidade para funcionários de empresas, para que os mesmos justifiquem suas faltas. No local foram encontrados atestados e receituários falsificados, objetos utilizados para a falsificação e documentos originais utilizados como modelo para futuras falsificações. Um documento original continha várias assinaturas ao lado da verdadeira. Segundo o próprio suspeito, ele estava “treinando a assinatura do médico”. De acordo com o delegado, o suspeito responderá pelos crimes de falsificação de documento público e estelionato, pois também utilizou para justificar suas próprias faltas no serviço.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: ndonline

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Com 28 mandados de prisão por estelionato, foragido é capturado na zona leste de SP

Sem Comentários

01/04/2014

A polícia prendeu nesta terça-feira (1º), na zona leste de São Paulo, um dos foragidos da Justiça mais procurados pelo Decade (Departamento de Capturas e Delegacias Especializadas). De acordo com a policia o homem, de 50 anos, há, ao menos, 28 mandados de prisão por estelionato expedidos no Estado de Pernambuco. Ele foi preso depois que a polícia realizou campana perto da casa dele. As investigações duraram quatro meses. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o homem montava empresas na área da informática, ganhava a confiança dos fornecedores, adquiria produtos, mas desaparecia sem pagar por eles. As mercadorias eram revendidas. O golpe é conhecido como “arara” e era aplicado na cidade pernambucana de Barreiros.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: R7

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

PF do RS investiga fraude de R$ 3 milhões na concessão de seguro-desemprego

Sem Comentários

01/04/2014

Foi deflagrada pela Polícia Federal na manhã desta terça-feira (1) a operação Canudos, com o objetivo de desarticular duas supostas organizações criminosas instaladas em escritórios de contabilidade de Novo Hamburgo, na Região Metropolitana de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. A ação conta com a participação da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE). Mãe e filha foram presas em um escritório de contabilidade. A fraude pode chegar a R$ 3 milhões. Seis mandados de prisão são cumpridos e três mandados de busca e apreensão na cidade. Também são cumpridas 17 ordens judiciais de condução coercitiva de empresários que será ouvidos pela Polícia Federal. Segundo a corporação, nos últimos quatro anos, 10 operações da PF em todo o país apuraram golpes semelhantes que chegam a R$ 70 milhões. Iniciada em dezembro de 2013, a investigação se concentra em apurar o prejuízo de quase R$ 3 milhões entre 2012 e 2013, conforme a Seção de Fiscalização do Trabalho e Emprego. A fraude era realizada a partir da inserção de dados falsos no sistema CAGED, do Ministério do Trabalho e Emprego. De acordo com a Polícia Federal, os escritórios de contabilidade realizavam contratações e demissões fictícias de trabalhadores para empresas-clientes, gerando o pagamento de seguro-desemprego. Muitas das empresas, segundo a PF, não sabiam da prática criminosa e foram vítimas dos grupos. Em um dos casos investigados, um pintor de obra foi cadastrado no sistema CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) como empregado de uma fábrica de sorvetes. Sem nunca ter trabalhado de fato, o pintor foi “demitido” sem justa causa, gerando pagamentos de R$ 1,2 mil de seguro-desemprego por quatro meses. O escritório responsável pela fraude recebeu uma parcela do benefício como pagamento. Os investigados deverão responder por organização criminosa e estelionato em detrimento de entidade de direito público ou de instituto de economia popular, assistência social ou beneficência. No período investigado, foram gerados cerca de 600 benefícios fraudulentos. Os beneficiários também responderão a inquérito policial.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior Próximo