Jandaia: Estelionatários são presos após aplicar golpe

Sem Comentários

20/06/2014

Dois homens foram presos no início da tarde da última quarta-feira (18), em Jandaia do Sul, depois de aplicar golpe do bilhete em uma senhora. A vítima que já tinha sacado R$ 1.500 em uma agência bancária e entregue aos golpistas, tentava sacar mais R$ 4.000 em uma agência bancária, mas um funcionário desconfiou e chamou a Polícia. Os dois, que são moradores de Londrina, estavam com uma Toyota Corolla e foram abordados pela Polícia Militar na Rua Thimoteo Pagliarine. Conforme a polícia, durante a abordagem a dupla entrou em contradição e acabou confessando o crime. Os dois foram encaminhados à Delegacia.

Mulher sofre golpe por telefone e perde R$ 1300,00

Sem Comentários

18/06/2014

Foi vítima de um golpe, uma mulher de 25 anos, nesta terça-feira (17), em Bauru. Ela acabou perdendo R$ 1.299.14, após realizar uma transferência bancária em uma agência no Parque Paulistano. De acordo com informações obtidas através do boletim de ocorrência (BO), a vítima recebeu uma mensagem e entrou em contato com um número de celular com a finalidade de participar de uma promoção de sua operadora de telefonia móvel e ganhar R$ 35.000,00. A vítima informou aos policiais que o um homem estaria falando com ela como um atendente de telemarketing e orientou que ela se dirigisse a uma agência bancária, pois deveria digitar um código para liberar o dinheiro do prêmio. Conforme era orientada pelo telefone, a mulher de 25 anos foi digitando os números no caixa eletrônico e, sem perceber, fez uma transferência no valor de R$ 1.299,14, seguindo  as instruções do estelionatário.

Suspeito de aplicar golpe em argelinos é detido em Belo Horizonte

Sem Comentários

17/06/2014

Um suposto agente de turismo suspeito de aplicar um golpe em um grupo de turistas argelinos foi preso nesta terça-feira (17) pela Polícia Militar. O homem foi reconhecido por turistas argelinos perto do Mineirão, na Região da Pampulha. O suspeito teria vendido pacotes de estadia para o grupo, incluindo ingressos para jogos da Copa e não teria cumprido o combinado. Houve discussão em entre o homem e o grupo diante dos policiais, que encontraram dentro da mochila do suspeito um bloco de ingressos para a Copa, dólares e euros. O suposto agente de viagens foi levado para a Polícia Federal, junto com um representante dos turistas. A nacionalidade do suspeito não foi informada.

Homem que fingia ser advogado é condenado por usar documento falso

Sem Comentários

17/06/2014

Foi condenado a oito anos e dois meses de prisão, um homem que se passava por advogado no interior paulista, ele também terá que pagar 70 dias-multa, por ter protocolado ao menos sete ações na Justiça Federal e cobrado honorários advocatícios, “mediante artifício e ardil”. De acordo com a sentença, a vantagem financeira foi de R$ 650. Para o juiz federal da 2ª Vara Federal de Marília, os autos comprovam que ele cometeu estelionato e crime por uso de documento falso. Segundo o Ministério Público Federal, autor da denúncia, o réu atuou irregularmente entre 2010 e 2011 em ações contra o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), com objetivo de conseguir benefícios previdenciários. Ele era estudante de Direito na época, conforme a subseção da Ordem dos Advogados do Brasil em Marília, e falsificava a assinatura de um advogado, com quem dividia o aluguel de um espaço na cidade. Ao ser ouvido durante o processo, o réu confessou a prática e disse ter desistido da faculdade, depois das acusações, por vergonha. A defesa, porém, tentou desqualificar a denúncia, alegando que a procuradoria não havia demonstrado qual documento teria sido falsificado e que o delito de estelionato não estaria configurado, por inexistência de qualquer prejuízo patrimonial ou vantagem indevida. Mas o juiz rejeitou os argumentos e condenou o falso profissional à prisão em regime inicial fechado. Ele pode recorrer em liberdade até o trânsito em julgado. Cada dia-multa fixada ao réu corresponde a um trigésimo do salário mínimo na época dos fatos. Ele ainda terá de devolver o dinheiro recebido irregularmente de duas vítimas (R$ 350 e R$ 300, em valores corrigidos). 

Polícia Civil investiga um professor de balé por suposto golpe em escola

Sem Comentários

16/06/2014

Um professor de balé é investigado pela Polícia Civil de São João Boa Vista (SP) suspeito de aplicar um suposto golpe em uma escola de dança da cidade. Ele teria recebido R$ 6,5 mil para levar alunos ao exterior, mas isso não aconteceu e o dinheiro não foi devolvido. O professor nega a acusação e disse que repassou o dinheiro a um empresário de Ribeirão Preto que teria desaparecido. A dona da escola contratou um professor, que disse que um maestro viu um vídeo de uma aula na internet e se interessou em levar 15 pessoas para o Canadá e Holanda. Com o tempo, a proprietária desconfiou da proposta e ligou para o maestro. “Ele não conhece esse professor e também não sabe de nada sobre isso”, afirmou. Contudo, o professor já tinha recebido R$ 6,5 mil. “Ficou aqui mais um mês e pouquinho com a promessa de mudar e fazer a devolução desse dinheiro, o que não foi feito”, disse. Um auxiliar de serviços gerais acreditava que iria dançar balé em Amsterdã. Ele chegou a pagar por sapatilhas e roupas para as aulas. “Me senti enganado e muito iludido porque a gente cria uma esperança, a gente queria viajar. Todo mundo estava animado, se esforçando e batalhando para realizar esse sonho”, lamentou. Um boletim de ocorrência foi registrado como estelionato. Uma nota promissória de R$ 2 mil paga pela dona da escola a um curso de férias oferecido pelo professor também está com o delegado que investiga o caso. “Estou determinando a abertura de inquérito policial e verificar como se deram os pagamentos, como foram feitos e o que realmente ocorreu”, explicou o delegado responsável pelo caso. A pena para o crime de estelionato é de um a cinco anos de prisão. Por telefone, o professor suspeito de estelionato informou que repassou os R$ 6,5 mil para um empresário de Ribeirão Preto que sumiu, mas ele não deu o nome dele. Ele afirmou também que, apesar de não ter condições financeiras, se for preciso pretende devolver o dinheiro para quem foi prejudicado.

Mulher é presa por aplicar golpe em oficial da PM

Sem Comentários

13/06/2014

Foi presa no final de semana uma mulher de 32 anos, acusada de participar de um golpe aplicado contra um aspirante a oficial da Polícia Militar de 24 anos, lotado no 3° Batalhão de Cuiabá. Segundo o boletim de ocorrências, um homem telefonou para a PM e se identificou como sendo um major da cidade de Primavera do Leste (231 km ao sul) e pediu para que o oficial verificasse a compra de um aparelho IPhone 4 G, que seria para seu filho, e que estava demorando para ser entregue no município. O oficial foi até o local indicado, que seria da “vendedora” do aparelho, em uma quitinete na região do CPA, e lá a acusada mostrou um comprovante de depósito bloqueado, o que fez com que o oficial sacasse R$ 1,5 mil e pagasse R$ 1,3 mil, pelo aparelho, pois o “major” disse que iria ressarci-lo. Entretanto, o oficial não desconfiou do golpe, pois afirma que viu o aparelho e o “major” continuava a ligar e ludibriá-lo. Em uma das últimas conversas, o oficial desconfiou, pois o “major” informou que o irmão havia sofrido um acidente de carro na BR-364 e que precisava de mais R$ 1,5 mil, sendo que pagaria o PM. O oficial resolveu ligar para um PM conhecido em Primavera, que informou outro número de celular, do verdadeiro major, que atendeu e afirmou que nada sabia, e que se tratava de um golpe. O PM então marcou o encontro, em um posto de combustível na BR-364. O dinheiro seria entregue para o gerente do posto, J.F.S, 45, que repassaria para o “major”. A guarnição do 24° BPM montou campana e prendeu a mulher, que chegou em um moto táxi para pegar o dinheiro. De acordo com a polícia, a mulher seria esposa do suspeito, que está foragido. Ela foi presa em flagrante por estelionato e encaminhada para o Presídio Feminino Ana Maria do Couto, em Cuiabá.

Dupla é presa acusada de aplicar o golpe do “envelope vazio” em Itaporã

Sem Comentários

14/06/2014

Uma dupla de homens foi presa em flagrante acusada de aplicar o golpe do “envelope vazio”, para compra de automóveis. Eles foram detidos na manhã de sexta-feira (13) por policiais da Defron. A polícia procura por um ex-presidiário que está foragido. De acordo com a polícia, um golpe foi aplicado no último dia 27, causando prejuízo de R$ 20 mil ao dono do carro. Conforme a polícia, os dois homens na companhia de mais um, que está foragido, entraram em contato com o proprietário de um Gol da cor prata, de Dourados, após ver o anúncio de venda do veículo na internet. Negociado o preço da compra, o foragido pediu o número da conta bancária da vítima, para depositar o dinheiro. O depósito foi efetuado, porém em branco. O sujeito então ligou para o dono do Gol e pediu para ele conferir o extrato bancário. Foi constatado o depósito na conta, mas o dinheiro não estava confirmado, segundo a polícia. Sem checar todos os detalhes do depósito, o dono do veículo repassou o carro ao estelionatário. Somente depois constatou que caiu em um golpe. No outro caso, na manhã de ontem, os acusados buscaram outro veículo, do mesmo modelo, um Gol. O sistema de pagamento seria realizado da mesma forma, porém, a polícia foi avisada e conseguiu prender dois dos envolvidos. Levados até a delegacia, eles foram autuados em flagrante por estelionato.

Anterior Próximo