Estelionatário é preso no DF por falsificar documentos para fraudar INSS e receber R$ 8 mil por mês

Sem Comentários

14/12/2017

Documentos forjados pelo estelionatário; há cartões de crédito, RGs, certidões e carteiras de trabalho (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu em Samambaia um estelionatário que aplicava golpes no INSS. F.I. recebia, de forma irregular, pelo menos nove benefícios da Previdência – simulando ser idoso de baixa renda a fim de ter acesso ao dinheiro pago pelo governo. Juntando tudo, embolsava R$ 8.433 por mês. Conforme o delegado da 26ª DP, ele carregava diversos documentos falsos, como 7 certidões de nascimento, 15 carteiras de identidade, cartões de CPF e do Bolsa Família. A polícia chegou até ele porque iria cumprir um mandado de prisão por tráfico. Mesmo não encontrando o alvo, a equipe foi revistar o endereço e achou os documentos. Aos policiais, ele disse ter comprado o material falso em São Paulo. O homem foi autuado por falsificação de documento público, particular e da carteira de trabalho (crime previsto pela CLT). “Ele foi preso em casa. Não sabemos se ele tem passagem ou não porque tudo dele é do Piauí. Ele estava nesse novo endereço só há oito dias”, declarou o delegado. A próxima etapa das investigações vai apurar se os documentos são de pessoas que não existem ou se usa a identidade de indivíduos reais. Como falsificação de benefício do INSS é um crime federal, os detalhes devem ser remetidos à Polícia Federal.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Golpe do cheque falso lesa brasileiros na Flórida

Sem Comentários

14/12/2017

Golpe do cheque falso é comum em todo os EUA

Um pintor goiano, morador de Deerfield Beach, está amargando um prejuízo de mais de $3 mil dólares em sua conta bancária por ter caído, há menos de um mês, em um golpe muito comum em todos os Estados Unidos. O golpe do cheque falso, no qual o estelionatário (de várias nacionalidades) do outro lado da linha – interessado em algum tipo de serviço prestado pela vítima – envia um cheque muito parecido com um cheque legítimo com um valor bem alto. Assim que o destinatário recebe o cheque, o golpista pede que a pessoa deposite o cheque em um ATM – para que o caixa não levante suspeitas – e pede que a pessoa envie uma certa quantia para uma conta determinada, que seria do estelionatário. Para brasileiros recém-chegados é bem complicado entender a lógica do sistema bancário americano. Nos EUA, quando você deposita um cheque em sua conta com uma quantia alta, o banco normalmente ‘adianta’ uma certa quantia para, então, compensar o valor e efetivar a transação no dia útil seguinte. Se o cheque depositado for falso ou não tiver fundos, o banco pega o dinheiro que ele havia adiantado de volta, devolve o cheque e ainda aplica uma multa de $35 como punição. No caso do pintor goiano, ele tem uma pequena companhia de pintura e conhece o sistema americano, já que vive nos EUA há 18 anos, mas foi convencido pelo ‘cliente’.  “Eu recebi um telefonema de uma pessoa falando muito mal inglês, não era brasileiro nem americano. A partir daí começamos a conversar por mensagem no celular. Ele me pediu o orçamento para pintar uma casa que existia, eu fui até o local, vi que tinha uma placa de venda e a casa estava lá. Ele acertou todo o serviço comigo por mensagem e me convenceu a aceitar um pagamento adiantado. Eu depositei o cheque numa sexta-feira no ATM, o cheque estava ‘limpo’ no dia seguinte e acabei depositando para ele os $3 mil que ele falou que seria para pagar um encanador”, explica. O problema é que na segunda-feira, quando o pintor foi conferir sua conta, o cheque além de não ter sido compensado, o rombo em sua conta era de $3,7 mil, já que ele havia sacado $3 mil para mandar para o golpista. “Eu sei que errei em acreditar, mas tudo parecia muito correto. Quero que essa reportagem sirva de alerta para outros brasileiros”, disse. Ele fez uma ocorrência policial e está tentando ser ressarcido do prejuízo pelo banco.

Dicas para não cair nesse golpe

  • Não aceite cheques com valor maior que o combinado para ter que devolver o dinheiro ao destinatário. Isso não existe.
  • Não troque cheques ‘inesperados’ por dinheiro vivo. Mesmo que o banco troque o cheque na hora, a instituição vai verificar que o documento é falso e você pode ter sérios problemas com a polícia.
  •  Não use ATM para depositar cheques de estranhos e vindos de locais que você não conhece. Deposite na boca do caixa.
  • Assim que receber o cheque por algum serviço prestado, ligue para a instituição para verificar que o destinatário existe.
  • Estelionatários são insistentes e ficam no seu pé até você depositar o cheque. Fique atento.

Foi vítima do golpe? Denuncie nos seguintes sites:

  • American Bankers Association Education Foundation, Fake Check Scams
  • FTC Consumer Alert, The Secrets of Mystery Shopping Revealed
  • Internet Crime Complaint Center, Work-at-Home Scams
  • National Consumers League, FakeChecks.org

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Achei USA

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Mulher cai em anúncio falso de carro e faz depósito para golpista

Sem Comentários

14/12/2017

Uma moradora de Campo Grande (MS), de 31 anos, caiu no golpe da venda de carro pela internet e fez um depósito de R$ 1 mil. A vítima disse na delegacia que viu no site OLX, o anúncio de um suposto veículo Fiat Pálio, 2044, pelo valor de R$ 8,5 mil. Ela entrou em contato e, o golpista se passou por um garagista, residente em Amambai, cidade a 350 quilômetros de Campo Grande. Para dar continuidade ao negócio, era necessário o depósito de R$ 1 mil. A vítima então fez o depósito e enviou por WhatsApp, fotos de documentos e comprovante de residência. A mulher começou a desconfiar e percebeu que havia caído em um golpe no momento em que o estelionatário pediu mais dinheiro. O caso foi registrado como estelionato na Depac Centro.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Midiamax

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Estelionatário de grupo paulista que interceptava contas bancárias é preso em AL

Sem Comentários

15/12/2017

Nesta quinta-feira (14), um acusado de estelionato e que faz parte de um grupo paulista especializado em interceptar contas bancárias e realizar transferências de valores foi preso pela Polícia Civil (PC) no bairro da Ponta Verde, parte baixa de Maceió. Segundo as investigações, F.M., de 29 anos, faz parte de um grupo criminoso e, segundo informações policiais, o alagoano era responsável pelos saques bancários. A quadrilha escolhia uma conta bancária e transferia valores para outra conta, da qual o homem efetuava os saques. Ele rateava o montante e repassava parte do dinheiro para o grupo sediado em São Paulo. A ação policial do GIDG faz parte da operação nacional PC-27, que ocorre em diversas unidades federativas.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Cada Minuto

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia investiga estelionatários que fraudam o seguro de pescadores no ES

Sem Comentários

13/12/2017

Uma fraude no seguro que garante renda para pescadores durante o período em que a pesca fica proibida no Espírito Santo é investigada pela Polícia Federal. Nesta quarta-feira (13), foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão em Conceição da Barra, no litoral Norte do Espírito Santo, e ninguém foi preso. De acordo com as investigações da Operação Anzol, falsos pescadores estariam recebendo o benefício. A investigação começou depois que a PF recebeu uma denúncia. Os investigados, se comprovada a fraude, vão responder pelo crime de estelionato contra união e a pena pode chegar a seis anos de prisão. “O Seguro-desemprego do Pescador Artesanal nada mais é do que uma contrapartida do Governo Federal que, ao proibir a atividade pesqueira durante determinada época do ano, concede temporariamente uma remuneração aos pescadores profissionais artesanais impedidos de exercer tal atividade”, diz a nota da Polícia Federal.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia prende trio suspeito de usar cartão clonado em Taguatinga

Sem Comentários

13/12/2017

Na noite de terça-feira (12), três homens foram presos pela Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), após realizarem compras em um shopping de Taguatinga usando cartões clonados. Os prejuízos são de aproximadamente R$ 21 mil. Os suspeitos fazem parte de uma quadrilha e foram encaminhados para a 21º delegacia de polícia (Taguatinga Sul). Segundo a polícia, por volta de 22h, os seguranças do shopping desconfiaram da movimentação, após dois homens efetuarem uma compra no valor de R$ 20 mil em uma loja e acionaram a PM. Ao chegar no estabelecimento, os militares encontraram os dois suspeitos detidos pelos seguranças com os objetos adquiridos e os  os cartões clonados. Um deles informou que um terceiro envolvido estaria aguardando em um carro do lado de fora do shopping. Após revista ao interior do veículo, os policiais o localizaram celulares e óculos, avaliados em R$1 mil reais.  O trio foi conduzido para a 21ª DP (Taguatinga Sul), onde ficou constatado após consulta, que os detidos faziam parte de uma quadrilha especializada em clonagem de cartões e ostentavam diversas passagens. O trio foi autuado em flagrante por estelionato.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Correio Braziliense

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homens são presos tentando utilizar procuração falsa para sacar R$ 1 milhão de banco em Arapiraca, AL

Sem Comentários

12/12/2017

Na cidade de Arapiraca, no Agreste de Alagoas, duas pessoas foram presas em flagrante enquanto tentavam sacar, de forma fraudulenta, R$ 1 milhão de reais em uma agência bancária. A informação foi divulgada pela Polícia Civil (PC) nesta terça-feira (12). E.A.S., de 45 anos, e C.E.S.S., de 54, foram presos na segunda (11). Ainda segundo a polícia, eles apresentaram uma procuração falsa que seria de uma pessoa falecida, e tentavam sacar dinheiro que seria referente a um precatório. Os dois foram autuados em flagrante por estelionato e levados para a delegacia. A prisão foi efetuada por uma equipe da Seção de Roubo a Banco (Serb) da PC, e contou com o apoio do Núcleo de Inteligência (NI) e da Seção de Antissequestro (SAS), da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic), e Delegacia Geral de Polícia Civil (DGPC).

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior