Acusado de estelionato tinha vida de luxo com golpes que chegam a R$ 2 mi

Sem Comentários

18/09/2019

Jeito sedutor, palavras bem escolhidas e uma vida de luxo. Era assim que o golpista, de 39 anos, se apresentava para as vítimas. Confiante, o homem acusado de estelionato relatava ser dono de uma empresa especializada em gestão financeira. Seis mulheres e um homem acabaram caindo na lábia do suspeito, dando altos valores para investimento em um falso fundo nos Estados Unidos. Os golpes somam mais de R$ 2 milhões. Até a manhã de terça-feira (17/9), três vítimas haviam prestado depoimento na Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Ordem Tributária e a Fraudes (Corf). Uma quarta pessoa é esperada para formalizar depoimento, assim como a mãe do acusado, que é suspeita de auxiliar nos golpes. No Imposto de Renda deste ano, o suspeito declarou um patrimônio de R$ 1,2 milhão. De acordo com o delegado, o acusado criava contratos com as vítimas e usava-os para prestar contas ao Leão. “Ele legalizou todo o dinheiro obtido por meio de golpe para não cair na malha fina e gerar desconfiança”, detalha. “Apuramos que os golpes ocorrem desde 2011. Estamos em fase de investigação, além de as vítimas também estarem vindo à delegacia. Assim, identificamos como o acusado agiu com cada pessoa e quanto cada uma perdeu”, conclui o delegado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: CORREIO BRAZILIENSE

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Pedreiro é preso suspeito de tentar comprar Porsche usando documento falso, em Goiânia

Sem Comentários

16/09/2019

Um pedreiro de 26 anos foi preso em flagrante na quinta-feira (12) suspeito de tentar comprar um veículo de luxo financiado utilizando documento falso em uma revendedora de carros em Goiânia. Segundo a polícia, o jovem disse que foi chamado por outra pessoa para cometer o crime. De acordo com informações da Polícia Civil, o acusado usou uma carteira de habilitação falsa, com outro nome, para tentar comprar um Porsche. Segundo o delegado da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), os vendedores da loja suspeitaram que ele não teria condições financeiras de comprar o veículo e chamaram a polícia. Ainda segundo o delegado, o suspeito confessou o crime, mas disse que tem um “mentor” por trás da tentativa de compra do veículo. “Ele diz que foi usado como ‘mula’, que só ia assinar o documento e essa outra pessoa iria buscar o carro”, afirmou. As investigações apontam que ele receberia R$ 1 mil dessa pessoa para apresentar a CNH falsa e assinar o contrato de compra e venda. O carro, avaliado em R$ 100 mil, é seminovo e seria financiado integralmente pela loja que denunciou a tentativa de estelionato. “Ele ia financiar todo o valor sem a intenção de pagar nada”, afirmou o delegado. O pedreiro, que permanece preso, irá passar por audiência de custódia e responderá por tentativa de estelionato e uso de documento falso, o que pode resultar em até oito anos de prisão. A polícia ainda trabalha para identificar o segundo envolvendo no crime.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba como evitar esse e outros tipos de fraude acessando a página do BrSafe, um sistema moderno e eficaz no combate a fraude em documentos.

Estelionatário que oferecia empréstimos bancários falsos é preso no Amapá

Sem Comentários

11/09/2019

Acusado de se passar por funcionário de um banco e oferecer falsos empréstimos, o acusado foi preso por estelionato nesta sexta-feira (6), por volta de 13h, na casa onde morava, Zona Oeste de Macapá(AP). O estelionatário estava foragido desde 16 de junho desse ano e já respondia pelo mesmo crime. Ele foi condenado a três anos e meio, em regime fechado. As investigações foram conduzidas pelo Núcleo Operacional de Inteligência (NOI) da Polícia Civil. De acordo com o delegado da 1ª Delegacia de Polícia (DP), o acusado se passava por funcionário do banco, oferecia empréstimos a juros baixos e facilitava a intermediação para criação de projetos, supostamente necessários para a operação, em troca pedia adiantamento no valor de R$ 8 mil. “Ele tinha um perfil de vítima, geralmente empresários, aplicava o golpe e depois sumia (…) a grande sacada dele era oferecer facilidades para a contração do empréstimo”, explicou o delegado. Segundo a polícia, o homem já possui sete processos por estelionato. Só na 1ª DP havia três inquéritos contra ele, que atuava desde 2018.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Estelionatário acusado de dar golpe em mais de 100 vítimas é preso em Rondônia

Sem Comentários

11/09/2019

Agentes da 6ª Delegacia de Polícia de Porto Velho (Rondônia) prenderam na manhã desta terça-feira (10), um acusado de praticar crime de estelionato contra mais de 100 vítimas no país. No apartamento do acusado na capital de Rondônia, a Polícia também apreendeu diversos documentos e um notebook. Segundo os investigadores, o golpe praticado por ele é similar ao de pirâmide financeira. Ele se apresentava como investidor do mercado financeiro e oferecia o produto de moedas “criptografadas”, com a promessa de juros aviltantes no valor de 15% ao mês. De acordo com a Polícia, só em dois inquéritos, o golpe ultrapassou R$ 300 mil, entretanto, outras vítimas confirmaram que investiram cerca de R$ 1 milhão.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: RONDONOTICIAS

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Mais de 150 pessoas denunciam golpe em casa de câmbio na Paraíba

Sem Comentários

26/08/2019

Na manhã desta quinta-feira (22), várias pessoas foram até a Central de Polícia de Campina Grande denunciar um possível golpe em uma casa de câmbio da cidade. Conforme apresentado nos Boletins de Ocorrência registrados na Polícia Civil, mais de 150 pessoas que compravam moedas internacionais podem ter sido vítimas de um golpe, que pode ser orçado em até R$3 milhões.  De acordo com as vítimas, as moedas internacionais eram oferecidas pelo dono da casa de câmbio por um preço menor que o do mercado comum. Mas, ao conversarem entre si, os consumidores descobriram que haviam sido enganados pelo homem, que, segundo o delegado titular da Delegacia de Defraudações de Campina Grande, será investigado como estelionatário. Uma das pessoas que estava na Central de Polícia para formalizar a denúncia junto às outras vítimas falou, em  entrevista, que o dono da casa de câmbio recebia o valor do pagamento acertado e prometia entregar as moedas internacionais em um prazo de 15 dias, ou um ou dois meses. No fim do prazo acertado, as vítimas procuravam mas não achavam o responsável. “O crime é configurado como estelionato porque, a partir do momento em que ele [suspeito] ligou oferecendo moeda internacional a preço menor que do mercado, ele sabia que ia quebrar a empresa e mesmo assim oferecia algo que não iria cumprir com os clientes”, explicou o delegado. O delegado ainda informou que até esta quinta-feira (22) só três Boletins de Ocorrência relacionados ao golpe haviam chegado à Polícia Civil de Campina Grande, mas hoje muitas outras pessoas foram ao local relatar os casos de estelionato. Para o delegado, o número de vítimas ainda pode aumentar. As vítimas deixaram claro que o proprietário da casa de câmbio era conhecido e possuía a confiança dos clientes, e, por isso, ganhou a confiança do mercado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Jornal da Paraíba

Saiba como evitar esse e outros tipos de fraude acessando a página do BrSafe, um sistema moderno e eficaz no combate a fraude em documentos.

Policial sofre dois golpes em 10 dias e perde quase R$ 10 mil em SP

Sem Comentários

07/08/2019

Segundo as autoridades, um policial civil de 48 anos e morador Santos, no litoral de São Paulo, foi enganado duas vezes ao tentar comprar carros em um aplicativo de vendas, tendo um prejuízo de quase R$ 10 mil. O primeiro golpe aconteceu em 7 de julho, quando o policial entrou em contato com um homem que anunciava dois carros na cidade de Sales de Oliveira, no interior de São Paulo. Após uma negociação, a vítima depositou R$ 2 mil como garantia por um dos veículos, pedindo que um conhecido fosse até o município para conferir e escolher um dos carros. Um dia depois da transferência, o policial descobriu que tanto o local informado pelo comerciante quanto os veículos não existiam, e que no endereço indicado existia uma oficina mecânica. A vítima chegou a assinar e enviar um contrato para a suposta empresa, mas não obteve resposta.

Cerca de 10 dias depois, no dia 18 de julho, o policial voltou a se interessar por um outro carro, da mesma marca, que estava sendo oferecido por R$ 8 mil no mesmo site. Após entrar em contato com um homem que se identificou como Ricardo, a vítima negociou o veículo pelo valor de R$ 7,5 mil. Ainda segundo as autoridades, Ricardo informou que estava vendendo o veículo da esposa, moradora de Praia Grande. O policial se deslocou até o município, onde se encontrou com a mulher e confirmou que compraria o veículo, sem que nenhum dos dois mencionassem Ricardo, transferindo R$ 7.400 para uma conta fornecida pelo suposto marido.

À Polícia Civil, a vendedora afirmou que, quando foi conferir o depósito do policial, percebeu que a transferência não tinha sido realizada e que ambos tinham caído em um golpe. Ela conta, também, que Ricardo havia demonstrando interesse pelo veículo, e que um amigo entraria em contato para comprar o carro. De acordo com informações da polícia, o policial sofreu um prejuízo de aproximadamente R$ 9.500. Os casos foram apresentado à Polícia Civil em Bertioga, onde dois boletins de ocorrência pelos crimes de estelionato foram registrados.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

PM prende dupla com mais de 20 cartões bancários

Sem Comentários

07/08/2019

Em Ponta Grossa, no começo da noite desta terça-feira (6), dois homens de 27 e 35 anos foram presos suspeitos de envolvimento com o crime de estelionato. Eles foram encontrados pela Polícia Militar na rua Castanheira, no bairro Contorno, por volta de 18h15. Segundo a PM, a equipe fazia patrulhamento pela região quando desconfiou da atitude da dupla e realizou a abordagem. Um deles tinha mandado de prisão em aberto e ele foi cumprido. Com os suspeitos, foram encontrados 20 cartões de vários bancos nos nomes de diferentes pessoas. Também com a dupla, a polícia localizou três maquinetas e aproximadamente R$ 700 em dinheiro. Eles foram conduzidos à 13ª Subdivisão Policial (SDP) para prestarem esclarecimentos sobre os objetos encontrados. A polícia ainda não informou se os cartões tinham sido roubados e furtados ou se tratava de material clonado. O caso segue sob investigação e possíveis vítimas também serão procuradas pelas autoridades.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: A Rede

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior